História We will be like a dream - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Melhores Amigos, Original, Romance
Exibições 15
Palavras 2.135
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OLÁ, MEUS AMORES. Gente, primeiramente eu quero agradecer MUITO por vocês estarem lendo, acompanhando a história. Nada compra a felicidade que eu sinto. Quando fazemos algo que amamos e vemos as pessoas gostando, é a melhor coisa. Porque cada capítulo eu escrevo com muito amor. Espero muito que gostem desse e se preparem, muitas coisas irão acontecer nessa viagem. Boa leitura, amo vocês <3

Capítulo 11 - Fall in love


Fanfic / Fanfiction We will be like a dream - Capítulo 11 - Fall in love

- Colocou tudo no carro? - Ben me perguntava. Íamos no carro dele, e Liam, Rafael e Gabriela e uma prima de Rafael, Sasha, na qual eu não ia muito com a cara, mas que Rafael teve que trazer porque ela estava na casa dele e sua mãe insistira para trazer junto, iriam no deles. Eu tinha chamado eles, que faziam parte do nosso grupinho. Seriam dias bem animados.
- Sim, senhor. Podemos ir?
- Vamos passar para pegar a Isabela, e seguiremos viagem. - Natália anunciava animada.
Eu estava animada. Extremamente animada. Todos estávamos. O dia estava lindo, e o céu estava totalmente azul, fazendo-me sorrir e dar leves suspiros. Eu usava uma roupa simples e fresca. Fiz um coque bagunçado em meu cabelo ondulado, e entrei no carro. Eu sentei na frente com Ben, e as meninas iriam atrás. Eu odiava viajar de carro. Sempre ficava enjoada. Acho que Benjamin percebeu isso, já que eu estava quieta e com uma cara de enjoo.
- Você tá bem, Kat?
- Meio enjoada. Desde pequena tenho isso quando viajo de carro. - respondi devagar, olhando para o lado, vendo as paisagens.
- Tem algo que eu possa fazer para você melhorar? - ele fez uma cara fofa, enquanto dava uma olhadinha para mim, voltando a prestar atenção na estrada.
Não respondi, apenas olhei para ele e dei um leve sorriso. Em resposta, ele encostou de leve sua mão quente em minha coxa, e entrelaçou nossas mãos rapidamente. Olhei para ele que escondia um pequeno sorriso nos lábios.                                                                        Abri a janela e coloquei um música animada, me sentindo um pouco melhor. A viagem até a fazenda era um pouco longe, e eu tentava fazer de tudo para me distrair. Nós estávamos animados dentro do carro, cantando alto e conversando sobre qualquer besteira. No meio da viagem acabei pegando no sono. Acordei com o pessoal cantando qualquer música que tocava no rádio, deduzi ser "shake it off" da Taylor Swift. Ben fazia uma voz afetada quando chegava no refrão, e as meninas riam diante de seu comportamento. Depois de não muito tempo, chegamos no nosso destino.
...
Deixei minhas coisas no quarto, coloquei um biquíni e desci para a área da piscina. Era 16:00 e o sol estava ótimo. Observei Sasha conversar com Ben e apenas ignorei. Decidimos fazer uma fogueira a noite, e Liam e Gabriela se despuseram a preparar as coisas e algo a mais, para passarmos a noite.
Deitei em uma esteira debaixo de uma guarda-sol, lendo um livro, enquanto o pessoal se divertia na piscina. Observei Sasha olhar para Ben com um olhar malicioso, quando o mesmo tirou a camisa, revirei os olhos, tentando não pensar no quanto Ben era lindo e chamava atenção. Tentei me concentrar e voltar a minha leitura, mas olhei para Sasha, e a vi se levantando da esteira enquanto tirava lentamente seu roupão. Rafael e as meninas fizeram um "uau" sem emitir som e meus olhos seguiram seus movimentos, como o de todos, e vi quando Ben olhou para ela e ela piscou para ele. Apesar dela ser mais nova, ela era incrivelmente linda. Senti cada veia do meu corpo parecer que ia explodir, fechei meu livro com força e segui para qualquer lugar que não fosse ali.
Minha raiva se esvaiu completamente do meu corpo quando eu observei de longe o meu "esconderijo". Sorri, sentindo uma criança renascer em mim. Talvez eu tivesse deixado ela adormecida demais. Abri a porta de madeira, e algumas videiras caíam sobre ela. Suspirei ao abrir e me deparar com tudo igual. Era como se o tempo não tivesse chegado até ali. Sorri ao ver umas borboletas brincarem naquele espaço e fechei os olhos, sentindo o cheiro das rosas. Eu achei aquele lugar por acaso e minha vó me contava histórias de namorados que se encontravam ali durante muitas gerações. Daquele dia em diante, tinha se tornado meu lugar favorito naquela propriedade. Havia um banco em volta do jardim com alguns paus ao lado, que algumas rosas caiam por cima. Sentei no banco, e fechei os olhos por um segundo, pensando em tudo e em nada. Eu amava aquele lugar.
