História What If - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Fifth Harmony, Shay Mitchell
Personagens Ally Brooke, Ashley Benson, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shay Mitchell
Tags Buttahbenzo, Camren, Comedia, Drama, Fifthharmony, Norminah
Exibições 103
Palavras 7.655
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey guuuuys! Voltei, depois de muito tempo, mas voltei haha' Enfim, mais um capítulo para vocês, para mim ficou meio pombo, mas tem coisas importantes nele, então, é isso.
Boa leitura!

Capítulo 6 - Revelações.


Suspirei mais uma vez enquanto olhava seriamente para Keana, a mesma tinha uma expressão calma no rosto e um brilho diferente no olhar. Desviei meu olhar e caminhei até a janela do meu quarto, abrindo a mesma e respirando fundo a brisa que entrava pela mesma, olhei para a rua e vi algumas pessoas que caminhavam por ali, outras fazendo compras em barraquinhas de artesanato, precisava de pelo menos alguns segundos de distração para engolir a história que a morena me contou. Eu não podia acreditar nela, Keana nunca foi de confiança, ainda mais agora. 

 

- Então você decidiu sair fugida de Nova Iorque, e vir parar aqui? Como? - Me virei para a mulher, que se aproximou um pouco. - Keana, a Taylor me contou tudo! 

 

- Eu já imaginava isso. - Ela suspirou jogando seu cabelo para trás e me olhou. - Quando eu e Taylor passamos uma noite juntas, quer dizer, algumas noites, eu já estava percebendo a inquietação dela, acho que até eu ficaria. 

 

- Você é ridícula. - Sorri irônica para a mulher, que engoliu a seco. - Você está se envolvendo com o meu irmão, para tentar fechar o projeto, sendo que, eu não quero fechar com você, e você sabe bem o motivo. 

 

- Lauren, eu sei, mas depois do que eu escutei do Chris, eu mudei completamente de ideia. - Ela engoliu a seco e abaixou o olhar. - E-eu estou com medo. 

 

- Do quê você está falando? - Olhei para a mulher que se sentou na cama. 

 

- Melhor se sentar, a história é um pouco grande. - Ela suspirou. 

 

Keana POV's

 

Sim, eu tinha todo um plano com Chris, para derrubar Lauren e Taylor, mas depois do que eu ouvi dias atrás, eu mudei completamente de ideia, eu só queria fechar o projeto com os Jauregui, mas me juntar com Chris, foi a pior coisa que eu estava começando a fazer na minha vida. Me ajeitei na cama e respirei fundo ao olhar nos olhos sérios de desconfiados de Lauren. 

 

- Por favor, apenas escute, se não quiser confiar em mim, tudo bem, você tem todo o direito. 

 

- Ok, agora vai, desenvolve. - Ela disse impaciente. 

 

- Certo. 

 

- Flashback On - 

 

Mais uma manhã maravilhosa e ensolarada, isso tudo porque passar a noite no apartamento de Taylor, é maravilhoso, apesar do nosso sexo ser quente e um tanto agressivo, ela me trata de uma forma, que homem e mulher, nunca me trataram. No início, apesar de ela se sentir forçada a fazer isso, para eu arrancar informações, acabou rolando algo que eu jamais fosse rolar, sentimentos. Ás vezes eu venho para seu apartamento, apenas para uma boa transa, ou um bom jantar, uma boa conversa e o melhor de tudo, criamos um confiança uma na outra, e hoje não seria diferente. Apoiei meu queixo em minha mão direita, que estava sobre seu peito, e com a minha mão esquerda, acariciei seu rosto, que continha uma expressão serena. Comecei a distribuir leves beijos entre o vale dos seus seios e subi até o seu pescoço, escutei a mesma resmungar enquanto se remexia na cama, sorri assim que nossos olhares se cruzaram. 

 

- Bom dia. - Depositei um beijo em seus lábios. 

 

- Bom dia. - Ela sorriu. - Dormiu bem? São que horas? - Ela virou o rosto para o relógio, e num impulso, se sentou na cama, me fazendo cair deitada ao eu lado. - Droga! Estou muito atrasada. - Ela levantou da cama as pressas. - Olha o que você faz comigo, menina! 

 

Soltei uma risada e me sentei na cama, mordi o lábio inferior, quando vi a mesma caminhar até o closet. 

 

- Relaxa Tay, você é a presidente agora, qualquer coisa, inventa que passou mal. - Falei alto enquanto levantava da cama e ia até o closet. 

 

- Como se essa desculpa fosse colar... - Ela me olhou pelo espelho. - Mais uma vez. - Sorriu. 

 

- Se bem que você poderia passar mal agora. - Colei meu corpo ao seu e beijei seu ombro. - Huh? 

 

- Eu adoraria, mas infelizmente tenho uma reunião agora, e você tem que ver o seu namoradinho lá, esqueceu? - Ela disse irritada ao pegar o resto das roupas. 

 

- Com ciúmes, Taylor? - Ri da sua expressão séria. - Fica tranquila, que o Chris não tem esse privilégio, para ele, estamos apenas nos encontrando casualmente. 

 

- Sei, agora vamos logo? Vão desconfiar. - Ela saiu do closet e foi direto para o banheiro. 

 

Revirei os olhos e sorri ao acompanhar a mesma. Taylor conseguia ser bem chata às vezes. Após alguns minutos, sai do elevador acompanhando Tay, e reparei alguns olhares curiosos em nossa direção, sorri triunfante e peguei em sua mão, a mesma me olhou sem entender, apenas dei de ombros e fui com a mesma até a sua sala. Decidi ficar esperando Taylor, em sua sala, afinal a mesma estava atrasada e chegar junto com ela na sala de reuniões, só ia piorar a situação. Peguei minha bolsa e fui direto no banheiro que tinha na sala, fechei a porta, mas parei colada na mesma, quando escutei duas vozes vindo da sala, uma era de Chris, e outra eu não conhecia. 

