História We Were One. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma Swan, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 320
Palavras 2.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi kiridus,como vocês estão???

Eu tentei postar ontem,mas não tive como,but já estou aqui com esse cap freixquinho pra vocês,acabei de tirar do forno,hein! laskdjsklj

E,queria dizer que nesse cap,eu começo a relatar o passado das duas,mais precisamente como elas se conheceram e tal.
Para não gerar duvidas: Notem que sempre quando for a historia do passado delas,a letra vai estar em itálico (quando a letra tá caída pro lado.)

Espero que estejam gostando !
Boa leitura!

Capítulo 7 - Lembranças.


POV’s Regina

Entrei na sala de aula antes mesmo que os alunos,ajeitei minhas coisas mesa,preparei os equipamentos para poder passar slides. Hoje seria o dia da apresentação do trabalho que eu pedi.

Emma foi a primeira a entrar,despertando minha atenção,levantei meu olhar até ela que desta vez não estava acompanhada de Ruby,ou de sua amiga loira,a qual segundo a lista de alunos da sala,se chamava Rose.

Senti seu olhar sobre mim,mas a ignorei continuando no que fazia antes.

Em segundos a sala começou a encher com a chegada dos outros alunos.

-Boa noite,hoje é a apresentação dos trabalhos de vocês,vamos começar com o grupo de Belle.

POV’s Emma

Regina chamou pelos integrantes do grupo da garota,e eles foram para frente da sala.

-Acho que somos os próximos. – Ouvi Graham dizer.

Apresentações nunca me deixavam confortável,apesar de ser muito extrovertida e não parecer,eu sou bastante tímida quando se trata de falar na frente de pessoas,todas com a atenção em você.

Eles terminaram a apresentação. E sim,fomos os próximos.

-O grupo da Srta Emma Swan,por favor,venham à frente.

Sua voz soou rouca e alta,hoje parecia diferente,parecia estar mais séria.

Nós fomos até lá,e August preparou o CD com os slides no notebook da professora,em seguida começamos a falar.

Todos falaram um pouco sobre o nosso produto que criamos,eu fui a ultima.

Eu pude sentir meu rosto queimar quando comecei a explicar alguns slides e nossas ideias.

 -Você poderia me explicar por que acreditam que há persuasão em tudo o que disseram? E por que esse produro lhes parece útil para alguém,Swan?

Enquanto eu falava minhas ultimas palavras de frente à todos da sala,pude ouvir a voz de Regina entrar em meu ouvido.

Ela poderia ter perguntado a qualquer um do grupo,mas perguntou diretamente para mim.

Ela estava com a postura ereta ao meu lado,tão próxima que eu pude ouvir sua respiração,e sentir em mim o ar que saía da sua boca.

Eu sabia a resposta de suas perguntas,mas por um momento me esqueci de todas elas.

-Bom,claro que posso. – Respirei fundo dando um passo para trás,ficando de frente para ela. – Uma vez que temos bons argumentos  de por quê comprarem nossos produtos,e somos confiantes ao apresentá-lo conseguindo a atenção de todos aqui presentes,acreditamos que conseguimos ser persuasivos,e,tendo pesquisado sobre nosso público alvo e o que eles gostariam de ver e o que precisam num produto,sabemos que pode ser sim,algo útil para alguém. –Eu falei num só fôlego,sem tirar meus olhos dos dela. Desviei somente para me virar e mostrar um slide para ela,e continuei a explicar.

Por um momento me esqueci que estava dentro de uma sala de aula com mais 60 pessoas.

Por um momento parecíamos só nós duas.

Eu senti a enorme necessidade de mostrar para ela que sim,eu sabia do que eu estava falando e que não iria recuar ao senti-la tão intimidadora falando tão próxima de mim a ponto de me causar alguns arrepios.

Assim que terminei minha explicação,a olhei nos olhos a vendo arquear uma das sobrancelhas,com seus lábios separados,e braços cruzados.

