História We're Meant to be - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Personagens Addison Montgomery-Shepherd, Alexander "Alex" Karev, Alexandra "Lexie" Grey, April Kepner, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Cristina Yang, Derek Shepherd, Jackson Avery, Jo Wilson, Mark Sloan, Meredith Grey, Miranda Bailey, Owen Hunt, Richard Webber, Theodora "Teddy" Altman
Exibições 36
Palavras 2.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não deu pra postar ontem, ignorem se tiver erro o cap ficou muito grande então nao consegui revisar... espero que gostem

Capítulo 9 - Losing My Mind: part 2


Pov. Lexie

Decididas eu e April voltamos para casa as 9am, pois entramos no sistema do hospital pelo celular e sabíamos que nossos noivos estariam em cirurgia.

Peguei minhas roupas, e escrevi um bilhete para o Mark. Não é justo eu deixa-lo assim, nem sem explicar.

"Mark
Eu pensei muito, e decidi que eu preciso de um tempo para mim. Você não vai entender, mas eu ainda tenho as cicatrizes das vezes que terminamos por alguma filha sua. E essa gravidez mexeu muito comigo me fazendo lembrar da dor que senti ao te perder. Eu decidi que não vou senti-la de novo.
Com amor, Lexie"


Coloquei minha aliança de noivado em cima do papel e deixei no balcão.

Fui até a casa da April e ela já estava pronta. Ela disse que não iria abandonar Jackson, mas que também precisava de um tempo. Pegamos um avião e fomos para Los Angeles, nos hospedamos em um hotel chamado "Lux Inn". Ele era simples, grande mas com uma decoração caseira. A única coisa que eu fiz foi me jogar na cama macia da suíte e dormir.

~3pm~

Acordei assustada com o celular tocando. Era o Mark. Eu atendi, devia isso a ele.

-Lex? - sua voz triste do outro lado da linha causou dor em meu coração.

-Mark?- falei triste tentando não chorar

-Eu não vou pedir para você voltar, eu não vou perguntar onde você está. Eu só quero saber o por que... eu achei que estavamos bem. Me desculpa se eu nao fiquei do seu lado na hora do ultrassom- agarrei o telefone em Minha orelha e deitei na cama.- eu não parei para pensar se você estava assustada

-não foi isso. Como eu disse no bilhete, eu fui muito machucada no passado...-tentei falar mas ele me cortava e começava a falar

-tanto assim Lexie?- sua voz grossa não estava mais conseguindo disfarçar e percebi que ele estava chorando. -tanto a ponto de sair escondido? De fugir? Como se eu fosse um louco querendo pegar você?

-não é isso...

-você nao vai me deixar longe do meu filho- novamente ele me cortou

-voce pode me deixar falar? -aumentei o tom de voz - eu não sinto segurança em ficar com você. Não se preocupa eu vou voltar pra Seattle, e você poderá ver seu filho- desliguei o telefone e afundei a cara na almofada chorando.

O Mark foi a melhor coisa que eu já tive, e eu consigo estragar tudo. Tantas e tantas vezes eu me arrependi de ter deixado ele duas vezes, e quando o consigo de volta faço de novo. Sou uma estúpida idiota. Socava o travesseiro e vi April entrar.

-Lexie? O que foi?

-eu sou uma idiota, eu nao mereço e nem vou ser feliz

-você sabe que a gente fez besteira fugindo ne? Você sabe que fomos duas ingratas malucas ne? Pois eu sei- ela deitou ao meu lado e nós duas ficamos chorando, até que uma hora começamos a rir.

-essa gravidez mal começou e já está acabando com a gente- ri limpando as lágrimas

-nós fizenos errado- April disse levantando da cama

-pois é- falei num tom de arrependida

-nós deveríamos ter terminado com eles, alugado um apartamento e podíamos morar juntas. Agora estamos com a imagem ruim lá no hospital- ela fazia gestos com as mãos e saiu do quarto.

-Não, April eu to querendo dizer que eu não deveria ter deixado o Mark. Eu sei que é dificil confiar nele, mas eu amo ele e as vezes parece que tenho essa necessidade de ficar infeliz- fui atrás dela que estava numa mini cozinha que tinha na suite.