 

- Mas eu tenho que descobrir onde essa desgraçada se meteu! - Chris falou em um tom irritado. - Eu não vou sossegar até encontrar, Lauren. 

 

- Chris, calma cara, logo vamos encontrar ela. - A outra voz se fez presente. 

 

- Calma? A Lauren sempre foi a preferida, meus pais sempre deram tudo para ela, até a presidência dessa empresa, e você me pede para ter calma? - Ele elevou a voz. 

 

- Desculpa, mas você está muito estressado, e isso faz mal. 

 

- Mal... Quem você pensa que é para falar comigo desse jeito? Logan, Logan... 

 

- Eu só quis ajudar, mas enfim, e a sua namorada, ela já conseguiu algo? 

 

- Nada! Aquela ali é outra imprestável e otária. - Escutei sua risada debochada. Filho da puta! - Coitada, mal sabe ela, que assim que eu me tornar presidente daqui, vou fazer ela comer na minha mão. 

 

- Caramba Chris, você vai ter coragem? Pensei que vocês estavam se dando bem. 

 

- Ela é boa de cama, por isso nos damos bem, e claro, ela saindo com a minha irmã e seduzindo ela, com certeza ela vai conseguir o que eu quero. - Sua voz saiu mais calma. 

 

- Certo... Bom, agora eu vou indo nessa, você sabe, vou investigar mais, qualquer coisa eu te ligo. - O rapaz falou sério. 

 

- Ok. - Escutei a porta bater, mas ainda escutei passos pela sala. - É, Lauren, eu vou tomar o seu lugar, nem que para isso, eu tenha que te afastar para sempre. - Sua voz saiu fria, logo escutei a porta ser fechada com força. 

 

Senti as lágrimas descerem por meu rosto. Eu não acredito que o Chris estava me usando para tentar uma atrocidade dessa, mas se ele acha que ele vai conseguir, está muito enganado. 

 

- Flashback Off - 

 

- É isso... - Respirei fundo secando as lágrimas. - Eu estou com medo, Lauren, sei que no início eu estava participando, mas eu só queria saber onde você estava, para fechar o acordo com você, e usei a sua irmã, mas eu não sabia que eu poderia acabar me envolvendo com ela desse jeito. 

 

- Nossa... - Ela tinha um olhar vago pelo quarto. 

 

- Depois que eu escutei isso, eu fui direto para o apartamento da Taylor, e acabei checando seus emails, foi aí que eu descobri onde você estava, claro que eu esperei a Taylor vir na frente, e decidi vir depois. 

 

- E ela sabe disso? - Lauren se levantou e parou no meio do quarto, de costas para mim. 

 

- Não, quer dizer, ela não sabe do que eu escutei, mas eu acabei contando da viagem dela para cá e disse que eu viria depois, ela concordou. - Levantei e parei na sua frente. - Lauren, eu não quero que nada de mal aconteça com você e sua irmã. 

 

- Apesar de estar muito abalada com toda essa informação, eu acredito em você. - Ela me olhou séria. - Chris é muito calculista, e ele não vai parar até ter o que quer, eu conheço aquela mente dele. 

 

- Então você me desculpa? - Olhei para Lauren com uma certa expectativa. 

 

- Não é para mim, que você deve desculpas, ela está em outro quarto. - A morena sorriu singela e passou por mim, saindo do quarto em seguida. 

 

Respirei fundo e fechei os olhos, agora que seria difícil. 

 

Camila POV's

 

- Eu não acredito que a Lauren foi se trancar no quarto com aquela mulher, não depois de tudo o que aconteceu, bem que me avisaram que americanos são assim... - Apoiei minhas mãos no balcão da cozinha e soltei uma lufada de ar. 

 

- Então, você e Lauren, estão juntas? - Ally me olhou avaliativa. - Quer dizer, acho que sim, desceram juntas e de mãos dadas hoje? 

 

- Ai Ally... - Respirei fundo e encarei a minha amiga. - Nunca pensei que fosse dizer isso, mas não é de hoje que a Lauren mexe comigo, e noite passada foi a prova de tudo. - Sorri tímida para a baixinha que se aproximou mais. - Ela foi tão carinhosa, não teve pressa, e com direito a café da manhã na cama, e você não sabe da maior. - Olhei para a porta da cozinha e me aproximei mais de Ally. - Ela me chamou de... 

 

- Camz! - Escutei sua voz animada. Olhei assustada para a porta da cozinha e sorri. 

 

- Lauren... - Voltei a olhar para Ally, que apenas piscou e passou por Lauren, saindo da cozinha. 

 

- O quê houve? - Ela se aproximou, repousando suas mãos em minha cintura, seu olhar estava preocupado. - Parece que viu um fantasma. 

 

- E vi... Quer dizer, você me assustou, ai... - Bati com a mão na testa e escutei sua risada. 

 

- Não acredito que estou aqui esse tempo e não peguei um bronzeado. - Ela olhou para os seus braços, logo me olhou. - Eu pareço um fantasma? 

 

- Não, ai Lauren, me desculpa eu não queria te chamar... Mas é que... - Senti seus lábios se chocarem nos meus, logo fechei os olhos e me rendi. 

 

- Relaxa Camz... - Ela disse sobre meus lábios e sorriu. - Mas o que você estava conversando com a baixinha? - Senti seu corpo colar mais ao meu, pois a mesma pegou uma uva no cesto sobre o balcão. 

 

- Nada. - Envolvi meus braços em seu pescoço. - Apenas coisas de mulher e fofocando um pouco. - Sorri para a morena, que apenas afirmou com a cabeça. 

 

- Coisas de mulher e fofocando, sei... - Ela pegou mais uma uva e me olhou. - Sei muito bem. - Senti seus lábios beijarem meu pescoço. 

 

- O que essa tal de Keana queria? - Perguntei de uma vez e escutei seu gemido. 

