História Welcome To My Life - Lysandre (Hiatus) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Boris, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Violette
Tags Alextin, Amor Doce, Depressão Esquizofrênica, Drama, Hentai, Lysandre, Romance, Shoujo, Yaoi
Visualizações 146
Palavras 2.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lírica, Luta, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"Nick, tá tudo bem contigo?"

Sim, gente, tá tudo bem sim, eu tenho que pensar na Juju pra melhorar né... 😌♥

Mas tirando o fato de eu estar escrevendo esse fucking capítulo e ele acabar apagando TUDO que eu escrevi, sim, ainda tá tudo bem

Bom, minhas costas ainda dóem, mas vou ficar bem logo logo, aproveitem o capítulo ♥

Capítulo 12 - A Peça - Parte 4


Fanfic / Fanfiction Welcome To My Life - Lysandre (Hiatus) - Capítulo 12 - A Peça - Parte 4

Corri para meu quarto e tranquei a porta, mas antes que eu pudesse me virar, escutei uma certa risada muito familiar.

- ...O que foi aquilo? - era minha mãe, dando um sorriso emocionador

- Eu quero dormir, mãe. - olhei para meus pés, já corada. Minha resposta parecia não ter feito efeito nenhum nela - ...Foi um beijo. Pronto.

- Aaaahh!!! Que fofo, vocês tem todo o meu apoio! - ela sorriu e me abraçou

- Não estamos namorando! - corei

- Aham... sei... - ela riu e saiu do meu quarto

Troquei-me de roupa e fui dormir. 


Uma semana depois, os cenários estavam prontos, e a maioria das cenas já haviam sido ensaiadas, porém, faltavam duas cenas serem concluídas.

O baile e o suicídio de Hannah.


Vesti uma calça azul claro, uma camiseta branca e meu velho e fofo tênis branco. Para as garotas que preferem salto alto, minhas sinceras desculpas.

Tomei meu café com leite matinal e fui para a escola. 

Chegando na mesma, senti uma mão tocar meu ombro e acabei tomando um susto.

- Oh, sinto muito por te assustar, moça. - era um rapaz de cabelos escuros e roupas vitorianas, engraçado, ele me lembra alguém...

- Está tudo bem... - sorri, meio sem graça

- Você conhece a Rosalya? - ele arrumou a gola da roupa

- Ela é minha amiga, por quê?

Ele sorriu.

- Eu sou o namorado dela, você poderia chamá-la, por favor? 

- Nossa! Eu não sabia que a Rosalya namorava, claro, chamarei ela sim. - sorri de volta

- Muito obrigado, e a propósito, meu nome é Leigh, foi um prazer.

Ele sorriu, mais uma vez.

- Eu me chamo Alasca, vou chamar ela agorinha! - corri

Fui correndo para o ginásio, onde estavam os personagens da minha peça, incluindo Rosalya.

Me aproximei da mesma e sussurrei no seu ouvido.

- Tem alguém te esperando lá fora. - dei um sorriso inocente

Ela sorriu.

- Quem?

- O Leigh, eu pedi pra ele esperar eu vir te chamar. 

- V-Você conhece o Leigh desde quando?

- Desde uns... - olhei para o relógio - Cinco minutos atrás. - sorri

- Ah sim, ok, vou lá, obrigadinha, Alasca! - ela me abraçou

- De nadinha. - fiz orelhinhas de coelho com as mãos em minha cabeça

Ela saiu do ginásio sem ser despercebida e fiquei ao lado de Alexy.

- Oi, Amora! - abracei-o de lado

- Maçã! Quanto tempo! - ele riu

- Ei, o que era aquilo que você queria me contar?

- Contar o quê? - ele arqueou a sobrancelha e tirou uma mecha de cabelo azul do rosto

- Você disse que queria me contar algo depois do... você sabe... aquilo com o Kentin.

- Ah é, eu te conto depois do ensaio. - ele sorriu e beijou minha testa

- Filho da mãe... vai me deixar na curiosidade! - ri

- Muito bem, silêncio todos! - disse o Sr. Patrick - Hoje será ensaiado a última cena com todo mundo, que é a do baile. E depois, o suicídio.

O Sr. Patrick começou a explicar como as pessoas estariam no baile, como Jessica e Justin ficariam e como Clay e Hannah estariam.

