História Wensday Monster [Namjin, Vhope, Jikook] - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Fantasia, Jikook, Mistério, Namjin, Namjoon, Seokjin, Sobrenatural, Terror, Vhope, Yoonseok
Exibições 96
Palavras 3.942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Capítulo XXII: Nada como nós.


Fanfic / Fanfiction Wensday Monster [Namjin, Vhope, Jikook] - Capítulo 22 - Capítulo XXII: Nada como nós.

"Mais profunda, mais profunda, a ferida só fica mais profunda.
Como pedaços de um vidro quebrado que eu não posso reverter.
Mais profundo, é apenas o coração que se machuca todos os dias."

O céu já estava a ficar nublado, e logo a tarde acabaria. Yoongi olhou em seu relógio de pulso, e constatou que já estava na hora de ir embora. Pegou seus pertences e prestou-se a caminhar, sua casa não era longe dali, se apertasse bem seus passos não tardaria a chegar. Mas é claro que alguém teria que interferir.

- Yoongi!— ouviu a voz de Hoseok o chamar, revirando os olhos no mesmo momento.

- Hoseok, o que você quer?— Questionou áspero.

- Eu quero apenas conversar— Falou encarando profundamente as orbes do Min.

- Não tenho tempo, com licença!— Yoongi falou antes de voltar a caminhar, deixando Hoseok para trás.

- Eu, Eu sei o que você fez Min!— Hoseok gritou, e Yoongi pausou os passos para encará-lo.

- O que eu fiz Hoseok?— perguntou grosseiro— o que está se passando? Estás a ficar louco?

- Eu não, mas você parece que enlouqueceu de vez!— disse aproximando-se.

- Hoseok, eu não tenho tempo para gracinhas. Explique o que está a se passar, deixe de enrolação!

- Eu sei Yoongi, que foi você o feiticeiro quem quebrou a ligação de Namjoon com Seung-Hee— Confessou no mesmo tom de voz que Min estava usando para consigo.

- Certo, fui eu quem o fez— sorriu nasalmente— E agora? Vais correndo contar a ele o que fiz? Para ele me odiar, e você tornar-se seu novo melhor amigo?

- Não Yoongi, eu não vou antes de saber seus reais motivos para isso. E não me trate desse modo, estou a fim de conversar pacificamente!

- Que modo? O modo que um capacho deve ser tratado?— falou ironicamente— Ah Hoseok, não me faça rir!

Ao ouvir aquelas palavras o sangue de Hoseok ferveu, tudo bem que ele era induzido a seguir as ordens de Namjoon, mas capacho ele não era.

Aproximou-se do Min, agarrando a gola de sua camiseta e imprenssando o mais velho contra parede. Yoongi podia ser feiticeiro porém, mesmo com sua mágica, não poderia ele adquirir a força de um metamorfo. Eles foram criados para serem bons em tudo, força, rapidez, poderes, superando até mesmo algumas espécies de demônios que por anos foram considerados os mais poderosos.

Hoseok ia usar isso a seu favor, mas naquele momento Yoongi não parecia se intimidar. O sorriso estampado em seu rosto fazia com que Hoseok se sentisse ainda mais fraco e inútil, e sua raiva aumentava ainda mais.

- Eu não sou capacho— Hoseok falou pausadamente— ou nós vamos conversar de uma forma amigável, ou você voltará com hematomas para casa.

- É mesmo?— Yoongi questionou irônico— Bate aqui, Bate!— falou batendo sua mão contra o próprio rosto—... Vejo que ap tua coragem não é o suficiente para deixar-me com hematomas.

- Yoongi não brinque comigo, por que para você é tão difícil conversar pacificamente?— questionou soltando o mesmo de sua pressão.

- Não gosto de você se é isso que quer saber, na verdade, eu sinto nojo por saber que dentro de si, há um demônio e não uma pessoa!

Após a frase de Yoongi, Hoseok não mediu esforços para que desferisse um soco na face do Min. Fazendo-o cambalear e cair no chão.

- Então você sente nojo do Namjoon?— questionou furioso— Sente nojo do Jimin também?

