História Westbury - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Jeffrey Dean Morgan, Negan, Rick Grimes, The Walking Dead
Exibições 48
Palavras 3.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá humanos, então mais um cap ai pro 6 kkk' e gente desculpa se ficou meio grande tipo com umas 3 mil palavras, mas é que eu me empolguei escrevendo e tals kkkk' Mais então, não postei antes pk
1. Estava com preguiça e mt sono (ultimos dias de aulas são pra te ocupar o tempo que não foi ocupado no começo do ano)
2. Meus primos resolveram passar o dia todo aqui em casa ( justo quando não quero ninguém aparece até o papa dizendo Oi)
e 3. Não tem 3 não, acho que é só isso só mesmo.... Bom sem mais delongas, bora ler essa delicia...

AAAAAH antes que esqueça, MUITO OBRIGADA DE CORAÇÃO MESMO GENTEEEE a todas as lindas que favoritaram : _leilall , Ponei_Mikaelson, RunCharlieRun(Valeu por me inspirar a criar a fic) e cara_de_porta (vocês estão no meu S2) e não estou dando muitos detalhes da personagem, pk quero que vocês imaginem ela do jeito de vocês, sacas pra cada um ser feliz do sei jeito kkkk Mas pra quem tem interesse de como eu imagino a personagem, ela é baseada na Emily Rubb.

Capítulo 2 - Capítulo 2.


Ainda meio sonolenta escutava ao longe alguém falando.

-Aqui é o Dr. Philip.

-Pode falar, aconteceu algo com a garota?

-Não, é que ela está acordando... Dwight?- Tudo ficou quieto- Dwi...

-Já entendi, quando sair tranque a porta.

Escutei passos, a porta fechada e em seguida trancada, abri meus olhos, minha visão estava embaçada mas aos poucos comecei a ver melhor o quarto que estava, ele é todo branco, não muito grande nem muito pequeno, ele é ideal no tamanho, no quarto tem uma cama de solteiro no qual estou deitada, e ao meu lado tem uma poltrona de coro marrom com algumas roupas sobre ela, do outro lado da sala tinha instrumentos médicos sobre uma mesa forrada com um pano branco, do lado da mesa tinha uma porta que dava acesso ao banheiro, tirei o lençol branco e fino que me cobria e percebi que estava somente de roupas intimas e enfaixada na parte do abdômen, lembrei do que tinha acontecido e deu graças a Deus que estava viva, tentei levantar porem não sentia direito minhas pernas, mesmo assim pisei os pés no chão e na minha primeira tentativa de andar cai.

-Merda, vamos lá, tenho que sair daqui, seja lá aonde é aqui- Disse pra mim mesma.

Tentei levantar e com dificuldade e consegui, andei até o sofá e peguei aquelas roupas, era um suéter de lã vermelho e uma saia preta que vinha até meus pés, fui até o banheiro e molhei o rosto, já conseguia me movimentar rápido, minhas pernas já estavam melhores, precisava sair dali, fui em direção a porta e olhei na fechadura, estava tudo escuro, isso significa que a chave ainda estava pendurada na porta, procurei pelo quarto uma folha qualquer, achando uma coloquei de baixo da porta e bati de leve na maçaneta.

-Por favor cai na folha.... Cai na folha- bati novamente- Cai logo –Bati e escutei o barulho dela caindo sobre o chão, puxei a folha rapidamente e lá estava a chave, destranquei a porta, um corredor enorme surgiu em minha frente, comecei a andar por ele, não sabia aonde estava indo ou que lugar era aquele, pelo que pude perceber estava em uma fabrica que era habitada por possíveis idiotas armados, continuei a andar e sempre que via alguém me escondia, continuei assim até que encontrei uma possível saída, passei pela porta azul e dei de cara com varias motos, e uma em especial estava com a chave na ignição “Estranho”pensei,  olhei atrás de mim e vi o portão meio entre aberto, “Qual é, eles acham que sou retardada?”

