História We Dont Talk Anymore- Taegi(Long) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Taegi
Visualizações 58
Palavras 2.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura mores 💖💖

Capítulo 4 - Chapter Two- Am I being observed?


                    °Suga on_

Esse tal desse Taehyung tem a cara do pai dele, uma copia exata do Sr.  Kim. Não me parece ser uma má pessoa, ma,s eu tenho certeza que foi ele que pediu pra minha irmã mostrar a escola pra ele. Se ele acha que vai se dar bem com ela, ele ta muito enganado, ela não gosta de gente atirada.

Assim que sai da casa do Sr. Kim e decidi ir à casa do Hoseok,  sei que é muito cedo (até pra mim), mas eu estou totalmente entediado e também ele não vai precisar se levantar pra abrir a porta pra mim. Ja convivo com ele a tanto tempo que eu até ja sei onde ele esconde as chaves reservas. A casa dele fica a cinco quadras daqui, então não seria tão longe para ir caminhando. Durante 5 minutos de caminhada, decidi comprar algumas coisas para nós comermos, entrei em um mercado e comprei alguns salgados e doces, sei que não é muito bom comer essas coisas como primeira refeição do dia mas, uma vez não vai matar ninguém. E se eu morrer por causa disso, pelo menos morrerei com a barriga cheiaㅋㅋㅋ. Sai da loja e voltei a traçar o meu caminho. Estava sentindo um certo desconforto, uma leve sensação de que eu estava sendo observado por alguém. Parei de caminhar e olhei ao meu redor, mas não obtive sucesso em achar algum suspeito, a rua estava completamente vazia, então voltei a caminhar.

Não demorou e eu já estava pegando a chave de baixo de um tijolinho que estava solto no batente da entrada da casa dele. Destranquei a porta e coloquei a chave no lugar onde estava antes. Fechei a porta e me direcionei a cozinha, coloquei as compras na mesa e me direcionei ao armário. Peguei duas tampas de ferro e um copo, enchi o mesmo com água e me direcionei as escadas. Antes que pudesse subir, escutei um barulho familiar vindo da sala. Chegando lá me deparei com uma cena hilária, ele estava todo torto com pipoca espalhada por todo o corpo, e com um copo vazio na mão, pois todo o refrigerante estava despejado no chão.

Me aproximei e coloquei o copo d'água no chão e coloquei uma tampa em cada mão, abri os braços e...


            ~~Paaaaaaaah~~

-Aaaaaaaaah! -Levantou do sofá, derramando mais pipoca no chão e jogando o copo pra cima. Peguei o copo d'água e joguei nele. Ele pisou onde tinha refurigerante e escorregou.

-ㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋ. Eu deveria ter gravado isso. -cai no chão de tanto rir.

- Suga...  Eu vou contar até três pra você sair correndo.

-Calma cara, foi só uma brincadeira. Não precisa se exaltar. -levantei ainda rindo.

-1...-Se levantou.

-Qual é cara? Você me acordou às 5 horas no domingo, semana passada.  Esse foi o troco.

-2...-serrou os punhos

-Fodeu... -Sai correndo em direção a escada.

-3!-correu atrás de mim.

Eu subi as escadas morrendo de rir, ele estava logo atrás de mim. No último degrau eu cai, me levantei rápido. Mas não foi o suficiente para que eu pudesse escapar, ele agarrou meu pé e me puxou pra longe da escada. Começou a me bater com tapas e murros, eu me protegia com os braços e não conseguia parar de rir.

- SEU FILHO DA PUTA! DESGRAÇADO! EU VOU TE MATAAAAAAR!

- A sua irmã não falou isso quando eu dormi com ela ontem. -ele parou de me bater e me lançou um olhar que se fosse possível, ele teria explodido minha cabeça.

- Como é que é? Agora eu não perdoo Min Yoongi.-voltou a me bater com mais força.

-Aaaaaaaaaaaaaaaah. Tá doendo, tá doendo! Eu peço desculpas.

- Então pede logo! Porque se não eu fico aqui te batendo o dia todo. -continuou me batendo.

-Desculpa Hobi!

-Pelo o quê? -parou de me bater.

