História Welcome To My Life - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Graylu, Nalu
Exibições 208
Palavras 3.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Perfect


Fanfic / Fanfiction Welcome To My Life - Capítulo 7 - Perfect

Lucy.

-Por favor, descance um pouco por hora.- A enfermeira pede e fecha a cortina.- Os dois para fora!- Ela puxa a orelha dos dois e os empurra para fora.- Ah, a senhorita tem sorte de ter dois garotos apaixonados por você. Ah a juventude.- Ela suspira.

-Não! Eles não são apaixonados por mim! Gray… Bem… Acho que somos amigos, mas o Natsu! Ele não! Ele nunca vai se apaixonar por mim! Bate nessa boca!- Começo envergonhada e termino com raiva.

-Ah, o Natsu é um bom menino, ou pelo menos era. Me lembro dele correndo pela enfermaria toda quando era criança. Aah, ele era um amor, sempre me trazia flores.- Ela diz docemente como se o Natsu fosse importante para ela- Ele era tão pequeno.

-Ele trazia flores? Hahaha! Sério?

-Sim, ele trazia, por que ele mudou tanto?

-Humm, sim.

-Ah, mas quando ele era pequeno eu o tratava como um filho. Ele era educado, tratava os outros super bem, ele amava cozinhar,- Ela da uma risada, mas não aquelas risadas chatas, aquela que era gostosa de se escutar- ele amava gatos e sempre gostou de conversar.

-Nossa!- Digo surpresa- Ele mudou muito, nunca pensaria em algo do tipo.

Cozinhar? Eu também gosto de cozinhar…Affe! Cala boca Lucy pervertida! Agora...Gatos? Hahahaha! Estranho!

-Ele se machucou muito por causa da Yuno. Ele também teve problemas familiares, sabe? Não tem sido fácil para ele, não me surpreenderia se ele tivesse mudado muito.

-Problemas familiares? Isso não é desculpa para tudo que ele fez!- Grito brava.

-Hahaha, eu sei que deve pensar isso. A criação dele não foi fácil.

-Desculpa ser indelicada mas como a senhora sabe?- Pergunto curiosa.

-Ah, o Sr.Zeref é dono da escola e é irmão mais velho do Natsu, ele herdou a escola do pai que agora esta aposentado. Os dois sempre brincavam aqui, com o tempo Sr.Zeref teve que cuidar do Natsu sozinho.

-Por que?

É Lucy! Por que esta tão curiosa sobre aquele baka? 

-Ah, senhorita, o pai de Natsu sempre o tratava mal e ainda trata.

-Grande coisa! Meu pai faz isso comigo! E nem por isso estou  fazendo mal pros outros também! Não sei porque meu pai de repente começou a me tratar mal de uma hora para outra mas… Ele começou a me odiar! Ele sempre desaprova tudo! Ele era meu herói mas agora! Ele só sabe apontar meu erros!- Começo a tremer e a lembrar de momentos horríveis.- Então… nem por isso… Nem por isso fiquei igual ele!

Lucy! Não chora! Não chora!

A enfermeira sorri torto e se aproxima de mim, sentando na ponta da cama.

-Você é diferente do Natsu, você lidam com a dor de formas diferentes. Ninguém é igual. O Natsu só precisa de alguém para conversar e dizer o que é certo e errado.

-Ele precisa é de uma mãe.

A enfermeira faz uma expressão triste ao escutar a palavra “mãe”.

-Ah! Falei algo de errado? Tudo bem?- De repente me vejo querendo retirar o que disse.

-A mãe de Natsu morreu quando ele tinha 6 anos na frente dele.- Ela diz com o rosto repleto de tristeza.

N-na frente dele? Isso deve ter sido difícil.

-Desculpe…

-Não se preocupe! Você não sabia! Agora já esta na hora de você dormir!- Ela se levanta e sai da enfermaria.

Antes de me fechar meu olhos eu penso “Por que ela contou tudo isso para mim?”

~

Acordo com o barulho da porta sendo aberta. Abro os olhos, com dificuldade, e vejo a diretora Mavis. Me sento na cama e sorrio.

-Diretora!- Digo surpresa.

-Olá Lucy, soube o que aconteceu na aula da Aquarius, se você quiser eu vou lá dar umas palmadas naquele pirralho!- Ela diz animada e brincalhona- Esta se sentindo melhor? A dor já passou?

