História Welcome To My Life - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Graylu, Nalu
Exibições 129
Palavras 2.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que estejam gostando!
Obrigado pelo 80 favoritos e 57 cometários!

Capítulo 12 - Por que eu faço isso?


Fanfic / Fanfiction Welcome To My Life - Capítulo 12 - Por que eu faço isso?

Lucy

~Sonho~

Acordo com um barulho, na verdade, com um grito. Olho para o pequeno despertador e vejo que era duas horas da manhã. Levanto e vou ate o corredor. Escuto o grito novamente. Sigo o som do grito e me deparo com uma porta. Abro-a sem pensar duas vezes.

Era um quarto. E em cima da cama estava o Natsu gritando e se remexendo. Ele estava suando. Corro ate ele e tento acorda-lo com um leve empurrão. Sento na cama, ao seu lado e começo a cutuca-lo desesperada.

-Natsu.- Tento chama-lo.- Natsu.

-Não! Não!- Ele segura minha mão com força e se senta na cama. Ele me encara assustado.

-Calma, Natsu!- Digo.

Suspiro aliviada, ele acordou.

-Yuno!- Ele me abraça.- Pensei que você tinha me deixado! Eu tive um pesadelo! Minha mãe, minha mãe estava no chão sangrando e...

Ele separa o abraço e começa a me encarar.

-Natsu...

Seus olhos estavam quase penetrando minha alma. Ele me olhava de um jeito incomum. De um jeito amoroso e carinhoso.

-Yuno...- Ele segura meu rosto e faz carinho com o polegar.

Ah, é. Ele pensa que eu sou a Yuno.

-Natsu, eu não sou a...-Sou interrompida por Natsu.

Ele cola seu lábios ao meu. Sinto um arrepio pelo corpo. Quero empurra-lo mas meu corpo não se mexe. Ele me envolve com seus braços e me deita na cama.

-Yuno, não me deixe!- Ele diz depois de separar nossos lábios.

Ele deita sua cabeça em meu peito.

-Na...

-Faz carinho.- Ele diz.

Meu rosto cora. O que é isso? Ele me beijou e esta pedindo meu carinho... Mas ele pensa que sou a Yuno...

-Lucy! Acorda!

De repente tudo muda, eu não estava mais com o Natsu estava em uma casa em chamas. E logo a minha frente estava minha mãe. 

-Mamãe!- Grito e tento puxa-la para longe do fogo.

-Meu amor, chegou minha hora.- Ela diz e sorri.

-Não fala isso, mamãe! Eu te amo! Te amo!- Grito mas ela não diz nada. Apenas anda em direção ao fogo.

-Lucy! Lucy!- Olho para trás e o cenário muda de novo.

Estava na minha casa com um vestido enorme, parecendo a de uma princesa. E na minha frente estava o Gray. Ele estava sorrindo. Ele se aproxima e junta seus lábios aos meus.

-Gray...- Digo ao meio do beijo.

E do nada sou puxada para trás. Me viro e o local muda de novo. Lá estava minhas amigas e o Loke na escola. Eles estavam sorridentes, mas o que me doeu foi que a Erza não estava lá.

-Vamos! -Juvia estica a mão em minha direção e sorri.

Tento segurar sua mão mas novamente sou puxada. Desta vez para uma sala escura. E só se ouvia risadas, as risadas daquelas garotas...

Natsu

Eu não conseguia parar de pensar no que eu tinha feito. Por que eu abracei aquela garota? Ela é chata, insuportável e ainda por cima eu ainda tenho que conquista-la, pela minha dignidade.

-Não! Saí! Saíam daqui! -Escuto a voz de Luce desesperada.

A Luce esta gritando? Me levanto da cama e corro ate o quarto onde Luce estava. Será que alguém invadiu a casa? Vejo Mavis e Zeref correndo em direção do quarto de hospedes. Abro a porta e vejo a Lucy deitada na cama chorando e gritando. Ela estava com os olhos fechados. Seria um pesadelo?

