História Welcome To Your Tape - Imagine BTS - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Drama, Imagine Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Visualizações 34
Palavras 3.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá gente! Segundo Capítulo... Espero que gostem...
Boa Leitura!!!

~Gabii

Capítulo 2 - Fita 2 - Lie


Fanfic / Fanfiction Welcome To Your Tape - Imagine BTS - Capítulo 2 - Fita 2 - Lie

Acordamos cedo aquele dia. Com certeza todos nós estávamos mais que ansiosos para saber de quem seria a próxima fita e do que se tratava. Todos nós ainda estávamos assustados com o que acontecera ontem à noite, mas com certeza estávamos ainda mais curiosos.

- Bom dia... – Disse a todos, que já se encontravam à mesa.

- Bom dia. – disseram todos juntos.

- Está tudo bem? – Perguntou Jungkook. – Parece cansado.

- Estou bem. – Respondi. – Só não dormi direito.

Me sentei a mesa e logo Jungkook me serviu. Estamos juntos a dois anos e ainda assim ele me trata da mesma forma de quando tínhamos um mês de namoro. Sempre carinhoso e prestativo, Jungkook me conquista a cada dia mais.

Todos terminamos o café e fomos em direção à sala, enquanto Jungkook subiu as escadas e foi em direção ao seu quarto buscar a caixa com as fitas.

Logo o toca-fitas já estava na mesa de centro. Jungkook o ligou, colocou a fita e apertou o play.

“ Wow, Bem-vindos à segunda fita! Estão animados? Bem, eu estou... Okay, então vamos lá.

Já ouviram falar que todos nós, já mentimos pelo menos uma vez na vida? Que todos nós, por algum motivo, já tivemos que esconder algo?”

Neste momento tudo parou ao meu redor. Será que ela está falando de mim? Será que eu sou o porquê desta fita? Oh não, não é possível que seja outra pessoa.

“ Oh droga, estou sendo óbvia demais. – Riu seguido de um suspiro. – Okay, acho que vocês já sabem de quem estou falando, certo? Chega de enrolações...

Park Jimin, Bem-vindo a sua fita.

Bem, agora que já fiz as devidas apresentações, vamos ao que interessa, não é mesmo? “

Todos na sala voltaram suas atenções a mim e em seguida, voltaram a olhar o aparelho que tocava a fita.

“Depois daquela noite – a qual Jungkook me salvou – eu e ele, nos tornamos bons amigos. Nós conversávamos todos os dias, sendo pessoalmente ou por mensagens, e Jungkook sempre tentava o máximo para me animar.

Eu já não estava tão triste, mas ainda sentia um grande vazio dentro de mim. Claro que eu havia desistido daquela ideia louca de me suicidar, mas tanto eu, quanto Jungkook sabíamos que para aquela ideia voltar a rondar meus pensamentos bastava um piscar de olhos.

E então foi assim que o príncipe encantado entrou na minha vida. Sim, o príncipe encantado. Não o MEU príncipe encantado, mas sim o de Jungkook. Aliás, não é só você o príncipe encantado, Jimin. Todos vocês que estão me escutando são como príncipes encantados, vocês vão entender o porquê.

Em uma quarta-feira de outono, Jungkook chegou em minha casa bastante eufórico. Lembro da alegria dele quando me viu abrindo a porta e confesso que meu coração se alegrou ao ver o meu único amigo assim.

Eu já sabia o motivo de tanta alegria. Jungkook me contara de sua orientação sexual e de seu namoro com Jimin na mesma semana em que nos conhecemos e no mesmo momento, já estava marcando o dia em que eu conheceria seu amado.

E era exatamente naquela quarta-feira de outono que Jungkook me apresentaria à Jimin.

- _____, já está pronta? – Perguntou-me com certa pressa.

- Sim, Kookie. Só deixa eu pegar minha bolsa. Entra. – Dei espaço para ele passar e fui em direção ao meu quarto – Nem preciso dizer pra ficar à vontade né? – Kookie riu e concordou.