- Não, deles não. Apenas você, ainda não entendeu?— riu nasalmente— o meu problema é você Hoseok!

- Eu sou um demônio, mas eu não sou de ferro. Enquanto eu estiver nesse corpo eu sentirei as mesmas coisas que um ser humano, terá um coração batendo em meu peito, e eu vou pensar como tal. Acha mesmo que isso me agrada? Você não faz idéia das inúmeras vezes em que eu me obriguei a assumir minha forma real apenas para não sentir. Enquanto que em minha forma real, eu não me importo com as crueldades que faço. Tudo isso é resultado da ligação que o Namjoon tem com o Seung-hee, o amor entre eles faz com que nós sejamos melhores, induz todos os demônios a tornarem-se bons. Mesmo contra nossa vontade, não há espaço para maldade quando eu sou apenas Jung Hoseok!

-Esplêndido! — Yoongi falou batendo palmas— com esse discurso, podes convencer qualquer um.

- Estúpido!— indagou prestando-se a caminhar.

- Espere!— Yoongi o chamou fazendo o Jung pausar os passos— Há um lugar em que podemos conversar sobre isso, sugiro que me acompanhe se quiser saber a verdade.

Os dois seguiram para o local que Yoongi mencionara, era um bar, e pelo horário, haviam poucas pessoas ali. Procuraram uma mesa afastada e sentaram-se, pediram uma bebida e passaram a se encarar em silêncio.

- pois bem!— Yoongi pronunciou-se— Após a ligação ter se restaurado, Namjoon ficou como um louco a procurar Seung-hee, mandou centenas de demônios e rastreadores, mas nunca sabiam do paradeiro. Woozi estava por desistir quando um de seus homens apareceram com notícias do tal, ele não revelou a Namjoon pois seria perigoso. Woozi resolveu me procurar depois que-

- Perigoso como?— questionou curioso.

- Não me interrompa!— Yoongi exclamou— Seung-Hee encarnou no corpo de uma criança, Woozi não revelou para Namjoon por conta disso, ele queria protegê-lo. Mas através da ligação Zhafira o achou, causou um acidente onde era para o garoto ter morrido mas ele sobreviveu, apenas seus pais foram mortos. Por meses ela pensou que Seung-Hee havia morrido, mas então ela descobriu por alguém que na verdade ele estava vivo¹. E foi aí que Woozi me procurou, ele sabia que o garoto não ia ter chances se caso Zhafira o achasse novamente, ele iria morrer pior do que a última vez. Então foi a minha vez de intervir, eu achei Seung-Hee e quebrei a ligação, descartando qualquer possibilidade de Zhafira o achar por meio disso. Eu ainda não consegui camuflá-lo, mas isso logo será executado...

- Zhafira é uma peste, ela irá acabar com tudo que causa felicidade ao Namjoon. Ela quer ver o sofrimento dele, me espanta ela ainda não ter tentado nada contra Jimin— Hoseok comentou boquiaberto.

- Ela nunca irá tentar algo diretamente com Namjoon e Jimin, por que sabe que há uma legião de demônios dispostos a protegê-los. Zhafira gosta de atacar as fraquezas de Namjoon, e quando ele ceder, vai ser a vez do Jimin. E ela fará da mesma forma que fez com Namjoon, e se não a impedirmos poderá ser pior.

- Eu não vou contar ao Namjoon que sei sobre Seung-Hee, mas meu instinto vai me obrigar. Então eu tenho uma condição para manter isso em segredo.

- Qual seria a condição?— Yoongi perguntou curioso.

- Eu sei que não vou suportar esconder isso, então peço que apague minhas lembranças, e me deixe ver o Tae.

- Eu posso apagar suas lembranças, mas eu não posso permitir que você veja ele.

- Eu nunca mais te peço nada Yoongi, só, por favor, deixe-me vê-lo!

- Eu não sei se ele irá gostar, não cabe a mim deixar que você o veja...

- Uma noite é o que eu te peço!

