História What color is your soul? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Tags Fantasia, Futuro, Lemon, Viktuuri, Yuri!! On Ice
Exibições 184
Palavras 1.594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Fluffy, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cá estou eu de novo escrevendo fic :v
Porem essa fic sera maior yayyyyyyyyyyyy
Espero do fundo do meu coração que vocês gostem dessa fic <3

(Vou revisar mais tarde)

Capítulo 1 - Prologo


Yuuri andava pela Floresta Walus tranquilamente com uma cesta em mãos, olhava ao redor procurando por frutas silvestres, tinham visitantes do fogo em sua casa e eles eram encantados pelas frutinhas, porém os animais não aceitavam outros seres que não fossem da terra ali, acabava por ficarem violentos.

O olhar atento voou para uma borboleta azul encantadora, que logo tratou de pousar no seu nariz, ele sorriu terno para a criatura fascinante que representava a alma da Deusa.

—Deusa pode me dizer onde tem amoras?- A voz infantil da criança de cinco anos era macia como seda, a borboleta agradecida pela educação do elfo da terra logo tratou de voar graciosamente, e ele a seguia sem hesitações, o garoto sorriu mais ainda quando ouviu o barulho de cachoeira.

-Um lugar novo Deusa? Nunca vi esse lugar!- Assim que ele terminou de dizer os passarinhos cantaram mais alto e os grilos ficaram agitados como se fosse uma resposta da mãe natureza, Yuuri continuou seguindo a borboleta com o olhar, e a viu pousando em um grande pé de amoras silvestres, ele soltou um som empolgado e em poucos minutos já estava subindo a mesma.

Quando subiu no topo o garoto deixou o vento bater em seu rosto, ele amava a natureza, amava o verde das plantas.

Ele amava tudo aquilo, apenas não amava quando as crianças na vila brincavam com seu peso.

Logo o garoto escutou passos se aproximando, não eram passos calmos e sim parecia alguém correndo, ele desceu com rapidez da árvore a tempo de trombar com uma garota de cabelos compridos.

—M-Me ajuda p-por favor.— Ela sussurrou assustada, por um momento Yuuri não entendeu mas tudo ficou claro quando sentiu a presença de um leopardo se aproximar.

Ele entrou na frente da garota, que agora caiu no chão cansada, ela ofegava profundamente e aparentava ser do reino de gelo, não o surpreendia ela estar naquelas condições já que seres do gelo eram criaturas pensantes, e não tinha resistência física alguma.

O leopardo aproximava-se lentamente agora, olhando diretamente para a garota assustada, porém toda vez que o animal olhava para Yuuri um pedido de licença era feito, porém Yuuri não deixaria que isso acontecesse.

—Não vou deixar você devora-la, sinto muito.- Ele fez reverência para o leopardo que logo tratou de sair do modo de ataque e reverenciou o elfo também, depois disso ele deu meia volta e entrou na floresta outra vez —Você está bem?- perguntou agachando em frente à outra criança que parecia ser um pouco mais velha que ele, ela apenas acenou com a cabeça atordoada e olhou para os lados perdida.

—O que uma criatura de gelo faz numa floresta?- Ele andou até a cesta que estava transbordando de amoras, ele não havia colhido, provavelmente a Deusa estava de bom humor hoje.

—E-Eu segui um canto.- Ela sussurrou baixinho, tremendo.

—Oh, deve ter sido a Deusa, ela canta quando um filhote de algum animal nasce - Ele sorriu com carinho para a borboleta que estava parada na árvore, apenas observando tudo.

—Pode me tirar daqui?- A outra criança perguntou baixinho, corando de vergonha, Yuuri também corou e coçou os cabelos na nuca.

—Na verdade não -Ele disse envergonhado e a garota parecia prestes a chorar —E-Espere é que eu tenho de voltar pra vila, meus pais devem estar preocupados, porém a deusa pode te levar.— Ele sorriu grande e esticou o dedo para a borboleta azul que calmamente andou até seu dedo —Borboletas representam a alma da deusa da terra, ela vai te guiar e os animais não vão ser violentos com você.- Ele andou até a garota assustada e colocou a bela criatura em seu ombro, a borboleta subiu pela cabelo prateado e passou a andar pelo rosto da garota, que agora gargalhava com a sensação, Yuuri olhou a cena com carinho, mas logo foram interrompidos pelo barulho do estômago da criança mais velha, que parou de rir na hora e corou com força.

Yuuri sorriu e colocou as mãos na cesta, retirando de lá muitas amoras.

-Deve ser por isso que a Deusa colocou tantas amoras na cesta -Ele sorriu para a garota —Sinta-se um ser amado, a Deusa da terra ama você como se fosse sua criatura.

Yuuri acordou assustado com a lembrança, olhou para o céu claro e encolheu o pé para debaixo da sombra da árvore onde ele sempre tirava um cochilo, os pássaros estavam agitados e seu canto era agudo.

A Deusa não estava de bom humor hoje.

-X-

Até parece que foi ontem que ele ganhou sua pedra da lua, Viktor pensou passando o dedo pela pedra arredondada e ainda totalmente sem cor.

A muitos anos atrás um Deus todo poderoso foi partido em cinco fragmentos, originando cinco Deusas diferentes, que sozinhas e incompreendidas pelas outras Deusas decidiram criar suas próprias criaturas.