-Olha tudo bem me sequestrarem, mais deixar uma fuga assim – Dei uma risada fraca- Ai já é me chamar de retardada- Aos poucos muitos homens aparecerem, mas eles mantiveram distância, ao longe escuto alguém assobiando, o som vai ficando mais alto até eu ver quem o fazia, o mesmo homem do taco de baseball que matou aquele cara.

-Meu senhor! Como é bom ver você acordada, vejo que as roupas ficaram legais... Elas não favorecem as suas curvas, mas mesmo assim, você fica um tesão... –Ele olhou para um gordinho e fez um sinal, e todos começaram a se retirar do local, ficando somente ele- Então gatinha, qual é o seu nome?- perguntou colocando o taco sobre o ombro.

-Qual o SEU nome? –Pergunto cruzando os braços.

-Wow, brava ela fica mais sexy ainda –Deu um sorriso- Negan... Lucille-disse me mostrando o taco.

-Deu um nome pro taco? –Sorri de leve- Você é tão carente assim, que precisou dar um nome de mulher pra um taco de baseball ? –Ele veio em minha direção ficando próximo de mim, e sorrindo ele disse :

-Se não tem um nome, talvez eu possa te dar um... –Interrompi

-Catherine, meu nome é Catherine- ele sorriu mais ainda e continuou.

-Bom Catherine, minha linda, temos muito que conversar- deu passagem pra mim e fomos andando até a porta de onde eu avia saído mais cedo.

 

                                                               DOIS ANOS DEPOIS -DIAS ATUAIS

Entrei em seu quarto e o vi deitado sobre a cama em um sono pesado,ele estava dormindo de bruços, subi cuidadosamente em cima dele, me aproximei de seu pescoço e fiz um  som de zumbi e em seguida o mordi de leve no pescoço, ele se assustou e no impulso me jogou da cama, me olhando com uma cara que era um misto de raivoso a assustado.

-Ai! Cai de bunda –dei risada.

-Você ta louca eu poderia matar você, e se você morresse quem seria a minha favorita ?

-Você poderia tentar a Jasmine, ela tem uns peitão- Falei brincando e me levantando do chão, ele me olhou com um sorriso malicioso- Jasmine tem os peitos grandes mas eles são caídos- Disse me sentando sobre ele, eu poderia falar o que quisesse sobre as outras “esposas” dele, mas no fundo não as odiava, só uma e outra que não suportava mas em geral gostava delas, e tinha vez que ele me falava delas só para me ver com ciumes, segundo ele meu ciumes era fofo e o deixava mais atraído por mim, sim atraído, ele nunca disse que me amava, estamos a 1 ano juntos, um ano sendo a favorita dele e ele nunca disse que me amava, mas eu sei que no fundo ele não sente só atração, ele deve gostar de mim, pelo menos um pouco... Agora por outro lado, eu sou louca por ele, não de um jeito doido e possessivo mais eu o amo.

-Pensando bem... Jasmine tem uns puta peito, mas a Deborah, essa safada, tem um peitão e uma bundona de deixar qualquer homem louco –Ah não, ela ta falando da Deborah, cara como eu odeio ela, ele colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha e continuou- Você não acha querida?

Dei de ombros fingindo que aquilo não me afetava, mais falhei tentando isso.

-Por que tem tanto ciumes dela? É por que ela ta em um nível maior que você aqui? Porra Cat que infantilidade s...

-Não é por isso... É por outra coisa... Olha vamos esquecer isso – Comecei a beijar seu pescoço lentamente – Vim aqui pra outra coisa – Sussurrei enquanto beijava seu pescoço.

-Te comer no café da manhã é a melhor comida de todas as manhãs –Negan disse me jogando na cama.

Dei uma risada fraca –Meu amor, eu sou o café, o almoço e o jantar- Café, café, hoje eu tinha que fazer alguma coisa relacionada ao café... Meu Deus.

-Café Negan – O empurrei de cima de mim – Eu preciso ir-Levantei da cama e senti Negan pegar no meu braço, parei e o vi levantar da cama, ele estava com uma blusa branca e uma bermuda cinza.

