História What Am I To You.. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias History
Personagens Do-kyun, Jae-ho, Kyung-il, Yi-jeong
Tags Amizade Colorida, History, Kyungjeong
Visualizações 100
Palavras 5.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEPOIS DE 84 ANOS...
VOLTEI FINALMENTE

Não vou me demorar aqui, só peço que leiam as notas finais e...
Boa Leitura.. ^_^

Capítulo 13 - I Need... You


- O que está fazendo aqui com... ele? – perguntou com desdém.

***

Jaeho chegou ao seu destino, pagou o taxista e desceu do veículo. Quando entrou no prédio em que morava deparou-se com uma cena um tanto atípica, mas, no fundo, já esperava por isso.

- Não sei porque, mas esperava que você já estivesse aqui me esperando. – disse sorrindo.
- Me desculpe por isso. – desculpou-se, coçando a nuca. – Eu estava aqui perto, então decidi vir logo. – completou sorrindo.
- Não precisa de formalidades YiJeong-ah... – Jaeho disse sorrindo ainda mais. – Vamos subir, sim? – completou chamando o moreno, segurando-o pela mão e o puxando para que subissem.

O Kim morava no primeiro andar, então decidiram ir de escada mesmo, afinal, era apenas dois lances.

Quando chegaram ao primeiro andar, caminharam em silêncio até a porta do apartamento do loiro. Jaeho pegou as chaves rapidamente e abriu a porta, dando passagem para o Jang.

- Está um pouco bagunçado, me desculpe. – foi a vez de Jaeho coçar a nuca em desconcerto.

YiJeong analisou o apartamento e viu que o local não estava tão bagunçado quanto o esperado para um ser um apartamento de um cara solteiro. Logo depois ele observou o ato do loiro sorriu levemente com o mesmo e pensou que ele conseguia ser realmente fofo as vezes.

- Sem formalidades, lembra hyung? – YiJeong perguntou sorrindo, tentando não deixar que o clima ficasse estranho.
- Claro, claro... – Jaeho o acompanhou, também sorrindo. – Enfim... o que tem pra me falar? – perguntou curioso.

O moreno suspirou levemente. Ele teria que tomar coragem para falar o que queria. Sem contar que ainda existia a possibilidade de Jaeho negar ao seu pedido nada discreto e nem um pouco usual.

- Quer sentar? – Jaeho perguntou ao notar as reações do mais novo após a sua pergunta.

O menor assentiu e foi até o sofá que ali existia. Sentou-se e passou a olhar a estante que estava à sua frente. Nela estava uma televisão, um aparelho de som e algumas fotos. Uma em específico lhe chamou a atenção.

Era Jaeho com sua namorada.

Nesse instante ele pensou que sua ideia não era nada sensata e que, se a namorada do loiro descobrisse, ela os mataria. Não queria arriscar perder a amizade de Jaeho.

- Parece que vai explodir YiJeong. – Jaeho observou, sentando-se ao lado do mais novo no sofá.

O Jang nada respondeu, apenas continuou a olhar para a foto como se nela existisse uma resposta para todos os conflitos que estavam acontecendo no seu interior naquele momento.

- Essa é uma bela foto, mas acho que a Hyemi vai querer de volta. Se ela não quiser, vou ser obrigado a guardar em uma caixa ou algo assim... – o loiro disse também olhando para o porta-retratos.

Só então ele conseguiu a atenção do moreno.

YiJeong o olhou lentamente, como se Jaeho fosse louco ou coisa assim.

Aquela frase poderia dizer muitas coisas e YiJeong não queria ficar feliz com as possibilidades que estavam passando por sua mente conturbada.

- E porque você a guardaria em uma caixa? – dentre todas as perguntas que rondavam a mente do moreno, aquela fora a única que ele conseguira verbalizar.

Jaeho suspirou e arrumou-se no sofá. Ele sabia que teria que falar sobre aquilo com o moreno uma hora ou outra.

- Nós terminamos. – disse rapidamente, como se tivesse medo de falar mais alto e algo acontecer, como, por exemplo, mais lágrimas rolarem por seu rosto.

YiJeong ficou algum tempo calado, tentando absorver aquela nova informação. Tudo o que ele pensava era que tinha uma parcela de culpa no fim do relacionamento de Jaeho.

- Eu... – começou a falar, porém se deteve. Não sabia ao certo o que dizer.
- Está tudo bem. – o mais velho sorriu docemente para o moreno que tentou afastar aqueles pensamentos de sua mente.
- É que, por algum motivo, eu imagino que tenho culpa  nisso tudo. – fora a vez de YiJeong segredar ao loiro.

