História We Don't Have To Dance! - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Christian "CC" Coma, Jacob "Jake" Pitts, Jeremy "Jinxx" Ferguson, Personagens Originais
Tags Amor, Andy, Black Veil Brides, Hentai, Romance, Sexo, Tragedia
Exibições 53
Palavras 1.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Volteeeei, o capítulo tá meio bosta, não engrenei direito, maaaaas a produção está a todo vapooor!

boa leituraaaaaa! ;*

Capítulo 47 - Visitas!


  Depositei um beijo no alto da testa do Andy enquanto o cheiro de xampu que vinha do seu cabelo invadia as minhas narinas.Me levantei e desci devagar de seu colo. Ele fez uma careta indicando reprovação mas logo em seguida sorriu torto sem mostrar os dentes.

Olhei ao redor, vi toda aquela bagunça na cozinha, respirei fundo e decidi: Não! literalmente não! Não iria limpar aquilo hoje, mas nem fodendo! "Ou nem depois de foder"  ri sozinha pensando nisso.

 Estiquei meu braço em direção ao Andy que continuava sentado na cadeira me encarando, lhe dei a mão e ele me olhou sorrindo de lado enquanto encaixava suavemente sua mão na minha, ele se levantou da cadeira então comecei a andar o guiando, ele me seguia sem perguntar nada. Subimos as escadas, entramos no quarto e me dirigi até o banheiro, liguei o chuveiro e sem largar a mão dele o puxei para debaixo daquela água, ele riu e me abraçou, me encaixei no seu corpo que ainda estava quente, enquanto a água escorria por nós dois.

 Ele levou uma das mãos até o topo da minha cabeça e começou a me fazer carinho enquanto eu estava com o rosto pousado entre seu pescoço e sua clavícula, eu podia ficar ali pelo resto da minha vida. Era como se ali fosse o meu lar, o meu lugar.

Depois de um longo período no chuveiro, apenas sentindo o corpo um do outro, a respiração e o calor, realmente tomamos banho de verdade e fomos até a cama.

   O Andy sentou e ficou olhando atentamente para a janela que estava entre aberta. 

- O que foi Andy? - perguntei um pouco curiosa.

- Estava pensando... - sorriu de lado.

- Posso saber no que? - arqueei uma sobrancelha.

- Em como seria se nunca mais  a gente voltasse, se a gente ficasse aqui para sempre! - ele me olhou de um jeito tão doce que fui obrigada a ir até ele, dei um selinho demorado e fiquei o encarando. Eu sabia que não podíamos fazer isso, e ele também sabia, mas pelo fato de pensar assim, mostra que tudo que estamos vivendo significa tanto pra ele como pra mim!

Por fim, acabamos deitando na cama, ele me abraçou assim que me aconcheguei no seu peito e a li dormi rapidamente.

****

- Mas que porra, tem alguém morrendo? - Andy resmungando acabou me acordando. Com os olhos ainda meio embaçados vi o Andy se levantando e indo até seu celular. Ele olhou na tela e revirou os olhos.

- O que foi Pitts? - atendeu, sua voz soou mais como se estivesse rosnando, ri baixo.

- O que? - ele gritou meio surpreso, o que acabou me assustando.

- Tá! Tá! - se acalmou - Tenho que ver com a senhorita Rose! - disse me encarando com uma sobrancelha arqueada.

- O que houve? - sussurrei.

- Pitts pediu se eles podem vir passar o dia com nós, ele, Maggie, Jady e Pétrick, eles falaram que tá um saco por lá e Ash e Avril ainda estão na lua de mel! - falou baixinho.

- E Jinxx e CC? - pedi ainda sussurrando.

- Eles não vem, querem fazer alguma coisa em casal sabe! - revirou os olhos.

- Por mim tudo bem Andy, seria legal eles por aqui!

- Sério? - ele falou alto, esquecendo do Pitts do outro lado da linha.

- O que tem? - ri.

- Eles vão estragar nossos planos, nossa privacidade! 

- Calma Andy, é só por um dia! - não aguentei o ataque dele e gargalhei  - Por mim tudo bem, mas você que sabe, a casa é sua, sua visita! - continuei rindo.

Ele fez uma careta e colocou o celular na orelha.

- Ah, Pitts, tudo bem, podem vir! - revirou os olhos - Sabe chegar aqui ainda? Ok! Ok! Até!

  Ele desligou o celular e jogou em um canto qualquer do quarto, com uma cara nada amigável.

- Porque disse que podiam vir e algora está com essa cara emburrada? - pedi.

- Queira ficar mais tempo só com você!

- Ainda temos tempo Biersack! - pisquei pra ele. Ele entendeu o meu recado e voltou se jogando em cima de mim na cama. Eu nunca me cansaria do toque dos seus lábios e o toque gélido daquele piercing na minha boca. Nenhum beijo dele era igual, todos faziam as borboletas do meu estomago se ouriçarem por completo!

****

 Pulei da cama, coloquei uma roupa decente para receber a visita e decidi arrumar a casa e principalmente a cozinha depois da noite passada, e que noite! Sorri lembrando.

Desci as escadas, quando cheguei na porta da cozinha me bateu um desanimo tão grande, não imaginava que a gente tinha feito uma zona tão grande, puta que pariu! Por onde que eu vou começar? Perguntei pra mim mesma!

Comecei recolhendo tudo da mesa, guardando o que dava nos seu devido lugar, enquanto Andy foi da uma ajeitada lá fora e arrumando as coisa na área de festa lá trás.

****

Pouco depois do almoço eles chegaram, vieram os quatro em um carro só, como o carro do  meu primo.