-Aonde vai? –Perguntou sério.

-Disse que ajudaria a Maria na cozinha... A fazer um negocio –Menti feio, mas sou otima mentirosa.

-A fazer o que? – Perguntou apertando mais o meu braço.

-É surpresa, mas tenho que ir agora- Negan me soltou, e sussurrou um “sei que você está mentindo” bem no meu ouvido.

                                                               ALGUNS MINUTOS DEPOIS

- E ele acreditou? –Frank perguntou arrastando a estante que dava acesso a um buraco enorme quase do tamanho da estante.

-Acreditar ele não acreditou muito, mas ele pensa que eu não faria algo louco- disse pegando minha lanterna na bolsa.

-E isso que você está fazendo é algo normal? – Perguntou Frank erguendo uma das sobrancelhas, Frank era um homem alto na casa dos 30, ele era bonito, tinha os olhos azuis e cabelos pretos- Você sabe se o Negan te pegar ele vai te castigar, e essa não é a primeira vez que você faz isso, meu Deus Cat, você deve ser muito doida, você sabe que as esposas do chefe não podem sair do Santuário.

-Não Frank, não sei, obrigada por me avisar, vou até desistir do meu plano de suicídio –Fui irônica .

-Desculpa, é que você sabe, se ele descobrir que eu estou te ajudando, ele vai me castigar, eu e Judy.

“Frank, Negan tem um trabalho pra você” –Escutamos o rádio de Frank “Frank!”

-Eles nunca vão descobrir que você me ajudou- Falei pulando no buraco, o buraco não era tão grande assim, mas se você pulasse errado poderia se machucar, lá embaixo estava tudo escuro, acendi a lanterna e segui caminho, ao longe pude escutar Frank arrastando a prateleira pro lugar novamente, andei uns dois minutos até ver uma mesa velha, fui até ela e peguei a minha pistola que estava presa em baixo da mesa, peguei meu facão e o coloquei na bainha atrás da cintura, continuei andando até chegar a um lugar que aparentemente não tinha saída, mas se olhasse bem veria um buraco no teto coberto por uma porta de madeira, peguei um barril que tinha ali perto e subi em cima dele, fiz um pouco de esforço pra empurrar a porta e tarãm, estava do lado de fora, virei pra ver se não tinha ninguém ali perto e pude ver a fabrica, enorme e cheia de pessoas, olhei pro relógio e vi que era 8:32, estava atrasada dois minutos, agora tenho exatamente uma hora e noventa e o oito minutos pra tentar achar algo sobre minha família,antes que Negan sinta a minha falta, andei, andei e andei muito, o meu ritmo de andar era o modo rápido de andar e isso era cansativo, uma vez ou outra encontrava uns zumbis pelo caminho mas nada que eu me preocupasse, apertei o passo e cheguei aonde eu queria, uma casa branca e velha, estranhamente a porta estava aberta e nenhum som de zumbi andei até a sala,e comecei a revistar o lugar em busca de pistas, olhei em direção a lareira e o colar que dei ao meu irmão estava lá, caído ao lado da lareira, senti que ia chorar, foi quando escutei passos no andar de cima, fui até a cozinha e me escondi na dispensa enquanto o escutava descer a escada e conversar.

“Devia parecer mais sensível perto dela, fica fingindo que não tem sentimentos não vai ajudar.”

“Espera ai, a mulher aqui é você, não vem com essa de sentimento, é que... Sei la...”- A mulher o interrompeu.

“Você é viado ?” –Eu ia rir,mas antes segurei o riso, maldito senso de humor.

Escutei um deles armando a arma –“Sai dai” –Escutei a mulher, abri a porta lentamente, levantando a mão em forma de rendição.

-Está sozinha? – O homem que perguntou era alto, ruivo, musculoso e tinha um bigode engraçado.

-Sim- Respondi.

-Se você estiver mentindo eu vou... –Interrompi uma mulher afro-americana, ela era atraente, com grandes olhos negros, lábios cheios e longos cabelos castanhos no estilo dreadlocks, ela apontava uma M16 pra mim.