-eu não quero o Jackson de volta. Ele quer decidir tudo sozinho para nosso filho- ela falou enquanto abria o frigobar pegando uma caixinha de água de coco industrializada.

-parece que você esta fazendo isso. April nós fugimos, Mark me ligou chorando. Fomos longe demais- sentei na bancada e abaixei a cabeça.

-bom eu nao sei você...-ela tomou um gole da água de coco- mas eu vou a praia- terminou ela saindo.

-e eu vou voltar a dormir...- falei comigo mesma.

~11 pm~

Peguei meu celular para ver a hora e percebi que tinha dormido demais. E mesmo assim parece que eu continuo com sono. Não sei se é por causa da gravidez ou se minha profissão me limita as horas de sono.
Não vi a April desde a nossa pequena discussão. Na verdade eu nem sei se posso chamar aquilo de discussão, felizmente tive um momento lúcido.

Eu já estava prestes a fechar os olhos de novo e escutei alguém bater na porta. Eu não pedi nada, só pode ser a Apes o quarto dela é aqui do lado.
Caminhei até a porta toda descabelada e olhos inchados. E não posso descrever o quão surpresa fiquei ao ver Mark parado ali na minha frente.

-hey Lex- aquele homem alto, vestindo jeans e jaqueta de couro (que eu adoro) sorria abertamente em minha frente.

Encarei meu corpo, e me envergonhei ao me ver vestindo um vestido, parecido com uma camisola estampada.

Dei espaço para ele entrar, e ele se acomodou entrando tirando sua jaqueta. Ele estava lindo. Na verdade, mais que isso, não consigo nem pensar em uma palavra para descreve-lo. Esse tempo longe dele me lembrou o quanto eu nao quero passar nem mais um segundo longe dele.

-Como soube...

-É o seguinte...- Mark me cortou no meio da minha frase enquanto tirava seus sapatos- Você quer fugir? Ok- agora ele tirou sua camiseta- quer surtar com a amiga que é mais pirada que você? Ok- agora foi a vez da sua calça. -faça o que quiser. Mas eu vou fazer o que eu quero tambem. - aquele homem delicioso falou parado seminu na minha frente. Não sei se eu me excitava mais com seu corpo, ou seu olhar de quem queria me devorar. Eu perdi a reação e fiquei o encarando.

-e... o que você quer fazer?- gaguejei tentando fingir que não estava encarando o grande volume que estava ereto em sua cueca box azul marinho.

-Quero você, sem roupa nenhuma- Mark se aproximou de mim me puxando pela nuca para um beijo quente. Eu pulei em sua cintura e ele me carregou até a cama.

Mark colocou a mão por dentro do meu vestido apertando forte minha bunda enquanto dava fortes chupoes em meu pescoço. Eu estava ficando encharcada lá em baixo e senti meu clitóris pulsar ao seu dedo toca-lo. Ele foi passando a língua por todo meu corpo até chegar na minha virilha, dando a volta e subindo de novo me fazendo delirar. Mas eu não ia ceder. Empurrei ele na cama e fiquei de pé com uma perna em cada lado. Ainda de vestido e sem calcinha comecei a rebolar perto de seu rosto, e com um olhar sexy retirei meu vestido. Ele me devorava com o olhar, e eu ficava ainda mais excitada quando ele olhava meu corpo nu daquele jeito. Fui abaixando lentamente, passando a língua na cabeça de seu pênis agarrando-o com a mão. Segurando firme abocanhei de uma vez, subindo e descendo fazendo Mark se contorcer. Eu estava torturando tanto a mim quanto ele, então sem mais delongas sentei com força em seu pênis. Senti uma pressão com uma dorzinha no útero, mas eu não parei pra pensar nisso, comecei a cavalgar nele, pois eu não sabia o que tinha dado em mim, eu estava pegando fogo. Nem conseguia mais segurar os gemidos que saiam altos de minha boca. Beijei a boca de Mark com força enquanto ele apertava meus seios, e tivemoa um orgasmo. O melhor que eu já tive em todos os sexos que já tive. Deitei ofegante ao seu lado, e ele soltou uma risada maléfica.