O Kim sorriu e mordeu o próprio lábio inferior, pensando se devia ou não dizer o que estava se passando em sua mente naquele instante. Optou por falar, afinal, não tinha nada a perder mesmo.

- Na verdade você tem uma parcela de culpa, mesmo que indiretamente. – o mais velho disse ainda sorrindo, tentando passar para o mais novo que ele não devia se preocupar com aquela informação.
- Mas hyung... eu... – o moreno estava aturdido, não sabia o que dizer.
- Relaxa YiJeong-ah... ela que era muito ciumenta e tinha medo de que eu a trocasse por você. – o loiro disse meio nervoso, afinal aquela era uma informação e tanto e ele queria ver o que o mais novo ia dizer, como ele ia agir àquilo.

O Jang parou de respirar por alguns segundos, sem realmente acreditar no que tinha escutado. Jaeho estava mesmo lhe contando aquilo? Para muitos pode não parecer muita coisa, mas era algo extremamente grande para YiJeong. Afinal, se a (agora) ex-namorada de Jaeho tinha tais pensamentos era porque ele deixava isso transparecer, certo? Ou então ela era apenas mais uma dessas garotas loucamente ciumentas e via coisa onde não existia. O que ele sabia que não era verdade, pois lembrava-se perfeitamente que Jaeho uma vez elogiara seus lábios.

- Novamente, parece que vai explodir. – Jaeho disse, trazendo o mais novo de seus pensamentos.
- Me desculpe, é que eu realmente não esperava ouvir isso. – o moreno disse sincero e Jaeho riu abertamente. – Porque está rindo? – perguntou confuso.
- Você fica extremamente lindo e fofo todo pensativo desse jeito. – o loiro disse sorrindo e, sem que o moreno tivesse tempo para pensar, deu-lhe um beijo na bochecha levemente corada.

YiJeong ficou nervoso e não teve nenhuma reação de imediato.

- O que tinha para dizer? – Jaeho perguntou ao notar a falta de reação do mais novo.
- Ah... – YiJeong pareceu lembrar-se do real motivo de estar ali.

O moreno começou a contar tudo o que planejara e torcera para que o Kim aceitasse aquela pequena loucura prontamente.

- Quer que eu finja novamente? – o loiro perguntou e, ao passo que apenas recebeu um aceno positivo do outro, continuou. – Porque apenas fingir quando podemos fazer isso de verdade? – perguntou e, não podia negar, estava nervoso ao esperar a resposta que viria do outro.

YiJeong pesou os prós e os contras daquela proposta levemente disfarçada que o loiro fizera.

Jaeho não namorava mais e YiJeong estava perdendo Kyungil. Bom, perdendo não, pois não se pode perder o que não se tem de fato. Mas o mais novo não estava tendo-o nem como amigo, dirá como namorado ou seja lá o que eram. A amizade colorida deu espaço para outro tipo de relação, mas eles não conseguiram levar aquilo a diante. Quero dizer, eles não, ele. Song Kyungil que não suportara o ritmo que as coisas estavam levando.

Acontecera tudo muito rápido e YiJeong não sabia, mas tinha duas opções naquele momento. A primeira era ir para casa, trancar-se em seu quarto e ficar remoendo o que teria feito de errado para que o ruivo estivesse tratando-o daquela forma. E a segunda opção era o que ele estava fazendo. Procurar alguém para que pudesse insinuar algo na frente do Song, enfrentando-o de igual forma.

Ele queria provocar Kyungil, estava mais do que decidido. Então, porque não com uma pessoa que o maior não suportava?

YiJeong saiu de seus devaneios e encontrou um Jaeho olhando-o de maneira ansiosa, enquanto aguardava sua resposta.

Sem pensar muito, o Jang segurou o rosto do Kim e tomou-lhe os lábios em um beijo afoito. De início, Jaeho não teve reação, porém, passado alguns segundos, o loiro tomou o controle do beijo para si e acalmou o ato.

Não podia negar que já imaginara como seria beijar YiJeong várias e várias vezes, mas nada se comparava a beijá-lo de verdade. Seus lábios eram deliciosos e tinham um gosto bom. E, pelos céus, o que era aquele frio em sua barriga? Havia se tornado um adolescente?

