História Welcome to my delirium - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Exibições 101
Palavras 1.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi genteeee!
Eu voltei, me convenceram a terminar essa fanfic e esse é o objetivo.
Esse cap tá meio lixinho mas eu fiz com amor e carinho espero que vocês gostem.

Capítulo 14 - In the shadows


Fanfic / Fanfiction Welcome to my delirium - Capítulo 14 - In the shadows

P.O.V Natalie

Escutava ao longe o barulho estridente das sirenes, eu sentia meu corpo leve quase como se eu pudesse flutuar.

— Afastem-se –os paramédicos diziam–

— O que está acontecendo? –eu tentava falar com as pessoas mas nenhuma me dava qualquer tipo de atenção– Rosa! –e mais uma vez fui ignorada–

Até que eu fui até o foco do grupo que se formou ao redor do local, Castiel estava ali e eu também.

— O que está acontecendo? –gritei com as mãos na cabeça–

Eu fechava os olhos desesperadamente acreditando que aquilo não passava de um pesadelo, mas eu não conseguia acordar.

Os paramédicos já haviam colocado meu corpo na ambulância, corri para acompanha-los.

 

(...) 

 

A cirurgia demorava, as expressões dos médicos e o barulho dos aparelhos não era de agradar ninguém.

Eu não compreendia o que estava acontecendo, será que eu já estava morta? Ou à beira da morte?

Tudo estava confuso, em apenas um segundo minha vida tomou um rumo completamente diferente do que eu estava imaginando. 

— Já finalizei aqui –o cirurgião falou e depois saiu da sala–

— Vamos levá-la para o quarto –a enfermeira fala e depois arrasta minha maca até o quarto– tão jovem e bonita, uma pena acontecer isso.

— Dr. Goulart informou se ela ficará com alguma sequela? –perguntou outro enfermeiro–

— Ela está em coma estágio 3, dificilmente se recuperará rápido

— É realmente uma pena –disse antes de se retirar do quarto–

Me aproximei da maca onde meu corpo estava.

— Eu tenho que acordar tem pessoas que precisam de mim –fechei os olhos com força mas nada acontecia– porque isso tem que acontecer? Porque agora? –sentei no chão e chorei desesperadamente–

 

(...)

 

Minha tia ficou ao meu lado, penteando meus cabelos e contando como foi seu dia, coisa que nós costumávamos fazer a noite depois de um dia cansativo.

— Sabe, o seu ruivinho estava lá fora de esperando –Castiel estava aqui?– ele ficou aqui desde o acidente

— Filho da mãe –disse com um meio sorriso–

— Parece que ele tem um gênio difícil de lidar, mas realmente gosta de você

Quando ela disse isso a porta abriu e lá estava ele, após observar-me por alguns minutos minha tia resolveu se manifestar

Eu vou passar a noite aqui hoje –Minha tia falou se levantando– vou buscar algumas roupas em casa –ela saiu do quarto–

Ele caminhou em passos lentos até a cadeira que estava ao lado da cama e acariciou meu rosto. 

— Não sei se pode me ouvir –falou segurando minha mão– mas eu quero que saiba que eu sinto muito. Eu sinto muito por estragar tudo, por ser um idiota completo, por te fazer sofrer quando eu deveria te fazer sorrir, por fazer você passar por isso. Eu sei que eu sou um babaca inconsequente, mas meus sentimentos são verdadeiros, mesmo que eu não demonstre eu te amo. Mas eu não te amo o bastante para te afastar de mim, eu sou egoísta demais pra te deixar partir.

— Eu sei disso –coloquei minha mão sobre a sua–

 

(...)

 

Os dias passavam rapidamente, Castiel estava presente em todos eles, às vezes eu sentia pena de ele ficar no pequeno sofá mas ele insistia para dormir aqui o máximo de noites, só voltava para casa por conta do Dragon.

Nesse meio tempo minhas duvidas não cessaram, eu ainda estava presa a este mundo mas longe de meu corpo.

Eu via e ouvia o que todos faziam mas não conseguia fazer nada além disso, a situação estava chegando a ser insuportável e eu não aguentava mais ficar presa a este lugar.

 

(...)

