História Westeros - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arianne Martell, Arya Stark, Benjen Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Daenerys Targaryen, Gendry, Jaime Lannister, Jon Snow, Meera Reed, Personagens Originais, Sansa Stark, Tyrion Lannister
Tags Daenerys, Filhos, Game Of Thrones, Jon
Visualizações 70
Palavras 1.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Imagem: Lyanna

Capítulo 8 - Promessas


Fanfic / Fanfiction Westeros - Capítulo 8 - Promessas

Porto Real

O sussurro do vento ressoava pelos cabelos negros de Lyanna, da varanda que dava vista para cidade, observa ao longe as pessoas caminhando, carroceiros transportando cabras e carneiros, o ir e vir do comércio, toda a variedade de frutas e verduras que era empacotada e distribuída mostrava a economia próspera da cidade, que nunca vivera um período de tamanha abastança. De certo, Tyrion fazia um ótimo trabalho como Mão do Rei, cuidando certamente de tudo que era necessário politicamente em Westeros. Envolta em pensamentos, ainda intrigada quanto a morte de Lutter, tentava entender que motivo alguém mataria um homem tão integro e simples como ele. E  assim como Jon e Daenerys que nunca imaginavam que algo assim pudesse acontecer. A princesa passou delicadamente as mãos em Fantasma, que dirigiu-se ao seu lado, tocando com a cabeça as bordas de seu vestido azul, em uma tonalidade clara, assim com o céu em um dia de verão.

- É um belo vestido. – Comentou Daenerys, chegando em seguida.

- Obrigada. Deu um pouco de trabalho,  mas eu consegui terminar. – Respondeu Lyanna.

- Sabe, filha, você me lembra um pouco a sua tia Sansa. Ela costumava bordar e costurar bastante na sua idade, mas com as coisas que aconteceram ela mudou. -

- O papai disse que os Starks sofreram bastante. Todos conhecem a história em Westeros. A casa que caiu com Ned Stark ressurgiu com Jon Snow, justamente o filho que era desprezado por ser um bastardo, foi aquele retomou o Norte.

- Verdade, mas... – Jon estava escutando a conversa a algum tempo sem que elas o vissem.

- Sem a ajuda de sua tia Sansa, que trouxe consigo os Cavaleiros do Vale, eu nunca teria vencido aquela batalha. – Disse Jon.

- Sabia que é falta de educação escutar a conversa dos outros? Principalmente de mulheres... – Brincou Dany.

- E sabia que deveria ter mais cuidado ao falar com o rei? – Respondeu Jon, rindo. O rei mostrava-se sério e imponente na presença de outros lordes, mas em seus momentos com a esposa e os filhos mostrava-se sempre alegre.

- Bem nós podemos. E se estiver achando ruim pode voltar para a Sala do Trono. – Comentou Lyanna.

- Com certeza você puxou sua mãe. Essa mania de querer mandar em tudo eu conheço bem. – Respondeu Jon,  retirando-se em seguida.

Lyanna voltou o olhar para horizonte, no qual observou Drogon e Rhaegal cruzando o céu azulado de Westeros.

- Sabe mãe, lembro-me da primeira vez em que o papai voou comigo no Drogon...

- Sim, eu também. Quase matei seu pai quando vi o que estavam fazendo, você tinha cinco anos, mas pra mim ainda parecia um bebê frágil. – Comentou Dany.

- Essa é a sensação da liberdade, eu conseguia tocar as nuvens e sentia o vento no rosto, só não entendo porque tanta preocupação. – Disse Lyanna.

- Quando tiver filhos vai entender. Por mais que você e o Ned cresçam, ainda são pequenos pra nós sempre serão. Mas isso, quando você se casar com um homem digno de você.

- Não preciso de homem nenhum. Odeio a ideia de estar submissa a  outra pessoa. 

- Concordo. Eu e seu pai estamos juntos não porque eu estou subordinada a ele e nem ele a mim, mas porque nos amamos. Se você ama alguém, você fará  tudo para tornar essa pessoa feliz, e ele se realmente amar você, fará o mesmo. Assim é que funciona um bom relacionamento. O homem não é superior a mulher e tampouco a mulher é melhor que homem, mas ambos são pessoas diferentes que se completam.

- Bem, talvez um dia eu encontre alguém assim, mas até lá, serei bem diferente dessas garotas que sonham com um príncipe encantado, tudo isso não passa de uma idiotice infantil. – Comentou Lyanna.

Ned pega sua espada e começa a afia-la, ainda na Fortaleza Vermelha, planejando deixar tudo pronto para partirem. Os Lobos do Rei, assim como eram chamados, os quatro cavaleiros: Ned, Matthew, Soren e Sam. Jon encarregou Jorah de ir juntamente com eles para investigar o assassinato de Lutter em Essos, que era Comandante da Guarda Real.

- Ei, Soren, cuidado quando for lutar em Essos, para não acabar no chão como no torneio. – Comentou Ned, ironicamente.

- Seu humor me comove, príncipe. Creio que terei uma revanche contra o bastardo. – Respondeu Soren.

- Acho que ela não será aqui, mas garanto que o resultado será o mesmo. – Falou Matthew, colocando sua espada na bainha, enquanto Soren abriu um meio sorriso.