 

- Sério? - Ela me olhou entediada. 

 

- Ah... é que, sei lá... - Desviei meu olhar para baixo. 

 

- Ela veio se explicar de uma coisa que aconteceu, aliás, está acontecendo, em Nova Iorque, e isso envolve meus dois irmãos. - Senti suas mãos descerem pelo meu quadril e em um movimento rápido, Lauren me levantou e me colocou sentada sobre o balcão. - Mas eu não quero falar sobre isso, agora. 

 

Sorri sobre seus lábios antes de iniciar um beijo calmo, suas mãos estavam em minha cintura fazendo um carinho, enquanto as minhas acariciavam e arranhavam sua nuca de leve. Soltei um gemido, quando nossas línguas se tocaram, fazendo um arrepio correr pela minha espinha. Era tão boa essa sensação de beijar Lauren, ela me trazia conforto, paz, carinho e segurança. Íamos aprofundar mais o beijo, quando eu escutei uma voz. 

 

- Mas é hoje que vou beber até cair mesmo, Sofia, você está me devendo uma boa rodada de tequila e seus acompanhantes alcoólicos. - Dinah disse risonha para minha irmã. 

 

Troquei um olhar cúmplice com Lauren, antes de olhar para as duas mulheres paradas na porta da cozinha, sorri sem graça para as mesmas, que apenas riam. 

 

- Dinah, eu faço questão de pagar tudo para você hoje. - Sofia olhou para minha amiga e piscou. - Devemos comemorar, certo? 

 

- Vocês apostaram se eu e Lauren íamos nos beijar, é isso? - Olhei incrédula para as duas. 

 

- Não, eu apostei com a sua irmã, que vocês iam ter uma noite maravilhosa, e no dia seguinte iam estar se pegando em qualquer canto dessa pousada, já a sua irmã apenas apostou  que vocês iam se beijar, agora adivinha quem ganhou? - Minha amiga sorriu convencida. 

 

- Dinah! - Lauren falou animada, me fazendo abrir a boca em descrença. - Ela nunca erra mesmo... - Dei um tapa forte em seu braço. - Ouch! 

 

- Podem voltar a se beijar, mas cuidado com o Troy viu? Ele odeia bagunça na cozinha dele, e Camila, meu quarto mais tarde, temos que conversar. - Dinah saiu da cozinha, sendo seguida por uma Sofia animada. 

 

- Agora, vê se pode uma coisa dessa... - Falei soltando uma risada e olhei para Lauren.

 

- Disso eu não sei, mas eu acho que podemos voltar a fazer o que paramos. - Ela mordeu o lábio inferior e sorriu. 

 

- Niña traviesa... - Sussurrei sobre os seus lábios, antes de beijá-los. 

 

- Filha, você... - Ao escutar a voz grave do meu pai, me afastei bruscamente de Lauren e olhei assustada para o homem, que não estava com expressão nada boa no rosto. 

 

- Pai... - Sorri sem graça enquanto descia do balcão, olhei para Lauren, que estava mais branca que o normal e um olhar vidrado no homem parado na porta da cozinha. 

 

- O quê... - Ele respirou fundo fechando os olhos. - O quê foi isso? 

 

- Um beijo? - Lauren disse em tom óbvio. - Quer dizer, o que foi isso Camila? - Ela me olhou aflita. 

 

- Lauren... - Passei a mão em seu braço e sorri confortável. - Pai, eu e Lauren estávamos nos beijando, bom, o senhor viu... 

 

- Você... - Ele abriu os olhos e encarou Lauren com uma certa fúria. - Estava beijando a minha filha? 

 

- Bom... - Lauren olhou ao redor da cozinha e deu de ombros voltando a olhar para o meu pai. - Não estou vendo outra Camila aqui, então... - Droga. 

 

- Hija de...! Voy a matar a ti, que te crees que eres para besar a mi chica! - Sua voz saiu um pouco alterada, logo ele avançou sobre Lauren. 

 

Vi a mesma arregalar os olhos e se proteger atrás do balcão, se não fosse tão sério, eu estaria rindo do jogo de pega-pega que estava acontecendo na cozinha, mas a situação estava séria até demais. Meu pai estava segurando uma colher de pau, enquanto Lauren usava uma tampa de panela como defesa. Corri desesperada para a porta e gritei por Dinah e minha mãe, mas além das duas aparecerem, apareceu alguns hóspedes, a irmã de Lauren e até mesmo a tal de Keana. Soltei um grito, quando Lauren passou por mim correndo e desviando de um Alejandro furioso. Ambos corriam pela sala e recepção, Lauren se defendendo das colheradas e Alejandro a todo custo querendo pegá-la. 

 

- Eu sabia! Você estava querendo seduzir a minha filha! Vem aqui! - Ele gritou enquanto batia com a colher na tampa da panela, que Lauren estava usando como escudo sobre a cabeça. 

 

- Deixa eu me explicar... Hey... Agressão é crime, viu? - Lauren olhou rapidamente para meu pai, que deu mais algumas colheradas na tampa da panela. 

 

- Mas isso está muito divertido. - Dinah falou rindo, enquanto filmava a confusão com o seu celular. 

 

- Mas eu vou acabar com essa briga sem sentido. - Falei firme e fui em passos largos até o meio da sala, ficando de frente para os dois. - Mejor dejar esta mierda .. AHORA! - Falei a última palavra em um grito enquanto encarava os dois, que pararam na mesma hora e me olharam. - Muy bien. - Sorri satisfeita e estendi minhas mãos. - Dame eso aquí. - Meu pai e Lauren me entregaram a colher e a tampa da panela. - Ahora, los dos, a la oficina. - Me virei e quando estava indo em direção a cozinha, voltei e encarei os dois. - Sin gritos

 

- Nossa... - Escutei Dinah dizer um tanto surpresa, enquanto eu passava pela mesma e ia em direção a cozinha. - Quanta moral. - A mesma me acompanhou. 