-você ainda não escapou- falou ele segurando minha cintura e me virando de costas para ele na cama. Soltei um sorriso curiosa, e um gemido ao sentir dois dedos dele me penetrarem.

-eu não aguento mais...-suspirei, mas ele sabia que eu estava implorando por mais.

Ele aprofundou seus dedos, meu clitóris pulsava de tesão, quando achei que não tinha como eu sentir mais prazer ele tirou os dedos e colocou seu pênis, fazendo rápidos movimentos de vai e vem apoiando sua mão em minha bunda.

-oh Mark- suspirei forçando todos os meus membros com a chegada de outro orgasmo. Imediatamente meus músculos relaxaram, e um pouco depois de mim Mark gozou de novo.

-uau- mordi o lábio virando de frente para ele.

Ele retribuiu com um sorriso malicioso.

-hey...-April entrou no quarto tampando os olhos rapidamente enquanto Mark se cobriu com o lençol. -pelo visto recebeu meu recado- ela voltou a olhar

-então foi você quem avisou ele?-perguntei sorrindo- não tive tempo de perguntar

-eu percebi. Eu concordei em falar se ele não contasse ao Jackson. Você estava tão triste que eu não pude deixar o fato de eu não querer voltar com o Jackson impedir voces de ficarem juntos- April disse sentando ao meu lado ds cama, Mark me olhou estranhamente e levantou se enrolando no lençol. Afinal, estavamos pelados e ela sentou na cama conosco.
April e eu nos abraçamos, e eu levantei para me vestir.

-ela é meio estranha- Mark comentou rindo baixinho no banheiro

-é...- falei fazendo cara de dor colocando a mão na barriga. Aquela pressão havia voltado, e estava começando uma cólica fraca. Deve ser normal.

-está tudo bem?

-está-fingi dando um selinho e ele saiu do banheiro.

Era uma "dor" incômoda. Mas tentei não me preocupar. Senti o meio de monhas pernas bastante molhado, e isso me fez lembrar que Mark havia ejaculado lá dentro então fui me limpar. Ao tirar o lençol que eu enrolei no corpo eu vi manchas de sangue. Tentei respirar fundo, manter a calma.

-respira Lexie, nao é nada demais, você só está com um pequeno sangramento-repetia baixinho pra mim mesma.

Me vesti, e calmamente abri a porta vendo Mark e April deitados na cama assistindo a um jogo de hóquei na tv.

-eu estou sangrando- comentei sentando no meio deles. Os dois me olharam preocupados e eu continuei a encarar a tv.

-Será que foi algo que eu fiz?- Mark se desesperou colocando a mão na testa que começou a suar

-calma. Você sente alguma dor?- disse April. Ela se esqueceu que eu sei quando ela está muito nervosa e precisa esconder isso entao ela franze as sobrancelhas e ela nao olha no olho da pessoa. Ela estava fazendo exatamente isso agora.

-uma cólica fraca- disse meio rouca.

-eu vou te levar ao médico- Mark falou levantando da cama e indo colocar seus sapatos

-é uma boa ideia- April concordou. -eu vou com voces.

***

Chegamos numa clínica 24h. De Los Angeles e preenchi uma ficha. Alguns minutos depois veio uma moça magra, alta, dos cabelos loirosme chamar, me levando ate uma sala de consulta. Ela estava usando um uniforme parecido com o do Seattle Grace, porem cor de salmão.

Sentei numa maca inclinada e entrou uma outra médica colocando as luvas. Uma médica ruiva alta e bonita.

-olá sou a Dra. Montgomery, na sua ficha diz que está com sangramento eu vou precisar fazer exame de toque para sentir o colo do seu útero, está bem? - aquele rosto me era familiar. Talvez ela já tivesse feito uma visita ao Seattle Grace.  

-uhum- murmurrei.

-ok você pode me dizer o que exatamente aconteceu? - ela me distraía enquanto enfiava o dedo dentro de mim. Eu contrai o abdômen sentindo uma dor forte. -não força querida- ela pediu

-eu tive relações sexuais agora a noite, e depois vi que estava Sangrando- falei tentando ignorar o fato de sua mão estar se mexendo dentro da minha vagina.