- ... E aí Clay e Hannah se encontrarão no meio do ginásio e ele vai chamá-la pra dançar, vocês dois entenderam? - ele olhou pra mim e para o Lysandre

- Sim. - respondemos em uníssono

- Quando o Tony tocar a música, Clay vai sair da arquibancada e ir ao centro do ginásio, na mesma sincronia de Hannah, ok?

Fizemos sim com a cabeça.

- Ótimo, todo mundo pros lugares.

- Amora, você segura minha bolsa? - sorri para o Alexy

- Tá bom. - ele sorriu e pegou a minha bolsa

Sentei-me na arquibancada direita e Lysandre sentou na arquibancada direita. Esperamos a música tocar.


I am not the only traveler

Who has not repaid his debt

I've been searching for a trail to follow again

Take me back to the night we met


And then I can tell myself

What the hell I'm supposed to do

And then I can tell myself

Not to ride along with you

I had all and then most of you

Some and now none of you


Take me back to the night we met

I don't know what I'm supposed to do

Haunted by the ghost of you

Oh, take me back to the night we met


Me direcionei ao centro do ginásio, enquanto todos os outros estavam formados em pares - Mas tirando o fato de Priya e Nathaniel estarem estranhos se fazendo de bêbados, estava muito parecido com o livro - Lysandre fez o mesmo.

Estávamos frente a frente, enquanto a música lenta tocava.

- Você tá lindo! - disse eu

- Essa frase de novo... - ele deu uma risada curta

- Eu não sabia que vinha!

- É, eu ouço muito isso... - ele se fez de inquieto

- Um dom que eu gostaria de ter...

Ficamos olhando em volta como condizia no texto.

- Então... eu não sei como funciona isso... mas eu já tô sendo muito formal, embora esse seja um baile formal... - ele gaguejava como foi pedido - E eu não sei se as pessoas realmente perguntam isso umas para as outras no mundo, mas... Eu quero dizer que... err... você quer dançar comigo?

Caramba, ele atua muito bem.

- Eu adoraria dançar... com você. - sorri - Nossa... o Tony tem um gosto incrível... essa música é... perfeita.

- É... acho que agora... a gente devia...

Coloquei minhas mãos em volta de seu pescoço ele pôs as suas na minha cintura. O mesmo observou os outros rapazes com suas mãos nas bundas das parceiras e negou colocar as dele na minha. Como o Clay fez.

Parei para olhar sua roupa, uma camiseta vermelha de mangas longas e uma branca por baixo, e uma calça jeans azul escuro.

- Sabe... essa música me lembra muito aqueles filmes antigos que passavam no Cresmont, você lembra do Quer Dançar Comigo?

- Ai meu Deus, adoro aquele filme. - sorri - "Não há passos novos!".

Rimos por eu ter imitado uma frase do filme.

- Você disse que não tinha ritmo, mas dança como um profissional! - arqueei a sobrancelha

- Na verdade, eu faço balé desde que tinha seis anos. - ele sorriu, mas sem mostrar os dentes; e mexeu no cabelo

- Não diga, sério? - me empolguei um pouco com a fala sarcástica

- Não... - ele riu e mexeu no cabelo

- Eu teria acreditado. - eu ri - É cheio de surpresinhas... 

- É? Pode me acompanhar... ficar comigo... ah, sei lá! - ele olhou pra baixo e balançou a cabeça, me fazendo rir

Ficamos nos olhando fixamente, seu olhar desviou o meu indo parar nos meus lábios, olhei para os seus, rosados.

Ele começou a aproximar seu rosto do meu... estou começando a ficar nervosa...

- Ei, Hannah! - o rapaz que fazia o Montgomery se intrometeu

- Só um minuto, Clay. - tirei minhas mãos do seu ombro e me distanciei - O que foi, Montgomery?

- Cadê a sua namorada? 

- Desculpe... do que está falando? - disse eu

- Da garota da foto, a Laura. Soube que as vezes curtem quando um cara participa.

- Quem te disse isso? - arqueei a sobrancelha

- Courtney disse que vocês a chamaram para um ménage. Não te culpo, ela é gostosa mesmo.

- Só pode ser brincadeira isso... - balancei a cabeça

- Por quê? Não é verdade?

- Não, não é. - fechei os punhos

- Pois eu acho que é sim, porque ela confirmou que o Justin enfiou os dedos em você e fez um boquete nele. Achei bacana.