 

- Puxei da minha mãe. - Dei de ombros ao largar os objetos sobre a bancada no meio da cozinha e olhei para minha amiga. - Agora se me der licença, vou ter uma conversa com os dois. 

 

- Isso, vai usar a agressividade que puxou do seu pai. - Ela zombou entre risos. 

 

- Se for preciso.... - Pisquei para a minha amiga e segui em direção ao escritório. 

 

Silêncio. Fiquei parada em frente a porta alguns segundos, e eu só escutava o silêncio, irônico eu sei, mas ou eles estavam querendo manter a paz, ou eles se mataram aqui dentro em menos de cinco minutos. Balancei a cabeça e entrei ao abrir a porta, logo fechei a mesma atrás de mim. Segurei o riso, quando vi um Alejandro de cara fechada e braços cruzados, sentado no sofá, e na outra ponta, uma Lauren toda acanhada e encolhida no mesmo. Ajeitei minha postura, pegando uma cadeira e caminhei até os dois, posicionando a cadeira na frente deles e me sentando. Ficamos nos encarando por breves segundos, até que meu pai resolveu quebrar o silêncio. 

 

- Eu sabia que essa americana estava querendo te seduzir minha filha, bem que eu suspeitei dessa viagem dela para cá. - Seu tom era sério e irritado. 

 

- O que vo.. o senhor, quer dizer com isso? - Lauren o encarou confusa. 

 

- O que eu quero dizer? Não se faça de sonsa garota, viu que minha filha estava toda frágil com o término do namoro dela com a Shay, e resolveu ficar mais uns dias, pra usar ela e depois jogar fora. - Ele bufou irritado. 

 

- Mas o quê? Camila! - Ela me olhou rapidamente. - O senhor está precipitando as coisas, eu não sou esse tipo de pessoa. - Ela apontou o dedo na cara do meu pai.

 

- Eu não vou com a sua cara, menina atrevida! - Meu pai também apontou o dedo na cara de Lauren, que abriu a boca em descrença. 

 

- Você é amigo do meu pai! - Ela disse incrédula. 

 

- Mas você tem o temperamento da sua mãe! - Ele gritou, fazendo Lauren travar a mandíbula. 

 

- CHEGA! - Gritei chamando a atenção dos dois, que me olharam assustados. - Ótimo... - Respirei fundo. - Pai, o senhor não gosta da Lauren? É isso? 

 

- Não. - Ele voltou a cruzar os braços. - Mesmo ela sendo filha do meu amigo, sempre vi o temperamento da mãe, na personalidade dela. 

 

- Então vocês são amigos de muito tempo? 

 

- Sim, somos, conheci Mike em uma dessas viagens pelo mundo, e nos tornamos grandes amigos, nós até iríamos abrir uma sociedade juntos, se a mãe dessa menina, não tivesse atrapalhado. - Ele falou com uma certa raiva. 

 

- Ah, então é isso? - Lauren interveio se levantando e ficando ao meu lado. - Você é mais um, que sente raiva de mim, só por eu ser a filha mais velha? Por eu ser a mais responsável? É isso? E ao invés de esgotar toda a sua raiva, na Clara, você quer descontar em mim? Que lógica é essa? Realmente o senhor não me conhece. - Lauren tinha raiva em sua voz. 

 

- Lauren... 

 

- Não, Camila! Não adianta querer me impedir, eu já estou aqui em Cuba, vai fazer quase dois meses, e seu pai nunca me deu muita confiança, ele sempre ficou desconfiando de mim, mas ele não sabe o porque de eu ter vindo parar aqui. - Ela olhou para o meu pai. - O senhor já se perguntou o porquê de eu ter vindo parar aqui? Hein? 

 

- Não. - Ele a encarou com receio. - Eu achei que você estivesse aqui, a mando da sua mãe ou do seu pai, já que eles te tornaram presidente da empresa. 

 

- Viu, como o seu pai não conhece, Camila? - Ela me olhou com um sorriso triste, logo voltou a olhar para Alejandro. - Eu vim parar aqui, por escolha própria, antes mesmo de eu conhecer o senhor na casa dos meus pais, eu já tinha comprado as passagens e até mesmo reservado o quarto aqui na pousada, e quando eu te conheci lá e te reencontrei aqui, foi a mais pura coincidência. - Ela respirou fundo. - Por isso eu vim fugida de Nova Iorque, as únicas pessoas, que sabem onde eu estou, é Normani e minha irmã Taylor, que chegou ontem, e olha que a minha irmã foi saber tem pouco tempo... Mas tudo bem, isso não te interessa, não é? Afinal, o que é viver trancada durante anos, e agora que quer curtir um pouco a liberdade, ainda assim é criticada? - Ela deu de ombros e se afastou. 

 

- Lauren! - Me levantei e fui em direção a mesma. 

 

- Me deixa, Camila, apenas me deixa... - Ela saiu do escritório batendo a porta. 

 

- Viu, pai. - Me virei para o homem, que apenas deu de ombros. Revirei os olhos e sai do escritório. 

 

Chris POV's 

 

- DESGRAÇADA! - Joguei o copo de uísque na parede com raiva. - Traidora. 

 

- O que houve? - Escutei a voz de Logan vindo da cozinha. 

 

- O que houve? - Me virei para o homem, que estava parado na sala com uma garrafa de cerveja e um sanduíche em mãos. - Você é idiota, ou fez cursinho? - Caminhei até o rapaz de passei pelo mesmo, indo até o bar improvisado na minha sala. - Você acaba de me avisar, que Keana foi para Cuba, e ainda me pergunta o que houve, aliás, seu voo não é hoje? Está fazendo o que aqui ainda? 

 

- Bom, eu comprei a passagem para o início da tarde, e chego de noite lá. - Ele mordeu o sanduíche. 