-uhum... você pode me dizer se foi agressiva? A relação.... enfim pode ter machucado?- ela retirou os dedos me causando alívio.

-um pouco. Por favor doutora, eu não quero perder meu bebe- falei tremendo de medo. Eu não quis esse bebê e agora estou sendo punida? Eu não aguentaria perder meu bebê.

-fica tranquila. Um pouco de sexo nao faz mal a ninguém- ela brincou dando risada sendo anti profissional - cá entre nós - ela se aproximou- eu já tive sexo assim. Uma vez. Ele é cirurgião, e tem ótimas mãos. Tente imaginar- ela sorriu. Ela me acalmou um pouco mas eu ficaria melhor com Mark e April aqui.

-vou fazer um ultrassom para checar, ok? - ela avisou puxando a maquina e pegando seus instrumentos- se quiser chamar seu marido, senhora...- ela disse procurando o nome na ficha. -Grey? -fiquei surpresa com o tom de pergunta. -ah não- ela reclamou.

Nesse instante a cortina se abriu e Mark veio ao meu lado.

-Mark? - perguntou a Dra. Nao muito surpresa

-Addison! -ele sorriu abraçando ela.

Bingo! Addison. Como me esqueci? Será que o Mark foi esse cirurgião que ela falou?

-Mark Sloan é seu marido?- ela riu surpresa- voce casou e não to sabendo? - ela brincou

-podemos focar no ultrassom? - falei

-claro- ela disse começando. -parece que você está com um deslocamento de placenta. Felizmente não foi o sexo que causou o sangramento. Vou te passar uma medicacao e fazer repouso absoluto por 10 dias. Ah, essa vai ser dificil Mark, 10 dias de jejum sexual ok?- ela riu

-ela tambem Mark? - falei bufando. Ele assentiu com cabeça e Addison nos olhou confusa.

Fiquei o resto do exame sem falar uma palavra. Quando acabou eu só queria sair dali e esquecer essa Addison.

-vou te passar um remédio para segurar esse bebe ai dentro ok? Você o tomara até completar 12 semanas- a Dra. Disse prescrevendo. - Até mais, futuro papai- a ruiva lançou um olhar sensual entretagando a receita para Mark

-não acredito que você dormiu com essa tambem.- falei antes que Addison saísse

-desculpa, "essa"?- Addison virou me olhando com olhar de desprezo

-inacreditável Mark. Eu vim pra L.A ai voce aparece, mas tipo nada mudou, eu ainda fugi de você eu...- tentei falar me enrolando toda, ignorando completamente a Addison.

-Lexie, você sabe que eu já fiquei com muita mulher. Muita, mas porque eu era sozinho, egoísta. E voce sabia do meu passado quando decidiu ficar comigo. Eu nunca amei ninguém como eu amo você, e você me deu um voto de confiança quando começamos a namorar. Eu preciso desse voto mais uma vez, eu preciso de uma segunda chance para você ver que e esse Mark Sloan é o mesmo Mark que você conseguiu consertar quando você entrou na minha vida. E ele foi embora quando você me deixou. Eu só consigo ser esse cara por Você, de todas as mulheres que eu já fiquei, você foi a única a merecer esse Mark Sloan. E sempre será. Lexie eu te amo- Mark disparou seu discurso, deixando a mim e a Addison perplexa. Ela conheçendo o Mark galinha deve ter ficado surpresa ao ouvi-lo dizer essas coisas.

-obrigada, eu acho- ela disse sem graça pelo fato do Mark não ter sentido isso por ela- parabéns pelo bebê-ela forçou o sorriso e saiu.

-Casa comigo...- começou Mark, me abraçando.

-você já pediu-sorri

-espera eu terminar... casa comigo, no próximo final de semana? - Mark disse aquelas palavras me surpreendendo. -eu não quero mais esperar

-nem eu. Vamos nos casar no próximo fim de semana- falei rápido, dando um beijo amoroso em seus lábios. 

Notas Finais


Ebaaa o próximo será o casamento


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...