História We're only Human - Capítulo 22


Escrita por: ~ e ~yoonjeonghan

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Suga
Tags Bts, Min Yoongi, Suga
Exibições 66
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amorisssss <3
Aconselho vocês a separar um lençinho que vai ter muita depressaum nesse cap, por que eu tava inspirada pro melodrama depois de assistir uns trezentos doramas esses dias.
Enfim naum tenho muito o que dizer
Entaum leiam ai
E sejam felizes
Ou tristes, pq a vida naum é faciu edificio :c
hueheueheueheueh~
(●^o^●)

Capítulo 22 - Revelando segredos pt.1


Jin fuçou gaveta por gaveta parando justamente na de roupas íntimas como Suga tinha feito. Tirou todos os comprometedores mostrando-os pra mim e estreitando os olhos.
-Olha só esse daqui!- o mesmo ergueu uma calcinha preta que era basicamente apenas rendas- Uma criança como você usando umas lingeries safadas como essa!
-Você não é tão mais velho que eu Jin oppa! Eu vou fazer 22 no final do ano! Eu sou mais velha que o Jungkook!
-Você está mentindo, olha essa sua cara de 15 anos- ele apertou novamente minhas bochechas- Você deve ter falsificados seus documentos pra fugir da escola!
-Haha muito engraçado!- ele passou a chacoalhar meu rosto enquanto apertava minha bochechas- Ahh Jin oppa para com isso está doendo!- ele riu novamente quando gemi
-Desse jeito as pessoas la fora vão pensar que nós estamos trepando aqui dentro- ri do adjetivo que ele usara
-Que nem quando você estava la com o Namjoon oppa?
-Aish... Quando você começa com uma coisa...
-Eu nunca vou esqueçer disso, fiquei traumatizada!
O mesmo voltou sua atenção para as lingeries novamente, pegou um sutian azul e vestiu apenas as alças.
-Eu fiquei sexy?- perguntou fazendo uma expressão digna de um cafetão e pos o dedo na boca.
-100%
Depois de um tempo decidiu guarda-los e comentou:
-Você realmente não tem jeito...- estralou a lingua e em seguida riu baixinho da minha arrumação- Você só usa conjuntinhos.
-Organizados por cor de confortável a sexy.- disse rindo de mim mesma, eu realmente tinha meus TOCs de arrumação.- Estampado.- eu apontava tudo- Liso. Rendado.- minhas gavetas eram estremamente organizadas, muito diferente da minha vida...
-Só esse daqui que está incompleto- ele apontou para o par da calcinha que Suga que tinha roubado, corei mas depois ri baixinho pra mim mesma.-Suspeito.- disse tirando-me da minha piadinha interior num leve susto.
-O que foi?- perguntei um tanto ríspida e o mesmo riu soprado
-Pelo seu comportamento e a sua reação eu ja até imagino o que aconteceu.
-Pare de inventar coisas!...
-Se você não esqueceu no quarto dele, ele com certeza roubou...- ele fez uma expressão maliciosa- É isso não é?! Aposto que foi!... Ah esse Yoongi.- riu mais um pouco e pegou o sutian analisando-o - É bem o gosto dele mesmo.- eu estava tão corada que meu cérebro pifou e eu só pensava em coisas disnexas devido a vergonha que estava sentido.
Apenas dei um tapa forte em seu braço e olhei para um canto tentando recobrar minha eu normal.
-Aish você é muito agressiva, pobre Yoongi... Você é sadomasoquista ou oque?!
-Pare de dizer bobagens- ele riu e voltou as suas atividades.
Cansada de supervisiona-lo deitei-me na cama, mas assim que vi-o com meu caderninho praticamente voei e corri em sua direção. O mesmo fugiu de mim gargalhando enquanto folheava.
-Que bonitinho ela ainda tem um diário.
-Me devolve.- disse firme
-Você é realmente doida- disse mostrando-me meu própio desenho- Você desenha muito bem- o que não sabia e que era uma metáfora do meu pai e das maldades que ele fazia comigo- Olha o Yoongi... Você tem sorte que eu não sei ler em japonês se não a vizinhança inteira iria ouvir os segredos obscuros de Etsuko Kotomi.-ameaçou
Corri com toda minha força de vontade e consegui alcança-lo e arrancar de uma forma um tanto brusca o caderninho de suas mãos. Eu não conseguia olha-lo e sabia que minha expressão estava obscura demais pois logo depois de me ver o mesmo diise.
-Eu estava brincando... Não precisa ficar brava...- não respondi, ou melhor não consegui responder era como se nós se formassem na minha garganta toda vez que tocavam no assunto do meu passado... No fundo até eu mesma achava-me ridícula por isso, mas era inevitável...- Poxa Kotomi... -a voz dele mudou de tom para um tom que eu conhecia bem: magoa - Eu sempre te conto tudo... Até as besteiras que eu guardo pra mim mesmo... Mas você nunca me diz nada, e como se... Eu não te conhecesse.- ele tocou meu ombro mas não consegui virar meu rosto e olha-lo, tirei quase que gentimente a mão dele do meu ombro.- Eu achava... Que nós eramos amigos o suficiente pra você me contar...- a voz dele estava embargada e deduzi que o mesmo derramava algumas lágrima, dei um suspiro sofrego meu peito doia. Chorei silenciosamente eu sabia que estava o perdendo, Jin oppa era uma pessoa muito importânte pra mim, em tão pouco tempo o mesmo tinha se tornado a pessoa mais confio, até mais que Yoongi ... Eu realmente me odiava por ser tão fraca...-... Mas pelo visto...- o mesmo não terminou a frase, apenas saiu a passos rápidos fechando a porta.