- Por comer sua irmã! ㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋ- voltou a me bater, e um murro pegou no meu rosto.

- Você não tem jeito mesmo né? - bufou. - Idiota! -se levantou e foi pro banheiro.

Me levantei e fui atrás dele.

-Apanhei mas valeu a pena, isso é pra você ver que o meu sono é sagrado.  -sorri, mas logo o meu sorriso se desfez. Senti meu maxilar doer.

- Da próxima vez eu te mato. Idiota! Eu vou trocar essa chave de lugar. Você só entra aqui agora se eu quiser. -Me empurrou, e desceu as escadas escovando os dentes.

- Hobi, agora falando sério. Desculpa, eu peguei pesado. -desci as escadas com as mãos no queixo.

- Tá, tá. Foda-se agora já passou. O que veio fazer aqui? -olhou pra mim  e depois cuspiu na pia da cozinha.

-É que eu fui entregar uma parada pro meu pai, eu não tinha nada pra fazer e decidi vir pra cá e terminei comprando umas paradas pra gente comer.-apontei pra mesa. - E outra, para de seboseira cara, você saiu do banheiro pra vir escovar os dentes na cozinha?

-1° Moro sozinho. 2°Minha casa,  minhas regras. 3° Se continuar me irritando te expulso de casa e como tudo sozinho.

-Tá bom, eu paro.-bufei.

- Já volto. -sai da cozinha e subiu as escadas.

Novamente me senti vigiado, e olhei em volta. Pensei ter visto um vulto da janela da sala, mas acho que eu to vendo alucinações por ter dormido muito pouco. Hobi voltou e a gente sentou na mesa pra tomar nosso "café da manhã".

-Tá sabendo que tem carne nova no pedaço? -falou mastigando alguns salgadinhos

-Como assim? - beberiquei um suco de uva.

- Alunos novos, tem um ai que todas as garotas já estão comentando e desejando ele.-tomou um gole do suco de laranja dele.-O Nome dele é alguma coisa Hyung.- franziu o cenho parecendo estar um pouco pensativo.

- Taehyung, conheci a peça hoje. -revirei os olhos. - Ele é filho do Sr.  Kim, ele é muito parecido com o pai.  Mas ele parece ser muito lerdo. -fiz uma careta.

- Hahaha, sério? Então acho que vamos ter um novo brinquedinho. -mecheu as sombrancelhas .

-Hahaha. Você acredita que ele pediu pra minha irmã mostrar a escola pra ele amanhã? E ainda por cima teve a cara de pau, de dizer que foi ela quem se ofereceu?! Tá achando que vai ter chances com ela, que babaca. -ri

- Sério? Meu Deus, já chega atirando ㅋㅋㅋ. Mas mudando de assunto, você vai limpar a merda que você fez lá na sala. -indicou com a cabeça e um salgado na mão pro cômodo.

-Aish, não sou seu empregado!

- Mas você quem me assustou e jogou água em mim. -puxou a camisa. - Esqueci até de tirar essa merda. -tirou a camisa.

- Uau, que gostoso você em gato?  Tem namorada? -coloquei o dedo na boca.

- Tá me estranhando porra? Gosto de mulher! -Jogou a camisa molhada em mim.

- E esse seu cabelo? Muito bonito e sedoso. Qual shampoo você usa?  Elseve? -mexi as sobrancelhas.

- Porra Yoongi, se for ficar de viadagem sai da minha casa! -  se levantou e bateu o pé no chão apontando pra porta.

-ㅋㅋㅋㅋㅋㅋㅋ Parei, agora to suaves.

- Obrigado.- voltou a se sentar.

Comemos e depois fui limpar a sujeira que "eu fiz" na sala.  Passamos o dia comendo besteiras e assistindo filmes. Quando os últimos raios de sol se foram, decidi ir pra casa. Me despedi de Hoseok,  e segui pra minha casa. Em meio aos meus devaneios, acababei me perdendo e quando me dei conta, já estava em uma rua muito esquisita. O clima havia esfriado bastante. Andava com cautela pela rua, até que passo em frente a um beco e sou puxado com brutalidade, sou empurrado na parede com muita força, fazendo com que minha cabeça bata com muita força na parede. Logo após sinto um forte golpe na barriga, e em seguida outro.