 

— Como ela está? –Rosa perguntava para minha tia–

— O quadro continua estável, sem nenhuma mudança significativa –minha tia respondeu apreensiva–

— Já fazem dois meses Emma –lágrimas começaram a cair de seus olhos– eu não consigo mais ver minha amiga neste estado, os médicos não conseguem fazer nada para ajudá-la? 

— Eles sempre dizem a mesma coisa, qualquer interferência pode prejudicá-la –ela disse enquanto segurava minha mão– agora tudo depende dela 

— Nat –Rosa começou a falar perto do meu ouvido– não sei se pode me escutar, mas eu quero que saiba que todos nós estamos aqui esperando por você, aguardando ansiosamente você abrir esses olhos e nos contar a piada mais sem graça que só você sabe –ela falava aos prantos– por favor amiga, volta pra gente.

— Eu não sei como fazer isso Rosa, eu sinto muito –disse chorando–

— É melhor deixarmos os outros entrarem –minha tia disse e elas saíram do quarto–

Algum tempo depois Armin e Alexy entraram no quarto 

— Oi diva –Alexy disse em um tom triste– quando você vai voltar pra gente ein? Eu estou morrendo de saudades de falar com você e apertar sua bochecha quando você falar alguma coisa fofa –deu uma risada fraca– nós te amamos pequena –deu um beijo na minha testa– eu vou te esperar lá fora –falou para o Armin que assentiu com a cabeça–

Ele se sentou na cadeira ao meu lado

— Você é uma filha da mãe –ele disse com um sorriso fraco– volta logo pra gente, você ainda está me devendo uma partida de Call of duty viu mocinha –ele segurou minha mão– você é uma ótima amiga nat, a gente precisa de você, eu preciso de você.

Após isso ele foi embora e eu fiquei sozinha por algum tempo então decidi dar uma volta pelo hospital, aparentemente esse era o meu novo hobby.

 

(...)

 

— Eu trouxe uma música para você –Castiel falou enquanto tirava o violão da capa– ela não é muito meu estilo, mas eu sei que você gosta desse cantor então.

Ele começou a tocar os primeiros acordes e eu logo soube a música, uma música intensa e sincera.

Sua voz rouca soou por todo o cômodo me dando um aperto no peito a cada estrofe.

Give me love like her

'Cause lately I've been waking up alone

Paint splattered teardrops on my shirt

Told you I'd let them go

And that I'll fight my corner

Maybe tonight I'll call ya

After my blood turns into alcohol

No, I just wanna hold ya

 

Give a little time to me or burn this out

We'll play hide and seek to turn this around

All I want is the taste that your lips allow

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

 

—Ele cantava com toda a empolgação que poderia oferecer—

 

Give me love like never before

'Cause lately I've been craving more

And it's been a while but I still feel the same

Maybe I should let you go

You know I'll fight my corner

And that tonight I'll call ya

After my blood is drowning in alcohol

No I just wanna hold ya

Give a little time to me or burn this out

We'll play hide and seek to turn this around

All I want is the taste that your lips allow

My, my, my, my, oh give me love

Give a little time to me, or burn this out

We'll play hide and seek to turn this around

All I want is the taste that your lips allow

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My, my, my, my, oh give me love

My my, my, my, oh give me love

Of all the money that e'er I had

I've spent it in good company

And all the harm that e'er I've done

Alas it was to none but me

And all I've done for want of width

To memory now I can't recall

So fill to me the parting glass

Good night and joy be with you all

 

Of all the comrades that ever I had

They are sorry for my going away

And all the sweethearts that ever I had

They would wish me one more day to stay

But since it falls unto my lot

That I should rise and you should not

I'll gently rise and I'll softly call

Good night and joy be with you all

 

A man may drink and not be drunk

A man may fight and not be slain

A man may court a pretty girl

And perhaps be welcomed back again

But since it has so ought to be

By a time to rise and a time to fall

Come fill to me the parting glass

Good night and joy be with you all

Good night and joy be with you all

Eu sentia meu coração batendo cada vez mais rápido, como se eu estivesse correndo milhares de quilômetros por hora, sentia que meus pés já não encostavam o chão eu sentia que estava flutuando, como uma pena em meio a uma ventania.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, kisses de nutella.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...