História We Got Married - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Girls' Generation, Red Velvet, SHINee, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Heechul, Irene, Jennie, Jimin, Joy, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Hyuk, Rosé, Sehun, Seohyun, Seulgi, Sooyoung, Suga, Suho, Taeyeon, Tao, V, Wendy, Xiumin
Tags Abo, Baekhyun, Lemon, Mpreg, Sebaek, Sehun
Visualizações 143
Palavras 2.171
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - We Got Married


Fanfic / Fanfiction We Got Married - Capítulo 3 - We Got Married

We Got Married.


Eu estou nervoso, isso é normal não e? Ficar nervoso a ponto de ter um ataque no dia do próprio casamento é completamente normal. São uma da manhã, meu omma me disse para ter uma boa noite de sono pois ela não me queria com olheiras enormes no dia do meu casamento.

"Casamento". Essa é a palavra que não sai da minha cabeça a uma semana. Outra coisa que também não sai da minha cabeça é Wu Sehun, ou Oh Sehun já que ele nasceu na Coreia e por isso ele tem um sobrenome coreano tambem, esse alfa não sai da minha cabeça por mais que eu tente, depois de voltas e voltas os meus pensamentos sempre vão na direção dele e isso é ridículo, eu tô parecendo uma menininha apaixonada.

— Porque tinha que ser justo comigo? — Me levanto e vou até a sacada falando comigo mesmo. — Não sou só eu de filho afinal, o Junmyeon ainda não tem um ômega e o senhor Wu tem dois filhos ômegas, bem que eles poderiam ter feito o Suho casar com um deles. — bufo andando de um lado pra outro da sacada. Acho que vou ter me conformar com essa ideia. — Eu tenho que ser mais positivo Pode ser que nós tenhamos uma relação, pode ser que a gente construa uma boa amizade não é? Claro que sim, eu sempre me dou muito bem com todo mundo, não é possível que isso seja diferente com ele. Isso mesmo, não se preocupe Baekhyun tudo vai dar certo. — Depois de acalmar um pouco os meus pensamentos eu decido me deitar e dormir um pouco já que pela manhã eu teria um dia bastante corrido.

*~*~*~*~*

Aqui estou eu, no altar, ao lado do alfa que roubou os meus pensamentos ao longo da semana, o homem com quem eu vou passar o restante da minha vida, não sei ainda se isso vai ser bom ou se não, mas eu quero muito acreditar que sim, quero acreditar que com o tempo tudo vai dar certo e que eu não vá me arrepender de não ter fugido disso tudo um pouco antes do casamento.

— Kim Baekhyun. — Sehun apertou minha mão e quando o homem chamou meu nome me fazendo desviar do rumo dos meus pensamentos. — Você aceita esse homem, para ama-lo e respeita-lo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza enquanto vocês viverem? — ele pergunta olhando diretamente em meus olhos.

— Sim. — Eu afirmo com certeza, apesar de não estar certo de que irei ama-lo.

— Oh Sehun. — Sehun continuou olhando atentamente para o homem a nossa frente. — Você aceita esse homem, para ama-lo e respeita-lo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza enquanto vocês viverem? — Ele repetiu a pergunta dessa vez olhando para Sehun.

— Sim, eu aceito. — Eu podia sentir que ele também não tinha nenhuma certeza do que seria para nós a partir de agora.

— Tragam as alianças. — Ele pediu e logo Dahyun, uma das minhas primas mais novas, veio caminhando com as alianças. Sehun pegou uma delas e colocou em meu anelar esquerdo e eu fiz o mesmo com ele. — O que o amor uniu nada pode separar. Desejo que vocês dois sejam muito felizes durante essa longa jornada que chamamos de casamento. — Ele falou sorrindo para nós. — Os noivos podem selar o compromisso que estão assumindo agora com um beijo.

Sehun pousou a mão no meu pescoço e fez uma leve carícia no meu rosto como se estivesse pedindo permissão e eu acenti de leve com a cabeça. Ele encostou seus lábios sobre os meus e eu pude sentir todo o meu corpo ficar alerta com aquele simples toque, ele pediu passagem com a língua e eu logo aceitei aprofundando aquele primeiro contato um pouco mais antes de finalizar o beijo encostando nossas testas, ele estava sorrindo e eu não pude entender o porquê apenas sorri de volta.