- Acho que isso é um sim... – Jaeho disse sorrindo quando partiram o beijo.
- Claro que isso é um sim... – YiJeong afirmou e roubou mais um selinho do mais velho.
- Vou me trocar para irmos. – anunciou Jaeho, enquanto levantava-se do sofá. – Fique a vontade, eu não irei demorar. – disse e saiu logo em seguida.

E o loiro realmente não demorara. Quando viram, os dois já estavam dentro de um carro indo em direção ao local que YiJeong ditara ao taxista.

O moreno estava um tanto apreensivo por não saber o que lhe aguardava, mas, mesmo com certo receio, precisava fazer aquilo.

Ele sorriu quando sentiu a mão de Jaeho passar suavemente por sua coxa, apertando o local de maneira calma, como se lhe passasse toda a confiança do mundo com apenas aquele simples toque.

Quando chegaram ao seu destino, o moreno sentiu-se ainda mais nervoso. Havia chegado a hora, não tinha mais como voltar atrás. Bom, até tinha, mas ele não queria. Já tinha chegado até ali, então iria até o final.

Andaram um pouco e nada de encontrarem o ruivo. Decidiram seguir para a pista de dança e, no meio do caminho, YiJeong sentira alguém esbarrando em si. Ele nem ao menos teve tempo de ver quem era ou pedir desculpas. Quando ele olhou pra frente, deparou-se com quem estava esperando.

Song Kyungil.

- O que está fazendo aqui com... ele? – perguntou com desdém, enquanto encarava o loiro em uma mescla de raiva, surpresa e um certo... nojo.
- Não é óbvio? – o moreno perguntou retoricamente. – Me divertindo. – completou dando de ombros.

Kyungil soltou uma risada sarcástica. Ele não acreditava que estava ouvindo aquele tipo de coisa.

- Poupe-me YiJeong. – disse sério. – Tanta gente por aí e você tenta me fazer ciúme justamente com esse tampinha? – Kyungil perguntou sério, olhando friamente para o único loiro ali presente.
- Duas coisas... – YiJeong começou. – Primeiro, não fale assim dele. – ditou sério. – Segundo, eu não estou nem aí para você. Poupe-me você e essa mania ridícula de achar que tudo gira em torno de você. Porque você sabe que não é bem assim. Agora, se me der licença, vou dançar com o meu Jae. – disse, enquanto se afastava de Kyungil.

Quando o moreno tentou passar pelo maior, fora surpreendido pela mão do Song que segurou seu braço com demasiada força.

- Não ouse me provocar. – o ruivo disse baixo, na medida do possível devido a música alta do local, no ouvido de YiJeong.

O moreno sentiu-se levemente tonto com aquela aproximação repentina, mas não podia deixar-se vacilar naquele momento.

- E eu acho que você devia se afastar dele. – Jaeho que, até então estava calado, falou dado um leve empurrão no maior, tirando-o de perto de YiJeong.
- Ficou valente agora? – o maior perguntou, rindo debochado, bem próximo aos dois mais novos.

Nesse instante, YiJeong notou o cheiro forte de bebida que emanava do maior. Ele não queria discutir com o outro naquelas condições, mas existia algo dentro de si praticamente gritando para que falasse alguma coisa. Para que não se mostrasse fraco e indefeso como sempre mostrara.

- Me deixa em paz Kyungil. – YiJeong disse sério, enquanto puxava Jaeho para que saíssem de perto do ruivo.

Ele não sabia de onde havia tirado forças para falar daquela forma com o maior, mas agradecia a qualquer entidade existente por aquilo. A expressão de Kyungil era de pura surpresa e aquilo fez algo bom surgir dentro do Jang. Talvez fosse uma sensação boa causada pelo gostinho de dever cumprido ou, até mesmo, vingança. O que ele não sabia era que tal sensação não costumava durar muito tempo.

Já Kyungil ficou olhando os dois mais novos se afastando. Ele podia ter ido atrás dos dois, podia ter dito mais alguma coisa ou então protestado de alguma forma. Mas aquela simples frase o desarmou. YiJeong havia pedido para que se afastasse e, para ele, o pior de tudo foi não ouvir a palavra hyung sair dos lábios do moreno. YiJeong nunca o chamava pelo nome. Aquilo só podia significar uma única coisa.

Song Kyungil havia estragado tudo de vez.

***

Os rapazes seguiram para o bar, trocaram alguns beijos e conversaram um pouco enquanto saboreavam seus drinks.

