História We Talk Tomorrow, Daddy! - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Baby, Bts, Daddy, Jeon Jungkook, Jikook, Mpreg, Namjin, Park Jimin, Vhope, Yaoi
Visualizações 1.779
Palavras 2.769
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Josei, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeee!

Me desculpem por não postar sexta passada, mas como eu tinha postado dois capítulos na quarta, achei que poderia descansar um pouco, pois aqui esta tipo assim MUITO FRIO, TIPO PRA CACETE e eu estava um pouco mal da gripe. Me sentindo indisposta e extremamente cansada mesmo sem fazer nada, passei quase find todo dormindo.

Mas enfim, aqui está mais um capitulo, espero que esteja bom, e que gostem!

Capítulo 19 - Eu te amo muito Chim, pra sempre.


Fanfic / Fanfiction We Talk Tomorrow, Daddy! - Capítulo 19 - Eu te amo muito Chim, pra sempre.

Jeon Jungkook

Meu corpo parecia destruído, doía em todos os lugares, com os mais simples movimentos. Meus músculos pareciam queimar, até o ato de abrir os olhos parecia me custar muito esforço. Flashes começaram a inundar minha mente. Jimin nu em cima da mesa de jantar. Jimin no meu colo dentro da banheira. Jimin ajoelhado no chão com meu membro em sua boca. Jimin contra a parede. Jimin gemendo e gritando meu nome. A pele roxa e avermelhada do Jimin. Seus olhos lacrimejando me encarando com desejo. Sua boca vermelha e inchada entreaberta escorrendo saliva pelos cantos. Seus lábios maltratados pelas mordidas minhas e suas. Seus cabelos molhados de suor e uma completa bagunça. Eu me lembrava do Jiminie em todas as posições possíveis, em cada canto dessa casa, me lembrava dos gritos e gemidos, da sua voz embargada me pedindo pra gozar. Eu me lembrava de tudo o que aconteceu nos meus três dias de cio. Me lembrava dos meus caninos perfurando a derme lisa e cheirosa de Jimin, o marcando e o ligando para sempre a mim. Jimin me pertencia.

Quando me acostumei com a claridade presente no cômodo, olhei em volta, percebendo estar em meu quarto. A cama completamente bagunçada, o lençol no chão, a coberta embolada nos pés da cama, os dois travesseiros um em cada canto do quarto. Olhei o relógio digital ao lado da cama, 14:28 da tarde. Jimin não estava no quarto. Com dificuldades sai da cama e fui para o banheiro tomar um banho, mas assim que entrei percebi que o mesmo estava uma completa bagunça como o quarto, um pequeno sorriso nasceu em meus lábios por saber o motivo de estar tudo tão bagunçado.

Depois do banho me vesti com uma calça jeans preta e um moletom vermelho que ficava um pouco grande em meu corpo. Peguei meu celular na mesinha ao lado da cama o colocando no bolso da calça, para enfim sair do quarto. Caminhei pelo enorme corredor a passos lentos, ainda sentia um pouco de dor nas pernas.

- Boa tarde Sr. Jeon, o senhor acordou tarde e acabou perdendo o almoço, deseja que eu mande preparar algo? - Shin me abordou assim que desci o ultimo degrau da enorme escadaria.

- Não Shin, onde está o Jimin? - coloquei as mãos nos bolsos do moletom, um pouco envergonhado, afinal eu me lembrava do que tinha feito durante esses três dias, e sabia que tinha feito muita besteira e que tinha sido visto por muitas pessoas nessa casa.

- O sr. Park esta no jardim conversando com sr. Yoongi. Seus pais passaram a noite fora e ainda não voltaram. Acho que o senhor sabe o motivo. - ele falou naturalmente e nesse momento eu queria cavar um buraco no chão e me enfiar nele, e quem sabe nunca mais sair.

- E-entendi! Com licença. - sai apressadamente para a porta, sem esperar uma resposta. Quando abri a porta o vento fraco bateu contra meu rosto, me fazendo fechar os olhos e suspirar, sentindo o cheiro adocicado vir ao meu encontro. Caminhei até uma parte do jardim onde tinha um deck de madeira na cor escura com um pequeno sofá de três lugares e uma poltrona. Jimin e Yoongi estavam sentados ali, conversando, meu pequeno estava rindo. - O que é tão engraçado?

- Jungkookie! - Jimin me olhou e sorriu ainda mais, fazendo seus olhinhos já pequenos se fecharem completamente. - Você está bem? Precisa de alguma coisa?