- Temos coisas mais importantes a fazer do que uma justa.  Parem de discutir, parecem crianças. – Comentou Sam.

- A única criança que eu vejo aqui é o Soren. – Falou Matthew.                  

- A  fase de criança é a melhor coisa da vida. Depois das mulheres, claro. – Comentou Soren.

- Bem... Estão todos prontos? – Perguntou Jorah, ao adentrar na sala.

- Sim. Soube que Essos possui uma grande variedade de costumes. Espero que tenha também de prostitutas. – Disse Soren, ironicamente.

- Não vamos para lá para visitar bordeis, senhores. Isso é sério, é uma missão e temos que ser discretos.  – Falou Jorah.

- Pode contar com isso, Sor Jorah. – Concordou Matthew.

- Mas que cheiro de merda... – Comentou Soren.

- Um homem não pode peidar em paz?  A que ponto chegamos... – Disse Tyrion chegando até a sala onde estavam reunidos, e continuou:

- Ned e  Matthew. O  rei deseja falar com vocês dois antes de partirem.

- Nos vemos no porto. – Disse Jorah, enquanto retirava-se com Soren e Sam. 

Os dois acompanham Tyrion, até a Sala do Trono onde Jon e Daenerys estavam, juntamente com Lyanna.

- Pai, estamos prontos. – Disse Ned.

- Eu sei. Mas ainda assim, precisam ter cuidado. – Respondeu Jon.

- Teremos, Vossa  Graça. – Falou Matthew.

- Estarão indo a outro continente, pessoas diferentes, costumes diferentes, mas o perigo existe em qualquer lugar, até mesmo aqui, como vocês sabem. – Comentou Dany.

- Tenha cuidado irmãozinho, se você não voltar, quem eu vou humilhar no arco e flecha? – Brincou Lyanna.

- Você adora me provocar não é? Não se preocupe, eu vou voltar apenas para ganhar um desafio de você.  – Comentou Ned.

- E você também, Matthew, precisaremos de você aqui. Quero que saiba que não há garantia de sucesso, mas devemos isso ao Lutter e a você também.

- Eu só posso agradecer por tudo, meu senhor...

- Jon... Meus amigos me chamam assim. Não precisa ser formal em todos os momentos. – Disse Jon

- Certo, Vossa... quer dizer Jon. – Disse Matthew.

- Bem, tenho um presente para vocês dois. – Falou Jon, abrindo um grande baú.

- Aquela é...

- A Guarra-Longa. A espada que meu pai usou na Longa Noite. – Disse Ned.

- São duas espadas. A outra foi de um amigo, meu melhor amigo. O nome dele era Sam, infelizmente ele morreu quando... isso não importa. Escolham a de vocês.

- São espadas de aço valiriano. Não posso aceitar. – Disse Matthew.

- Essa espada é sua, pai. – Replicou Ned.

- E estou dando a você, meu filho. – Falou Jon.

- Andem logo e aceitem antes que eu pegue as duas. – Disse Lyanna, cruzando os braços.

Ned pega a Garra-Longa e Matthew a espada da Casa Tarly, ambos ficam deslumbrados ao tocarem nas espadas. Eles as colocam na bainha em seguida.

- Vocês dois... cresceram juntos como irmãos, então cuidem um do outro. – Disse Jon.

- É uma promessa. – Confirmou Ned.

- Agora, vão.  E lembre-se Ned, se cuide, porque você é meu filho. – Disse  Jon abraçando-o e em seguida Daenerys.

Eles deixam a sala do Trono e se dirigem até a parte externa da Fortaleza Vermelha, no caminho encontram Louisa Martell.

- Desejo-lhes uma boa viagem. Espero que consigam. – Comentou Louisa.

Ned acenou com a cabeça, prosseguindo Matthew a ignora e ela segura seu braço.

- Eu peço desculpas por qualquer incomodo que lhe causei fui injusta com você. – Disse Louisa e continuou, sussurando em seu ouvido:

- Se houver algo que eu possa fazer para compensar... – Sua voz era sensual e provocante.

- Cuide-se mileide. – Interrompeu Matthew, seguindo seu caminho.

Lyanna observou a distância e se dirigiu a até ela:

- Por isso é tão arrogante? Acha que todos querem dormir com você?

- Não. Não quis causar ciúmes, se  por acaso você gosta dele. Mas isso não é da sua conta.  Eu sou alguém que apenas quer coisas...

- E o que você quer?

- Tudo. – Respondeu Louisa, retirando-se.

Jorah os recebe em um pequeno navio, por ordem de Jon, não colocou bandeiras Targaryen e Stark para não chamar a atenção. Jon observava de sua janela ao longe, o navio que partia.

- Eles vão ficar bem, pai. Não se preocupe. – Comentou Lyanna.

-  Eu sei, mas ainda estou intrigado com aquele assassinato, e quem quer que seja está mandando uma mensagem. – Disse Jon.

- Não sei se estou certa, mas alguma coisa me diz que existe algo maior nessa história, não sei... um pressentimento de que isso está apenas começando. – Comentou Daenerys.

- Todos os homens lutam pelo poder... A verdade é que nesse jogo, nunca se sabe quando ele vai terminar. - Comentou Tyrion.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...