 

- Tudo bem, bem melhor assim, fica menos suspeito. - Respirei fundo e bebi um gole do meu uísque. - Mas agora o nosso alvo é outro. 

 

- E quem seria? - Ele me olhou confuso, revirei os olhos. 

 

- A Keana, seu idiota! - Esbravejei para Logan, que levantou as sobrancelhas e bebeu um gole da sua cerveja. - Olha, melhor você ir se adiantando logo, tem muita coisa para fazer e logo logo é seu voo. - Me aproximei do rapaz e arranquei a sua cerveja e sanduíche de suas mãos. 

 

- Mas... 

 

- Mas nada, anda! - Empurrei o rapaz até a porta, abrindo a mesma em seguida. 

 

- Deixa pelo menos eu beber essa cerveja. - Ele pegou a garrafa da minha mão e saiu. 

 

Fechei a porta com uma certa força e bebi o restante do líquido de uma vez, olhei pelo apartamento e respirei fundo. 

 

- Além de duas, agora são três no meu caminho, mas logo eu vou eliminá-las. 

 

Lauren POV's

 

Joguei mais um punhado de areia para frente e respirei fundo, olhei para o mar e fiquei pensando nas palavras de Alejandro. Por um lado ele não estava errado em me julgar, afinal, eu fui praticamente comandada a vida inteira por meus pais, para ser mais exata, minha mãe. Que infelizmente, ninguém atura, diferente do meu pai, que apesar desse defeito que ela tem, ele o ama com todas as forças, e ela o ama também, pelo menos ela tem uma qualidade, nunca deixou de amar o meu pai. Pois por mais que a pessoa seja rancorosa, fria, isso não quer dizer que elas não sabem amar, todos tem um jeito de amar, e o da minha mãe é desse jeito. Fechei os olhos e respirei fundo, sentindo a brisa fresca bater contra o meu rosto. 

 

- Pelo o que eu conheço da minha irmã, aqui é o seu porto-seguro, estou certa? - Escutei a voz risonha de Taylor. 

 

- Porto-seguro? - Abri um olho e a encarei. 

 

- Sim, lá em Nova Iorque, o seu porto-seguro, ou era o meu quarto, ou qualquer bar que se encontra perto da empresa. - Ela riu. 

 

- Qual eu usava mais? 

 

- Os dois. - A olhei sem entender, fazendo ela revirar os olhos. - Todo final de semana, era um bar diferente que você estava, eu ia te buscar e você acabava no meu quarto, caída bêbada na cama. - Ela deu um leve tapa em meu ombro. 

 

- Faz sentido. - Soltei uma risada. - Você sempre teve paciência comigo, puxou isso do papai. - A encarei novamente. 

 

- E você comigo, por isso nos damos bem, diferente do Chris. 

 

- É, em falar em Chris, eu ando preocupada com ele. - Olhei para o mar. 

 

- Keana me contou tudo.

 

- E como você digeriu? - Olhei para Taylor, que olhou para o mar. 

 

- Ah, normal, Lauren, eu não esperava menos dele, na verdade eu espero até mais, por ganância ele é capaz de tudo, sempre foi assim. - Ela respirou fundo. - Achei a atitude da Keana, muito linda, pelo menos ela desistiu daquela loucura toda. 

 

- Verdade, quem sabe assim, ela toma jeito, não é? - Desviei meu olhar para a areia. 

 

- Mas ela não desistiu do projeto.

 

- Sei que não, pois eu também não desisti. - Olhei para minha irmã que me encarou confusa. - Eu estou bolando outro projeto. 

 

- Entendi. - Ela sorriu. - E você e Camila, hein? Pelo visto, estão se dando bem, apesar da confusão de mais cedo. 

 

- Ah, Camila é uma menina doce, incrível, linda, encantadora e bem diferente das meninas de Nova Iorque. - Sorri tímida para Taylor, que sorriu. 

 

- Está apaixonada, Lauren Jauregui? Não acredito! - Ela deu um tapa em meu ombro. 

 

- Shhh... - Empurrei minha irmã, que estava rindo. - Fala baixo, isso é segredo... 

 

- Então você realmente está apaixonada pela Camila? - Ela sorriu e me abraçou. - Até que enfim alguém conseguiu domar você. 

 

- Tudo bem, confesso, eu estou apaixonada pela Camila, e quero me declarar pra ela de uma forma bem diferente. 

 

- E como seria isso? Quero ajudar. - Ela falou empolgada. 

 

- Vai demorar um pouco, maninha. - Careteei. 

 

- Por quê? 

 

- Apesar de eu sentir algo por ela, ela ainda sente algo pela ex, que foi embora para Miami hoje com a atual, então eu não posso simplesmente me declarar para ela e receber um fora. - Sorri forçado. 

 

- Nossa, que complicado. - Ela ficou pensativa. 

 

- Muito. - Respirei fundo e voltei a olhar para o mar. 

 

Depois de colocar a conversa em dia com a minha irmã e o almoço, que por sinal foi um saco, decidi ficar em meu quarto lendo um livro que eu comecei a ler em Nova Iorque, mas eu nunca consegui terminar, e agora não seria diferente. Fechei o livro com uma certa força jogando ao meu lado, respirei fundo e soltei o ar pesadamente ao olhar para o teto. Fiquei alguns segundos com o olhar vago pelo teto enquanto mexia em alguma mexa do meu cabelo, até que escutei meu celular tocar estridente ao meu lado. Peguei o aparelho e assim que vi o nome da minha mãe na tela, fechei os olhos por breves segundos antes de atender. 

 

- Oi, dona Clara. - Falei em tom calmo. 

 

- Nossa, que jeito seco de falar com a sua mãe. - Sua voz saiu indignada no outro da linha, o que me fez revirar os olhos. 

 

- Não tenho um balde d'água. - Falei impaciente ao olhar para uma mexa do cabelo que estava em minha mão. 

 

- O quê? 