-Lucy! -Mavis vai ate ela preocupada. -Lucy!

Mavis tenta acorda-la. Lucy se levanta desesperada e assustada. Ela olha para Mavis e depois para mim e Zeref.

-Meus remédios!- Ela diz e começa a andar de um lado pro outro- Onde estão meus remédio?

Tá! Além de chata, ela é louca. Tento me aproximar dela mas ela para de andar e me encara brava.

-Vai rir? Vai dizer que eu sou a tal de “ESC”?- Ela fala brava.

-Luce?- Ela é estranha, muito estranha. Era meio irritante ver ela daquele jeito.

-Saí daqui! Vai encher o saco de outra pessoa! Já tenho meus problemas! E você vem e me trás mais! E ainda por cima ontem você me abraçou! Isso faz parte do seu plano idiota para me conquistar? Huh, pior que eu deixei! Você se aproveitou de mim! Idiota!- Ela me empurra e eu a encaro sem entender nada.

-Natsu!- Zeref me chama e eu o olho.

Ele estava bravo.

-O que foi? -Pergunto sem entender aquela cara brava.

-Para sala!- Ele aponta para fora do quarto.

-Ma...

-Sem mas, só vai!

Bufo e saio do quarto, dou uma ultima olhada e vejo Lucy chorando. Essa garota...

Ao chegar na sala sento no sofá. Zeref aparece e se senta na minha frente.

-Sério? Ela? Justo ele?- Ele pergunta bravo.

-Qual é? O que ela tem que todos se curvam a ela? -Pergunto irritado.

-Natsu! Ela tem o mesmo problema que a nossa mãe tinha! Da para ver de longe! Ela não precisa de você por perto! Ninguém precisa! Você precisa tratar os outros melhor! Tem que arranjar amigos! E superar esse trauma.

-Ah, cala a boca! Ela, nem de longe, tem o mesmo problema que minha mãe! Ela só esta tentando chamar atenção! E eu não preciso de amigos! Também não tenho porcaria nenhuma de trauma!

-Natsu! Já chega! Cansei de sua atitude! Desde que a mamãe morreu eu tenho que aguentar esse seu mau humor! Mavis não para de reclamar de você, parece que você mora naquela diretoria!

-Mavis me odeia, ela é uma chata.

-Não fale assim da minha noiva!

-Eu falo sim! Não ligo se ela vai se casar com você ou não!

-É melhor você parar de agir deste jeito se não eu vou...

-Vai o que?

-Vou chamar o pai.

Levanto bravo.

-Nem pense nisso!- Grito e saio da sala.

-Natsu! Não terminamos de conversar!

-Idai?

Subo as escadas e vejo Mavis e Lucy no corredor. Lucy me olha triste.

-Desculpe, por aquilo- Ela diz baixinho.

-Tanto faz.- Falo e passo reto por elas.

Entro no quarto e bato a porta. Deito na cama e pego uma foto que sempre deixava de baixo do travesseiro. Na foto estava minha mãe, eu e a Yuno.

-Mamãe, Yuno eu estou com saudades.

Lucy

-Desculpe, Mavis e Zeref, eu não tive intenção de dizer aquilo e acorda-los no meio da noite. - Falo arrependida.

-Não se preocupe! - Zeref diz calmo.

-Eu não tenho pesadelos a um tempo, é que eu preciso do meu remédio para não ter. Só que eles estão na minha casa.

-Não precisa explicar! Eu e Mavis vamos cuidar de você o tempo que precisar! E se tiver mais reclamações sobre o Natsu pode dizer!

-Claro! - Digo tentando sorrir.

Que vergonha! Não acredito que fiz isso.

-Bem, você nós acordou cedo, mas não tão cedo, da que apouco meu despertador toca. Vamos aproveitar e tomar café! -Mavis fala e me puxa ate a cozinha.