- Sabe, você não deveria ficar sozinha. Vai que alguém vem e te perturba. - Ben brincava. Abri meus olhos com força por causa do susto.
- Jesus! Que susto. Se a pessoa for você, eu realmente não me importo. - respondi, sorrindo, vendo-o observar o lugar.
- Uau! Esse lugar é lindo demais.- ele disse, se sentando ao meu lado.
- Descobri por acaso, anos atrás. - dei de ombros. Ele me olhou e se levantou novamente. Foi até algumas rosas e arrancou uma para mim. Eu olhei para baixo, soltando uma risadinha quando ele pegou em minha mão, me levantando e colocou a rosa em meu cabelo. Ficamos nos encarando até se tornar constrangedor e eu puxei-o com força e sentamos novamente no banco
- Por que saiu daquele jeito? - ele me olhou.
- Queria pensar, ficar sozinha. - olhei para o nada, sentindo ele me observar.
Ele não disse nada. O sol estava quase se pondo, e folhas  dos galhos balançavam das árvores. A brisa estava maravilhosa. Como senti falta desse lugar. Dessa paz.
- Ben..o que você vai fazer quando as férias acabarem? - quebrei o silêncio.
- Como assim? - ele olhou para mim.
- Faculdade. Você quer fazer o quê?
- Kat, eu..não sei - suspirou -, não sei se quero fazer algo. Você sabe que minha paixão é cantar. Quem sabe eu não fico famoso, aí você vai se casar comigo. - ele riu fraco.
- Então você deveria investir. Eu irei te apoiar em tudo, e é claro, não deixarei que garotas loucas cheguem perto de você.
- Eu não sei. Não quero pensar nisso por enquanto. - eu assenti.
- Eu preciso te contar uma coisa.- ele se virou para mim - Lembra que eu te disse que mandei alguns testes, tempos atrás, para agências de atores? - ele assentiu - Uma agência famosa de atores, na verdade, me ligou nos últimos dias. Eles disseram que viram uns testes que eu mandei uma vez.- ele estava prestando atenção em cada detalhe - Querem que eu vá fazer um teste em Los Angeles. Parece que querem que eu seja a protagonista de uma série ou filme, não sei ao certo.
Ele ficou um tempo olhando pro nada, sem dizer nada. Os olhos inexpressivos. Quando virou para mim, seus olhos explodiam cor e brilho.
- E é isso que você quer?
- Eu não sei.  Não sou tão linda e não tenho muita certeza, mas eu quero e não custa tentar. - dei de ombros.
- Não é? Você é simplesmente linda - ele fez um som de deboche com a boca e eu girei os olhos -, ah, qual é? Todos babam por você, você que não vê. Mas você iria ter que ir embora.
- Por isso que ainda estou pensando nisso. - olhei para frente, vendo algumas aves sobrevoarem o céu.
- Independente de sua decisão, estarei com você em tudo. Iremos andar lado a lado para sempre, lembra?
- Não acredito que lembra disso. Tínhamos 11 anos. - sorrio ao lembrar da lembrança.
- Para sempre. - ele sussurrou.
- Para sempre..- respondi, encostando minha cabeça em seu ombro.
Ficamos vendo o por do sol até o fim. Apenas sentindo a presença um do outro. Queria que todos os dias fossem assim: felizes.
...
Estávamos em volta de uma fogueira, perto de umas árvores enquanto tentávamos nos esquentar do frio que o vento trazia. Eu tentava (lê-se queimava) os meus marshmallow. Liam havia trazido seu violão e estávamos cantando músicas aleatórias. Eu estava com um cobertor que dividia com Benjamin.
- Ben, toque um pouco. - Gabriela pedia.
- Ah, estou bem aqui. - ele disse, me apertando de lado e vi Sasha revirar os olhos. Sorri vitoriosa.
- Ben, toque. Você toca e canta muito bem. - Isabela entrava no meio.
- Por favor, Ben. - eu que pedia que agora. Ben olhou para mim e deu um sorriso derrotado, enquanto se levantava relutante para pegar o violão.
- Só foi porque a Kat pediu. Vocês dois, hein. - Liam fazia gracinha. Senti meu rosto queimar, e Gabriela deu um tapa no braço de Liam, fazendo ele resmungar.
- Qual vocês querem? - Ben perguntava.
- Qualquer uma está boa. - Liam dizia, enquanto abraçava Gabriela, tentando a esquentar.
- Algum pedido, Kat? - ele olhava para mim.
- Pode ser alguma da Lifehouse. - suspirei.
Ben se posicionou e começou. Só que eu não imaginava que ele iria cantar aquela música.