- Emiiii! - Jady gritou assim que desceu do carro e veio ao meu encontro, não fazia tanto tempo que não a via, mas seu cabelo ruivo parecia estar mais brilhante do que nunca - Como você está? - perguntou sorrindo.

- To bem Jady e você? - Perguntei abraçando forte a minha ruiva que eu tanto gostava.

- Ah eu tô ótima Emi! Espera aí! - e voltou correndo pro carro.

 Em seguida a Maggie veio me cumprimentar, ela era mais discreta e tímida, mas gostava dela tanto quanto gostava da Jady, afinal, ela era como se fosse uma cunhada, pois tenho o Pétrick como um irmão. Pétrick me abraçou até me erguer do chão, eu adorava aquele abraço de urso, e Pitts, me chamando de baixinha e bagunçando meu cabelo, bem a cara dele, bem o Jake mesmo.

- Olha só o que trouxemoooooos! - Jady já gritava voltando do carro com duas garrafa de Vodka. 

Sentamos lá fora na área de festa, onde tinha uma mesa bem grande de madeira. Misturamos a Vodka com coca, e ficamos tomando enquanto conversamos sobre diversos assuntos, risada é o que não faltava. Resolvemos brincar de CS, pra quem não sabe, é escolhido um tema, por exemplo "banheiro", cada pessoa tem que falar uma palavra que tem haver com banheiro, mas não pode começar com a letra C nem com a S, se a pessoa falar por exemplo "sabonete" vai ter que pagar castigo, que nosso caso é um copo de Vodka purinha, sim, hoje é pra cair mesmo! 

Então começamos, tema Funeral...

- Morto! - falei.

- Velas! - Jady.

- Flores! - Maggie.

- Parentes! - Andy.

- Caixão! - Jake.

- Aaaaaaaaaaaaah! - gritamos todos juntos, Jake o mais desligado.

- Ah não, não acredito! Esse era só um teste não tá valendo né? - ele se lamentava querendo escapar.

- Nããão! O senhor pode virar esse copo! - Andy colocou um copo cheio de Vodka na frente dele, o Jake pegou o copo, ficou encarando por um tempo mas logo em seguida virou de uma vez só. Em seguida fez uma careta e caímos todos nós na gargalhada.

Ficamos nessa brincadeira por muito tempo, todo mundo errou, que mais errou foi o desligado do Jake, que já estava quase caindo, eu também errei algumas e já estava um pouco tonta, todos nós estávamos um pouco aletrados já que nem percebemos que havia escurecido lá fora e já estava tarde.

 - Que tal a gente busca uma coisa pra comer? - Pétrick falou.

- Cara, eu concordo, só não sei se dou conta de dirigir! - Jake disse rindo tentando erguer a mão com a chave que logo despencou toda mole sobre sua perna, ele tava bem feio.

- Isso pode deixar comigo! - Andy disse tirando a chave do Jake, ele parecia o mais sóbrio de todos nós.

- Nós vamos buscar uma carne e pão! Vocês podem dá uma olhada na geladeira, ver se dá pra fazer uma salada, acho que já tá bom, pode ser? Churrasco, pão, salada? - Andy perguntou.

- Pode sim, a gente arruma tudo aqui! Pode deixar! - respondi.

- Sim senhor Biersaco! - Jady gritou fazendo pose de sentido.

Caímos na gargalhada.

 Os rapazes foram atrás da carne e do pão, então resolvemos ajeitar tudo por aqui, fui até a geladeira e bebi bastante água que ajuda um pouco na tontura, dei um pouco para a Jady e  Maggie, eu melhorei um pouco e pareceu que elas também melhoraram.

Começamos a fuçar no armário, na geladeira, cortamos uns tomates,comecei a cortar uma cebola e meu olho começou a arder.

- Gente eu vou lá lavar meu olho, essa cebola tá foda! - ri.

- Que nada! Já tá chorando de saudade do biersaco! - Jady riu.

- Não fica assim amiga! - Maggie me abraçou - Ele já vai voltar e você vai poder lamper o pinto dele o quanto quiser!

- Ai também quero lamber um pinto! - Jady gritou - Vooolta Jake! 

 Rimos feito doidas, até a Jady escorregar não sei de que jeito e cair no chão, de quatro, quase não conseguimos ajudar ela a levantar de tanto que rimos. Percebi que molhei a camisa tentando ajudar a Jady, não sei de que jeito.  Bêbadas e sozinhas, isso tá perigoso.

- Vocês não valem nada! - ri e subi para o quarto rapidinho, ia lavar o rosto e trocar a camisa.

Estava lavando o meus olhos, quando um estrondo enorme veio lá da cozinha, parecia uma porta se fechando fortemente. Fiquei quieta prestando atenção mas não ouvi mais nada. Sequei meu rosto e ouvi o que parecia um gemido. 

- Jady? -  gritei - Maggie?

Mais um estrondo e nada delas responderem, e como estávamos "alegres" era impossível não ouvir elas falando alto. Um silêncio tomou conta da casa, isso me incomodou, achei estranho então decidi descer pra ver o que elas estavam aprontando.

Quase voei pelas escadas e voltei pra cozinha, meu corpo de repente travou, eu fiquei em estado de choque sem realmente qualquer reação. Senti um frio enorme percorrer por toda a minha espinha, minha garganta secou, fechei os olhos por um breve momento, tentando fazer aquela cena desaparecer, torcendo para que fosse um efeito da grande quantidade de Vodka que eu bebi, mas quando abri os olhos me decepcionei, era real, aquilo era muito real! Não pode ser! Isso não pode estar acontecendo!

 

CONTINUA...


Notas Finais


O que acharam ? Me faleeeem *0*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...