-Ah, acho que sim. Eu tenho que voltar para a sala agora!

-Sala? A aula já acabou, você dorme bastante.

-Na verdade não durmo muito, mas… Pera! A aula já acabou?- Pergunto assustada 

-Sim.

-Meu Deus!- Jogo os braços pro ar- Só porque eu estava prestando atenção hoje! Arg! 

-Senhorita! Você não tem prestado atenção nas aulas?

-Que? Não! Quero dizer! Sim! - Chacoalho a cabeça desesperada.

-Huh!- Ela tenta fazer cara de brava mas… Sabe como é? Pessoas baixas não conseguem fazer cara brava sem ficar fofa.- Quero que a senhora Lucy estude mais! Não quero nenhuma nota vermelha! Agora saia daqui! Suas amigas estão te esperando lá fora!

-Que? Elas estão aqui?

-Sim!

Dou um sorriso enorme e me levanto as pressas, saio da enfermaria e dou de cara com Erza, Juvia, Levy e Mira sentadas no chão do lado da porta.

-Lucy!- As quatro gritam e se levantam correndo.

-Oi, meninas! O que estão fazendo aqui?

-Te esperando!-Juvia grita e me abraça- Ainda bem que está melhor!

-Calma! Hehehe, só foi um machucadinho!

Conversamos por um tempo antes delas irem embora. Me despedi delas e fui para sala buscar meu material, voltei para o corredor e encarei as escadas. Quando percebo estou na sala de musica. Dou um longo suspiro e começo a tocar a mesma musica que toquei pela primeira vez neste piano. Fecho os olhos e sinto a mesma alegria que sinto quando toco. Meu coração dispara a cada nota que sai. Minhas mão não paravam… Meu sorriso era visível em meu rosto. Quando termino a musica, abro os olhos. Sinto lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Que saudade de tocar. Me levanto e pego o violão que estava no canto da sala, pronta para tocar novamente. E assim toca novamente uma musica(1), esta eu tinha composto quando tinha 9 anos, muito nova, eu sei, mas eu realmente amava a musica naquela época.

-Você tem um talento lindo.

Me assusto e vejo Mavis na porta com um sorriso no rosto.

-Mavis!- Digo surpresa.- Desculpa entrar aqui sem permissão!

-Ah, não tem problema, só quero que não quebre nada aqui.- Ela diz com a voz tranquila e doce. Ela se aproxima de mim e se senta ao meu lado- Eu nunca entendi muito sobre musica mas eu tenho certeza que você tem talento e que você ama mesmo tocar.- Ela diz e limpa uma lágrima minha com seu polegar.- Bem, depois do que eu vi quero muito que você participe do programa de talentos do colégio! Ano passado quase ganhamos. Ah, e também temos o clube de musica!

-Ah, eu gostaria muito mas…

Não posso…Meu pai…

-Mas?- Ela pergunta com uma cara triste.

-Sinto muito.- Me levanto- Tenho que ir, desculpe de novo por vir aqui sem permissão.

Falo e corro para fora da sala. Não era nem para eu estar lá. 

Quando chego em casa, tento me acalmar antes de entrar. Abro a porta e vejo o rosto brava do meu pai.

-Lucy! Quantas vezes tenho que dizer? Uma dama não chega em casa tarde! Hoje você tinha aula de etiqueta! E que merda é essa no seu nariz!?- Ele berra.

Eu fecho os olhos fortemente e abro novamente.

-Sinto muito pai. Não ira se repetir.

-Eu te perguntei o que aconteceu com seu nariz! Amanhã vai ter o baile se esqueceu!? Eu tenho que lhe encontrar um marido!

-Pa…

-Lucy, só escute seu pai.-Minha mãe me interrompe.

-Quantas vezes eu tenho que te dizer? Você tem que ser perfeita! Perfeita!

-Sim, pai.

-Não é “Sim, pai”! Agora vá para seu quarto! Sua irresponsável!

Corro para meu quarto e tranco a porta. Caio no chão e começo a chorar. Abraço minhas pernas e escondo meu rosto entre meus joelhos.

-P-por que? P-papai!

