História We're All Just Victims Of A Crime... - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Arin Ilejay, Johnny Christ, M. Shadows, Personagens Originais, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Arin Ilejay, Avenged Sevenfold, Johnny Christ, M Shadows, Morte, Revelaçoes, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Exibições 31
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olaaaa,
Tava afim de deixar a Eileen num espírito mais rebelde, do tipo festeira. Gosto desse estilo. A roupa dela foi inspirada na Effy Stonem, de Skins. Vou deixar a foto da roupa dela nas notas finais.

Espero que gostem! <3 seus dlçs <3

Capítulo 17 - Our fucking paradise!


Quando acordei, devia ser umas seis horas da tarde. Lavei meu rosto e tirei toda a maquiagem que tinha no meu rosto e as olheiras estavam bem mais fracas do que antes. Ótimo. Não havia lição de casa e agora eu tinha um emprego, as coisas estavam melhorando.

Suspirei com a ideia de ter que trabalhar à noite das sete às nove da noite colocando produtos na prateleira do Walmart. Meu celular apitou com uma notificação do YouTube, quando olhei meu coração parou por alguns segundos e abri um largo sorriso. Musica nova do Avenged Sevenfold! Coloquei a música intitulada “The Stage” para tocar enquanto eu me arrumava para trabalhar, eu começava ainda hoje. Resolvi passar de novo o lápis de olho preto, eu tinha gostado do resultado.

Vesti uma calça jeans preta e uma regata branca, peguei uma bolsa no fundo do meu armário e coloquei documentos, celular, fones de ouvido e dinheiro, eu precisava ser rápida pois não queria me atrasar no meu primeiro dia. Desci as escadas e Sam estava dormindo no sofá, peguei as chaves e saí correndo de casa.

Cheguei uns 10 minutos antes do meu turno começar, falei com o gerente e ele me falou o que fazer: eu tinha que colocar garrafas de dois litros de refrigerante nas prateleiras.

Quando comecei a colocar os refrigerantes na prateleira, ouvi uma voz familiar me chamando:

-Eileen? O que está fazendo aqui? - era Jimmy.

-Trabalhando, e você? - me virei para ele.

-Eu vim comprar refrigerantes e cervejas para uma festa que vou fazer. Quer vir? A festa é das onze até as cinco da manhã. Não tem problema de você ficar acordada até tarde, hoje é sexta feira.

-Certo, eu vou. Meu turno termina as nove. Quem vai?

-Bom, os caras da banda, vários amigos meus que eu tenho aqui no Texas, sua amiga Alyssa, os meninos do bar, o tal de Andrew - arqueei uma sobrancelha - sim, descobri que ele é um cara legal. Também vão algumas strippers, mas não se preocupe, você não precisa ficar perto delas.

-Parece que essa festa vai ser extremamente foda.

-Exato. Pode me passar umas sete garrafas de Coca-Cola? - ele disse rindo.

-Vá se foder, só esta pedindo pra mim porque você viu que eu preciso usar uma escadinha para alcançar a porra da prateleira da Coca-Cola. - ele riu mais ainda - Pegue você, tenho que trabalhar.

-Certo, certo... Parece que agora você vai virar uma jovem responsável, está trabalhando.

-Responsável é o caralho, eu só preciso de dinheiro. - terminei de colocar todos os refrigerantes na prateleira - Agora vou ver o que mais posso fazer. Até a hora da festa. Onde vai ser a festa?

-Eu passo na sua casa para te buscar. Se quiser convidar mais alguém, sinta-se livre. - acenei com a cabeça e fui perguntar o que mais eu podia fazer.

Logo depois ganhei uma lista com as tarefas do dia e descobri que a minha função era ir até o depósito para pegar caixas de salgadinho. Caminhei com o pensamento de que seria fácil, salgadinhos eram leves. Quando cheguei ao depósito, percebi que me fudi, eu teria de subir escadas de mão para pegar as caixas.

Depois de tanto me esforçar, consegui pegar as malditas caixas e levei-as até a parte do Walmart que tinham os salgadinhos e comecei a colocá-los na prateleira.

-Eileen? - me virei e nunca se passou pela minha cabeça que eu encontraria o Synyster Gates no mercado enquanto organizava salgadinhos.

-S-Synyster Gates? - merda, não gagueje.

-Pode me chamar de Brian. Enfim, está trabalhando aqui?

-Pois é.

-Pode me passar alguns Doritos? - passei para ele - Obrigado. Você vai na festa mais tarde?