Senti algo ao olhar aqueles lábios tão de perto de mim.

Ela deu um passo para trás.

-Muito bem. Próximo grupo,por favor.

Eu fui ao meu lugar me sentando,mantive meu olhar preso nela que já não mais me olhava,e sim prestava atenção no grupo que apresentava agora.

A aula acabou,agora entrou um outro professor e eu não pude manter minha atenção nele.

Saí da sala indo atrás de Regina,eu não sabia bem o que eu estava fazendo,mas iria fazer.

A procurei pelos corredores,provavelmente não teria entrado numa sala ainda.

Avistei uma mulher morena com uma saia lápis entrando numa sala conversando animada com um rapaz que parecia ser seu aluno.

Ela não tinha me visto parada ali. Fechou a porta e eu não pude falar o que quer que fosse que eu queria falar com ela.

As horas passaram,saí da sala com Ruby e Rose,conversávamos sobre coisas aleatórias.

-O que foi,Em? – Rose me perguntou me vendo um pouco distraída.

Eu estava olhando para todos os lados à procura de Regina,mas não a vi em lugar nenhum.

Talvez já tivesse ido embora.

-Nada. – Sorri sem ânimo.

Entrei no carro de Ruby após nos despedirmos de Rose que foi embora em sua moto.

Hoje Ruby não dormiria aqui.

Fiquei sozinha ouvindo músicas enquanto lia um livro que um dos professores nos havia recomendado.

De repente sou surpreendida pela minha própria mente,me fazendo lembrar de momentos os quais passei com Regina.

Eu acabei de chegar em Boston,e não conheço muito daqui. Antes eu morava em Miami com meus pais. Ruby viria comigo agora,mas precisou adiar sua viagem para resolver algumas coisas antes,então tive que vir sozinha.

Era estranho estar num lugar novo onde não se conhece nada,nem ninguém

Saí do avião puxando minhas duas malas de rodinhas,uma nécessaire pendurada em meus ombros. Uma mochila nas costas e outra bolsa no meu outro ombro.

Eu podia jurar que ia tropeçar e cair com todas aquelas bolsas em qualquer momento,mas antes que isso acontecesse eu consegui um carrinho onde coloquei as malas e as outras bolsas.

Haviam táxis do lado de fora do aeroporto,e eu acenei para um taxista que logo abriu o porta-malas me ajudando a colocar todas minhas coisas lá.

-Você pode seguir até esse lugar aqui,senhor. – Lhe passei um papel com o endereço de onde ficava o prédio onde eu iria morar a partir de agora.

Depois de longos minutos chegamos,e o moço muito gentil me ajudou a subir com todas as minhas malas.

-Muito obrigada,senhor. – Sorri para ele pagando pela corrida.

Eu olhei para o apartamento não acreditando que eu estava de fato começando minha vida sozinha.

Sabe quando você tem algum tipo de discussão em casa com seus pais e tudo o que você deseja é sair de lá para ir morar sozinha e fazer tudo do seu jeito sem ouvir ninguém implicando com nada que você faz?

Eu finalmente teria isso.

Eu sei que vou sentir falta deles,não que eu não vá vê-los mais,mas não será mais o mesmo. Afinal,agora estou começando um novo ciclo. E estou ansiosa por isso.

Arrumei todas as minhas coisas ouvindo uma musica no meu celular.

Não tinha móveis ainda,eu teria que comprar pelo um colchão para poder dormir,e talvez pedir algo para comer.

Já que eu disse que queria conseguir tudo sozinha,minha mãe tinha insistido em me dar pelo menos um sofá. Ele só não tinha chegado lá ainda.

Eu senti uma imensa vontade de me deitar,mas o chão era a única opção agora. Então,fiquei na vontade.

Eram ainda 15:00 da tarde então eu decidi sair para comer algo num café que vi quando estava no táxi,não ficava tão longe daqui. E depois talvez eu iria conhecer mais de Boston.

POVs Regina.

