História Westbury - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler
Tags Jeffrey Dean Morgan, Negan, Rick Grimes, The Walking Dead
Exibições 30
Palavras 2.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá humanossssss, cheguei e bem esse cap é diferente mais pra contar um POUCO a historia da Catherine e o que aconteceu com ela até chegar ali, não coloquei muito detalhe pk ainda vamos ter muito tempo pra conversar sobre isso
Então sem mais delongas boa leitura

Capítulo 4 - Capítulo 4.


                                                               UM MÊS ANTES

-Um, um, um, um... Um...

-Anda logo, Cat! –Gritou Carl, do meu lado ainda em posição.

-Um... Um...-Vi Carl olhar para nosso pai, que está sentado na escada da porta da frente junto de Glenn e Daryl –Um... Doitresaquatrocinco-Falei rápido e comecei a correr escutado Carl me xingando, nossa aposta é dar duas voltas no lago e voltar no ponto de partida, que é a nossa casa, quando ia dar a minha segunda volta vi Carl chegar para dar a sua primeira, dei a segunda e voltei até nossa casa, muito cansada deitei na grama recuperando o fôlego.

Escutei Carl chegando correndo- A...Ainda não... Sei... porque ten...Tento-Falou deitando ao meu lado na grama.

-Ela te massacrou- Escutei Daryl.

-Verdade, se eu fosse você pedia uma revanche- Glenn falou com um tom divertido na voz.

-Eu faria valendo o dobro da aposta- Meu pai disse.

-Não- Falou Carl se levantando- Prefiro as duas semanas sendo escravo do que ser escravo o resto do ano- Me ajudou a levantar.

-Como sabia que eu a nova aposta ia ser o ano todo? –Perguntei tirando uma folha do cabelo.

-Te conheço Cat, você é maligna- demos risada- Vou beber água, quer?

-Lógico- Fui beber água com Carl, e apostamos para ver quem ganha em beber água mais rápido e eu ganhei o que deixou Carl um tanto quanto puto, o que resultou em Carl jogando o resto de sua água em mim.

Quando estávamos voltando lá pra fora escuto todos dando Oi a Eugene, me escondo atrás do sofá e puxo Carl junto.

-Olá pessoal... Rick, você sabe se Catherine se encontra?

-“Carl, vai lá e diz que não estou”- Sussurrei e Carl sem perguntar o porque foi.

-Olá, Eugene... Está procurando a Cat, perai que vou chama-la –Carl seu grandissimo filho da – CATHERINE! EUGENE ESTÁ AQUI, ELE QUER FALAR COM VOCÊ- Escutei os demais rindo e a alegria no olhar de Eugene quando me viu.

-Olá Eugene.

-Olá Catherine, você gostaria de dar um passeio comigo para continuarmos nosso assunto de outro dia? –Perguntou

-Claro, pode me esperar na igreja? Tenho um assunto pra resolver agora, te encontro lá em cinco minutos- dei um sorriso e Eugene se virou e foi embora, quando ele estava em uma boa distância, escuto Daryl falando bem perto do meu ouvido.

-Que casal sexy- Glenn, Carl e Rick não seguraram a risada.

-Imagina os filhos vão nascer igual o Eugene- Carl falou passando por mim, eu coloquei o pé na frente e ele tropeçou e caiu na escada da varanda, levando uma queda feia.

-Ops, desculpa –Sorri e desci a escada indo em direção a igreja.

-Beija ele direito- Glenn gritou, quando me viro pra xingar ele vejo ele e Daryl fingindo que estão se pegando em um grande e exagerado amasso, vi Rick e Carl chorando de rir, e comecei a rir também, me virei e fui em direção a igreja, e Eugene estava lá, sentado na porta da igreja, quando me viu levantou e sorriu.

-Demorei? –Perguntei sorrindo.

-Nem um pouco- fomos em direção ao lago e sentamos a margem dele.

E ficamos conversando sobre coisas relacionadas a historias, ciências e tecnologia, Eugene era uma pessoa muito inteligente, apesar de as vezes ele não demonstrar isso, ficamos conversando um bom tempo até que no meio da conversa ele disse :

-Eu te amo Catherine!

-O QUE?- Fique surpresa com sua revelação.

-Desculpa.. É que você é tão inteligente, bonita e interessante... Que... Eu pensei que, você sabe, você me...- O interrompi.

-Não! Eu não te amo! –Falei apressada de uma forma meio rude –Desculpa Eugene é que... Não quis ser grossa.

-Eu entendo, deve ter alguém que você goste –Disse triste.

-Não... Não tem não –Sorri lembrando de Negan, droga, para de lembrar dele Catherine.

-Então você pode me dar uma chan...- O interrompi novamente.

-Sou lésbica! –“Mentira, mais que mentira Catherine, fala logo que você gosta de outra pessoa”.

-Ah! Entendo...

-Olha só, já está escurecendo, te vejo outro dia Eugene- Disse indo embora o mais rápido que pude, cheguei em casa e Michonne estava pondo a mesa junto a Rick.