"I was only looking for a shortcut home (Eu só estava procurando um atalho para casa)
But it's complicated (Mas é complicado)
So complicated (Tão complicado)
Somewhere in this city is a road I know (Em algum lugar nesta cidade há uma estrada que conheço)
Where we could make it (Onde nós poderíamos ir)
But maybe there's no making it now (Mas talvez não há como fazer agora)"

Pisquei algumas vezes antes de me concentrar no que estava acontecendo. Não estava acreditando que Benjamin lembrava daquela música. Mostrei para ele tinha muitos anos. Eu adorava aquela banda, e aquela era minha música favorita. Meus olhos se encheram d'água e eu sabia que ele tinha escolhido ela, para dizer algo. Era para mim aquela mensagem. Ele sempre gostou de dar indiretas, ou talvez naquele caso, diretas. Senti meus sentimentos se revirarem dentro de mim. Ele cantava olhando fixo para mim. Sentia meu rosto queimar feito brasa. Todos estavam percebendo o que estava rolando.

"Too long we've been denying (Há quanto tempo estamos negando)
Now we're both tired of trying (Agora estamos cansados de tanto tentar)
We hit a wall and we can't get over it (Nós chegamos a um ponto e não conseguimos superar)
Nothing to relieve (Nada para aliviar)
It's water under the bridge (São águas passadas)
You said it, I get it (Você disse, eu entendo)
I guess it is what it is (Eu acho que é o que é)"

Senti meus olhos arderem, mas esperei ele terminar a música.
"I was only trying to bury the pain (Eu estava apenas tentando enterrar a dor)
But I made you cry and I can't stop the crying (Mas fiz você chorar e não consigo parar de chorar)
Was only trying to save me (Estava apenas tentando me salvar)
But I lost you again (Mas eu perdi você novamente)
Now there's only lying (Agora só há mentira)
Wish I could say it's only me (Gostaria de poder dizer que sou apenas eu)"

Ben tocou novamente o refrão, terminando a música. Todos aplaudiram, e no final, ele estava sorrindo para mim. Ele voltou a sentar ao meu lado. Então ele me abraçou. Colocou seus braços em volta de mim, me trazendo para si. E ali, dentro do seu abraço, era o meu porto seguro. Eu sei que é errado e que é mais fácil se eu o deixasse ir. Mas havia algo nele. Eu, que nunca deixei que seu amor chegasse perto de mim, agora desejava que ele fosse o único que iria me segurar, caso um dia eu caísse. E eu estava pronta para cair.
Eu estava tímida e cansada. Depois de mais músicas, subi para o meu quarto. As meninas dormiriam em um quarto e os meninos em outro. As meninas já tinham ido dormir, quando eu escutei a porta se abrir lentamente. Meu coração acelerou um pouco, e eu fingi estar dormindo. Até que minha curiosidade fez com que eu abrisse os olhos. Ben estava lá, parado no batente da porta, fazendo final para que eu saísse lá fora. Vesti um moletom e sai do quarto.
- O que você está fazendo aqui? - sussurrei, fechando a porta do quarto.
- Bom, vai começar uma maratona de The Walking Dead, e como fãs de carteirinha, pensei que devesse te chamar. - ele parecia entusiasmado.
- Por isso que você é meu melhor amigo. Vamos. - puxei-o pela mão, descendo as escadas cuidadosamente.
Tínhamos assistido uns 5 episódios e eu já estava morrendo de sono. Me emaranhei em Benjamin, tentando me esquentar. As noites aqui costumavam ser bem frias. Eu estava confusa. Não sabia o que éramos. Ou o que estava acontecendo. Sabe aquilo de "deixar acontecer?" então, não costuma funcionar muito para mim. Eu sabia que ele estava confuso também, mas não era hora certa de perguntar. A cada pensamento, senti o peso do sono tomar conta de mim. Senti Ben dizer algo mas eu estava cansada demais para ouvir. Ben estava meio sonolento também. Ouvi um "boa noite, Kat", que saiu como um sussurro. Me encaixei mais nele, até que cai em um profundo sono.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...