Xxx-passa o dinheiro e o celular porra! - estava escuro demais,  não tinha luz no beco, a única luz ali existente era a da rua. Que só me dava a visão do esboço do homem encapuzado.

-  E-eu não vou te dar n-nada caralho. -me deu um murro na cara.

Xxx- Certeza? -pude escutar o barulho de uma arma. -Certeza que não vai? -colocou a arma na minha testa.

Antes que eu pudesse responder, alguém o golpeou e ele caiu no chão. Depois o golpeou com um chute na barriga e tirou a arma de perto dele.

Xxx- Você é um inútil, nem pra assaltante você serve! -Espera, essa voz não me é estranha.- Você não deveria nem se considerar um assaltante.-riu.- Vamos acabar logo com isso! - disparou três vezes,  sem hesitar.- Você não fará falta.

-Ai meu Deus!- foi só o que eu pude dizer.

Xxx- Como eu senti falta disso! -pude ver com a pouca luz que nos alcançava, que ele cheirou o cano da arma. -E você garoto, deveria ter mais cuidado com os lugares por onde anda. Porque se não vai acabar como ele! -apontou pro corpo estirado no chão. - Nos vemos por ai! -jogou a arma em qualquer canto, correu pro final do beco e pulou a grade de ferro.

Vi as roupas que usava, era um casaco azul com um capuz que cobria os seus olhos, uma calça preta e sapatos pretos com detalhes brancos. Percebi também que usava luvas, então caso achassem o corpo, não teria as digitais dele para incriminá-lo. Por que ele matou esse cara? Será que ele planejou tudo? Como é que ele sabia que esse cara estaria aqui hoje? 

Sai o mais rápido possível dali, ainda meio abalado pela cena que acabei de presenciar. Aquela voz ficou ecoando pela minha cabeça, eu tentava de todas as formas lembrar de quem era aquela voz, mas não encontrava resposta. Cheguei em casa e fui direto pro meu quarto, ignorando todos que estavam na sala. Tranquei a porta do meu quarto e ja fui tirando a minha roupa em direção ao banheiro. Tomei um banho quente e demorado, deixei a água escorrer por todo o meu corpo na tentativa de tirar toda aquela tensão que tomava posse dele. Me sequei e vesti apenas uma samba canção, me joguei na cama, no intuito de dormir. Fechei os meus olhos e esperei o sono chegar.


                °Taehyung on_


Esse Min Yoongi é meio bipolar, eu em... Acha que eu quero alguma coisa com a irmã dele, ela é muito atraente e não posso negar, mas não sou esse tipo de pessoa. Tomei café com a minha família e depois ajudei minha mãe com a louça. Subi pro meu quarto e tomei um banho. Assim que sai do banho minha mãe entrou no meu quarto e por sorte eu já havia me vestido.

- Filho, você pode ir no mercado aqui perto por favor? Preciso de algumas coisas pra preparar o almoço.

-Tá bom, mas eu vou cobrar pelo frete.

- Não mesmo!-olhou para mim incrédula.

- Então eu não vou! Sem frete, sem Taehyung. Sem Taehyung, sem ingredientes. -Cruzei os braços.

- Aish, tá bom.- bateu o pé no chão, o que me fez dar risada de sua atitude infantil.

- Agora sim eu vou!- disse com um enorme sorriso vitorioso estampado na cara.

- Tome a lista. -me entregou uma pequena lista.

-Vou só calçar meus tênis e já vou.

- OK, não demore muito a voltar do mercado por favor. -saiu do meu quarto.

Calcei meu tênis e desci as escadas correndo, apenas parando pra pegar minhas chaves e o cartão de crédito na mesa da cozinha. O mercado não era tão longe, passamos por ele quando chegamos aqui. Fiz as compras das coisas que a minha mãe pediu. E quando ia sair do mercado vi o Yoongi,  saindo. Eu não sei porque mas bateu uma curiosidade de saber pra onde ele ia com tantos salgadinhos e doces as 9 horas da manhã. Andamos umas duas quadras e ele olhou em volta, por sorte me escondi atrás do muro de uma casa velha. Ele continuou a andar e eu o acompanhei com um pouco mais de cautela.  