Já fazem dois dias que me inscrevi para um curso,o qual se eu passar,farei fora do país.

Eu esperei tanto por isso e agora terei de esperar ainda mais até saber o dia que farei a prova,para depois da prova esperar para saber o resultado dizendo se eu passaria ou não.

Odeio ser ansiosa,e não conseguir tirar isso da minha cabeça por nada.

Eu estava andando pela rua e pensei em comer algo. Diminuí a velocidade dos meus passos numa luta interna para decidir onde iria,se no café que eu costumo ir,ou na lanchonete do outro lado da rua.

E então optei pelo Hambúrguer maravilhoso que fazem naquela lanchonete,e atravessei a rua.

Eu fiz meu pedido e me sentei para comer.

Ao sair do local voltei para o outro lado da rua.

Avistei uma garota de cabelos longos e loiros na calçada,ela parecia estar um pouco desnorteada enquanto parecia tentar limpar  uma mancha de algo que eu deduzi ser café em sua roupa.

Passei do seu lado para seguir meu caminho,e a ouvi resmungar algo com a voz baixa.

-Oh meu Deus me desculpe por isso. – Ela disse quando deu uma passo para trás pisando nos meus pés. – Eu não te vi aí.

-Imagina,não foi nada. – Eu falei simpática,e fiz menção em seguir andando quando a vi se aproximar de mim.

-É,você pode me dizer onde fica uma loja de colchões mais próxima? Desculpa incomodar. – Ela sorriu tímida.

-Claro,eu vou passar em frente à umas lojas no caminho que vou fazer agora,se quiser me acompanhar.

-Ah,claro.

Ela disse e fomos andando. Foram minutos de um silêncio constrangedor.

Até que decidi falar algo.

-Por que precisa de um colchão? – Eu não pensei bem antes de falar,e acabei fazendo uma pergunta óbvia. Afinal,todo mundo precisa de um colchão. – Digo

-Eu estou sem cama. – Ela riu baixo me vendo atrapalhada com as palavras.– Acabei de me mudar para Boston.

-Que legal,é um bom lugar para morar. Onde morava antes?

-Em Miami. Você é daqui?

-Eu sou. – Falei simpática e logo voltamos ao silêncio de antes. Até que agora ela,decidiu falar.

-E qual seu nome? – A moça semicerrou os olhos me olhando esperando por respostas.

-Regina Mills,e o seu?

-Emma Swan.

-Você veio sozinha,Emma Swan?

-Sim,minha amiga virá depois,e como eu não tenho muito o que fazer decidi sair para conhecer algumas coisas.

-Se quiser posso te mostrar alguns lugares da cidade. – Sugeri. – É aqui. – Eu falei assim que chegamos em frente à uma das loja de colchões.

-Não iria te atrapalhar?

-Não,também estou sem o que fazer hoje.

Ela sorriu e eu retribuí. Entrei na loja com ela e ninguém diria que nos conhecemos há só alguns minutos.

Lhe dei opiniões sobre os colchões,até que ela decidiu por um.

POV’s Emma

Eu tirei um cartão da minha carteira e paguei pelo colchão. Pedi para que entregassem em minha casa,já que não teria como eu levar.

Consegui com que levassem ainda hoje,para minha sorte.

-Eu vou te levar num lugar que adoro e que você também vai gostar. – A morena que me ajudou a chegar na loja disse ao sairmos de lá.

-Onde?

-Um parque.

Entramos numa estação de trem e seguimos até o tal parque.

No começo achei estranho estar saindo com uma pessoa que eu acabei de conhecer,mas eu não tinha opções,e até que foi uma boa ideia já que eu estava sem companhias e Ruby só chegaria em 6 dias.

Chegamos e era um parque de diversões. Já estava escurecendo e as luzes dos brinquedos estavam sendo acendidas.

-Vamos naquele. É o meu preferido. – Regina apontou com o dedo para a roda gigante me puxando pelas mãos. – Tem medo altura?