                             ~x~

As ruas de Seoul ficavam mais vazias quando a noite chegava, Hoseok andava lentamente, enquanto imaginava um possível diálogo entre ele e o jovem Taehyung. Yoongi havia aceitado bem a proposta, e logo pela manhã, ele apagaria as memórias de Hoseok.

Seus dedos balançavam freneticamente e ele suava, algo que era característica de seu nervosismo. Hoseok também estava impaciente, mas precisava se acalmar. Tae iria ouvi-lo de uma forma, ou de outra.

Com toda certeza.

Contornou a esquina e logo chegou na rua mencionada por Yoongi, era composta por casas simples, e o Jung podia constatar que ali, era a parte pobre de Seoul.

Adentrou o prédio com seu coração batendo descompassado, tentava regularizar a respiração enquanto subia as escadas, mas toda, e qualquer tentativa tornava-se falha.

Ao chegar no 4° andar, pausou os passos. Questionou a si mesmo se deveria estar ali, Yoongi dissera que o jovem não estava disposto a conversar, e que precisava estar quilômetros de distância longe de Hoseok.

Mas ele precisava aliviar sua consciência, precisava ter o respeito e a confiança do jovem, como antes tinha. Precisava abraçá-lo ao menos mais uma vez, e fazer com que o mesmo o perdoasse.

Tirou de seu bolso a chave que o Min lhe dera, ele sabia que se viesse a bater na porta Taehyung não iria abrir. E segundo o Min, aquela hora da noite, ele deveria estar dormindo.

Abriu a porta vagarosamente, procurando não deixar que o ranger da mesma, denunciasse sua presença. Camuflou-se em meio a escuridão², e prestou-se a procurar pelo jovem Kim.

Ele dormia tranquilamente em sua cama, coberto por um lençol branco. Aos olhos de Hoseok, Taehyung assemelhava-se à um verdadeiro anjo. Sentou-se na cama que julgava ser a do Min e prestou-se a observar aquela linda obra de arte.

Ele só não esperava que os sentidos de feiticeiro do jovem o denunciasse aquela hora.

Mesmo não tendo praticamente nenhuma habilidade, Taehyung conseguia assemelhar-se a um feiticeiro comum. Seus sentidos não eram tão aguçados como os de Yoongi, que podia sentir a presença de alguém quilômetros distante de si. Os sentidos de Tae eram demasiado fracos, mas ainda sim, funcionavam para alguma coisa, e isso o orgulhava.

Não podia sentir a presença de um alguém quilômetros distante de si, mas quando muito perto, era quase que automático o alerta que lhe era recebido.

Estava sendo observado.

Continuou com seus olhos fechados, esperando alguma manifestação, algum movimento brusco para enfim, descobrir quem estava ali. Tinha absoluta certeza de não ser Min Yoongi, afinal, era um alguém diferente.

Ele abruptamente levantou-se procurando algo, ou alguém, mas não havia ninguém. O quarto estava pouco iluminado, a luz que vinha da rua, parecia fraca em meio aquela escuridão. E o pouco que lhe foi contado, Taehyung podia saber do que se tratava.

Demônio.

- Quem está aqui?— questionou, seu timbre era firme— se você não sair eu entro!³

- Tudo bem!— Hoseok falou fazendo com que toda sua camuflagem desaparecesse e o ambiente voltar a ser iluminado— Antes que você comece a gritar, peço que me escute.

- Eu não quero escutar nada que você tenha a dizer— Tae comentou com desdém— Saía daqui imediatamente!

- Naquela noite, eu me entreguei aquela mulher por conta de um erro meu— Hoseok falou sem se importar com a frase do jovem Kim— Fui eu quem deu a ordem para MingHao matar os dois rastreadores. Eles sabiam sobre Seung-Hee e não queria revelar nada à respeito para Namjoon.

- Como você pôde?— Taehyung questionou boquiaberto com a confissão repentina do Jung.

- Não direi que eu não tinha consciência sobre o que estava a fazer, na verdade, era um plano meu a muito tempo. Só que estou arrependido. Ela sabia de tudo, sabia que fora eu quem deu a ordem, mas não podia me entregar. Eu perderia a confiança de Namjoon, eu poderia até ser morto Tae!