Já estávamos no restaurante, e eu e Jungkook conversávamos enquanto esperávamos Jimin, que não demorou a chegar. De fato, Jimin parecia um príncipe. Com aqueles cabelos tingidos de cinza e aquele sorriso que ele deu ao ver Kookie, eu tive certeza. Jimin era perfeito para Jungkook.

- Kookie! – Jimin disse o abraçando e selando seus lábios em seguida. – Então você é a famosa _____? – Disse sorrindo.

- Sim... Sorri envergonhada.

- Jungkook me fala bastante de você. – Ele diz enquanto me cumprimenta. – Ele diz que você é a melhor amiga que ele já teve, que é como uma irmã pra ele.

- Fico feliz por saber disso. – Jungkook nos fitava – Você também é como um irmão pra mim Kookie.

Nos sentamos e iniciamos uma conversa. E a noite se seguiu assim, cheia de risadas e de conversas agradáveis.

Passou-se um tempo e nossa amizade só cresceu, tanto com Jungkook quanto com Jimin e isso me fazia muito bem. Porém, nem sempre a vida é fácil e às vezes parece que ela quer saber até aonde você é capaz de suportar.

Meus pais sempre me trataram com tamanha indiferença. Eu não sentia que eles me amavam, e talvez eu estava certa. Por esse motivo, assim que fiz dezoito anos, decidi morar sozinha. Eu sempre visitava meus pais e tentava ser a filha mais perfeita para eles. Mesmo depois de dois anos morando sozinha, meus pais nunca foram à minha casa. Isso me frustrava muito porque eu nunca entendi o motivo deles para isso, mas mesmo assim, eu tentava me aproximar deles. Porém, como eu disse antes: nem sempre a vida é fácil e às vezes parece que ela quer saber até aonde você é capaz de suportar.

Chegou o tão esperado final de semana, e como tudo estava bem, eu decidi ir visitar meus pais.

 

E eu não podia ter feito pior escolha...

 

Me arrumei e fui em direção à casa de meus pais. Abri o meu melhor sorriso e bati na porta, que logo foi aberta dando a visão de minha mãe sorridente. Porém seu sorriso logo desapareceu.

- Ahh... é você. – Disse sem ânimo.

- Oi mamãe, como está? – Pergunto enquanto entro na casa.

- Estou como sempre. – diz forçando um sorriso.

- Ahh sim... Oi Papai! – Digo para meu pai que estava sentado no sofá, lendo um jornal.

- Olá... – diz ele, ainda olhando para o jornal.

Passam-se alguns minutos e a campainha toca. Minha mãe corre até a porta e a abre, dando-me a visão de meu irmão mais velho.

- Filho! Que saudade! – Diz minha mãe enquanto abraçava meu Oppa.

- Oi mãe... – diz o garoto, enquanto entrava.

- Meu filho! – Diz meu pai se levantando do sofá e indo de encontro ao meu irmão. – Há quanto tempo!

- Ah pai, nem faz tanto tempo assim... – ele diz sorrindo. - ____! Que bom te ver!

Ele veio em minha direção e me abraçou. Nos separamos e sorrimos um para outro.

- Como você está Oppa? – Pergunto.

- Ahh estou muito bem... comecei meu estágio no Hospital Geral, estou aprendendo tanto com os neurocirurgiões de lá... – diz sorrindo. – E você, como está indo na Universidade?

- Estou indo bem... – digo dando um sorriso fraco.

- Me conta... como é cursar Direito?

- Ahh, é extraordinário... As leis me fascinam... respondo à ele.

Mentira...

Eu nunca gostei de tal profissão, e o único motivo para eu estar cursando tal curso eram meus pais. Eles sempre diziam o quanto achavam lindas as profissões de Medicina e Direito. Para sorte de meu irmão, ele tinha amor à Medicina e logo começou o curso, mas para o meu azar, nenhuma das profissões me agradava. Meu sonho sempre foi estudar Moda, eu sempre quis desenhar modelos de roupas diferentes, criar novas tendências... mas a vontade de agradar meus pais era maior. Eu queria que eles se orgulhassem de mim, queria que toda aquela indiferença acabasse. Então eu decidi tentar cursar Direito.