 Depois de chorar por horas eu me levanto do chão e vou para o banheiro do meu quarto. Lavo o rosto e vejo que era quase sete horas. Será que fiquei muito tempo no colégio? Pego meu celular e, por alguma razão que eu não sei, ligo para Erza.

-Alô! Lucy! Oi!- Escuto a voz de Erza e solto um suspiro longo.

Devo admitir que foi ótimo escutar a voz dela.

-Erza…Hummm, bem…Você esta livre agora?

-Sim, porque?

-Você quer vir aqui? Hehehe, na minha casa?- Pergunto tímida.

-Claro!-  Ela grita de animação do outro lado da linha.

Passo o endereço para ela e desço para esperar ela.

-O que foi Lucy?- Minha mãe pergunta

-To esperando minha amiga.-Respondo  curta e grossa.

Não acredito que ela defendeu o papai de novo!

-Amiga?Ah, já sei! A Juvia?-Ela sorri de orelha a orelha.

-Não, a Erza.

-Erza? Quem é ?

-Saberia se você não fosse chata e não desse mais atenção a seu trabalho e ao papai.

-Lucy! Não é a…- Ela é interrompida pela a campainha.

-Sem ser estranha por favor.

Abro a porta e vejo Erza com um sorriso enorme. Pego no seu pulso e a puxo correndo para meu quarto antes da minha mãe vir atacar minha amiga com as suas esquisitices.

-Lucy! Porque correu? Ah e sua casa é uma mansão, você é rica hein.- Erza fala ofegante quando fecho a porta do meu quarto e a tranco.

-Minha mãe é chata. E não, minha casa não é uma mansão e eu não sou rica, meus pais que são.- Respondo fazendo bico.

-Onw! Você é fofa!- Ela aperta minhas bochechas- Alias seu pijama também. Ahahaha.

Olho para meu corpo e percebo que estava com meu pijama, super curto, de ursino. Dou gritinho e fico corada.

-Erza!

-Que foi? Você fica muito fofa com coisas ousadas.- Ela da uma risadinha.

-Para!- Inflo as bochechas.

-Para você de ser tão fofa!

-Não sou fofa!

-É sim, mas enfim tem algum motivo de especial para ter me chamado?

-Sim! Senta ai!- Empurro ela fazendo ela cair sentada na minha cama.- Seja minha psicóloga!

-Okay!- Ela sorri parecendo estar feliz por ter ouvido isso.

-Meus pai querem me arranjar um marido amanhã no baile! Sem dizer que eles querem que eu falte no colégio amanha só para eu descansar e ficar com o rostinho bonitinho-  Faço voz de criança birrenta e Erza apenas me escuta com um sorriso no rosto que já estava me dando medo.

-Marido? Caraca seus pais são ricos mesmo, ate tem aquele esquema de marido arranjado. Que sorte a sua, os ricos sempre são uns gatinhos!- Ela tenta transformar aquela conversa séria em uma brincadeira, admiro aquilo na Erza.- Não se preocupe, só vão escolher, você não vai ser obrigada a casar agora.

-Eu sei, mas se eu por acaso me casar um dia, quero que seja com alguém que eu goste.

-Olha, eu não entendo muito disso  mas você não tem muita escolha. Se eu pudesse faria de tudo para impedir isso mas… Sabe como é? Isso não é um filme, é a vida real.

- Arg, eu odeio ser dessa família!

-Não diga isso! Você tem que ver o lado bom! Olhe para este quarto, é enorme!- ela diz e se levanta- Tem um banheiro só para você!- Ela aponta para porta do banheiro- E tem… o que é aquilo?- ela aponta para as grandes portas de frente para minha cama.- Não me diga que é…

-Sim, é um closet.

-Uau! Que legal! Posso ver?- Ela diz com estrelas nos olhos.

-Pode.- Digo e abro as portas.

-Meu Deus!- Ela da pulinhos e entra no colset.- É do tamanho do meu quarto isso.

-Não exagere!

-Exagero sim! Olha essas roupas de grife, olha só aqueles sapatos altos! Meus Deus, tem um monte de perfume aqui! Ah não, são joias?

Não aguento e dou uma longa gargalhada.

-O que foi?- Erza começa a corar com vergonha.

-Você parece uma criança em um parque de diversões. Ah, eu não aguento! Tenho que te abraçar!- Abraço ela fortemente e dou gargalhadas.