- Não acho que o Namjoon mataria você— Taehyung retrucou.

- Eu não estou a falar dele, e sim dos outros. Nós não somos bons, eu devo tudo isso ao Namjoon. As vezes precisamos assumir nossa forma real para que nada atinja nossa forma humana. E quando não é feito isso, nos tornamos cruéis e eu sou o exemplo disso!

- Por que você não resolve isso assumindo sua verdadeira face?

- Não é tão fácil— Hoseok suspirou cansado— Eu não consigo controlar o que faço quando estou na minha forma real, eu sou cruel, eu posso matar qualquer pessoa apenas por puro prazer. Eu não tenho consciência dos meus atos, apenas Namjoon pode controlar isso, e quando eu volto para o meu corpo humano, dói. É uma dor insuportável, todos os ossos e ligamentos voltando a seus lugares. Assumir minha face demoníaca faz com que esse corpo se desmanche completamente para abrigar minha forma real. Eu fico horas e horas definhando em pura carne viva, esperando meu organismo voltar ao normal. É uma cura, não deveria doer, mais dói. Pois eu fico exposto, aberto, é horrível Tae.

- Eu não tenho o que dizer!

- Apenas me perdoe, por favor. Eu sinto tanto a sua falta— Hoseok confessou.

Tae assentiu, aproximando-se e abraçando Hoseok. Sentiu sua cintura ser preenchida pelos braços do mais velho, e encaixou sua cabeça nos ombros do mesmo.

- Por favor, perdoa-me por ser assim, eu nunca quis te machucar. Eu, eu amo você!

As lágrimas de Hoseok molharam a camiseta do Kim, queria uma resposta do mais novo, mas era demasiado cedo para obter alguma. Ele já havia o perdoado, e com o tempo, tentaria retomar sua relação de antes, com o menor.

Se desvencilharam do abraço e começaram a se encarar, o quarto estava pouco iluminado, mas Hoseok conseguia enxergar perfeitamente o rosto do Kim.

Taehyung pousou suas mãos sobre o pescoço de Hoseok, passaram-se a encarar um ao outro. Taehyung não soube dizer quando foi que aconteceu, mas quando deu por si, seus lábios já estavam colados aos de Hoseok.

Encaixavam-se bem, pareciam ser moldados para receber um ao outro. Enfim aprofundaram o beijo, Hoseok pediu passagem e Taehyung cedeu. Os movimentos eram calmos, as duas línguas travavam uma batalha invencível naquele beijo, numa perfeita sincronia.

O Jung apertou a cintura de Tae contra si, quase como se pudessem se fundir. Enquanto que o menor acariciava os fios de cabelo do mesmo, fazendo com que ele se arrepiasse. De repente, o Kim o empurrou em direção a cama, fazendo com que o mesmo caísse sentado.

- O que está fazendo?— Hoseok perguntou surpreso, mas não obteve resposta; apenas um sorriso sapeca vindo do jovem Taehyung.

Ele se sentou, e se encaixou da melhor forma no colo de Hoseok. Tae o fitava, como se esperasse alguma atitude vinda do mesmo, mas ele não o fez. Ficou a encarar a face do belo Kim, que sem mais delongas selou seus lábios ao dele novamente.

Diferentemente do beijo anterior, este era demasiadamente selvagem. Hoseok desceu sua destra até à nádega de Tae e passou a depositar carícias, atitude que fora prontamente retribuída. O jovem Kim passou a rebolar sobre o membro do mais velho, e o Jung já podia senti-lo enrijecer.

- TaeTae, o que está a fazer?— Hoseok questionou ofegante devido aos movimentos enlouquecidos do Kim, que lhe proporcionava uma sensação demasiadamente boa, deixando-o cada vez mais duro.

- Xiii!— Tae fez o sinal para que Hoseok fizesse silêncio—... Não diga nada.

- Mas... Ahhh... Você está me deixando du-u-uro!