Estava ficando tarde e o loiro chamou o moreno de lábios bonitos para dormir em sua casa. De início YiJeong pensou em recusar, mas depois pensou “Que mal tem, certo?” e acabou por aceitar o pedido do mais velho. Depois o moreno mandou uma mensagem para seu pai, avisando que não voltaria para casa naquela noite.

Saíram da boate e tiveram a sorte de não serem incomodados novamente. Não viram Kyungil mais de jeito algum e, para eles, aquilo era um alívio. YiJeong não queria topar novamente com o ruivo. Já Jaeho, preferia evitar aquilo, pois não havia se agradado em nada com o encontro de mais cedo.

Entraram no táxi em silêncio e Jaeho ditara seu endereço ao motorista. O loiro olhou para o lado e deparou-se com um YiJeong pensativo.

- O que houve? – Jaeho perguntara curioso.

Não queria ser invasivo, mas sentia que precisava perguntar aquilo, afinal, se preocupara com o moreno.

- Não é nada demais... – o mais novo sorriu ao responder. Ele queria passar uma imagem despreocupada para o outro, não queria que ele descobrisse o que estava se passando por sua mente completamente bagunçada.
- Se você diz, então... – o loiro respondeu dando de ombros.

Ele sabia que havia algo errado e se YiJeong não queria lhe dizer, ele não iria insistir. Deixaria que o mais novo lhe contasse quando se sentisse a vontade para falar.

- Vem cá... – YiJeong disse em um sussurro, puxando o mais velho para um beijo calmo.

Uma das mãos de Jaeho foram parar na nuca de YiJeong, agarrando alguns fios do local. Enquanto a outra foi parar na coxa coberta pelo tecido da calça jeans.

Logo a mão do loiro subiu lentamente em direção ao membro do moreno, mas ele se deteve ao lembrar-se de que estavam com plateia.

- Acho melhor esperarmos um pouco. – Jaeho disse sorrindo um tanto malicioso, mordendo levemente o lábio do moreno logo em seguida e dando-lhe um selinho e recebendo apenas um aceno positivo do mais novo em resposta.

O restante do caminho fora relativamente calmo. Sem contar, é claro, com algumas vezes em que trocaram carícias mais leves e alguns beijos castos. Era como se fossem dois adolescentes com os hormônios à flor da pele, tentando saciar seus desejos escondidos de seus pais.

Alguns arrepios involuntários percorriam os corpos de ambos. Eles sentiam uma adrenalina ao tentar tocar um ao outro de maneira escondida para que o taxista não reparasse.

YiJeong sorria malicioso vez ou outra, trocando olhares cumplices com o loiro.

Quando chegaram ao prédio, Jaeho pagou o motorista que o olhou desconfiado. Ele sorriu para o velho e saiu do carro acompanhado do moreno. Ambos entraram no prédio rindo da expressão com que o homem de meia idade os encarava. Sentiam-se bem, sentiam-se leves.

O Kim e o Jang estavam felizes como há muito tempo não se sentiam.

Esperaram o elevador chegar e ,quando as portas metálicas se abriram, ambos entraram no cubículo aos beijos. Haviam esperado muito por aquilo e concordaram, de uma forma muda, que não iriam esperar  mais nem um segundo.

Precisavam saciar o desejo que estavam sentindo um pelo outro naquele momento.

Chegaram rapidamente ao andar em que o loiro morava e separaram-se apenas para conseguirem chegar até a porta do apartamento do mais velho.

Jaeho abriu a porta o mais rápido que conseguira e logo estavam beijando-se novamente, só que, dessa vez, dentro do apartamento escuro.

- Esperei por isso a noite inteira... – YiJeong disse voltando a beijar o loiro.
- Esperei por isso mais do que você imagina... – Jaeho confidenciou sorrindo, dando uma atenção especial ao pescoço branquinho do mais novo.

Ele queria aquilo há muito tempo e ainda não acreditava que estava finalmente acontecendo. Sua cabeça estava repleta de pensamentos, porém ele tentava a todo custo espantá-los para que pudesse aproveitar o momento.

E Jaeho não precisou fazer muito esforço para afastar todos os pensamentos de sua cabeça, pois sua mente ficou em um branco total quando YiJeong apertou seu membro por cima da calça que usava.

Ele gemeu arrastado e completamente deleitoso para o contentamento do moreno.

YiJeong nunca pensou que fosse estar naquela situação com o loiro, mas depois daquela noite, onde ele ficara ao seu lado o tempo inteiro, começou a querer que aquilo acontecesse e não podia negar... estava adorando.

