História We Found Love - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Drake, Little Mix, Rihanna
Personagens Drake, Leigh-Anne Pinnock, Rihanna
Tags Amor, Aubrih, Bebida, Drakana, Drake, Leigh-anne, Rihanna, Romance, Romantismo, Sexo
Exibições 93
Palavras 1.612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie seus delícia mais um capítulo para vocês espero que gostem e comentem por favor favoritem please eu preciso de vocês na minha vida pfv e obrigada

Capítulo 9 - 9


Depois de tomarmos café juntos, Drake me ajudou a arrumar a cozinha.

- Você não tem que trabalhar hoje não? - perguntei guardando os pratos.

- Não, eu sou o chefe esqueceu? E você?

- Não, hoje é minha folga, daqui a pouco eu tenho que ir, você me leva? - perguntei guardando o último prato.

- Por que tem que ir? Hoje você não trabalha, podia ficar comigo me fazendo companhia. - me abraçou por trás e beijou meu pescoço.

- Não, eu tenho que ir, tenho que arrumar algumas coisas lá em casa.

- Daqui a pouco levo, se me prometer fazer companhia no jogo amanhã. - pediu ainda me abraçando.

- Amanhã eu trabalho, vou estar cansada.

- Não me vem com desculpas, quero você lá amanhã, até por que você também é a treinadora deles esqueceu? Eles precisam do seu apoio e coisa e tal.

- Ok, eu vou. - revirei os olhos e mesmo sem olha-lo, eu sabia que ele estava sorrindo.

Resolvemos ver um filme, eu queria ver Velozes e Furiosos para ver aquele Toretto todo musculoso mas não, Drake quis ver a morte do demônio, ele falou que era um terror leve, mas para mim não existe terror leve, tudo é terror, e eu odiava, pois tinha muito medo, o filme estava numa parte em que uma menina desceu as escadas do porão, por que toda casa mal assombrada tem porão? Que clichê, a menina descia as escadas devagar e aquilo tava me matando de raiva.

- Não desce vagabunda sai daí sua trouxa, aí meu Deus sai dai menina idiota, a porra do satan ta bem a... - não deu tempo nem de terminar a frase quando ela foi atacada. - bem feito falei para não descer.

- Rihanna como ela ia te ouvir?

- Drake cala a boca ok, isso me faz ficar menos estressada.

- Eu não acho não. - sorriu sem mostrar os dentes e em seguida a campanhia tocou, ele levantou correndo e eu continuei no sofá, estava olhando para a TV quando senti alguém se aproximando, merda era o pai do Drake.

- Oi Rihanna, tudo bem? - pegou em minha mão educadamente.

- Sim, e o senhor? Como está.

- Ah estou bem na medida do possível, sabe como é, já estou velho. - se escorou no sofá a procura de apoio.

- Que nada, ainda ta cheio de saúde, quer algo para comer ou beber? - perguntei tentando ser educada.

- Ah não obrigado, estou cheio.

- Eu quero um pouco de suco. - falou Drake se sentando no sofá.

- Vai lá e pega, você tem mão e pé. - me ajeitei no sofá e seu pai começou a rir.

- Isso mesmo filha, não da mole pra esse marmanjão folgado não. - pegou em meu ombro e eu sorri assentindo.

- Pai qual é deveria me ajudar.

- Opa, foi mal filho. - sorriu dando de ombros.

- Então, a que devo a honra da sua presença. - perguntou colocando o braço envolta do meu ombro.

- Vim te lembrar do aniversário da sua irmã.

- É HOJE? - perguntou pulando do sofá.

- Sim é hoje, e Rihanna você também está convidada.

- Obrigada senhor Graham. - sorri sem mostrar os dentes e ele sorriu.

- Agora tenho que ir, tenho que resolver os últimos preparativos da festa, espero vocês dois lá. - assenou e saiu, Drake correu escada acima depois de não mais que dois minutos desceu de bermuda, chinelo e vestindo uma blusa branca com estampa de um mar e coqueiros em volta.

- Levante-se, a gente vai no shopping, você vai me ajudar a escolher um presente para ela. - pegou em minha mão me puxando.

- Drake eu não vou, eu tenho que ir pra casa.

- Você vai sim, nem que eu tenha que te por nos meus ombros, preciso de uma opnião feminina.

- Te garanto que não sou a melhor pessoa para isso, meu estilo é bem diferente da sua irmã.

- Como sabe que vocês tem estilos diferentes você a conhece? - perguntou cruzando os braços e arqueou uma sombrancelha.

- Não, mais te garanto que ela deve odiar usar calças largas, camisetas e tênis rasgado.

- Você pode se surpreender. - me mandou uma piscadela e eu sorri. - Agora vá por uma roupa, não quero ninguém te vendo desse jeito. - apontou de cima a baixo para mim.