Taehyung já podia sentir a rigidez do membro de Hoseok embaixo de si, o seu membro também já dava sinais de vida, e com Hoseok gemendo daquela maneira, ficava cada vez pior.

O menor parou os movimentos e passou a desabotoar a camiseta do outro, uma expressão deveras estranha se fez presente no rosto de Hoseok, mas ele não iria questionar.

Após despir a parte de cima de Hoseok, fora a vez de Tae. Com o máximo cuidado, o mais velho fora tirando a camiseta azul turquesa, peça do conjunto de pijama que o mesmo usava. Os dedos de Hoseok estavam trêmulos, e ele executava tudo com certa cautela, na esperança de que o menor desistisse naquele momento.

O jovem Kim sentia-se receoso, mas tinha absoluta certeza que Hoseok não o machucaria de forma alguma. Após ter sua camisa despida, abaixou a cabeça e sorriu.

Fora se abaixando até ficar de joelhos, Hoseok arregalou os olhos mas não o impediu, na verdade, ele queria saber o que o menor estava pretendendo fazer. Fitou incrédulo quando Taehyung passou a abrir o botão de sua calça, e logo depois, ouviu o barulho do zíper ser aperto. Não tardou para que a peça fosse de encontro ao chão, e logo a destra de Tae já estava no cós da cueca.

- O que estás pensando fazer?— Perguntou Hoseok antes de ser despido completamente.

O membro ereto saltou, e Tae sorriu desajeitado. Mordeu o lábio inferior e fechou os olhos assim que as mãos do Kim começaram a estimular o seu membro. Aquele típico movimento vai e vem, passando o polegar pela glade, que já pingava o pré-gozo. Enquanto que, os movimentos foram se tornando cada vez mais rápidos.

- T-Ta-a-e, você está ótimo!— Hoseok exclamou ainda enlouquecido pelo prazer que lhe estava sendo proporcionado.

Após a frase de Hoseok, as mãos de Tae cortaram os movimentos. O mais velho resmungou mentalmente pelo menor ter abandonado os toques, e então sentiu a boca do jovem lamber toda sua extensão.

A língua do Kim circulava toda a glade, e depois descia engolindo todo o membro. Hoseok gritava de prazer, seguiu sua destra até os fios de cabelo do menor e segurou firme, passando assim a ditar os movimentos. Estocava a boca do jovem com cuidado, mas havia um pouco de força. Logo os movimentos foram intensificando-se mais, até que Hoseok se desmanchou na boca do Kim.

Ele engoliu todo o líquido, enquanto Hoseok ainda tentava se recuperar do oral que tinha recebido. Sem dúvidas fora a melhor coisa que ele já havia recebido em toda vida.

- H-Hyung!— Tae o chamou manhoso enquanto estimulava o próprio membro igualmente enrijecido— M-Me alivia!

- E-Eu não sei como fazer Tae— falou fitando a cena em sua frente; o Kim se masturbava e chamava por ele, deixando-o ainda mais duro.

- E-Eu quero... Eeeu quero você dentro de mim, aaagora!— Exclamou ofegante.

Hoseok havia entendido o que ele estava a dizer, mas tinha medo de machucá-lo.

- Tem certeza?— questionou com o rosto estranhamente sem expressão.

- Hoseok... Aaahn... Por favor!— o jovem Kim implorou.

Não fora preciso mais que uma segunda ordem, Hoseok se abaixou e abriu as pernas do mesmo. Passou sua língua pela entrada do menor fazendo-o arfar. Introduziu com cuidado o primeiro dedo, passou a penetrar cautelosamente o indicador, entrando e saindo, fazendo com que Taehyung pedisse por mais.

Quando o menor tornou-se confortável, foi a vez de introduzir o segundo dedo. Ele sentiu uma ardência, mas logo passou a rebolar esperando que Hoseok penetrasse mais profundamente.

- M-aais... M-aais hyung!— pediu novamente, seu corpo estava demasiadamente quente, e ele se tornava cada vez mais excitado.