-Lucy! Assim você me deixa envergonhada! Pare!

Erza é bem diferente de mim, ela vê as coisas pelo lado bom e adora essas coisas de grife e joias, mas deve ser por ela ser diferente que eu comecei a ama-la.

-Obrigada por ser minha amiga!

-Que isso, Lucy? Obrigada você! Tornou minha vida mais divertida!- Ela diz e me abraça com mais força.

-Ei, Erza! Amanha é o baile, com eu disse. E eu não sei que roupa usar. Que me ajudar?

-Opa! Só se for agora! - Ela começa a procurar algumas roupas. Ela pegava alguns vestidos e colocava no sofá que tinha no meio do closet.- Pronto! Vista todos eles! Eu vejo qual fica melhor.

E foi assim que começou a troca de vestidos. Na verdade, nunca toquei em nenhum daqueles vestidos, minha mãe que sempre comprava coisas para mim e colocava aqui, e devo admitir que era cada vestido apertado.

-Não!- Erza diz pela decima quarta vez.

-Quel é? Nenhum vestido fica bom em mim?- Pergunto com raiva.

-Não é isso, é que precisamos de um que seja delicado, mas que mostre a beleza e força. A roupa é a primeira coisa que os outros vão julgar.

-Affe! Eu não sirvo para isso! Não entendi o que você quer dizer com isso!

-Lucy! Presta atenção! Toda garota que herda um herança grande tem que se demonstrar pronta, mesmo quando não esta. Você precisa tomar decisões, ate mesmo com a roupa porque é com a roupa que começa o feitiço.

-Fetiço?

Tá, eu não to entendendo nada. A Erza que deveria estar no meu lugar, ela deveria ser uma Heartfilia. Ela se daria melhor que eu.

-Sim, você precisa encantar os outros usando seu charme e ate mesmo seu corpo.

-Que vulgar!

-Eu sei, mas é assim que se entra no jogo. Lucy, você é uma garoto completamente sexy e tem o rosto bonito, o problema é o cabelo.

-Cabelo?- Pego uma mecha do meu cabelo e começo a encarar.

-É loiro.

-Preconceituosa! Meu cabelo não determina minha inteligência!- Grito brava.

-Sim, por isso! Precisa mostrar sua inteligência! Mas como seu cabelo é loiro todos vão pensar que você é burra. Mostre que estão errados!

-Erza, era só para me ajudar a escolher uma roupa não era para isso tudo.

-Já era! Agora eu vou te transformar em uma dama!- Ela se aproxima de mim e me empurra para sentar no sofá.- Você vai usar um vestido vermelho!

-Por que vermelho?

-O vermelho é a cor do fogo e do sangue, por isso está associado à energia, guerra, perigo, força, poder, determinação, assim como a paixão, ação, desejo e amor. O vermelho é uma cor muito emocionalmente intensa.

-Uau, você me assusta as vezes Erza.

-Hehehehe, eu sei!

Ela puxa um vestido vermelho.

-Vai ser este!- Ela diz determinada.

-Não! Parece muito…puta.

-Não! É perfeito, vai atrair a atenção dos jovens, assim vai conseguir escolher o mais bonitinho para dançar.

-O que é significa essa bagunça toda?-Escuto a voz de minha mãe e levo um susto.

-A porta estava trancada!- Grito brava.

Erza me encara sem dizer uma palavra.

-Eu tenho uma chave reserva! Mas deixa disso! Posso saber por que o closet esta bagunçado!?- Ela cruza os braços e me encara irritada.

-Pode! Eu estava procurando a porcaria de um vestido para eu usar amanha. Erza apenas me ajudou a escolher o melhor!

-Não precisa de uma amiga para isso, você tem empregadas profissionais!

-Não me importo se é profissional ou não. Erza é melhor que todas elas juntas! Ela escolheu o melhor vestido! Um vestido que vai chamar atenção dos putos daqueles pretendentes e que vai fazer todos me respeitarem! Ela vai me ajudar a escolher o melhor sapato! A escolher o melhor penteado! E a melhor maquiagem! Sabe por que? Ela é minha amiga! Eu confio nela!

-Ha! Duvido que ela seja tão boa assim! Quero uma prova!- Minha mãe se senta no sofá e cruza as pernas.- Vamos, senhorita Erza, que roupa você escolheria para mim.