Entramos na fila da roda gigante que não estava tão grande.

-Não. – Eu respondi negando com a cabeça. – Depois vamos na montanha russa. – Eu vi a expressão dela mudar rapidamente. – Tem medo?

-Não. Só é muito rápida. – Deu de ombros.

-Você tem medo.

-Eu não tenho medo.

-Você tem medo,pode falar. Eu não vou te obrigar à ir. – Falei a provocando.

-Mas eu não tenho medo.

-Tá,você quer provar pra mim que não tem medo,mas tá morrendo de medo.

Falei enquanto colocávamos o cinto de segurança do brinquedo.

-Srta. Swan,eu não tenho medo de um brinquedinho daqueles.

Eu dei de ombros rindo dela.

Lá do alto da roda gigante tivemos uma linda visão de todo o lugar. Haviam muitas árvores em volta do parque,era de fato muito lindo.

Ao sairmos fomos em direção a fila da montanha russa.

Não demorou muito para chegar nossa vez. Sentamos uma do lado da outra e prendemos o cinto.

-Ainda dá tempo de sair. – Eu falei  tentando conter o riso enquanto ela estava se fingindo de brava.

O carrinho começou a andar devagar enquanto se inclinava para cima ficando cada vez mais no alto. Regina não falou mais nada desde que sentamos.

Olhei para ela,e vi suas mãos tremerem.

-Você está bem? – Perguntei preocupada.

-E-estou.

Assim que o carrinho se posicionou no alto,ele disparou descendo numa super velocidade.

Regina começou a gritar desesperada uma sequencia de “aaaa”. Eu não consegui evitar o riso. Era cômico.

A mulher segurou minhas mãos e a apertou forte.

-Meu Deus,tá bom eu tenho medo sim,me tira daqui. – Ela falou tudo num só fôlego assim que voltamos a uma velocidade normal.

-Mas não dá pra sair agora,já estamos subindo de novo.

-Mas eu

Ela não concluiu o que ia falar e começou a gritar novamente ainda com minhas mãos nas suas.

Saímos da montanha russa e eu vendo que ela ainda estava tremendo muito,lhe comprei uma água.

-Tome. – Ela pegou de minhas mãos me agradecendo.

-Vamos naquele outro agora. – Apontou para o carrinho de bate-bate.

-Tem certeza que não tem medo dele? – Eu falei zombando dela que revirou os olhos.

As horas passaram e já tínhamos ido em quase todos os brinquedos.

-Deus,é melhor eu ir ou não terá ninguém quando forem entregar o meu colchão. – Falei pegando meu celular para olhar as horas.

Fomos andando até a saída do parque,e seguimos até a estação de trem.

Nos despedimos no lugar onde nos encontramos.

-Muito obrigada por me ajudar,Srta Mills. Não é sempre que encontramos pessoas gentis assim. – Sorri.

-Foi um prazer,Swan. – Ela retribuiu o sorriso. – Boa sorte aqui em Boston,você vai gostar.

Regina sorriu simpática se virando indo para o lado oposto do meu.

Eu segui até o meu apartamento,e ao chegar em frente ao prédio vi alguns homens da loja que fui mais cedo. Me certifiquei se a entrega era para mim e os guiei até meu apartamento.

Agora eu tinha pelo menos onde dormir. Próximo passo seria encontrar um emprego.

 

No dia em que a conheci,eu não imaginei que teríamos algo,claro. Mas não pude deixar de notar o quão linda era,e sua simpatia fazia com que sua beleza se ressaltasse. E naquele dia eu também não sabia se a veria de novo,já que não tínhamos trocado nenhum contato nem nada do tipo. Mas o destino começou a me surpreender desde aí.

Acho que nunca esquecerei desse dia,e de como ela ficou com medo na montanha russa.

Ri ao lembrar.


Notas Finais


Gente,eu achei fofinho e vcs? skdfndssn
Até o próximo,que eu vou tentar postar hoje ainda. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...