 

- Esquece... - Respirei fundo e me sentei na cama. - Alguma novidade? 

 

- Não, eu estou ligando para saber, se você sabe sobre o paradeiro da sua irmã.

 

- E porque eu saberia? - Careteei ao me levantar da cama e ir em direção a janela, onde abri a mesma e vi o início da noite. 

 

- Porque você e Taylor são mais próximas e sabem tudo uma da outra, com certeza ela deve saber onde você está, aliás, é bem capaz dela estar com você. - Sua voz saiu acusativa. 

 

- Mas o fato de nós sermos confidentes... - Andei apressada pelo quarto, saindo do mesmo. - Não quer dizer que eu saiba onde ela está, e vice-versa. - Fiz sinal para Keana fazer silêncio, assim que encontrei com ela e Taylor no corredor. - Entendeu, mãe. - Falei um pouco alto e olhei séria para as duas. 

 

- Entendi. - Sua voz saiu um pouco calma. - Eu vou ligar para ela e tentar descobrir onde ela está, ela não pode deixar a empresa sozinha assim. 

 

- Mãe, a Taylor não é irresponsável, fique tranquila, se ela está... - Fiz sinal para a Taylor ir ao seu quarto e pegar o telefone. - Viajando, com certeza, Alexa deve estar ajudando ela. 

 

- Mas ela é mais nova, sabe, ás vezes bate a irresponsabilidade nessas viagens de negócios. - Ela bufou. - Bom, agora estou mais tranquila em saber que você está bem, tenho que ir. 

 

- Tudo bem, mãe, tchau, beijos. - Mordi o lábio inferior e fechei os olhos. 

 

- Tchau... - Escutei sua respiração pesar e fiquei esperando a sua outra resposta, mas a única coisa que eu ouvi, foi o alerta anunciando o final da ligação. 

 

Olhei para a tela do aparelho e respirei fundo, logo olhei para Taylor que apareceu no corredor, com o celular em mãos e um olhar preocupado. 

 

- Ela já desconfia que você esteja comigo, com certeza, Chris já falou algo para ela, se ela perguntar se você sabe onde eu estou, afirme que eu estou em Cuba, que descobriu por eu soltar sem querer em uma ligação com você. - Me aproximei de Taylor e dei um beijo em sua testa. - Ela vai te ligar, não tenha medo de mentir para ela, e por favor, pegue o primeiro voo pela manhã de volta para Nova Iorque. - Sorri para minha irmã, que estava preocupada.

 

- Ela tem razão, Taylor, essas horas, o Chris já descobriu o seu paradeiro, capaz de ter descoberto o meu também. - Keana se aproximou de nós. - Aquele ali é capaz de qualquer coisa. 

 

- Tudo bem. - Minha irmã respirou fundo. - Assim não fica tão suspeito.

 

Acenei para minha irmã e me afastei sendo acompanhada por Keana, que queria conversar algo comigo. Descemos a escada e fomos para a entrada da pousada, sentamos na calçada e ficamos um bom tempo em silêncio, apenas olhando para a movimentação de pessoas, animais e carros na rua. Engoli a seco e encarei a morena, que me encarou na mesma hora, sorri sem graça. 

 

- Desculpa. - Abaixei meu olhar.

 

- Tudo bem, Lauren, não queria te assustar. - Ela riu baixo. 

 

- Não, eu estou pedindo desculpas, por eu ter duvidado da sua palavra. - A encarei novamente. 

 

- Ah, tudo bem. - Ela respirou fundo. - Digamos, que eu também não sou lá essas coisas, só de imaginar que eu estava com Chris, por pura ganância... 

 

- Sabe, apesar dele ser mal caráter, me dói saber que ele chegou ao ponto de se virar contra nosso pai, e o engraçado, é que nossa mãe nem liga. - Olhei para a rua e franzi o rosto ao ver um carro parado em nossa direção há alguns metros de distância. 

 

- Entendo, dona Clara é assim mesmo, e Chris puxou ela. - Ela riu. - E imaginar que eu me aproximei de Taylor, apenas por interesse, e agora me vejo atraída por ela. 

 

- Ainda temos que conversar sobre isso. - Olhei séria para ela. - Taylor é meu bebê. 

 

- Então, estamos começando a nos dar bem, Jauregui? - Ela sorriu divertida. 

 

- Bom, eu acho que sim. - Sorri. - Olha, vamos fazer o seguinte? 

 

- Sim, o que a senhorita manda? - Ela se virou de frente para mim e me olhou nos olhos. 

 

- Vamos começar com calma, ok? Eu acho que não estou pronta para esse tipo de relacionamento com você, e... 

 

- Relacionamento? Com ela? - Me virei rapidamente e vi Camila com as sobrancelhas levantadas e braços cruzados. 

 

Olhei para Keana, que segurou uma risada, voltei a olhar para a latina, que estava com uma expressão nada boa. Sorri sem graça para Camila e me levantei rapidamente indo até a mesma, que me olhava séria. 

 

- Olha, você escutou tudo errado, o que eu e Keana temos... - Ela franziu o o rosto. - Quer dizer, o que nós tínhamos, não.. - Cocei minha nuca e suspirei forte. - Na verdade nós nunca tivemos nada, além de uma conversa profissional na empresa, e... 

 

- Camila, o que ela quer dizer, é que nós nunca nos demos bem, cada dia de reunião na empresa da Lauren, era uma discussão diferente. - Keana havia se aproximado e a mesma carregava um sorriso divertido no rosto. - Eu gosto mesmo é da outra Jauregui, que aliás, está me esperando em algum lugar por aqui, então a Lauren é toda sua. 

 

- Minha? - Camila disse espantada e logo soltou uma risada irônica, que me deixou um pouco sem graça e chateada.

 

- Dela? - Olhei sem entender para Keana e sorri, entrando no jogo de Camila.