- Estou bem e você? Não te machuquei? - o examinei de cima abaixo, procurando por alguma coisa de errada consigo.

- Não, está tudo bem. - ele ficou na pontinha dos pés e me beijou na bochecha.

- O que é surpreendente, já que vocês inauguraram quase a casa inteira, só não foram no meu quarto porque eu estava trancado lá! - Yoongi debochou, Jimin ficou vermelho até o ultimo fio de cabelo.

- Garanto que não era minha intenção inicial, apenas saiu do controle, eu não me controlo quando estou nessas situações. E que na minha casa eu posso explorar cada canto, estou acostumado a não ficar apenas em um lugar. - resmunguei baixo, Yoongi gargalhou alto e eu o fuzilei com os olhos.

- Pelos comentários dos empregados, me pergunto como o Jimin ainda está andando! - fechei a cara para seu comentário desnecessário, me sentei na poltrona e puxei o Jimin, o fazendo se sentar em minhas coxas.

- Como está a situação nesses dias em que estive ocupado? - perguntei bufando. Yoongi se endireitou e então suspirou pesadamente.

- Depois que vocês se trancaram na sala de jantar, Omma teve um surto e ligou para Kiyomi, você deve imaginar que não funcionou muito. A garota chegou e vocês dois estavam na maior pegação na cozinha para quem quisesse ver! - Yoongi lançou um olhar malicioso para nós. - Ela ficou muito puta da cara com o que viu, talvez ver vocês dois se comendo na pia não foi tão legal pra ela.  Enquanto o Appa tentava acalmar a Omma, eu falei com meu pessoal e consumi com aquele dossiê, de nada! No segundo dia pela manhã nossos pais saíram de casa pois não aguentavam mais vocês dois gritando e gemendo em todos os cantos, não voltaram até agora e não tenho noticias dos mesmos, então já estou me preparando psicologicamente para quando chegarem e verem que você marcou o Jimin.

Fiquei quieto absorvendo tudo que Yoongi me falou, e de todas as coisas que me disse, uma me preocupou mais do que todas as outras.

- Quem mais viu a gente transando?! - perguntei meio nervoso.

- De tudo que o hyung falou, você está preocupado com isso?! - Jimin me olhou indignado.

- Claro! Eles te viram sem roupas! Viram coisas que não deveriam e agora estão falando por ai. - Jimin corou.

- Não é hora pra pensar em quem viu a gente sem roupas! Você me marcou Kookie, isso maravilhoso, mas agora vamos ter muitos problemas para lidar, então faça o favor de se concentrar nessa merda! - Jimin bufou irritado.

- Que foi bebê? Porque esta estressado? Não deixei você descansar? - fiz um carinho em sua cintura onde o segurava.

- Não é isso, mas é que estou preocupado com você, mas você só sabe ficar brincando sobre o assunto! - ele fez um bico fofo.

- Jimin, não se preocupe! Não vai acontecer nada, o único problema que temos que nos preocupar de verdade é a escola e ainda temos uma semana e meia para pensar em algo, então relaxa um pouco. - sorri para o mesmo, tentando o tranquilizar. Jimin concordou com um aceno de cabeça, mas não parecia realmente convencido.

Ficamos sentados ali conversando até o sol se pôr. Quando voltamos para dentro de casa Yoongi foi para o escritório dele pois tinha alguns trabalhos para fazer. Jimin e eu fomos para o nosso quarto, que naquela hora já estava em perfeito estado novamente. Escolhemos um filme de comédia e ficamos abraçadinhos na cama, um pouco antes do filme acabar, ouvimos batidas na porta, Jimin pausou o filme e eu fui atender a porta, dando de cara com meu pai que não parecia nem um pouquinho feliz.

- Desça, o jantar está pronto.

- O Shin poderia ter avisado, não havia necessidade do senhor vir aqui nos chamar. - falei baixo, ainda olhando em seus olhos.

- Shin está ocupado tentando acalmar sua mãe e Kiyomi. - ele fez uma careta.

- Porque ela ainda está aqui? - dessa vez minha voz aumentou um tom.

- Olha Jungkook, eu cansei de ficar me importando com o seu futuro, faça o que quiser! Mas o mínimo que pode fazer é tratar bem a filha do meu sócio.

- Seria facil a tratar bem, se vocês não ficassem empurrando a garota pra cima de mim como se eu ainda fosse solteiro! - bufei.