Hoseok fazia movimentos de tesoura, preparando a entrada do Kim para que ele não sentisse muita dor. Após certificar-se de que Taehyung estava devidamente lubrificado, se posicionou em sua frente, e foi inserindo seu membro cautelosamente na entrada do Kim.

Após ter o feito, esperou o consentimento de Tae para que continuasse. Uma lágrima escorreu no rosto do jovem, e Hoseok rapidamente a limpou. Queria mexer-se, seu membro pulsava naquela entrada tão quente e tão apertada, mas ele soube se segurar.

Selou seus lábios com os do Kim, tomando-os para um beijo profundo, calmo e delicioso na mesma proporção. Depois de algum tempo houve a confirmação, e Hoseok passou a se mover. As investidas ainda eram demasiadamente fracas, mas que aumentavam a velocidade de acordo com os pedidos do Kim.

- Ahnn!— Hoseok gemeu arrastado enquanto saia e entrava do interior de Kim Taehyung.

- Mais raaapido... Hobi mais rap-ido!— Tae pediu enlouquecido.

As estocadas foram se tornando demasiadamente fortes e violentas, até que Hoseok conseguiu atingir o ponto sensível do Kim. Este que gemeu um tanto alto demais e um pouco arrastado.

- I-Isso mesmo, bem aí!— Tae disse ainda ofegante.

Após mais algumas estocadas, Taehyung desmanchou-se, deixando seu líquido jorrar por toda sua barriga. Logo depois fora a vez de Hoseok atingir seu ápice, ainda no interior do jovem Kim.

- Isso... Isso foi incrível— Taehyung falou ainda tentando assimilar a situação— Minha nossa senhora, como não conheci esses prazeres antes?

Os dois estavam suados e ofegantes, Hoseok deitou-se ao seu lado e tentou controlar a respiração, enquanto ouvia o jovem Kim falar. Para ele aqui também era novo, e demasiadamente interessante.

- Obrigada por tudo!— Fora a última coisa que Hoseok disse antes de cair em um sono profundo.

                      ~x~

A luz solar que invadia o quarto fazia com que Hoseok resmungasse alguns palavrões na tentativa falha de se acostumar com a claridade. Flashes da noite anterior lhe eram atingidos a todo momento. Tateou a cama na esperança de encontrar o jovem ali, mas aquela parte estava vazia.

- TaeTae?— chamou pelo menor, mas não obteve resposta.

Um pequeno sorriso se fez presente em seu rosto e ele se levantou da cama, coberto por um lençol fora em busca do menor.

- Tae?— chamou novamente.

Ele não estava na cozinha, não estava no banheiro, a sala estava vazia e Hoseok achou melhor vestir sua roupa e ir embora.

Namjoon poderia estar a sua procura.

Não lhe saia de sua cabeça o fato do jovem Kim não estar ali, o relógio na parede dizia que já passavam das 05:30, e o Jung se perguntava aonde ele poderia estar a essa hora.

Fechou os botões de sua camisa rapidamente, vestiu a calça e calçou seus sapatos. Estava pronto para deixar a casa de Yoongi, quando um papel na escrivaninha chamou sua atenção. Andou até lá e pegou o papel, a caligrafia trêmula, já denunciava que fora Taehyung quem escrevera aquela carta. Todavia, a tinta da caneta ainda estava fresca. O que significava que aquele papel, não estava ali há muito tempo.

- Por favor não!— Hoseok exclamou entre lágrimas após ler as primeiras palavras— Só pode ser um pesadelo!

Hoseok eu não posso mais te ver!
Eu escrevi e reescrevi essa carta milhares de vezes, mas nunca consigo achar as palavras certas. A verdade é que eu não posso retribuir seus sentimentos, não porque eu não quero, e sim porque eu não posso!

Você pode me chamar de egoísta, ou do que quiser. Mas se uma ligação se formasse entre nós seria um problema, nós iríamos sofrer.

Não somos como Namjoon e Seung-Hee, eu não sou um mortal, e você é um demônio. Essa combinação é demasiadamente perigosa e já tivemos provas disso, qualquer tipo de ligação é perigosa, você sabe. Eu não posso deixar que isso afete você e a mim na mesma proporção.