-Eu estou sozinha.

-Qual o seu nome? – O cara perguntou guardando sua pistola.

-Cat, pode me chamar de Cat, e vocês, como se chamam?

-Abraham, e a mau humorada é Michonne – Abraham fez um sinal pra Michonne abaixar a arma e ela meio incerta o fez.

-O que está fazendo aqui?- Michonne perguntou.

-Quer a versão longa ou a curta, perguntei me encostando no balcão.

-Temos tempo- Disse a mulher se encostando na pia de frente pra mim.

-Estou procurando minha família, não sei o quanto deles devem estar vivos agora, mas continuo na busca, o problema é que eles estão em constante movimento, eles nunca param em um lugar e quando o faz ficam pouco tempo antes que aconteça alguma guerra, e o lugar seja destruído e invadido por zumbis, estou a uns bons dois anos atrás deles e nada, as pistas não são concretas ou nem sei se estou no caminho de minha família de verdade, posso esta andando em círculos e não saber realmente de quem estou atrás.

-Você ficou dois anos vagando sozinha por ai? –Abraham perguntou.

-Não – dei uma risada fraca- No começo eu fiquei sozinha, tudo estava um caos, o exército tocou o terror em Seattle, tive que sair de lá de pressa antes que tudo ficasse pior...- Michonne me interrompeu.

-Perai, você estava em Seattle e veio de lá até aqui só pra procurar sua família?

-É, o que não fazemos por amor, né!? –Sorri e continuei a falar- Boa parte do tempo eu andava a pé, mas quando as ruas estavam livres de carros abandonados, andava de carro ou o que eu achava, é muita adrenalina quando você foge de zumbis em uma bike –Ri lembrando de como aquilo era hardcore – Mais enfim, cheguei até Georgia e comecei procurar por lá, aquele lugar estava péssimo, mais ai continuei minha busca, até que me encontrei com um grupo, que moravam em uma mansão eu iria rouba-los e depois continuar seguindo o caminho, mas aconteceu umas coisas e tudo mais, e um grupo matou o grupo que eu ia roubar e me sequestrou e hoje sou parte do grupo de idiotas do cara que matou os caras que ia roubar, estranho eu sei, ele me impede de achar meus familiares que segundo ele estão mortos a muito tempo, ele diz que protege o que é dele, e que eu estou me arriscando atoa.

-Você sabe que ele pode ter razão, não é? –Disse Michonne- Não é querendo te desencorajar, mas eles podem estar mortos a muito tempo.

-Não, não estão e minha prova mais recente é essa- mostrei o colar que achei, era um colar que fizemos a muito tempo atrás, eu dei pra ele no seu aniversário, ficamos horas procurando coisas aleatórias para fazer aquele colar bobo,mas acabamos por comprar um e gravar o nome um do outro nos “colares”, nós sempre usávamos os colares como pulseiras, sei la o por que, a corrente estava quebrada, provavelmente ele enroscou em algo e a perdeu sem nem notar, Michonne pegou o colar e analisou ele, e me devolveu dando um sorriso, foi quando escutamos barulho de carros, eu gelei na hora, e puxei Michonne para ela abaixar, e vi Abraham fazer o mesmo.

-Você os conhece? –Perguntou Michonne, já armando sua arma.

Não disse nada, fiz sinal para nós subirmos para o próximo andar, chegando lá mandei eles entrarem em um dos quarto e fechei a porta.

-Precisam me escutar, quero que se escondam no closet e fiquem lá até eles irem embora, eles não vão fazer nada comigo, mas vão matar vocês- Michonne acenou positivamente e abriu a porta do closet.

-Vem com conosco, você pode ver se eles estão em Alexandria, chegamos recentemente lá, não conheço todos lá mas eles podem estar lá.

-Não, se eu for ai ele me mata.