- O que foi? Não gostou? - perguntei dando uma rodadinha jogando o cabelo e ele sorriu.

- Eu adorei, mas não quero outros homens te querendo, então pode assaltar meu guarda roupa e pegar o que quiser. - falou apontando para as escadas, corri em direção ao seu quarto e abri o closet que de um lado ficava suas roupas sociais e do outro calças Jeans, camisetas, e blusas de frio, peguei a menor calça que achei, que por incrível que pareça, não ficou tão larga igual eu imaginei e uma blusa de frio vermelha com branco da OVO que era meu sonho de consumo, desci as escadas e Drake fez cara de que iria choramingar. - minha blusa da OVO? Não, pode voltar e trocar.

- Acontece que você disse que eu podia assaltar seu guarda roupa e escolher o que eu quiser e foi isso que eu fiz, se quiser que eu vá, eu vou assim. - cruzei os braços ainda no pé da escada.

- Ok chata. - resmungou cruzando os braços, e saiu andando em direção a porta.

- O que foi que disse Drake Graham? - perguntei perto dele enquanto o mesmo segurava a porta para mim passar.

- Eu disse gata. - sorriu sem mostrar os dentes, e eu acabei sorrindo também, como podia ser tão cara de pau assim.

- Acho bom que seja isso mesmo. - passei rebolando na sua frente e segui para o elevador. - e para de ficar olhando para o meu traseiro. - falei ainda de costa para ele e ouvi o mesmo soltar uma gargalhadinha baixa.

- Impossível, até em calça de homem seu traseiro é lindo. - me deu uma palmada e eu suspirei.

- Para com isso Drake, estamos no corredor.

- Não estamos mais. - me puxou para dentro do elevador assim que o mesmo chegou me tacou na parede vermelha de camurça, e colocou meus braços para cima, com uma mão ele segurou meus braços e com a outra ele enfiou a mão por dentro da minha calça e me masturbava sem parar de me beijar, eu já estava louca de tesão quando o elevador parou no próximo andar, Drake foi ágil como um gato e parou ao meu lado olhando para o outro lado como se fosse inocente e eu estava lá, toda descabelada com a boca vermelha e a respiração forte toda amarrotada, os homens que entraram, olhou para mim e Drake com um olhar suspeito mas depois de segundos nos ignorou, assim que saíram, dei um soco no ombro de Drake e o mesmo gritou.

- AIII!! - colocou a mão por cima do ombro. - por que fez isso? - me olhou assustado mas parecia estar se divertindo.

- Isso é por ter me deixado passar vergonha sozinha e isso. - dei outro soco nele. - e por me fazer sentir tesão e não me fazer gozar. - saí na frente dele e sem olhar para trás incrementei. - e para de olhar para o meu traseiro.

- Impossível, eles são uns imãs pros meus olhos.

Quando íamos para o estacionamento um cara estava lá parado.

- Oi senhor Drake como vai.

- Oi David, estou bem e você? Como esta? - perguntou não tão interessado quanto parecia.

- Estou bem senhor, obrigado por perguntar. - Drake entrou no carro e abriu a porta pra mim por dentro para mim entrar.

- Não gostei dele. - falei assim que fechei a porta do carro.

- Por que não? ele é super gentil.

- pessoas gentis sempre me assustam, não podemos confiar em ninguém hoje em dia. - respondi dando de ombros.

- você tem dificuldades em confiar nas pessoas né? - ligou o carro e saiu do estacionamento seguindo para o shopping.

- você também teria se tivesse passado por tudo que eu passei. - olhei para a janela lembrando de partes da minha vida, que eu queria esquecer.

- Então me conte. - parou em um sinal, e me olhou como se estivesse esperando que eu contasse a ele.

- não, acho melhor não.

- Qual é Rihanna, eu podia estar bem bêbado mas eu lembro muito bem que eu te contei um segredo ontem, e você poderia retribuir. - sorriu e eu revirei os olhos.

- não vou dizer nada, quem sabe um dia eu conte mais isso não vai ser hoje e não se fala mais nisso. - quando ele ia manifestar liguei o som no máximo e comecei a cantar alto Super Bass da Nick.
"See I need you in my life for me to stay no, no, no, no, no I know you'll stay no, no, no, no, no don't go away boy, you got my heartbeat runnin' away
Don't you hear that heartbeat comin' your way oh it be like, boom, badoom, boom, boom
Badoom, boom, bass can't you hear that boom, badoom, boom, boom badoom, boom, bass."

- Rihanna ta muito alto. - tentou falar por cima da música e eu sorri abrindo a janela do carro e cantando para quem quisesse ouvir.

- Essa é a intenção. - ele riu e balançou a cabeça em negação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...