Nós nos viramos para a plateia que nos assuntos de pé e batia palmas. Sehun passou meu braço em volta do seu e então nós saímos em direção a porta do salão que estava aberta , ao passar pelo corredor começaram a cair pétalas brancas e vermelhas sobre nós eu sorri com aquilo pois era realmente muito bonito.

Ao sairmos do salão subimos as escadas e cada um voltou para o quarto que estavam se preparando antes da cerimônia.

Ao chegar no quarto eu tiro o terno que estava usando e dobro um pouco as mangas da camisa que estou usando deixando mais a mostra a pulseira de ouro com algumas pequenas pedras de diamante que a omma de Sehun havia me dado e feito questão de que eu usasse no dia do casamento; ao descer um pouco mais o olhar pude ver a aliança de ouro branco em meu anelar esquerdo, o símbolo de que eu agora estou preso a alguém, eu diria que é uma algema, uma algema muito cara.

Eu saio da frente do espelho e caminho em direção à porta; ao sair do quarto encontro Sehun, que também havia tirado o terno preto e dobrado as mangas da camisa.

— Vamos. As pessoas lá embaixo estão ansiosas pra fazer várias perguntas e para parabenizar o mais novo casal da sociedade. — Ele estava sendo sarcástico com sobre as pessoas nos vindo nós parabenizar, porque assim como eu, ele sabe muito bem que são poucas as pessoas que realmente querem o melhor umas para as outras, mas ele tinha completa razão sobre as pessoas estarem esperando para começarem a nos interrogar.

— Talvez eles queiram saber um pouco mais sobre a nossa vida íntima. — Eu falei rindo. — Eu terei o maior prazer de contar com detalhes tudo o que nós "vivemos" até agora.

— Você pode escandalizar todos assim. — Ele riu junto comigo. — Eu terei prazer em confirmar tudo o que disser.

— Eu não sabia que você é assim. Se soubesse eu não teria tanto medo de não nos darmos bem. — olhei pra ele que ainda sorria um pouco. — Acho que nós vamos nos dar muito bem Oh Sehun.

— Digo o mesmo, Oh Baekhyun. — Ele brincou com o fato de eu ter mudado de sobrenome por conta do casamento.

— Vamos lá, vamos responder as perguntas dessas pessoas que só tem língua pra falar da vida dos outros.

Nós descemos as escadas e fomos em direção ao salão cheio de pessoas. Fomos recebidos por salva de palmas e abraços até mesmo de pessoas que não conhecemos.

Andamos até a mesa que estava posta para nós e nos sentamos ali.

— Baekhyun! — Chamou HeeChul, um irmão de criação do meu pai, ele é o que eu posso chamar de "tia fofoqueira". Nos levantamos para falar com ele. — Olha como você cresceu Baekhyun-ah! É um ômega casado agora.

— Sim, nós estamos muitos contentes com isso, não é mesmo Sehun-ah? — Sehun me abraça por trás e entrelaça nossos dedos.

— Claro que sim, realizamos o nosso maior sonho hoje. — Ele deixa um beijinho no meu cabelo.

— Vocês fazem um casal muito bonito. Já quero saber, quando vocês planejam ter filhotes? Eles seriam tão lindos. — HeeChul fala sorrindo.

— Pelo jeito será muito em breve já que Sehun não me dá descanso nunca. — Eu falo rindo.

— Quando se tem um ômega tão gostoso como você a palavra descanso não existe.— Ele falou no meu ouvido mas alto o suficiente para que HeeChul ouvisse.

— Oh. Acredito que vocês tem uma vida íntima muito saudável, não? — HeeChul falou

— Claro que sim. Eu me sinto completo com Sehun dentro de mim, nós nos encaixamos muito bem, fomos feitos um para o outro. Não há nada melhor do que o que eu sinto quando ele me faz gemer o seu nome loucamente. — Mordo os lábios e olho para Sehun que agora tem um sorriso safado no rosto. Sehun se abaixa um pouco e deixa um selar no meu pescoço, um pouco abaixo da minha orelha direita me fazendo sentir um calor subindo pelo meu corpo.

— Acho melhor eu ir. Vou deixar o novo casal ter a sua privacidade. — HeeChul falou se retirando imediatamente. Acho que deu certo, conseguimos nos livrar do tio fofoqueiro.

Eu me solto do abraço de Sehun e me viro pra ele, nós olhamos um nos olhos do outro e soltamos as gargalhadas que estávamos prendendo por conta da presença do meu tio.