- Apenas desça para jantar e mantenha a calma. - Appa virou as costas, indo para as escadas.

- Jiminie, vamos jantar. - olhei por cima do meu ombro e vendo o mesmo ainda deitado na cama.

- Está bem, só vou colocar um casaco, estou ficando com frio. - esperei Jimin vestir um moletom por cima da camiseta fina que usava, para assim descer as escadas e ir para a sala de jantar, onde meus pais, Yoongi e Kiyomi já estavam a nossa espera. Devo ressaltar que a careta de Kiyomi e da minha mãe em nossa direção não foi nada agradável.

- Olha o casal de depravados. - Kiyomi falou debochadamente.

- Olha a garota que se não calar a boca vai ficar com a cara deformada. - Jimin sorriu carinhosamente pra garota de olhos esbugalhados, e isso ficou meio psicopata. Eu prendi o riso, puxei a cadeira para o Jimin sentar e logo me sentei ao seu lado. Alguns segundos depois, duas empregadas entraram cada uma com um carrinho de tamanho médio com bandejas onde estavam o nosso jantar, colocaram cuidadosamente em cima da mesa e se retiraram. Começamos a comer em silencio.

- O que é isso no seu pescoço? - minha mãe perguntou confusa, olhando para o Jimin que congelou no lugar sem levantar a cabeça para olhar ela.

Park Jimin

O que eu deveria dizer? Que o filho dela me marcou enquanto estava no cio?! Como explicar isso sem causar mais um briga cheia de discórdia e acabar com mais uma refeição que tinha quase tudo para terminar tranquila e silenciosa.

- Uma marca. - Jungkook falou sem olhar para a mulher mais velha, e continuou a comer como se não fosse nada de mais.

- Que marca? - a voz dela soou mais rude que antes.

- A minha.

- A sua o que?! - eu tinha aberto a boca para começar a falar, mas a voz em um tom elevado ecoou pela sala, fazendo meus ouvidos doerem um pouco devido a voz esganiçada e fina.

- O que foi? Não é natural um alfa marcar seu ômega? Não fiz nada de estranho, Jimin é o único que quero, pensei que já tinha deixado isso claro a três dias, nessa sala em cima dessa mesa. - senti minhas bochechas esquentarem com os flashes das lembranças que invadiram minha mente na hora que Jungkook falou. Céus, que vergonha!

- Esse garoto não é pra você! - Jungkook suspirou, soltou o garfo calmamente no prato, pegou o guardanapo branco posto ao lado de seu prato, limpou a boca com delicadeza e então se levantou.

- Jiminie, vamos terminar de jantar no quarto, ok? Não tem porque ficarmos aqui e discutir algo que não há necessidades. - concordei em silencio e então me levantei, Jungkookie pegou em minha mão e caminhamos para fora da sala, onde encontramos uma das empregadas e Kookie pediu para levar nosso jantar para o quarto.

- Tudo bem? - perguntei baixo quando entramos em seu quarto e vi o mesmo fazer uma careta para então se jogar na cama.

- Sabe, eu morei aqui durante 18 anos e nunca percebi o quão falsa é minha família. Precisei ir embora e ficar praticamente três anos sem ver eles, mesmo morando perto, para assim entender que nunca passei de uma pequena marionete para eles, patético não acha? - Jungkook tinha um olhar distante, como se estivesse se recordando do passado.

- Não acho que você seja uma marionete, apenas acho que seus pais deixaram o dinheiro subir a cabeça. Mas eles te amam, de um jeito torto, mas amam. Não estou contente em saber que seus pais não aprovam nosso relacionamento e que queriam outra pessoa pra você, mas mesmo assim eu acredito que eles te amam muito e querem o seu bem. - me sentei ao seu lado e fiz um carinho em seus cabelos.

- Você deveria parar de ver o bem em todos, Jiminie. Isso pode lhe causar problemas, pequeno! Você é tão bom, tão puro, as vezes acho que eu estou lhe corrompendo. - ele riu fraco e eu sorri para si.

- Se corrompendo significa ser amado por você, então quero que continue me corrompendo Jeon Jungkook. - Kookie olhou na minha direção com uma sobrancelha erguida.

- O Park Jimin que eu conheci não responderia assim, ele ficaria todo coradinho de vergonha. Viu só, estou tirando a sua inocência, meu deus estou corrompendo meu aluno. - eu revirei os olhos devido ao seu drama.