Ela faz torradas, ovoz mexidos, café e coloca um monte de frutas na mesa.

-Coma o quarto quiser! -Ela diz e eu sorrio.

Pego duas torradas, passo manteiga. Tomo um copo de café. Como uma maça e um pouco de ovos. Me sinto mais disposta do que antes. Dou um largo sorriso.

-Que delícia! -Digo em alto e bom som.

Mavis sorri satisfeita com o resultado do café da manhã.

-Obrigada! -Falo diretamente para Mavis que me encarava feliz.

-Que nada! Eu amo ver, pelo menos uma pessoa, comer dentro desta casa!- Elas tenta fazer uma indireta para Zeref que tomava apenas um café e lia o jornal.

Dou uma risada e Zeref também.

-Nossa! Parece que além de roubar meu amigo, rouba minha família também. -Olho para trás e vejo Natsu me encarando bravo.

-Eu não roubei ninguém. -Digo inflando as bochechas.

-Claro que sim, Gray não quer nem falar comigo.

-Você que brigou com ele! Eu não fiz nada!

-Natsu! Claro que perdeu um amigo com essa sua atitude! -Zeref diz de um jeito firme, sem olhar o irmão nos olhos.

Natsu me encara com mais raiva. Ele se vira e vai embora.

-Bem, se me dão licença, eu preciso me trocar e ir para minha casa. Agradeço por tudo que fizeram! -Sorrio e levanto da cadeira.

-Não precisa agradecer! Mas tem certeza que vai voltar? Não quer ficar aqui por mais alguns dias? -Mavis pergunta.

-Bem, eu gostaria muito de ficar, mas eu tenho que ir. Minha mãe precisa de mim. E além do mais eu iria precisar de roupas e essas coisas, sabe?

Mavis concorda triste.

-Queria que você ficasse. -Ela diz ainda triste.

-Eu também quero ficar mas...

-Tudo bem. -Ela diz e me abraça.

-Se você precisar de algo pode contar comigo! -Zeref diz.

-Okay, muito obrigada! -Sorrio de volta. -Vou pegar minha roupa e deixar esta.

-Não! -Mavis grita. -Tá frio lá fora! Você não vai sair com aquele vestido! Leva a roupa, você pode devolver depois!

-Ah, então tá. Obrigada por tudo! De verdade! -Abraço Mavis.

-Pera! -Mavis coloca a mão em minha testa. -Você esta se sentindo bem?

-Estou sim, parece que foi só uma gripe rápida.

-Rápida de mais! Me ligue se precisar de algo! -Ela procura uma caneta e um papel. Ela anota o número. -Olha, se por acaso eu não atender, você liga para o Zeref e se o Zeref não atender liga pro Natsu. E esse é o número de casa.

-Obrigada! -Dou uma risada. Mavis é fofa!

Quando dou as costas e saio da cozinha escuto Zeref falando com Mavis.

-Você se apegou muito rápido com ela.

-Sim, eu sei. Ela é incrível. Mesmo tendo os problemas e, aquele negócio que estamos investigando, ela sempre tá sorrindo. Graças a Deus ela e a Juvia se deram bem.

-Que bom!

Ela está me investigando?

Finjo que não escutei e subo as escadas. Entro no meu quarto e lembro do sonho. Eu não acredito que sonhei que Natsu e Gray me beijaram! Sento na cama e dou um longo suspiro. E tudo no meu sonho foi estranho. Meu coração dói, por alguma razão, quando lembro. Bem é melhor eu não pensar muito sobre ele. Dou um largo sorriso.

Agradeço a Deus! Ontem pensei que ia dormir na rua. Mavis foi muito gentil comigo. E eu ainda conheci o dono da escola!

Pego meu vestido e meu salto alto. Paro de repente.

-Eu vou ter que ir de salto? -Sussurro para mim mesma.