A tarde já havia chegado e estávamos todos reunidos na sala. Meus pais conversavam com meu irmão sobre o desempenho dele na faculdade e eu apenas escutava. A verdade é que desde que eu anunciei à minha família sobre minha entrada no curso de Direito, a única pessoa que me perguntava sobre meu desempenho, era meu irmão. Ele sempre se preocupava comigo enquanto meus pais só se preocupavam com ele.

- Então ____, já decidiu em qual área irá se especializar? – Perguntou meu irmão.

Olhei para meu pai, e respondi.

- Ainda não sei. Papai, qual área o senhor acha que eu me sairia melhor?

E foi aí que eu percebi que eu devia ter ficado em casa...

- Bem, acho difícil você se sair bem em alguma coisa... nunca foi boa em nada. Não sei como conseguiu entrar nessa faculdade...

- Porque está me dizendo isso? – Perguntei em um fio de voz.

- Estou dizendo a verdade, oras... você sempre foi fraca, nunca fez nada direito. Não é agora que isso vai mudar. Ainda bem que temos seu irmão para nos dar orgulho, porque se formos esperar de você... – Riu de escárnio.

Senti um nó se formar em minha garganta. Por que? Por que eles são assim? Minhas mãos começaram a suar e senti uma pontada no peito. Por favor, agora não. Fechei os olhos e contei até dez. ____ fica calma.

- Eu acho melhor eu ir para casa... – digo me levantando e indo em direção a porta.

- ____... – meu irmão me chama. Abro a porta e saio dali.

Ando pelas ruas até chegar em casa. Abro a porta e entro. Sinto as lágrimas rolarem pelo meu rosto, eu não conseguiria segurar por mais nenhum segundo. Por que eles não gostam de mim?

Vou para meu quarto e ligo a torneira da banheira. Espero encher e entro ainda vestida. Fecho os olhos tentando conter as lágrimas. Tudo que rondava minha cabeça era uma simples pergunta:

Por que eles me tratam dessa forma?

Encostei minha cabeça na borda da banheira e suspirei. Abri os olhos e deixei as lagrimas saírem. Fechei os olhos novamente e deslizei para o fundo da banheira. Quando estou perto de cobrir meu rosto, ouço um barulho. Abro os olhos rapidamente e logo identifico o som. Era meu celular. Voltei a fechar os olhos e já estava prestes a continuar o que estava fazendo, quando o som se faz presente novamente. Ignorei e continuei a ir para o fundo da banheira. Nada me importava mais. Se eu não tenho o amor dos meus próprios pais, talvez eu não mereça o amor de mais ninguém...

Senti o ar começar a faltar e aos poucos fui perdendo os sentidos. Esse seria o meu fim...

 

 

 

 

 

 

 

Escuto alguém me chamar e abro os olhos lentamente. Vejo um rosto em minha frente e aos poucos o identifico. Era Jimin.

-  ____, o que pensa que estava fazendo?! – Pergunta Jimin, seu olhar era de reprovação.

- Como entrou? – Perguntei de cabeça baixa.

- Eu te liguei diversas vezes, mas você não atendeu, então eu decidi vir até aqui. O síndico disse que viu você subindo, eu achei estranho você não me atender, então eu peguei a chave reserva que você deixa atrás do vaso de plantas. – Ele diz. – Por que tentou aquilo de novo? – ele me perguntou preocupado.

- Eu não tentei nada... – menti – eu estava tomando banho, devo ter dormido sem querer...

- Você acha mesmo que eu vou acreditar nessa desculpa esfarrapada?! ____ fala logo a verdade.

- Mas essa é a verdade Jimin. – Disse tentando transparecer calma. – Eu tava muito cansada e... – Jimin me interrompe.