Olhei para o Lysandre, que estava atrás de mim, ouvindo tudo, com os olhos arregalados. Sem pensar duas vezes, corri para a cena com a Courtney.

- Muito bem, Alasca, você e o Lysandre decoram falas muito bem. - disse o Sr. Patrick - Todo mundo, sentem na arquibancada que agora a cena é só de Hannah e Courtney.

Ambre tirou seus saltos pretos e sentou no chão, fingindo estar cansada.

- O que é isso, Courtney?! - fiquei em sua frente, fingindo estar P* da vida

- Hannah, eu... - interrompi a mesma

- Acha que pode me ferrar? "Todos acham que ela é uma vadia, por que não piorar?".

- Estavam começando a falar, eu só... - ela se levantou - Eu tinha que fazer alguma coisa.

- Mas não precisava fazer isso!

- Sinto muito... - ela abaixou a cabeça

- Quero ser sua amiga, Courtney, eu fui sua amiga, e isso que tem medo que as pessoas saibam não importa pra mim. Não importa nada. E sinto muito se esteja com medo mas eu não sou seu escudo, tá bem?! - deixei a voz trêmula - Não pode se esconder atrás de mim! Não pode ferrar com a minha vida só porque não se aceita como é de verdade!

Saí de cena batendo forte os pés no chão, deixando a "Courtney" sozinha.

Sr. Patrick aplaudiu muito.

- Estou impressionado, vocês aprendem rápido. - ele sorriu pra mim - Agora todo mundo vai ficar na arquibancada, a cena agora é a de suicídio.

Todos sentaram na arquibancada e Melody veio empurrando uma banheira junto com o professor Faraize.

- Alasca, sente aqui. - ele apontou para a banheira, enquanto o professor Faraize e Melody foram sentar na arquibancada - Aqui está a caixa de lâminas, mas não se corte de verdade, hein? - ele riu e me entregou uma caixinha de lâminas afiadas

 Sentei-me na banheira e fiquei parada, olhando para a caixa, depois tirei uma lâmina e deixei cair a caixa no chão.

Comecei a "cortar" meu pulso esquerdo, eu gemia e me contorcia de dor, depois "cortei" o pulso direito, e fui afundando na banheira, enquanto minha pulsação "sumia".

Sr. Patrick se aproximou de mim e bateu palmas.

- Estou emocionado com esse seu talento, Alasca. - ele fingiu chorar, mas riu - Bom, vocês já podem ir almoçar.

Fui em direção ao portão da saída do ginásio, mas alguém me chamou a atenção.

- ALASCA!!! 

- Ai meu Deus! 

Era o Alexy, que quase se jogou no chão de tanto rir do meu susto.

- Ha ha ha, que engraçado.

- Confesse, foi engraçado sim. - ele sorriu e me entregou a bolsa - Vamos almoçar? 

- Estou com fome, vamos. - coloquei meu braço em volta de sua cintura e ele pôs o seu em volta do meu pescoço

Fomos para o refeitório, pegamos nossos almoços e sentamos numa mesa vazia.

- E aí? Vai me contar agora? - abri minha lata de Pepsi

- Eu vou, mas só se... - ele fazia força pra abrir sua lata - ...Só se você abrir a lata pra mim.

Peguei a lata de suas mãos e abri sem nenhuma dificuldade, ele ficou surpreso por eu conseguir.

- Eu realmente preciso malhar... - ele pegou a lata, meio frustrado

- E então? Fala logo.

- Sabe aquele dia que eu me reconciliei com o Kentin?

- Sim, o que tem?

Ele sorriu e corou ao desviar os olhos que estavam fixados aos meus e olhou pra baixo.

- ... - arregalei os olhos - Meu Deus...

- É... - ele continuou sorrindo sem mostrar os dentes, e muito corado

- Ele... vocês... - coloquei minhas mãos na boca - Foi a primeira vez de vocês? - sorri

- ... Foi, mas não conta pra ninguém, tá? - ele bebeu um pouco da Coca-Cola, ainda corado

- AI QUE FOFO, ALEXY! - gritei, mas percebi que todos nos olharam por causa do grito - Desculpa, mas eu realmente estou muito feliz por vocês dois. - sorri

- Obrigado mesmo, Alasca, se não fosse por você eu acho que estaria sozinho agora. - ele sorriu

- O que é isso... de nada. - fiz um coração com os dedos e sorri

Almoçamos e devolvemos as bandejas, ao chegar no corredor, senti a mão de Alexy tremer.