Ele parou em uma casa de cor azul,  e tirou a chave de baixo de um tijolo. Destrancou a porta e colocou a chave no lugar de onde tinha tirado. Pulei o murozinho que tinha, e fui até a janela da sala em passos silenciosos. Pude ver que ele foi até a cozinha e pegou duas tampas de panela e um copo d'água. Escutei alguém roncar e vi um menino todo esparramado no sofá, com pipoca por todo lado e uma poça de refrigerante no chão. Me contive pra não rir, e ele veio em direção a sala, me abaixei um pouco para ele não me notar. Ele bateu as duas tampas e o menino que estava dormindo se levantou gritando,  o Yoongi jogou água nele e ele escorregou no refrigerante e caiu feio.  Me abaixei pra poder rir, sem ninguém me notar. Quando me levantei um já estava correndo atrás do outro. Esperei mais um pouco e eles voltaram pra cozinha, o outro menino saiu e só o Yoongi ficou. Ele olhou em volta procurando por alguma coisa e quase me viu na janela.

Sai de lá o mais rápido possível, para que nenhum dos dois me visse. Cheguei em casa e entreguei as coisas a minha mãe.

- Demorou por quê?

- Tinha apenas dois caixas funcionando.

- Ah tá, e por que tá ofegante?

- Vim correndo porque você pediu pra não demorar, e se eu não viesse correndo ia ser pior.- essa foi a melhor mentira que eu pude formular agora.

- Anw, esse é o menininho da mamãe. -apertou minhas bochechas.

- Para mãe! -tirei as mãos dela do meu rosto.-agora vou pro quarto.

Passei o resto do dia assistindo um dos meus animes favoritos,One Piece. Me levantei apenas pra almoçar. Quando estava escurecendo decidi sair,  pois ja estava ficando entendiante ficar na cama assistindo tv. Tomei um banho rápido, coloquei uma roupa quente, pois a noite estava estupidamente fria. Peguei uma quantidade razoável de dinheiro e avisei aos pais que talvez comeria fora, já que não pretendia voltar muito rápido.

Fui andando sem rumo, observando as folhas que dançavam com o rítmo que a brisa lhes proporcionava. Até que chego na praça onde caminhei hoje de manhã e lá esravam estacionados alguns foodstrucks. Nunca comi em alguma dessas coisas, e como tenho alma de gordo, minha barriga logo roncou. Após ter devorado dois cachorros-quentes e um pastel de camarão com catupyri, decidi que já estava na hora de voltar para casa. Fui com muita preguiça, pois a minha barriga estava muito cheia e.o sono já estava començando a me consumir aos poucos. No meio do caminho, me surge a figura de um menino vestido todo de preto, de cabelos esverdeados e eu já sabia de quem se tratava. Ele foi puxado por alguém pra dentro de um beco, eu não sabia se eu ia atrás dele ou ia embora,  mas sou muito curioso e quis investigar. Mau comecei a andar e eu me senti zonzo, me encostei na parede e apenas senti meu corpo pesar e minha visão escurecer.

Quando acordei já estava em casa, deitado em minha cama. Minha cabeça latejava e minha visão estava um pouco turva. Depois de um tempo, me levantei e fui ao banheiro, chegando lá meu rosto estava com algumas manchas vermelhas, o que deduzi ser molho de tomate.

-Ue, eu me sujei tanto assim de molho? Acho que eu estava com tanta fome que nem me importei se estava me sujando ou não.- dei risada olhando meu reflexo.

Me despi e tomei um banho demorado com água quente,  pra me aquecer já que a noite seria bastante fria. Quando eu voltei pro quarto o meu celular vibrou, indicando que haviam novas notificações. Havia uma mensagem nova e era de alguém desconhecido.

~~ mensagem on ~~


Xxx- Ola Taehyung, sou eu a Momo! Podemos ir à escola amanhã as 10?

-Claro! Eu te espero na esquina da sua rua, ok?

Momo- Ok, até amanhã! Boa noite.

- Até!

~~mensagem off ~~

Pluguei o celular na tomada novamente e fui ate o banheiro escovar meus dentes. Voltei pra cama e depois que alguns minutos, apaguei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...