Era diferente estar com Jaeho. Porém ele não sabia o que havia de diferente, só sabia que era.

- Vamos pro meu quarto... – o loiro pediu em um sussurro grave no ouvido do moreno, fazendo com que todos os pelos do mais novo se eriçassem quase que instantaneamente.
- Vamos... – YiJeong sussurrou de volta, mordendo o lábio inferior do mais velho, puxando-o para si.

Foram para o quarto do loiro aos beijos e tropeços, rindo quando batiam-se em algum lugar ou derrubavam alguma coisa. Não se importavam de fato com algo que não fosse eles dois e no momento em que se encontravam.

Ao chegarem ao quarto, o moreno jogou o loiro em sua própria cama, ficando por cima do mesmo. Beijando-o, enquanto ondulava seu corpo sensualmente, fazendo com que os membros se chocassem em uma carícia gostosa. Fazendo YiJeong suspirar e gemer baixinho com tais ações do loiro.

As mãos do mais novo arranharam a nuca do loiro, enquanto levantava seu quadril, buscando mais contato com o corpo alheio. Então, o moreno sorriu para o mais velho, mordeu o lábio do mesmo. Ele empurrou o outro para o lado e se levantou da cama, olhando-o nos olhos.

- O que você... – Jaeho começou a falar, aturdido. Não que se separar do outro de forma alguma.
- Shi... só observe. – YiJeong disse sorrindo malicioso.

Jaeho sentiu uma corrente elétrica passar por todo o seu corpo. Ele estava completamente envolto em tudo aquilo e, com isso, ele arrastou-se na cama, encostando-se na cabeceira do móvel para observar o outro.

O mais novo começou a retirar sua blusa lentamente. Ele queria saber o efeito causava no outro e aquela era a melhor forma de saber.

O loiro suspirou ao mínimo movimento do moreno. Ele não acreditava que o Jang estava realmente fazendo aquilo.

Quando se viu livre de sua blusa, YiJeong passou suas mãos por seu abdômen, sorrindo contido ao notar o olhar de surpresa do mais velho para aquele ponto em específico do seu corpo.

O moreno desceu suas mãos até o cós da calça que usava. Para o desespero do loiro, YiJeong desafivelou seu cinto com toda a calma e paciência do mundo. E o mais novo não pode deixar de sorrir quando notou que o outro prendia a respiração em expectativa para o que viria a seguir.

As mãos ágeis do Jang prenderam-se no cós da calça, forçando a peça para baixo, mostrando parte de sua pele branquinha. Ele mordeu o próprio lábio inferior ao notar o desejo quase palpável nos olhos do loiro.

Logo o moreno abriu o botão de sua calça e desceu o zíper, suspirando aliviado ao sentir seu membro parcialmente liberto daquele aperto mais do que incômodo. Ele retirou a calça e a jogou para longe, mostrando ao mais velho seu membro desperto bem marcado pelo tecido da boxer vermelha que usava.

- Você é perfeito... – Jaeho disse em uma quase adoração enquanto admirava o mais novo.

YiJeong sorriu, satisfeito em ouvir aquilo. Era tímido demais e quase nunca recebia elogios como aquele, pois não interagia com muitas pessoas. E só ele sabia como adorava ouvir aquele tipo de coisa.

O loiro levantou-se e seguiu em direção ao outro. Precisava tocá-lo e teria de ser naquele instante.

Jaeho segurou YiJeong pela cintura, puxando-o para si, colando os membros despertos e causando um gemido arrastado de ambos. Estavam necessitados daquilo.

Beijaram-se novamente. Só que, dessa vez, de uma forma mais feroz do que as anteriores. O moreno levou suas mãos à barra da blusa do loiro, tirando a peça e jogando-a longe.

- Roupa demais não acha? – o Jang perguntou com os lábios rentes aos do outro, enquanto suas mãos tratavam de desafivelar o cinto da calça do loiro.

Jaeho apenas sorriu malicioso e, em um movimento rápido, jogou YiJeong de volta na cama. O mais novo o olhou surpreso, enquanto apoiava-se nos cotovelos para observar os próximos movimentos do mais velho.

Havia um sorriso cafajeste que não saía dos lábios do Kim. Ele olhou nos olhos do garoto que estava deitado em sua cama e sorriu ainda mais. Queria ser romântico na primeira vez deles, mas não conseguia. Jang YiJeong despertava algo dentro de si que não sabia explicar ou controlar, apenas sentir. E, não podia negar, estava adorando ter aquela sensação tomando enormes proporções dentro de seu corpo.