-Vou. Felizmente meu turno acaba antes do horário da festa.

-Certo, eu te vejo lá. - ele acenou e se despediu.

Depois de um tempo fazendo as tarefas que tinha na minha lista, finalmente terminei e fui liberada para sair. Peguei minhas coisas e voltei correndo para casa, precisava comer algo, não comi praticamente nada o dia inteiro. Quando cheguei em casa, abri a geladeira e comi só um pedaço de pizza que havia lá, poderia comer mais alguma coisa na festa. Subi as escadas e tomei um banho, passei mais lápis de olho, coloquei coturnos pretos, meia calça preta, uma saia com uma regata da mesma cor que os coturnos e por fim, coloquei vários colares dourados bem compridos no pescoço.

Olhei o horário e suspirei, ainda faltavam 30 minutos. Sentei no sofá da sala, coloquei The Stage para tocar e apreciei a música enquanto Jimmy não chegava. Caralho, quem música foda. Meu celular começa a tocar e eu atendo:

-Alô?

-Oi Eileen, aqui é o Jimmy, tenho um negócio pra fazer e vou atrasar uns 10 minutos.

-De boas, eu espero.

-Valeu.

Desliguei o telefone e fui até o quarto do Sam para avisar que eu ia sair, quando abri a porta me deparei com outra coisa que nunca imaginei que ia ver - pela segunda vez no dia - Sam estava batendo punheta enquanto assistia pornô no notebook.

-E-Eileen? Não entre sem bater! - gargalhei alto.

-Hahahahahahaha! Seu tocador de bronha! Hahahahahahahaha!

-Ei! Não ria de mim!

-Só passei para avisar que eu vou sair para uma festa.

-Outra? Parece até que agora você tem vida social...

-Vá se foder, tchau.

-Quem vai na festa?

-Eu, Andrew, Jimmy, Nick, Al, Alyssa e Chris. Quer vir junto?

-Porque eu iria?

-Porque vai ter strippers e pelo que acabei de ver, você estava se acabando na bronha. Sei que você quer ir ver alguns peitos e bundas, seu taradinho.

-Tá bom, eu vou. Vou me arrumar.

-Seja rápido, você tem uns dez minutos. - ele ajeitou as calças jeans, desligou o pornô do notebook, colocou uma camisa xadrez azul e preta por cima da camiseta branca que estava usando. - Quanta arrumação. - ele pegou um desodorante em spray e espirrou por todo o corpo, deixando o quarto sem ar “respirável”. - Cacete, que cheiro forte. Te espero na sala.

Minutos depois ele desceu as escadas e em seguida, ouvimos alguém buzinar do lado de fora e saímos de casa.

-Jimmy, tudo bem se meu primo Sam vier com a gente pra festa?

-Quanto mais gente melhor, entrem aí.

-Que roupa é essa? - ele estava usando um terno preto com gravata vermelha, mas não era um terno qualquer, o blazer dele era totalmente coberto por lantejoulas pretas, mas que brilhavam bastante mesmo a noite - Querendo matar a saudade dos tempos em que usava roupas chamativas?

-É praticamente isso.

-Você não tem jeito...

-Vou aproveitar a minha “ressurreição” com muito estilo!

Ele acelerou o carro e depois de aproximadamente vinte minutos, chegamos à uma casa enorme com luzes, gente bebendo e fumando, música alta e tudo que uma festa tem direito. Descemos do carro e entramos na casa.

-Eileen! Você veio! - Andrew chegou animado, provavelmente já devia estar bêbado e Sam tinha sumido da minha vista - Quer um? - ele me ofereceu um cigarro, eu hesitei no começo, mas depois resolvi aproveitar - É isso aí, no começo você vai tossir bastante, mas depois vai gostar. Toma a minha cerveja, - ele me deu o copo de plástico dele - é uma combinação explosiva, mas muito boa.

Ele tinha razão, no começo eu tossi bastante, mas depois a combinação ficou perigosamente deliciosa.

-O que achou, Eileen? - ele perguntou e Paradise City do Guns N’ Roses começou a tocar.

-Take me down to the paradise city where the grass is green and the boys are pretty! - ele sorriu de canto para mim e apoiou o braço no meu ombro.

-Darling, you’re already in Paradise City. - eu olhei para ele e ele continuou - This is our fucking paradise!
 


Notas Finais


Roupa: https://buzzybea13.files.wordpress.com/2013/04/effy2b3.jpg

Espero que gostem! <3 seus dlçs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...