Erza se encolhe e me encara.

-Calma, eu confio em você, sei que você consegue!- Sorrio para ela e ela se sente um pouco melhor.

-Bem, como você é a esposa deve usar algo mais respeitável, acho, O azul combinaria.-Erza diz confiante procurando um vestido azul.

-Por que azul?- Minha mãe pergunta sem mexer na sua pose de durona.

-O azul é a cor do céu e do mar. Ela é frequentemente associada com a profundidade e estabilidade. Ele simboliza a confiança, lealdade, sabedoria, confiança, inteligência, fé, verdade, e do céu. Azul é considerado benéfico para o corpo e a mente.

-Hum, bom, mas e se eu quisesse que eles me olhassem como uma pessoa delicada.

-Rosa!

-Por que rosa?

- Cor-de-rosa significa romantismo, ternura, ingenuidade e está culturalmente associada ao universo feminino. Aliás, outras características como beleza, suavidade, pureza, fragilidade e delicadeza manifestadas pela cor rosa.

-Admito, você é boa em escolher a cor. Mas por que o vestido vermelho?

-Se você estiver usando um vestido vermelho, significa que ganhará prestígio social e que alcançará sucesso financeiro. 

-Muito bom.- Minha mãe se levanta.- Sua amiga tem talento, devo admitir. Você deve ter memória fotográfica.

-Haaam, como sabe?-Erza se assusta.

-Ninguém decora todo significado das cores, você deveria fazer uma faculdade de moda.

-Eu já pensei em fazer, mas… Prefiro outra coisa.- Ela sorri corada.

Minha mãe da um pequeno sorriso e vai embora. Encaro a Erza sem entender por que ela tava sorrindo igual uma boba.

-Que foi?-Pergunto indiferente.

-Sua mãe me elogiou! Isso quer dizer que ela ate pode gostar de mim!

-Idai? Ela não tem que gostar de você.

-Lucy, pensa, se você fosse na minha casa e conhecesse minha mãe você ia querer isso também.

-É?

-Sim, mas deixe! Vamos para o sapato!

E assim foi passando o tempo, Erza acabou jantando aqui, pedi para Virgo trazer a comida aqui, não quero que Erza conheça meu pai. E quando finalmente terminamos de escolher as coisas percebemos que já era meia noite. Pedi para Erza dormir aqui e ela aceitou logo de primeira. E foi a primeira vez que dividi a cama com uma amiga, foi estranho ><. 

Quando acordo vejo que Erza ainda dormia igual um anjinho. Vejo a hora e levo um susto.

-Erza!-Chacoalho ela.-Erza!

-Humm, que foi?- Ela sussurra com uma voz de sono.

-Você vai se atrasar!- Grito e ela pula da cama.

-Sério?- Ela pega o celular que estava no criado mudo e da um grito.- Meu Deus!

Ela se levanta e corre atras da roupa dela.

-Cade? Cade?- Ela diz desesperada.

-Erza, aqui!- Pego a roupa dela que estava dobrada na escrivaninha.

-Ah, ainda bem! Posso usar o banheiro?- Ela pergunta e eu balanço a cabeça positivamente.

Ela entra no banheiro, não demora nem dois minutos e ela sai. Por incrível que pareça ela estava maravilhosa, com a cara de sono passou para aquilo. Ela é anormal! Deus!

-Quer tomar café?-Pergunto.

-Ah, não precisa!

-Tem certeza?

-Huhu, eu nunca tomo café da manhã.

-Ah.Então, eu vou te acompanhar!

Me levanto e pego uma muda de roupa qualquer, Entro no banheiro e me troco rápido. Saio e vejo Erza mexendo no celular.

-Vamos?- Ela se levanta.

Vamos ate o colégio. Quando chego lá vejo uma pessoa indesejada.

-Ora, ora. Se não é a Luce e a Erza.- Natsu diz e da uma risada sarcástica- Vejo que veio toda desarrumada.- Ele diz me encarando de cima a baixo.

-Eu só vim acompanhar a Erza, não vou para aula.

-Que errado, Luce.

-Não é Luce, é Lucyyy.- Falo como se estivesse ensinado um criança.

-Tanto faz.

-Aff, deixa ela!-Erza rosna.

-Ah, você ainda esta aqui?