- Vê isso? – Jaeho perguntou enquanto apertava o próprio membro por cima da calça jeans, fazendo YiJeong suspirara levemente ao observar o volume que o outro segurava. – Você fez isso e agora terá que dar um jeitinho nisso. – completou e sorriu ao receber um aceno positivo do mais novo.
- Tira logo essa roupa hyung que eu faço o que você quiser... – o moreno disse enquanto se aproximava da beirada da cama.
- Você me torturou e eu não posso fazer o mesmo com você? Que injusto YiJeong-ah... – o loiro disse com uma falsa indignação na voz.
- Por favor, hyung... – o mais novo praticamente suplicou.
- Se é assim que você quer... – Jaeho deu-se por vencido. Ele poderia até tentar, mas nunca iria conseguir negar nada que YiJeong lhe pedisse. Ainda mais se o mais novo estivesse com os cabelos bagunçados, lábios inchados e uma ereção bem marcada pelo tecido da boxer daquela forma.

Ele rapidamente retirou a calça jeans que estava usando, sorrindo contido ao ouvir um suspiro de YiJeong quando seus olhos pousaram no membro marcado pela peça branca que usava.

- Hyung... – o moreno disse manhoso.

Jaeho sorriu enquanto se aproximava da beirada da cama onde o outro estava sentado.

O moreno tratou de puxar o mais velho pela cintura, quando o mesmo estava mais perto de si. Ele queria levantar-se, mas suas pernas estavam bambas e ele temia não conseguir se manter de pé caso levantasse.

As mãos do Jang foram direto para o cós da boxer do Kim, puxando a peça para baixo e sorrindo malicioso ao passo que o membro alheio praticamente saltou para fora daquele aperto.

Jaeho suspirou ao que sentiu seu membro liberto de qualquer peça de roupa. Ele sentiu as mãos do mais novo segurarem seu membro, masturbando-o calmamente, o que contradizia com todo aquele momento de afobação em que os dois se encontravam.

Logo as mãos foram substituídas pelos lábios de YiJeong que surpreendera do mais velho com seu ato.

Ele fazia movimentos de vai-e-vem no membro alheio, sugando-o como se fosse o melhor doce do mundo, enquanto suas mãos encontravam-se nas nádegas do loiro, apertando-as e puxando-as para si, fazendo, assim, com que o membro de Jaeho fosse cada vez mais fundo em sua boca.

O loiro levou suas mãos para os fios negros do mais novo e sussurrou um “Isso...” arrastado, esganiçado. E, nem se quisesse, Jaeho conseguiria descrever o que estava sentindo naquele momento. Era tudo tão... insano. Todas aquelas sensações tomando conta de seu corpo de uma só vez. Ele gemia arrastado enquanto sentia seu membro ir fundo na garganta do outro.

O fato era que ele nunca havia sentido tal coisa.

De repente ele sentiu vários arrepios percorrerem desde sua nuca, passando por todo o seu corpo até chegar ao seu membro. Sem contar com as fisgadas e um formigamento que começara a sentir em seu baixo ventre. E isso só poderia significar uma única coisa.

Seu ápice estava se aproximando.

- Pare YiJeong-ah... – pediu, enquanto puxava os fios do moreno, retirando-o de seu membro.
- Gostou hyung? – YiJeong perguntou com um olhar luxurioso.
- Você é incrível. – Jaeho segredou, fazendo o outro sorrir.

Logo o loiro tomou os lábios do mais novo, sentindo seu próprio gosto misturado ao do outro. Durante o beijo, Jaeho começou a retirar a única peça de roupa que ainda restava no corpo do mais novo, sorrindo quando YiJeong partiu o beijo para que pudesse terminar de retirar a peça que havia ficado presa em seu pé.

Voltaram a beijar-se e, dessa vez, as mãos de Jaeho desceram pela lateral do corpo de YiJeong, arranhando levemente por onde passava, deixando marcas avermelhadas na pele branquinha do outro. Quando as mãos do loiro chegaram às coxas do moreno, ele segurou na parte detrás das mesmas e as puxou para cima. Entendendo o recado, YiJeong entrelaçou suas penas na cintura do Kim. Ambos gemeram em uníssono quando seus membros despertos tocaram-se mesmo que levemente.

Precisavam terminar logo com aquilo ou não aguentariam tanta excitação.