- Não pode mais voltar atrás, você me marcou, vai ter que me aturar por mais um booom tempo! - inflei as bochechas, deixando um pequeno bico nos lábios.

- Quem disse que quero voltar atrás? Apenas citei um fator, não disse que eu estava arrependido! - Kookie apertou minhas bochechas e eu ri. Alguns minutos depois Shin trouxe nosso jantar, comemos enquanto olhávamos um seriado que passava na televisão. Quando terminamos, Jungkookie levou a louça para a cozinha e eu aproveitei para tomar um banho quente para logo me deitar na cama, estava ficando cada vez mais frio, e eu não estava nem um pouquinho afim de ficar gripado enquanto estou nessa casa. Quando sai do banho coloquei uma calça de moletom azul escura, uma camiseta de mangas compridas branca e meias. Sai do banheiro, encontrando o Kookie já deitado de baixo das cobertas grossas todo encolhido igual uma criança.

- Está com frio? - perguntei me sentando ao seu lado.

- Deita aqui comigo e me esquenta. - ele me olhou com aqueles olhinhos pidões que apenas ele sabe fazer.

- Vem cá meu amorzinho. - fiz uma voz fininha e ele riu gostosamente enquanto me abraçava por debaixo das cobertas, descansando sua cabeça na curvatura do meu pescoço, fungando ali.

- Quero voltar pra casa... - ele sussurrou, eu fiquei em silencio por alguns instantes.

- Eu também. - falei baixo, não queria fazer ele se sentir mal por pensar que não gostava da sua família, mas eu não me sentia confortável naquele lugar, a única pessoa ali que eu realmente gostei e me apeguei foi o Yoonnie.

- Então... vamos voltar? Tipo amanhã a tarde? Podemos ficar quietinhos na minha casa, ninguém precisa saber que voltamos, vamos ter um tempinho só nosso, o que acha? Quero aproveitar ficar grudado em você o máximo que conseguir nesses últimos dias de férias que temos, sei que depois vamos ter muita dor de cabeça. - Kookie beijou suavemente meu pescoço.

- Eu concordo, vamos ter um momento só nosso! - ele me olhou e sorriu com seus dentinhos fofos que eu tanto amava.

- Se eu sair da escola... - ele começou baixinho. - Você viria morar comigo? - olhei surpreso para ele, tipo ele estava me convidando para morar com ele!

- Se você sair da escola, eu vou ser expulso lembra. - eu ri fraco, não tinha muita certeza se meus pais iriam gostar dessa ideia, mas ao mesmo tempo não iriam poder impedir, afinal eu já sou marcado e devo permanecer ao lado do meu alfa.

- Não... se você aceitar, eu mando meu pedido de demissão assim que voltarmos e vamos impedir isso de acontecer, você vai terminar seu último ano escolar sem problemas e vamos poder ficar juntos sem estresses. Eu posso conseguir outro emprego rapidamente, Yoongi pode me ajudar! - meu coração saltava no peito, pensar em acordar todos os dias ao seu lado fazia meu peito se encher de alegria.

- Vamos fazer assim... eu quero ficar com você! Não quero ninguém entre nós. - o apertei mais forte contra mim. - Sinto muito você ter que sair do seu emprego, se não fosse por mim isso não aconteceria.

- Eu não me importo com o emprego Chim, tendo você comigo é o que realmente importa. Eu te amo muito Chim, pra sempre. - ele me olhou nos olhos por alguns instantes e para depois selar nossos lábios em um beijo delicado e carinhoso.

- Eu também te amo muito, muito mesmo Kookie! - sussurrei quando nossos lábios se desgrudaram, nossas testas unidas e nossos olhos ainda fechados, com pequenos sorrisos felizes estampados em nosso rosto. Eu amava Jeon Jungkook mais do que a mim mesmo, eu faria tudo que estivesse ao meu alcance para permanecer ao seu lado o fazendo feliz, para ver seu sorriso ou sua carinha de sono amassada ao acordar.  Kookie apareceu na minha vida a virando de cabeça para baixo, me tirando da minha rotina entediante, ele me fez ter momentos inesquecíveis e maravilhosos, e eu queria continuar vivendo isso, ao seu lado, para sempre.


Notas Finais


O que acharam? Ficou bom? Ficou ruim? Exagerei? Deixei algo faltando?

Vocês tem alguma pergunta para fazer sobre a fanfic ou sobre qualquer outra coisa? Podem ficar a vontade e fazer as perguntas que quiserem, irei responder todas nas notas inicias do próximo capitulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...