Por isto eu estou indo embora, peço que não me procure, e como uma vez eu havia dito: 'se por obra do acaso nossos caminhos se cruzarem, finja que eu sou um estranho qualquer. Eu farei o mesmo!'

Procure seguir sua vida e ser feliz, eu perdoei você. Mas não posso deixar que isso nos machuque.

                                                                             TaeTae

Seu rosto fora molhado por lágrimas, e o desespero se fez presente. Ele precisava do Kim, e estava claro que o mesmo também o queria. A prova disso fora a noite anterior.

Hoseok não queria acreditar, não podia acreditar. Era surreal tudo que estava a se passar, leu e releu aquelas palavras centenas de vezes custando a acreditar no que ali estava escrito.

- Ele está brincando comigo!— falou apertando o papel sobre o peito e secando o rosto— Está a me testar, com certeza por que também me ama... Ele... Ele também me ama— sussurrou para si mesmo, ainda com a voz embargada.

O Jung acreditaria que tudo aquilo era uma brincadeira, se a passagem deixada na escrivaninha junto à documentos chamassem a sua atenção. Correu rapidamente, colocando-a em suas mãos. E lendo todo o conteúdo que ali, estava.

Sua ficha caiu naquele momento, e o desespero que antes deixara seu coração, agora, intesificava-se cada vez mais.

Taehyung não poderia abandoná-lo novamente, e Hoseok sabia, que se fosse preciso, iria procurá-lo até no inferno.

Continua?


Notas Finais


¹ Lembra daquele trechinho do Sehun e da Zhafira? Pois é, foi um spoiler gostoso e vocês nem notaram sjfnakfjancnaj

² A camuflagem dos feiticeiros é totalmente diferente da camuflagem do demônio. O feiticeiro pode ficar invisível, enquanto que o demônio não tem esse poder. Para se camuflar eles precisam entrar na própria escuridão, não importa o ambiente que estiver, claro ou escuro.

³ Os feiticeiros podem entrar na camuflagem dos demônios e virse-versa, mas diferentemente da camuflagem dos feiticeiros. Se um entra na escuridão de um demônio, só poderá sair com sua permissão.

⁴ Para assumir a forma demoníaca, é preciso que o corpo humano se desmanche. Portando, não só Hoseok, como todos os outros demônios de todas as espécies passam por isso.


DEU PRA VOCÊS ENTENDER NÉ?

Minha primeira fanfic do bts, teve um cap como esse. Só que assim, era uma fanfic completamente normal sabem. Semana passada eu estava na escola e de repente eu me lembrei desse tal capítulo desgraçado ( podem me xingar) e como esse fic fora excluída por mim, eu decidi fazer uma versão Vhope dela (era uma fanfic Namjin POR QUE NAMJIN É MEU OTPZÃO). Enfim tomatinhasss, me desculpem por fazer o hobi sofrer, a verdade é que o drama é uma parte de mim, e se não houver drama, eu não sou eu né sjfjwjcjsjcwjcje

Eu estou bem, e minhas provas finais acabaram. Obrigada por aquelas que se preocuparam comigo <3 rezem para que eu tenha me saído bem, pois se eu entrar de férias mais cedo, vou postar uma chuva de capítulos pra vocês.


QUEM FOI QUE PEDIU VHOPE? SE FOR A MAY, TOMA AQUI AMOR <3

Já estamos com +3000 exibições, +100 favoritos e +100 comentários. OBRIGADOM TOMATINHAS E TOMATINHOS! Estou muito feliz e espero que estejam a gostar dessa história maluca.

Votem se estiver ao gosto de vocês, e comentem pois escrevo com muito carinho e espero sempre ler o que vocês pensam sobre os capítulos.

FANTASMINHAS DÊEM A CARA PELO AMOR DE YOONGI A TIA NOM MORDE <3


Link do grupo da fanfic no wpp: https://chat.whatsapp.com/CuN9T2VSxLV5lBhVtVWNHo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...