O loiro não perdeu mais tempo e jogou-se na cama com o outro. Voltaram a beijar-se ferozmente e, por entre o beijo, YiJeong fazia questão de arranhar as costas do mais velho, sorrindo ao passo que ele gemia arrastado com seus toques.

Jaeho fez menção de pegar algo na mesinha de cabeceira, porém fora detido por YiJeong que tomara seu lugar e revirara o local, buscando e encontrando o que o outro procurava anteriormente.

- Eu coloco em você... – YiJeong disse sorrindo, enquanto sentava-se na cama e observava Jaeho ficar de joelhos à sua frente.

Ainda sorrindo, o moreno abriu a embalagem e retirou de dentro da mesma o preservativo. Ele segurou o membro do loiro firmemente e bombeou algumas vezes, sorrindo ainda mais quando ouviu o mesmo gemer. Logo ele direcionou o preservativo para o membro alheio e vestiu-o devidamente.

A mão esquerda de Jaeho seguiu para o rosto de YiJeong, acariciando a bochecha do mesmo com o polegar e dando-lhe um beijo logo em seguida, enquanto voltava a deitar-se por cima daquele corpo que tanto desejara.

Sabendo o que estava por vir, YiJeong posicionou suas pernas acima das coxas de Jaeho, dando-lhe, dessa forma, um melhor acesso ao seu corpo. Jaeho sorriu enquanto posicionava seu membro na entrada alheia.

- Eu só vou de uma vez, tudo bem? – o loiro perguntou meio incerto e recebeu apenas um aceno positivo em resposta.

Foi então que Jaeho se empurrou completamente para dentro do outro e, mais uma vez naquela noite, ambos gemeram em uníssono. Ele esperou um pouco, mas logo sentiu o Jang movimentar-se, dando um sinal mudo para que se movesse.

Os movimentos do mais velho eram um tanto receosos. Ele poderia estar excitado e com vontade afundar-se no outro de forma rápida e bruta, porém ainda gostava o suficiente dele para preocupar-se com seu bem-estar.

Jaeho não queria que YiJeong sentisse dor de forma alguma.

Só que, o que o loiro não sabia era que, YiJeong queria que ele aumentasse a velocidade e força dos movimentos. Queria que Jaeho o fizesse gritar até perder todas as suas forças durante o orgasmo. E não se importaria se tivesse que sentir dor para que pudesse ter tudo o que almejava.

Queria sentir... Precisava sentir.

Pensando nisso, o mais novo empurrou o outro e levantou-se. Ele fez com que Jaeho sentasse e montou no colo do mesmo logo em seguida. Ele segurou o membro do loiro e sentou-se no mesmo de uma só vez, arrancando mais um gemido arrastado de seu hyung.

Os movimentos começaram calmos, porém foram ganhando grandes proporções na medida em que o mais novo acostumava-se mais e mais com aquela invasão.

Jaeho não conseguiu controlar a vontade que sentira de levar suas mãos até a cintura do outro e assim o fez. Segurou firmemente a cintura de YiJeong, ajudando-o nos movimentos e, vez ou outra, o obrigando a parar para que ele mesmo estocasse o corpo do outro.

O suor já tomava conta do corpo de ambos. O cheiro de sexo já tomava conta do local, acompanhado pelo som dos gemidos e também pelo ranger da cama. Tudo ali se resumia a prazer e a luxúria.

Quando o ápice estava se aproximando, Jaeho tratou de jogar YiJeong de volta na cama e o penetrou forte e fundo, arrancando um gemido do moreno que mais parecia um grito.

Ele havia acertado o ponto doce do outro em cheio.

O moreno gemeu arrastado e levou uma de suas mãos até seu próprio membro. Precisava aliviar-se. Porém fora impedido pelas mãos do loiro. Ele segurou ambas as mãos de YiJeong acima da cabeça do mesmo, prendendo-o e impedindo-o de tocar-se.

- Vou te fazer gozar sem se tocar dongsaeng... – o mais velho segredou ao notar o olhar confuso que o outro dirigia a si e aumentou ainda mais o ritmo das estocadas.

YiJeong gemia mais e mais até que contorceu-se, liberando jatos de seu prazer. O loiro estocou mais algumas vezes e, só então, derramou-se dentro do preservativo.

Cuidadosamente, Jaeho retirou-se de dentro do mais novo, deu-lhe um beijo rápido e foi até o banheiro jogar o preservativo fora. Quando voltou para o quarto, sorriu bobamente ao notar YiJeong estava quase dormindo todo encolhido em meio aos lençóis bagunçados da grande cama de casal.