 

- Ué, vocês não estão juntas? - A morena nos encarou, logo eu e Camila nos encaramos e voltamos a olhar para Keana. 

 

- Não. - Respondemos juntas. 

 

- Mas eu pensei que... 

 

- Você não tem que achar nada, Keana. - Sorri para a morena e coloquei meu braço esquerdo em volta do seu pescoço, acompanhando a mesma até a entrada do hotel. - Vai procurar a minha irmã, vai, ela deve estar arrumando as malas, aproveita e matem as saudades. - Sorri forçada para a morena, que apenas concordou e de ombros. 

 

- Isso é tão engraçado. - Escutei a voz de Camila atrás de mim. - Ontem e hoje de manhã estávamos em um clima bom, e agora esse estranhamento e negação. 

 

- É melhor assim. - Me virei para a latina e a encarei. 

 

- O que você quer dizer com isso? 

 

- O que eu quero dizer, é que é melhor não ter nenhum tipo de envolvimento entre nós duas. - Careteei e me aproximei de Camila, que me olhou sem entender. - Você sabe, ainda sente algo pela sua ex e eu quero aproveitar esse meu estilo livre de viver. 

 

- Entendi. - Camila olhou para a rua e suspirou. - Sabe de uma coisa? - Ela me olhou e sorriu. - Concordo com você, não podemos nos envolver sentimentalmente, mas podemos nos envolver. 

 

- Podemos? E como seria isso? - Cruzei os braços e a encarei curiosa. 

 

- Podemos, simples, sexo sem compromisso, nada de amor para lá e para cá, continuamos amigas, só que com uma coisa a mais. - Ela sorriu e estendeu a mão. - O que me diz? E lembrando, eu posso ficar com quem eu quiser na noite e você também, mas nada de sexo com essas pessoas, só entre nós duas. 

 

- Então você está me propondo que nossa relação seja baseada em conversas, algumas noitadas com quem quiser, mas o sexo é só entre nós duas? - Vi a latina concordar e sorrir convencida. - Nada de se apaixonar e se envolver demais? - Ela concordou novamente. - Feito! - Apertei sua mão e sorri. 

 

- Sem trapaças dessa vez, dona Jauregui. - Ela soltou uma risada. 

 

- Sem trapaças. - Concordei e sorri antes de cobrir seus lábios com os meus. 

 

Logan POV's

 

Após pegar as chaves com o recepcionista do hotel, subi direto para o quarto e assim que entrei, fechei a porta atrás de mim largando minha mochila e uma bolsa de mão, perto da cadeira que havia no canto ao meu lado esquerdo na porta. Retirei minha blusa e caminhei até a cama, onde me sentei e saquei meu celular do bolso, disquei o número de Chris, que após o terceiro toque, atendeu num tom abafado, porém irritado. 

 

- Não acredito que você está me ligando agora. - Sua voz realmente estava estranha e sua respiração pesada. - O que você quer? 

 

- Chris, você está bem? Sua voz está estranha e... 

 

- Isso, porra, sua boca é maravilhosa... - Escutei Chris soltar um gemido rouco. 

 

- É... Chris eu estou aqui ainda. - Cocei a nuca. 

 

- Eu sei idiota, vai me fala, descobriu alguma coisa? - Mais uma vez ele gemeu. 

 

- Sim, descobri, por incrível que pareça, eu estava passando de carro na rua e vi Lauren e Keana, sentada na calçada, em frente a uma pousada, não tão longe daqui onde estou hospedado. 

 

- Deve ser a de Alejandro imagino, minha irmã é sempre tão óbvia

 

- Deve ser mesmo, amanhã eu vou passar por lá de novo e ficar na cola dela. 

 

- E... Porra, continua assim. - Escutei ele gemer mais uma vez e cocei a nuca. - Desculpa, mas e Taylor, você a viu? - Ele respirou fundo. 

 

- Não, só elas e mais uma mulher que apareceu, com certeza deve ser alguma hóspede. 

 

- Certo, então amanhã você fica na cola dela, mas não vai muito cedo para não dar muita bandeira, Lauren é muito desconfiada. 

 

- Ok, chefe. - Escutei uma voz feminina seguida de alguns gemidos e palavrões. - Bom, desculpa atrapalhar o seu momento aí, até amanhã. 

 

- Tchau. - Escutei a voz rouca de Chris antes do mesmo desligar o telefone. 

 

Respirei fundo e olhei para o chão. - É Logan, você está em uma encrenca terrível. 

 

Camila POV's 

 

Me remexi na cama e soltei um gemido abrindo os olhos devagar, passei minha mão esquerda nos olhos e senti algo em minha cintura, abaixei meu olhar para a minha cintura, e vi uma mão de pele clara, sorri e me virei para encarar sua expressão serena enquanto dormia. Passei minha mão por seu rosto, colocando a mexa caída em seu rosto, atrás da orelha, logo aproximei meu rosto do seu e encostei meus lábios nos seus, escutei ela murmurar um gemido anasalado, sorri sobre seus lábios. 

 

- Apesar de estar trapaceando, adorei ser acordada assim. - Sua voz saiu rouca, e seus olhos ainda permaneciam fechados. 

 

- Confesso que adorei essa trapaça. - Sorri enquanto alisava seu rosto. 

 

- Então pode trapacear mais vezes. - Ela abriu um sorriso, logo abriu seus olhos devagar, e pude ver que a tonalidade verde, estava mais clara. - Essa eu deixo. 

 

- Safada. - Dei um leve tapa em seu ombro antes de me levantar e ficar sentada na cama. - Pelo visto você odeia regras. - Estava amarrando meu cabelo em um coque mal feito, quando senti seus lábios distribuindo beijos em minha nuca, me causando leves arrepios. 

 

- Só quando estou com você. - Sua voz saiu sussurrada e suas mãos alisavam meus ombros e braços. 

 

- Lauren, Lauren, eu sou perigosa quando quero. - Olhei para a mulher sobre o ombro e sorri. 