As criaturas do fogo eram ótimos guerreiros, os do ar eram ótimos diplomatas, os da terra eram pacíficos porém fortes, os da água eram rápidos e silenciosos, e os de gelo eram os mais elegantes e inteligentes.

Com o mundo devastado as Deusas decidiram criar outro mundo, e juntas criavam as almas de suas criaturas, porém todas as almas nasciam coladas em pares, e só estavam completamente em paz quando se encontravam juntas, porém como as deusas criaram juntas as almas, ambos podiam ser de elementos diferentes e tinham de ser separados, mas para que não se perdessem da sua outra metade eram lhes dado quando nasciam no corpo físico a pedra da lua, quando ambos estivessem preparados para se juntarem ambas as pedras mostrariam o caminho para que assim pudessem ficar juntos.

—Isso é besteira.- Viktor disse para si mesmo entediado, segurava na mão o livro que continham os contos das Deusas, no momento estava sentado no trono do reino de gelo, e o dia atual era seu aniversário.

Estava fazendo vinte e sete anos, e nunca teve nenhum sinal da existência de sua outra metade.

Yakov, general e a pessoa que praticamente o criou especulou várias opções para que esse fenômeno estivesse ocorrendo, ele podia ter nascido sem alma gêmea, ou sua outra metade era um herege que não acreditava na lenda das deusas, ou, eles provavelmente já se encontraram em algum momento da vida de ambos, e como não sabiam acabaram por quebrar uma das regras da lenda.

"Se ambos são de elementos diferentes eles não poderão encontrar-se antes de estarem prontos para se tornarem um."

Uma carranca infeliz enfeitava seu rosto, hoje era seu aniversário e ele passaria sem a pessoa que ele foi destinado, ele ao menos podia senti-lo.

— Rei? — Georgi entrou na sala do trono com uma breve reverência interrompendo os pensamentos de Viktor —Vim lhe desejar meus parabéns.— reverenciou outra vez dramaticamente e Viktor disfarçou o riso.

— Obrigado Georgi —levantou-se do trono, sempre com o rosto sério, Yakov lhe dizia que um rei não poderia sorrir demais na frente de seus súditos — Agradecido pela atenção.

— Na verdade não vim apenas lhe dar parabéns, — levantou a cabeça, olhando Viktor nos olhos — acho que é do conhecimento de todos os reinos que desde seus dezesseis anos vossa majestade procura sua alma gêmea, mas até agora sua pedra não mostrou nada...

— Direto ao ponto Elfo — Viktor cruzou os braços nervoso, todos sabiam o quanto ele odiava este assunto.

— Bem, minha alma gêmea, Anya, tem um vasto conhecimento em magia...— Torceu os dedos uns nos outros.

— Bruxaria.— Georgi não se importou e continuou.

— E ela descobriu um jeito de forçar a sua pedra a localizar sua outra metade.— Viktor arregalou os olhos imediatamente, seu cabelo platinado e comprido caiu sobre seus olhos, e pela primeira vez na vida ele sentia-se dividido.

Por um lado ele poderia conhecer logo sua alma gêmea, a pessoa que ele ao menos conhece mas já ama como se conhecesse à anos, assim poderiam ter seus filhos para continuar a linhagem e acabariam-se completamente com os falsos rumores de que Viktor era um herege.

Porém pelo outro lado, o negativo, ele estaria forçando o amor da sua vida a fazer algo que provavelmente não está preparado, que é encontrá-lo.

— Infelizmente não posso aceitar Georgi — sentou-se outra vez —Não posso força-lo a nada.

Ele suspirava derrotado.

— Senhor, não acha que já se passaram muitos anos? Provavelmente sua outra metade está com problemas, precisa encontrar-lo, já pensou na possibilidade de já terem se encontrado uma vez na vida?- Tentou convencer, e por um lado Viktor sabia que aquilo fazia sentido, não era normal ele estar nessa idade e sozinho.

— Muito bem, eu aceito seu presente!- Exclamou já com dor de cabeça.

— M-Mas tem um porém.- o outro começou, e Viktor revirou os olhos.

— Do que precisa? Riquezas? Pensei que fosse um presente.- Sussurrou com raiva.

—Preciso do seu cabelo.- Disse por fim.

—Um fio?- Arqueou as sobrancelhas.

—Bem mais que isso.- Viktor arregalou os olhos quando entendeu o que o homem queria dizer, cabelo comprido era a identidade do Rei, seja qual for a linhagem, era tradição.

— Tudo bem, farei tudo ao meu alcance.- Retirou uma adaga do cinto que usava, ele sempre trajava algo simples e claro -já que seu elemento é gelo e pelas leis ele deveria usar roupas da cor do seu elemento-, a adaga era curta com a bainha de ouro puro, ele desceu as escadas até ficar em frente à Georgi.

Ele faria qualquer coisa para ter sua alma gêmea consigo.

E agarrando em um rabo seu cabelo logo ele cortou todo o comprimento com a adaga, deixando seu cabelo curto e irregular.

— Faça o que tiver de fazer.

-X-


Notas Finais


Espero que tenham gostado do prologo hahahhahhhahh
comentem!!! vocês não sabem o quanto isso motiva a gente a continuar com a fic \o/////


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...