-E ai? Ele disse que te amava? –Michonne perguntou rindo.

-Você sabia, num sabia ? –Perguntei cruzando os braços.

-Digamos que ele pediu umas dicas de como chegar em você- Semicerrei os olhos e encarei Michonne depois meu pai, que não dizia nada apenas ria.

-Vocês me pagam, vocês vão ver... Começando pelo Carl- Michonne disse que ele foi colocar Judith no berço, foi quando o escutei descer as escadas, me escondi atrás da porta da cozinha que ficava ao lado da sala de jantar.

-A Srta. Porter chegou? –Me zuou a mais ele me paga.

-Já, e ela disse que você vai pagar, Carl pega mais um garfo e faca pra mim? –Falou Michonne.

Carl foi pra cozinha e em uma segundo abriu a gaveta no outro estava me xingando por eu ter dado um cuecão nele.

Dias depois eu empatei a transa do meu pai com a Michonne, entrando no quarto batendo com uma colher de pau na panela, fazendo o maior barulho, minha vingança estava concluída com sucesso.

Apesar dos momentos de felicidade, tinha vez que eu dormia e no dia seguinte acordava cedo e fazia café pra mim e pro Negan, eu esquecia que não estava mais no Santuário, odiava quando isso acontecia, eu me acostumei a ter essa rotina, de levantar cedo, fazer café pro Negan, levar o café na cama pra ele, arrumar a sua cama, descer para tomar café no refeitório, escutar piadinhas da Deborah, responder mal a Deborah e ir pro meu trabalho que se resumia em arrumar as armas e limpa-las, sim essa rotina era um saco entediante, porém Negan quase sempre me tirava do tédio, droga, para de pensar no Negan sua babaca, as vezes pensar no Negan me fazia pensar em como meu pai reagiria se soubesse que tive um caso com um cara totalmente louco e assustadoramente perigoso, lembrei de como ele estava feliz quando cheguei aqui em Alexandria.

“Chegando a casa de Carol que era linda, vejo todos da sala de jantar que era enorme me olharem, com a cara de tipo “Quem diabos é essa garota do lado do Carl” foi quando vejo uma linda moça com cabelos curtos, olhos verdes e um lindo sorriso no rosto se aproximar.

-Oi, você deve ser a Catherine, prazer Maggie, adorei o cabelo- Falou me abraçando.

-Obrigada- dei um sorriso, meus cabelos estavam acima dos ombros, e eu estava com um vestido que servia perfeitamente em mim.

-Vejo que serviu direitinho o vestido, pode ficar pra você- Maggie disse –Carol, vamos precisar de mais uma cadeira.

Maggie me apresentou a todos que estavam na casa, no começo eu fiquei bem deslocada, mas depois eu já me sentia em casa, eles eram tão felizes, mesmo com aquelas coisas lá fora, eles agiam como se aquilo não fosse nada, naquele momento dentro daqueles muros o que importavam eram eles, os integrantes do grupo.

-Então Rick, por que nunca disse que tinha uma filha?- Perguntou Carol se servindo de mais suco.

-Bom... É...- Interompi Rick.

-Porque eu disse que preferia ser mais um feto largado na lixeira do que ser filha dele- Dei um sorriso forçado.

-E você eventualmente se arrependeu disso, não é? –Perguntou Glenn.

-Óbvio, eu estava muito puta com uma recente discussão que tive com Stephanie.

-Você quer contar sua trajetória até aqui Catherine? – Perguntou Abraham.

-Bom não garanto que será tão interessante, mas vamos lá, quando tinha 15 anos fugi de casa pra explorar o mundo, então peguei o dinheiro que guardava desdos meus 10 anos e praticamente obriguei meus avós a irem comigo, pois além de ser de menor eu não podia sair viajando por ai sozinha...- Daryl me interrompeu.

-Viajou o mundo com uma mesada? Impossível!

-Quando se recebe 5 mil por mês durante cinco anos da Senhora Barkers e seu marido, você tem aonde cair morta- Disse tomando um gole do meu suco.

-Você é parente de Stephanie e Daniel Barkers? –Michonne perguntou surpresa.

-Sou filha dela com uma noite com Rick.

-Ae Rick, pegando as socialite... Com todo respeito com sua mãe Catherine –Disse Glenn se desculpando logo em seguida.

-Tudo bem, minha mãe era uma vadia- Todos me olharam não sabendo o porque eu ter dito aquilo, então eu continuei falando minha trajetória- Mas então, depois que praticamente fugi com meus avós minha mãe nem sequer ligou com meu suposto desaparecimento, e não queria ninguém dizendo que ela era uma mãe desnaturada, disse a todos que eu estava em um colégio interno ou colégio de freira...

-Interno- Rick disse.