- A-Alexy... tá tudo bem? 

Ele não virou o olhar pra mim, continuou olhando para uma garota de cabelos castanhos com trancinhas, calças rasgadas e uma camisa de decote bem exposto. Alexy estava fervendo de ódio.

- É ela... - Alexy começou a soar

- Ela o que? - segurei seu braço

- Ela que beijou o Kentin!! - ele soltou meu braço bruscamente e andou com força até a garota.

- Quem você pensa que é, hein?! - Alexy virou a garota e ficou frente a frente com ela, coitada, ela estava muito assustada

- O que? Eu não fiz nada... - ela fez uma voz dengosa e choramingou

- Não se faça de mimadinha, que direito você acha que tem pra sair beijando o MEU NAMORADO assim?! - Alexy a empressou nos armários

- Por favor... eu realmente não sei quem é você... - ela choramingava, dava até agonia

- Alexy! O que está fazendo? - Kentin pegou Alexy pela cintura, o mesmo fazia movimentos inúteis pra tentar se soltar

- Me solta, Kentin! Eu tenho que matar essa fêmea australopithecus!! - Alexy gritava de raiva e se contorcia nos braços de Kentin

- Alexy!! Fica quiet... - ele olhou para a moça - VOCÊ! 

A moça correu, e Alexy começou a dar tapinhas nas costas de Kentin, descontando sua raiva.

- Desculpa por isso, Alasca, vou levar essa criança pra casa. - ele piscou e deu um sorriso discreto

- Eu não vou sair daqui! Eu tenho que encontrar essa garota e fazer ela se arrepender de ter saído do útero da mãe dela!! - Alexy começou a andar, mas Kentin o pegou pelo braço, deixando-o no seu ombro - Me solta, Kentin!! - ele começou a bater na sua bunda

- A gente se fala mais tarde, Alasca, até mais. - disse Kentin, indo em direção a porta - Vamos conversar direitinho lá em casa, viu, Sr. Marrentinho? 

Deixei minha bolsa dentro do armário e fui para o vestiário. A aula de educação física iria começar.

Peguei meu uniforme, vesti e voltei para o ginásio.

- Ei, Alasca! - era o Nathaniel

- Oi Nath, tudo bem?

- Tudo sim, você poderia me fazer um favor? - ele mexeu as mãos, imitando um gatinho e sorriu

- Claro, o que quer? 

- Eu esqueci minha garrafa d'água no meu armário do vestiário, você pode ir buscar pra mim?

- Tá ok, vou lá. 

- Meu armário está aberto, é o número 102.

- Ok.

Fui para o vestiário masculino de olhos fechados, vai que tinha algum menino sem roupa lá dentro.

Estava um silêncio enorme, então abri os olhos. Porém, tinha um rapaz tirando a camisa, e por estar de touca e virado de costas, eu não poderia reconhecer.

Fiquei maravilhada com aquela tatuagem de asas de anjo em suas costas, eu não conseguia me movimentar, até que o rapaz tirou a touca e virou-se pra mim, ele não pôde deixar de dar um pulo de susto. Era o Lysandre.

- O que faz aqui no vestiário masculino? - ele arqueou a sobrancelha

- ...


Continua? ^-^


Notas Finais


Look da Alasca - https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/5c/60/96/5c60968eac5982c929dfd9abe1fc9731.jpg

Look do Lysandre - https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/70/45/97/7045976445231c4fab0e70e11484feb6.jpg

Música tocada - https://youtu.be/Jg1cQs53NjE

♪ The Night We Met - A Noite Em Que Nos Conhecemos ♪

Não sou o único viajante
Que não pagou sua dívida
Estive buscando um caminho para seguir novamente
Me leve de volta para a noite em que nos conhecemos
E então eu posso dizer a mim mesmo
Que diabos devo fazer
E então posso dizer a mim mesmo
Para não andar ao seu lado

Eu tive tudo, e então quase tudo de você
Um tanto, e então nada de você
Me leve de volta para a noite em que nos conhecemos

Eu não sei o que devo fazer
Assombrado pelo seu fantasma
Me leve de volta para a noite em que nos conhecemos

(Melhor música da série, sério ♥)

Até o próximo capítulo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...