Ele foi até o seu armário, pegou uma coberta limpa e, em seguida, foi em direção à cama. Deitou-se ao lado do mais novo, puxando-o mais para perto e cobriu os corpos com o lençol.

O mais velho não conseguiu conter o sorriso que nascera em seu rosto ao notar o mais novo se aninhando em seu corpo.

Jaeho dormiu com cabeça de YiJeong na curva de seu pescoço. E a única coisa que o loiro pensara antes de adormecer fora como ele era sortudo por ter aquele moreno em seus braços.

***

- Boa noite rapaz... – a voz do homem o despertara de seu quase transe.

Nem sabia como havia chegado ao seu prédio, parecia que estava no automático. A bebida estava deixando seu corpo e as cenas da noite repetiam-se em sua mente como um filme de terror.

Odiava sentir-se daquela forma.

- Boa noite. – disse seco ao porteiro da madrugada.

Ele sabia que o homem não tinha culpa, mas não podia fazer nada se não estava em um bom momento para ser feliz e educado com ele.

Entrou no elevador que estava parado no térreo e ficou encarando-se no espelho do local enquanto a máquina o levava para o seu andar.

Estava sentindo-se derrotado.

Seguiu pelo corredor vazio e parou em frente à porta do seu apartamento. Ao conseguir entrar no local, retirou os sapatos, deixando-os de qualquer jeito na porta e foi direto para o banheiro. Precisava de um banho, pois estava odiando o cheiro de sexo, bebida e de cigarro que estava impregnado em sua pele.

Quando chegou ao banheiro, retirou todas as suas roupas uma a uma, ficando completamente nu, e entrou no chuveiro, sentindo um arrepio involuntário quando a água fria entrou em contato com sua pele.

- Eu sou um idiota... – disse em uma mescla de raiva com frustração.

Ele virou de frente para a parede do chuveiro e esmurrou a mesma. Precisava descontar toda aquela frustração em algo. Esmurrou a parede mais uma vez e sentiu uma dor aguda. Olhou para a sua mão e viu filetes de sangue misturando-se com a água.

Havia se machucado.

Começou a chorar copiosamente. Não porque havia machucado a mão, mas sim porque havia machucado seu lado sentimental. Nunca fora de demonstrar sentimentos, achava que isso era coisa de gente fraca ou de pessoas bobas que não tinham muito o que fazer de suas vidas medíocres.

Quem o conhecia sabia que ele não se apegava a ninguém e ele fazia isso porque não queria sofrer. Tinha medo de se machucar. Mas sempre procurava um pouco de carinho com cada pessoa que encontrava. Ele era, de fato, carente de atenção, mas não admitia em voz alta. Nunca admitiria.

E, naquele instante, ele percebera que não adiantaria nunca manter aquela farsa. Sua vida era uma farsa. E pra quê ainda insistia em mentir daquela forma para todos e para si mesmo? Não existia um motivo ou uma razão, apenas o fazia. Mas estava cansado de tudo aquilo. Havia chegado ao seu limite.

As lágrimas iam misturando-se com a água que ainda saía do chuveiro.

Virou-se e sentou-se no chão, escorando-se na parede fria. Segurou sua mão machucada contra o peito e chorou ainda mais.

Era fraco, sempre fora. E, naquele instante, sentia uma dor quase insuportável, pois sabia que sua maior força havia tirada dele. Ou melhor, ele havia perdido por pura estupidez.

Jang YiJeong era a sua força.

O baixinho era tudo em sua vida e ele sabia que se sentiria triste se um dia deixasse de falar com ele ou coisa do tipo, só não sabia que seria insuportável daquela forma.

Kyungil precisava de YiJeong.

- Vou te ter de volta YiJeong-ah...

CONTINUA...


Notas Finais


Demorei muito, eu sei, mas agradeço por não desistirem de mim..
Eu tive um bloqueio bem doido e não tava conseguindo escrever, me desculpem por isso.. Vou tentar ser mais rápida a partir de agora. Acontece que a fic tá chegando na reta final e eu tenho vários bloqueios poque tenho medo de não suprir as expectativas de vocês. Mas prometo dar o meu melhor.
Pra esse capítulo eu segui umas coisas que a minha unnie linda @MayTomlinson me disse no tt.. ela vai saber o que é (pelo menos eu espero que ela lembre)
Por hoje é só.. espero que tenham gostado do capítulo e me desculpem qualquer erro..
Kissus de limão e até o próximo.. ^_^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...