Okay, esse cara esta começando a me deixar mais do que irritada.

-Erza, acho que já vou, da um oi para as menina por mim.- Falo ignorando completamente o rosado.

-Ah, okay. Tchau, e boa sorte! Vê se escolhe o mais gatinho para dançar.- Ela pisca e eu dou uma risada.

-Tchau!

Olho para Natsu e mostro a lingua, eu sei infantil, mas… Ele merece! Idiotaaaa! 

Quando chego em casa vou direto pro meu quarto, me deito e olho para o meu criado mudo. Abro a gaveta dele e vejo meu caderninho antigo, lá eu escrevia, ou pelo menos tentava, escrever uma boa letra de musica. Encaro ele por um tempo. Pego uma caneta e escrevo um titulo. “Perfect”. 

-Senhorita Heartfilia! Sua mãe me pediu para começar a sua massagem.- Uma moça diz ao entrar no meu quarto.

-Não sabe bater na porta?- Pergunto baixinho de um jeito que ela não escute.- Não precisa de massagem!- Falo diretamente para ela.

-Sua mãe me pediu então!

Reviro os olhos e deixo ela fazer a massagem. Depois de algumas horas, outra moça entra no meu quarto dizendo que iria me dar banho. 

-Não! Banho não!- Grito.

-Senhorita Heartfilia, a sr.Heartfilia me pediu pessoalmente então, você não tem direito de escolher!- Ela diz brava.

Depois de um tempo rejeitando ela me obriga. Tomo banho na banheira e a moça fica passando shampoo no meu cabelo, depois o condicionador, e por fim ela pega o sabão.

-Não! Você não vai fazer isso! Sei me lavar sozinha!- Grito.

-Senhorita, cale a boca! Estou fazendo apenas meu trabalho!- Ela diz brava novamente.

Depois disso, ela pediu para me ajudar a por o vestido.

-MAs é só a noite! Ainda é de manhã, nem é tarde!- Choramingo e ela apenas me encara brava.

Visto a roupa. E ela começa a fazer uma limpeza de pele, a me depilar, e a fazer progressiva no meu cabelo sendo que ele já é liso! Ela me manda colocar o salto alto e a descer para uma aula rápida de etiqueta. 

Quando estava aprendendo sobre a coisa lá de postura minha mãe aparece na sala com um sorriso.

-Ah, filha, você esta linda com este vestido! Sua pele esta adequada, melhor do que pensei!

-Valeu, mãe- Falo ironica.

-Sr. Heartfilia, sua filha aprende rápido, ela não deu dificuldade nenhuma na limpeza geral.- A moça diz e eu a encaro brava.

Ela me paga! Ela quase arrancou minha pele fora!

-Que bom! Acho que eu já vou me trocar também. Lucy, meu amor, seu pai disse que vai chegar tarde, vamos ter que receber os convidados sozinhas, esteja preparada.

-Affe, ta bom!

-Senhorita! -A moça chama minha atenção

-Aaaaah! Não começa!

-Repita comigo: Tudo bem, mãe, eu irei ajuda-la.

-Não! Nem vem! Vou ser educada quando eles chegarem, na verdade eu vou ser falsa!

-Desculpe, ela é assim mesmo, precisa é de umas palmadas!- Minha mãe diz brava.

-Ela esta numa fase rebelde, normal.-A moça responde com um sorriso, nitidamente, falso.

-Fase? Rebelde? Ah, quer saber? Vai tomar no cú! Sei muito bem como me comportar! Agora se me da licença vou para meu quarto! Me arrumar sozinha!- Berro e subo as escadas correndo com passos brutos.

O tempo passa e já estava na hora do baile. E, sem querer, acabei me atrasando. Minha mãe teve que recebe-los sozinha. Quando termino de me arrumar, deco as escadas. A casa estava cheia, mas ainda existia espaço, minha casa é enorme. Desço as escadas tranquilamente para não demonstra pressa. Quando chego no pé da escada vejo uma pessoa inesperada.

Continua...


Notas Finais


(1) More Than Words: https://www.youtube.com/watch?v=HfjGf5nn5ag
Quem será???
Heheheh! Só saberão no próximo capitulo!
Desculpe se foi muito cansativo de ler, por que hoje eu resolvi escrever bastante!!
Comentem se preferem caps longos ou curtos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...