-Isso interno, mas depois de alguns meses eu liguei pra Rick e ele descobriu toda a verdade, mas eu pedi pra ele não comentar nada, quanto mais a Sra. Barkers pensar que engana você mais fácil ela fica de você enganar ela,minha mãe nunca foi uma mãe presente , amorosa e normal, ela me culpava por tudo na vida dela, mesmo que eu não tenha nenhuma ligação com aquilo, ela me culpava, era incrível, mas a principal raiva dela foi porque eu nasci e "estraguei" o corpinho dela, cá entre nós aquilo já estava acabado faz muito tempo... Mais enfim, meu sonho sempre foi viajar o mundo e conhecer culturas e lugares, e aprender muitas coisas em vários países, e eu levei meus avós porque eles nunca viajaram, eles sempre viveram a vida para cuidar de Stephanie e quando ela sai de casa depois de um ano ela volta comigo como presente para meus avós cuidarem, meu avô era aposentado do exército, então ele sempre me contava estórias sobre guerras e vários lugares por onde ele passou, minha avó era professora de Historia, então tudo o que aprendi até hoje, agradeço a eles, viajamos o mundo todo em quatro anos, foi demais, mas depois resolvemos dar uma parada em Seattle, para comemorar meu aniversário de vinte dois anos, bem no dia do meu aniversário o povo de Seattle surtou, os militares endoidaram e nos obrigavam a entrar em ônibus que nos levariam a um “lugar seguro”ali mesmo em Seattle, chegamos lá e vimos ruas fechadas e muros sendo construídos, eu não fazia ideia do que estava acontecendo.

-Tem um local seguro em Seattle? –Sasha perguntou.

-Não... Não é seguro lá, depois que nos numeraram nos abrigaram e nos chamavam em uma sala para “avaliação contra a possível doença”, eles te colocavam em uma sala e te faziam perguntas, quando sai daquela sala fui a procura de meus avós, eu os vi de longe,uma fila com pessoas  entrando em um jato, minha vó me viu de longe  e com sinais mandou eu ir atrás de Rick, quando eu tentava avançar percebia que os portões estavam trancados, eles tinham trancado nós com aquelas coisas, eu busquei um jeito de sair de lá e entrei em uma sala, e em um dos relatórios estava uma lista de supostos aprovados, e eu conhecia aqueles nomes, boa parte deles já até tinha os visto pessoalmente, eram pessoas ricas, ou com influência na sociedade, eles tinham deixado os pobre para morrer, não se preocuparam com nós...

-Mas você é uma Barkers, duvido que eles te deixariam- Falou Daryl.

-Eu procurei em um dos computadores o meu registro lá e o encontrei e lá dizia que eu tinha morrido e mais de três anos, que eu tinha me suicidado, com muito esforço eu consegui sair de lá, e fui atrás de Rick, mas ai eu conheci um grupo, eles me deram comida e abrigo, mas eu nunca disse nada disso que estou dizendo a vocês a eles...

-E por que, não? –Rosita perguntou.

-Por que do jeito que eu conheço o líder deles, ele ia querer ir lá e ver com os próprios olhos e eu não queria ser culpada pela morte do líder da comunidade, e só porque estou dizendo a vocês não quer dizer que quero que vão até lá, não vá, aquele lugar é o terror... É sério... Então eu fiquei uns dois anos naquele grupo e continuei minha procura,e encontrei Abraham e Michonne,  e depois de uma briga com o líder deles eu sai do grupo, segui caminho até achar aqui... E cá estou... –Terminei e vi que todos olhavam pra mim –Desculpa eu falei de mais? Eu tenho essa mania mesmo de começar a falar e não parar mais... Desculpa –cutuquei a unha.

-Alguém quer ouvir mais uma das aventuras da Cat? Levanta mão! –Perguntou Daryl, e todos levantaram a mão.

Sorri e Carol disse pra não começar até ela colocar a água pra ferver pra ela fazer um café”.

-Catherine! – Senti um peteléco na minha orelha.

-Ai! –Olhei para o Carl que estava ao meu lado comendo.

-Ta tudo bem? –Michonne perguntou.

-Ta sim, é que eu estava aqui pensando em coisas aleatórias- dei um sorriso- Eu já terminei, posso me retirar ?

-Claro, querida- Disse Rick com um sorriso.

-Ela estava pensando no Eugene- disse Carl quando de repente chego atrás dele sem ele perceber e te dou um segundo cuecão do dia.

-Cat, sem brincadeira que machuque seu irmão- Disse Rick se levantando da mesa, junto da Michonne.

-Ele provocou – Disse Michonne olhando pra Carl que estava encurvado de tanta dor.

-Por favor não fique do lado dela –Michonne passou do lado de Carl e disse.

-Hail Catherine!


Notas Finais


Então pessoal lindo espero que tenham gostado , no cap anterior eu tinha colocado um gif só que nao sei pk deabos ficou parado como se fosse uma foto, então eu tentei de tudo para arrumar e não consegui então eu apaguei pk me revoltei kkkkkk' mas se vcs quiserem ver o gif vou deixa-los aqui no final ta *u*
e gente muito, mais muito obrigada a quem está comentando mesmo que seja pequenas palavras eu fico super feliz e quem está favoritando, vlw gente serião eu até me emociono assim, meu olho começa a suar de alegria, mais enfim, vlw msm gente até o próximo cap e bjs no cotovelo S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...