- Cansada ao ponto de não tirar as próprias para tomar banho?! ____ se você não me contar o que aconteceu, eu vou ligar pro Jungkook e... – Eu o interrompo.

- Não! Se o Kookie souber, ele vai ficar triste comigo... – Digo sem graça. Jimin suspirou e levantou.

- Eu não vou ligar pro Kookie, mas você tem que me prometer que vai me contar o que aconteceu e que não vai mais tentar fazer isso. Promete? – Perguntou, levantando seu dedo mindinho.

- Prometo... – digo entrelaçando meu mindinho no dele.

- Ótimo. Agora vai se trocar, essas roupas estão molhadas e não quero você doente. Vou preparar algo para a gente comer. Quando você terminar vá até a cozinha, tá bom?

- Sim... – respondi e Jimin saiu. Fui até o espelho e vi meu reflexo. Eu estava pálida, com os olhos e o nariz vermelhos e a boca roxa. Caminhei até o guarda-roupas e peguei meu pijama mais quente e me troquei. Fui até a cozinha e Jimin estava servindo dois pratos. Me sentei à mesa e Jimin pôs um prato na minha frente.

- Coma. – Acenei com a cabeça e Jimin se sentou à minha frente. Nós comemos em silencio e assim que terminamos pedi ao Jimin que voltássemos ao quarto para conversarmos melhor. Fomos até a cama e nos sentamos na mesma. Jimin me olhou e deu dois tapinhas em seu colo, indicando que eu deitasse minha cabeça ali. Fiz o que ele pediu e quando senti suas mãos acariciando meus cabelos, não me segurei mais. Comecei a chorar e Jimin suspirou pesado.

- O que houve minha pequena? – Jimin perguntou assim que meu choro cessou.

- Meus pais... eles não me amam...

- Como isso é possível? – Jimin perguntou. – Eles são seus pais, claro que te amam...

- Não, eles não me amam... Toda a minha vida eles me trataram com insignificância e hoje meu pai disse que eu nunca vou dar orgulho pra eles... eles me odeiam. – Disse, sentindo as lagrimas saírem novamente. – Eu só queria ser uma boa filha pra eles, eu até comecei a faculdade de Direito por isso...

- Então quer dizer que você só está cursando Direito por causa dos seus pais?! – Jimin perguntou surpreso. Me sentei novamente na cama e assenti.

- Eu queria que eles se orgulhassem de mim, então eu comecei o curso já que eles sempre gostaram dessa profissão... – Digo.

- Mas e você, ____? É o que você gosta? – Jimin perguntou e eu automaticamente abaixei a cabeça por vergonha. – Pela sua reação, já vi que não...

Ficamos em silêncio por um curto tempo. Nunca disse à ninguém sobre o meu sonho e acho que já estava mais do que na hora de compartilhar isso com alguém...

- Meu sonho sempre foi ser estilista. – Disse. Jimin se virou para mim e me olhou, segurou em minhas mãos em demonstração de apoio. – Mas meus pais com certeza não me apoiariam... decidi fazer Direito por isso também...

-  ____... – suspirou fundo, fechando os olhos e os abrindo lentamente.

- Eu achei que tudo daria certo, que eu iria aprender a gostar da profissão, que meus pais se orgulhariam de mim e me dariam mais carinho. – Fechei os olhos. – Mas foi tudo ao contrário... eu não aguento mais estudar sobre leis, meus pais continuam me ignorando, eu não sei mais o que fazer...

-  ____... – Jimin me chamou. – Não adianta você querer fazer as coisas para agradar os outros. Seja você mesma e faça o que você ama. Tenho certeza que seus pais te amam e vão continuar te amando mesmo sabendo como você é de verdade...

- Mas Jimin, eu não posso decepcionar meus pais...

- O que você não pode é continuar mentindo pra si mesma, continuar mentindo para todos à sua volta, fingindo estar feliz quando na verdade não está.