Cai sentada sem me importar com qualquer tipo dano físico que aquilo podia me causar. Chorei por vários minutos, eu tinha perdido mais pessoas importântes pra mim... Era sempre assim... Sempre...Todos que eu amo gradativamente sumiam da minha vida... E eu ficava sozinha... Me perguntava o que tinha feito para merecer uma vida como aquela...
A porta estava aberta e Yoongi me viu, correu até mim e ajoelhou-se ao meu lado abraçando-me. Lentamente o mesmo ergueu-me no colo com todo o cuidado como se eu fosse uma boneca extremamente frágil... O que realmente eu estava sentindo naquele momento frágil, vulnerável, fraca e todos os adjetivos para esse significado...
Fechou a porta ainda comigo no colo e me deitou na cama, secou minhas lágrimas com o dedo mas elas voltaram subitamente e eu grunhia. Yoongi envolveu-me num abraço apertado e eu escondi meu rosto em seu pescoço e chorei mais alto. Ele sussurava em meu ouvido cálidamente para que eu me acalmasse enquanto acariciava meus cabelos.
- Você me deixa preoculpado... Todas as vezes que te encontro você esta chorando ou começa a chorar... - ele afastou-se para poder olhar meu rosto- Você é linda, mas você sorrindo é maravilhosa... Por favor não chore...- funguei baixo e permiti-o enxugar minha lágrimas novamente.
O mesmo ergueu minha franja e deu um beijo demorado na minha testa, baixou seu rosto e depositou outro na minha bochechas, tudo com a maior calma do mundo. Olhou fundo nos meus olhos por um longo tempo e por fim terminou por beijar meus lábios lentamente. Me soltou um tempo depois e me deitou novamente na cama me cobrindo:
-Já está tarde, você precisa descansar- acariciou meu rosto e saiu.
Yoongi sempre teve o dom de me acalmar...
Sozinha tentei por meus pensamentos em ordem, queria pedir desculpas para Jin mas não sabia se era adequado... Eu nunca conseguiria contar a alguém pessoalmente o que eu havia escondido todos esses anos...
Do nada meu celular vibrou, peguei-o rapidamente na esperança que fosse Jin, mas era apenas uma mensagem de cobrança da operadora, suspirei alto me contendo para não chorar novamente.
Eu realmente tinha transtorno de bipolaridade, eu mudava meu temperamento do nada e era estranho até pra mim.
Fiquei vários minutos encarando o contato de Jin pensando no que dizer a ele, mas todas as frases me pareciam ruins e depois de uma grande guerra mental eu decidi contar a ele... Essa era a única forma de eu não o perder e estava disposta a sacrifícar meus dias de sono pra tê-lo devolta...
Kotomi: Me desculpe... Você é meu melhor amigo e eu fui egoísta com você.
Kotomi: Eu vou te contar tudo, prometo.
Kotomi: Você sempre me conta tudo e eu apenas permanesço calada... Esse é meu jeito mesmo, nunca conto pra ninguém sobre meu passado...
Kotomi: Isso é difícil pra mim e por isso quero que entenda que eu nunca conseguiria contar pessoalmente...
Kotomi: Minha mãe morreu no meu parto então eu nunca a conheci e meu pai passou a me culpar pela morte dela, nos primeiros anos ele foi tão mal comigo, mas depois de um tempo o mesmo passou a se embriagar de diversas formas e sempre que me via o mesmo me espancava e me agredia de diversas formas.
Kotomi: Eu ia para a escola escondida, sempre com roupas compridas para tampar as marcas mesmo que fizesse calor. Havia dias que eu passava sem comer com medo de sair do quarto e encontrá-lo, pois a cada dia ele tinha uma forma nova de me machucar, tanto físicamente quando psicológicamente. Eu ainda tenho as cicatrizes das vezes em que ele passava dos limites como cortes com vidro e queimaduras de bituca de cigarro.
Kotomi: Chegou um tempo em que eu surtei e fugi de casa no meio da noite, sem nem lembrar de pegar roupas ou qualquer coisa apenas fugi para qualquer lugar longe dali. Passei a noite na rua, sem ao menos um casaco para me cobrir.
Kotomi: Eu não me lembro muito bem mas no dia seguinte chovia forte e eu não conseguia encontrar meus sapatos, que provavelmente foram roubados enquanto eu dormia.
Kotomi: Eu caminhei sem saber onde estava com as roupas encharcadas e com fome. Um homem se aproximou de mim, agaixando-se para falar comigo e cobriu com seu guarda-chuva. O mesmo dizia que iria me tirar daquele frio e eu não pensei muito, apenas dei minha mão pra ele e me deixei ser levada.
Kotomi: Me levou pra casa dele e me deu comida, eu estava começando a achar que as coisas estavam dando certo quando o mesmo disse para mim tirar minhas roupas que ele iria colocá-las pra secar. Eu era criança, mas não era burra e neguei até não poder mais. O velho foi pra cima de mim e me derrubou com um soco, por mais que eu me debatesse o mesmo conseguiu tirar minhas roupas e me estuprou.
Kotomi: Eu fui mantida em carcere por cerca de uma semana e só consegui fugir pois havia encontrado um canivete e quando o mesmo veio me atacar eu esfaqueei-o várias vezes e sai correndo. Não sei se ele sobreviveu, liguei pra polícia e eles me ajudaram a sair dali e depois de um tempo eu fui encaminhada para um orfanato em outra cidade.
Jin visualizou as mensagens mas não resolveu, devia estar absorvendo tudo lentamente então continuei a digitar.

Notas Finais


To inspirada pra tristeza pois sei que minha mãe não vai deixar eu ir no show do Bts e também não vou ter dinheiro ;-; ser army é dificiu ;-;
Kpop faz mal pra saudi ;-; Edtou em depressaum profunda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...