— Você é realmente horrível. Viu a cara que ele fez quando você começou a falar aquilo? — Sehun falou. Nós rimos até sentir a falta do ar.

— Ele arregalou tanto os olhos que eles quase sairam. — Nós voltamos rir até que sentimos a presença de alguém ao nosso lado. Nós paramos de rir e vimos que era Junmyeon.

— É bom ver que estão se dando bem. — Comentou Junmyeon olhando para nós dois. Nós três nos sentamos a mesa . — Você não sabe o tamanho do drama que ele fez, ele estava com medo de vocês dois não se darem bem e acabarem se odiando. — Ele falou diretamente para Sehun.

—YAH. Eu disse que não era pra você comentar nada daquilo com ninguém Junmyeon! — Eu bufei cruzando os braços.

— Você é fofo. — Sehun passou o dedo pelo biquinho que eu estava fazendo e gargalhou quando eu o olhei espantado. — Não tem nada de ruim em ter medo. Devo confessar que eu sinto isso desde um mês atrás quando meu pai me contou sobre o noivado. — Ele está claramente tentando me tranquilizar. Mas espera, um mês?

— Como assim um mês? Eu vim saber desse casamento há uma semana. — Eu estava claramente confuso, como ele podia saber sobre isso há um mês?

— Os meus pais me contaram sobre o casamento logo que eles falaram sobre isso com os seus pais. Eu recebi uma pasta com informações sobre você, fotos, nome, idade, sei que você faz arquitetura, e sei até que você tem uma pintinha no traseiro esquerdo. — Eu nunca tinha mencionado sobre a pintinha pra ninguém. Meu rosto esquentou e eu sei muito bem que eu devo estar parecendo um grande tomate e com os olhos bem arregalados agora.

— Você tem uma pintinha no traseiro? Essa é nova até pra mim. — Suho falou dando gargalhadas.

— Você não deveria ter falado isso alto. — Eu fuzilei Sehun com os olhos. — Mas tudo bem, não é como se fosse um assunto ultra-secreto.

Sehun e Junmyeon ficaram conversando por um tempo, eu fiquei apenas apreciando o vinho e pensando no quanto cansado eu estava, não dormir durante a noite passada.

— Sehun-ah! — Peguei em seu braço chamando sua atenção para que ele olhasse pra mim. — Vamos pra casa. Eu estou cansado e eu não cheguei a dormir na noite passada. Me leve pra casa, sim? — Eu o olhei fazendo um biquinho. Ninguém resistia quando eu fazia manha assim. Eu aprendi esse truque bem cedo e sempre dá certo.

— Você é realmente muito fofo! — Ele falou apertando a minha bochecha. — Vamos pra casa então. — Ele se levantou e se despediu do meu irmão e eu levantei também. Sehun estendeu o braço e nós saímos do salão.

Ao chegarmos na casa que nossos pais haviam comprado eu simplesmente subi em direção ao quarto, que eu já sabia onde era pois Sehun e eu tínhamos visitado a casa junto de nossos pais dois dias atrás, tirei minhas roupas e fui para o banheiro; escovei os dentes e tomei um bom banho; saí do banheiro e encontrei Sehun no quarto.

— Eu precisava muito de um banho. — Caminhei até ele. — Você também está cansado?

— Bastante. Vou tomar um banho e aí podemos dormir. — Ele falou e eu apenas concordei com a cabeça e fui em direção à cama king-size me deitando e olhando para o teto.

Logo Sehun chegou e se deitou ao meu lado, assim como eu, encarando fixamente o teto.

—Você beija muito bem.— Eu comentei, nós voltamos um para o outro ao mesmo tempo.

— Você também.— Ele sorriu e passou uma das mãos pelo meu rosto, senti seu dedo trilhar o contorno dos meus labios. Eu me aproximei mais dele quebrando quase todo o espaço que estava entre nós, ele olhou os meus lábios e se aproximou fazendo com que nossos lábios se tocassem num selinho simples. Ele separou nosso lábios, uma distância quase nula. Passei meus dedos sobre o contorno perfeito que seus lábios tinham e quebrei totalmente a distância entre nós tomando os lábios dele para mim, ele passou a língua pelos meus lábios pedindo passagem e eu imediatamente cedi. Eu estava totalmente entregue aos beijos de Sehun, sentia que meu coração poderia saltar do meu peito a qualquer momento. Eu gostei do sentimento que Sehun me causou e eu quero sentir isso pra sempre de hoje em diante.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...