Ah, não acredito. Odeio andar de salto! Mas é isso ou nada! Não vou pedir mais nada para Mavis! 

Vou ate a porta mas sou barrada por Natsu, que estava sem camisa. Cubro meus olhos e coro. Meu Deus! Esse menino quer morrer só pode!

-Luce, você me deve um grande desculpa por me acordar mais cedo! -Ele diz com intenção de me irritar.

-Natsu, por favor, põem uma camisa!- Digo.

-Não! Ei me olha!- Ele segura minhas mão e afasta do rosto.

Evito olhar para ele.

-Eu não devo desculpas, porque já pedi! -Falo meio alto.

-Pede de novo!

-Não!

Ele se aproxima e eu acabo me lembrando do sonho, do abraço e do beijo no meu pescoço. Não acredito que me rebaixei a este nível por causa dele. Cade a Lucy? Já chega! Viro com tudo para ele e nossos narizes se tocam. Encaro ele de um jeito ameaçador.

-Aí está! A garota de antes!- Ele me da um beijo na bochecha.

-Se esse é seu plano para me conquistar, só para avisar, não esta funcionando.- Digo com um sorriso sarcástico.

-Huhum.- Ele coloca minha mão em seu tanquinho.

-Que ridículo! 

-É essa mesmo!- Ele me abraça. -Vamos brincar! – Ele sussurra no meu ouvido.

Ele me solta e da as costas. Solto um suspiro. Meu coração começa a acelerar. Muito bem, Lucy! Você se segurou bem! Desço as escadas e vejo Mavis me esperando na porta. Dou um abraço nela e agradeço de novo. Saio da casa e vou para a minha. Não é muito longe. Quando cheguei lá, eu decidi entrar pelos fundos onde achei Virgo. Ela me abraça.

-Lucy-san! Onde você estava? Eu fiquei preocupada!- Ela diz e eu a abraço forte.

-Meu pai me colocou para fora, eu só vim carregar meu celular e pagar meu uniforme.

-Lucy-san! Sua mãe!

-O que tem minha mãe?- Pergunta meio desesperada e preocupada.

Entro na minha casa correndo. Vou ate a sala e vejo minha mãe sentada no sofá. Me aproximo dela e ela se vira para mim.

-Mãe!- Grito ao ver o rosto dela.

Estava roxo e seu lábio estava cortado. Minha mãe se levanta e me abraça.

-Meu amor! Você voltou! -Ela me aperta.

Não tenho reação.

Meu pai...? Ele...? Será...?

-Mãe, quem foi que fez isso no seu rosto?- Pergunto com medo da resposta.

-Ah, eu estava te procurando ontem a noite e sem querer eu caí na rua.- Ela diz e separa o abraço. -Ainda bem que você parece bem! E que roupa é essa?

Não foi o papai? Será?

-Eu dormi na casa da diretora, ela me emprestou a roupa. Ela cuidou de mim e eu já tomei café.- Falo.

Estranho...Nunca conversei assim com minha mãe. Nunca conversamos, só brigamos. Eu não quero mais deixar minha mãe.

-Que bom! Seu pai pensou melhor e deixou você voltar! -Ela diz animada.

Eu concordo com a cabeça e subo para meu quarto. Entro e deito na minha cama. Encaro a parede branca. Não quero pensar em mais nada. Não quero mais viver.

As vezes eu me pergunto porque tenho esses pensamentos tão de repente. Nunca tenho uma resposta. Levanto da cama e vou ate o banheiro onde pego uma caixa de remédios. Encaro ela... Tão convidativa. Abro a tampa e ponho muitos comprimidos na mão. Enfio tudo na boca. Engulo e começo a me sentir tonta. Olho para o teto branco do banheiro.

-Porque eu faço isso?- Pergunto a mim mesma antes de desmaiar e cair em uma escuridão.

Continua...

 

 


Notas Finais


Thammm!
O que será que vai acontecer?
Até o próximo cap!!
Bjooos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...