-Abraham tem razão, você parece ser boa, nós te protegemos, lá é seguro e... –Michonne foi interrompida pelos barulhos que vinham do quarto ao lado- Alexandria, é perto de Washington, é uma comunidade murada não tem como errar- Michonne sussurrou e entrou no closet junto de Abraham, sai da porta e dei de cara com o Negan, que me pegou pelo braço e me levou até um quarto no fim do corredor, era um quarto de casal.

-Simon, da uma volta com o pessoal que eu tenho uma assunto muito chato pra resolver-Gritou no corredor antes de fechar a porta, em menos de um minuto todos ligaram o carro e foram embora.

-Desculpa... Negan eu... E- eu.... Desculpa- Não sabia o que dizer, não esperava que ele viesse me procurar, não pessoalmente.

-Sbe o que eu devia fazer? Hã? Eu devia quebrar a suas pernas assim você ia aprender, você tem que parar, para de se arriscar por essa porcaria, eles estão mortos, todos eles, você entende isso Catherine ? Não você não entende, por que é estúpida o bastante pra si fazer de idiota, você vai acabar morrendo por que está sendo burra, quantas vezes eu já disse, minhas mulheres não saem do Santuário, minhas mulheres não andam separadas por ai, minhas mulheres não mentem pra mim, minhas mulheres não são estúpidas- Brigou comigo praticamente gritando e bateu Lucille com todas as forças no criado mudo que estava ao meu lado fazendo eu me assustar.

-Você me ama, Negan?- Perguntei com os olhos já cheios de lágrimas.

-O que ? Não! – disse jogando Lucille em cima da cama.

Tirei o colar que ele me deu no dia do nosso casamento- Viu... Essa e a diferença entre nós, eu ajo por amor e vou atrás deles por que os amo, já você que nunca amou, não sabe o que é isso, está predestinado a ficar sozinho... Morrer sozinho –Joguei o colar sobre a cama ao lado de Lucille e fui em direção a porta mas quando ia saindo Negan me segurou.

-Você sabe que se for embora... –O interrompi.

-Vai fazer da minha vida um inferno? –Dei uma risada fraca –Já vivemos nele Negan.

Sai do quarto e discretamente olhei pra um dos quartos e vi a porta do closet aberta, desci rapidamente as escadas enquanto escutava Negan quebrar tudo lá em cima, corri pra fora, se eu fosse rápido poderia alcançar eles, andei muito que para mim tinha sido horas andando, agora já passava do meio dia o tempo era nítido que iria chover, passando um tempo a chuva começou eu já estava pra desistir por hoje, mas ao longe pude ver Alexandria, toda murada, apertei o passo e me aproximei do grande portão, não sabia o que fazer ou por quem chamar, comecei a bater fortemente na porta, mas parei quando vi alguns zumbis virem ao meu encontro, tirei meu facão da bainha e comecei a mata-lo quando escuto tiros vindo de longe e vejo Michonne e Abraham, eles mataram o restante de zumbis que faltava.

-Pensei que já estivessem aqui –Falei guardando o facão.

-Ficamos te esperando a alguns quilômetros a frente, pensávamos que você tinha morrido, ele estava quebrando tudo e depois só ele saiu, você chegou aqui bem rápido.

-Obrigada por ter me esperado- Agradeci.

-De nada, vamos, vamos entrar não quero ficar gripada-Brincou Michonne batendo no portão, sendo aberto por um cara que ficou me encarando fixamente.

-Quem é ela ? –Perguntou dando passagem, Michonne –Ele ficou o tempo todo perguntando por você... Sabe que ele não gosta quando você sai sem avisar, ele já ta melhor depois do que aconteceu lá na invasão.

-Cat, esse é o Spencer- Abraham me apresentou a Spencer, ele me olhava como se eu fosse um pedaço de carne suculento-Cat vamos entrar, não quero que a nova integrante da comunidade fique doen... - Abraham foi interrompido por uma voz muito conhecida por mim.

-Você realmente gosta de se arriscar por ai, né!?


Notas Finais


Se leu até aqui é pk gostou, então um bj e até o proximo
E mais uma vez desculpa pelo cap longo ... kkk'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...