- Por que tem tanta certeza de que é assim que eu me sinto? – Pergunto a ele.

- Por que eu já menti assim como você... – Disse Jimin. – Antes de eu conhecer Jungkook, eu não conseguia me assumir, tanto para minha família, quanto para mim mesmo... eu não me aceitava, até o dia em que eu o conheci e senti tudo mudar ao meu redor. Ele me fez entender que eu não podia mudar quem eu sou e aos poucos eu fui me aceitando. Meus pais ainda não sabiam sobre minha orientação sexual e eu tinha muito medo da reação deles, já que eles são muito conservadores. E foi aí que eu me vi dentro de uma mentira. Por mais que eu quisesse, eu não conseguia escapar daquela mentira, foi se tornando impossível, era um inferno. Até que um dia, eu não aguentei mais e contei. Contei sobre Kookie e o nosso relacionamento.

- E como seus pais reagiram? – Perguntei curiosa.

- No começo eles não aceitaram, mas com o passar do tempo eles entenderam que eu não escolhi ser como eu sou e hoje em dia ele apoia meu relacionamento com Jungkook.

- Jimin, você acha que meus pais vão me entender, assim como os seus te entenderam?

- Você só vai descobrir se tentar...

Depois de minha conversa com Jimin, pude perceber que como Jimin disse, não adianta eu tentar ser uma pessoa que eu não sou. Já estava mais que na hora de eu fazer o que eu gosto. Foi exatamente naquele momento que eu decidi deixar a faculdade de Direito e seguir o meu verdadeiro sonho...

E foi assim, que eu consegui me libertar da minha mentira. Foi graças a você, Jimin, que eu pude ter coragem para ser eu mesma. Você me tirou daquele inferno que eu vivia por não ser verdadeira comigo mesma e me ensinou que não devemos esconder quem somos, por mais que isso não seja o que os outros esperavam de você. A vida é muito curta para não ser você mesmo. Tenham isso em mente.

Bem... acho que encerramos por hoje. Fiquem atentos à próxima fita, pode ser a sua...”

E chegou ao fim a segunda fita... A minha fita.

Todos me olharam surpresos com tudo que fora ouvido. Ninguém, além de mim, sabia da segunda tentativa de suicídio de ____. Jungkook e Taehyung estavam mais surpresos que os outros e não paravam por nenhum segundo de me fitar.

- Por que não me contou? – Jungkook me perguntou.

- Ela achou que você iria ficar decepcionado... ela não queria que você se afastasse dela. – Respondi.

- Você sabe que eu nunca faria isso. – Disse Jungkook.

- Eu sei Kookie, mas naquele momento, ela estava apavorada e ela tinha medo de perder sua amizade...

- Me sinto culpado por tudo isso. – Taehyung disse. – Eu devia ter cuidado melhor dela...

- Você não tem culpa Tae... e você sabe disso. – Respondi.

Ficamos um tempo absorvendo tudo o que acabamos de ouvir, e logo decidimos deixar a próxima fita para amanhã. Queremos muito saber onde ____ está, mas ela mesma pediu que as ouvíssemos com calma. Voltei para o quarto onde dormi e me deitei tentando descansar pelo menos um pouco. Amanhã será segunda e todos teremos que voltar aos nossos empregos, será um dia muito cansativo... Estou ansioso para a próxima fita...


Notas Finais


Bem gente, foi isso... espero que tenham gostado. Até o próximo capítulo!

Vejam também as nossas outras fics:

- Minha Oneshot do Yoongi:

https://spiritfanfics.com/historia/uma-nota-para-cada-coracao--imagine-min-yoongi-9005527

- Oneshot do Jungkook (By: Mel)

https://spiritfanfics.com/historia/the-stronger--imagine-oneshot-jeon-jungkook-9916305

- Short-Fic do Yoongi (By: Mel)

https://spiritfanfics.com/historia/the-wolf-and-the-rose--imagine-min-yoongi-9741111

Beijin meus Pujins 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...