 

- Eu não tenho medo do perigo, pelo contrário. - Vi Lauren se ajoelhar e aproximar seu rosto do meu e me olhar nos olhos. - Eu amo. 

 

Senti um arrepio atingir em cheio o meu corpo, e meus músculos tensionarem, nossos olhares conectados e respirações pesadas, olhei para os seus lábios rapidamente e subi meu olhar para o seu, como se Lauren tivesse lido meus pensamentos, a mesma avançou sobre meus lábios, iniciando um beijo intenso. Sem separar nossos lábios, senti suas mãos em minha cintura, quando a mesma me puxou para o seu colo, onde eu sentei colocando minhas pernas em cada lado do seu corpo. Desci meus lábios por seu pescoço, distribuindo leves mordidas e chupões, suas mãos desciam pelas minhas costas nuas e iam até a minha bunda, onde ela apertava com uma certa força. Mordi o lóbulo de sua orelha enquanto apertava seus seios. 

 

- Espero que ame esse perigo. - Sussurrei sobre os seus lábios. 

 

- Ah, mas como eu vou amar. - Sua voz saiu mais rouca do que o normal. 

 

Sorri para Lauren, e mais uma vez nos entregamos ao prazer e ao desejo, aquela manhã. 

 

--

 

- Pelo visto, a noite  e a manhã, foram boas. - Escutei Dinah segurar uma risada, junto de Ally e Sofia, que estavam na mesa do lado de fora da pousada. 

 

- Bom dia para vocês também. - Me sentei em uma cadeira, que me dava a visão privilegiada da praia e de frente para as meninas. - E respondendo a sua pergunta, Dinah, foi maravilhosa. - Sorri para a minha amiga, que levantou as sobrancelhas. 

 

- Ok, queria eu estar assim também, mas a minha morena está em Nova Iorque, e o máximo que nos falamos é quinze minutos por telefone. - Ela fez um bico, que arrancou risadas minha e das meninas. 

 

- Quem diria, Dinah Jane apaixonada. - Ally zombou antes de beber um gole do seu suco. 

 

- E minha irmã também. - Vi Sofia fazer um high-five com Ally. 

 

- Podem parando, eu não estou apaixonada, é apenas uma atração, desejo, e além do mais, a Lauren não vai ficar aqui por muito tempo. - Careteei antes de levar um pedaço de pão para minha boca. 

 

- Mais os quase dois meses que ela está aqui, foi tempo suficiente para você esquecer da Shay, que poder as Jauregui tem sobre as Cabello. - Olhei de relance para Dinah, que riu, revirei os olhos. 

 

- Bom dia, meninas. - Escutei a voz de Taylor. 

 

- Bom dia. - Falei sorrindo para a irmã de Lauren e acenei para Keana, que estava ao seu lado. 

 

- Bom dia, prince... quer dizer, Taylor. - Minha irmã sorriu abobalhada para a morena, que apenas riu e lhe deu um beijo em seu rosto. 

 

- E então, vocês vão querer conhecer um pouco da cidade hoje? - Falei animada para as duas mulheres, que se sentaram ao lado de Dinah. 

 

- Bom, deixa pra próxima Camila, infelizmente eu vou ter que ir embora daqui a pouco. - Taylor falou um pouco desanimada. 

 

- Mas já? 

 

- Sim, aconteceu uns problemas lá na empresa, e como a Alexa não consegue resolver sozinha, eu vou ter que voltar pra lá. - Ela sorriu cansada. 

 

- Entendi. 

 

- Você chegou não tem dois dias e já vai embora, isso que é viagem rápida. - Dinah riu. 

 

- É aquela famosa "visita de médico". - Ela fez aspas com os dedos e riu. - Mas eu pretendo retornar em breve e ficar mais uns dias aqui. 

 

- E eu estarei te esperando. - Não só eu, mas como todas na mesa, olharam para Sofi, que estava encarando Taylor da forma mais descarada e abobalhada possível. - Digo, a cidade, para você conhecer... - Ela tossiu e se recompôs na cadeira, voltando a ficar de frente para mim. 

 

- Certo. - Keana tinha uma certa raiva em sua voz, logo ela olhou para Taylor e sorriu. - Amor, eu vou ficar mais uns dias aqui, tudo bem para você? 

 

Me engasguei com o suco e comecei a tossir, olhei para Sofia, que abaixou o olhar um pouco triste e se levantou de súbito, voltando para dentro da pousada. Fiz sinal com a cabeça para Ally e Dinah irem atrás, elas logo entenderam o recado e saíram atrás da minha irmã. Dei mais algumas tossidas e sorri para as duas mulheres. 

 

- Me desculpem... - Ajeitei meu cabelo. - Então as duas são namoradas? 

 

- Não exatamente, mas apenas mantemos uma relação diferente. - Taylor sorriu para Keana, que concordou. Sei bem disso. 

 

- Entendi. - Sorri e concordei. 

 

Lauren POV's

 

Depois de tomar café com Taylor, Camila e Keana, agora estava eu e minha irmã no Aeroporto Internacional José Martí, como ela havia comprado o primeiro voo para Nova Iorque, decidi trazê-la, pois queria lhe dar algumas dicas de como escapar das jogadas da nossa mãe e Chris, mas algo me chamou atenção, um homem vestido com roupas pretas, e um boné na cabeça, estava nas olhando ao longe, então disfarcei e com meu celular escondido atrás da mochila de Taylor, que estava sobre meu colo, coloquei na câmera e tirei algumas fotos suas, o mesmo estava falando ao celular. Levantei meu óculos e olhei para minha irmã, que estava distraída em seu telefone. 

 

- Taylor. - Escutei ela murmurar algo. - Não olha diretamente, apenas disfarça, tem um rapaz nos vigiando aqui no aeroporto, ele está na nossa frente, encostado na parede daquela farmácia. - Ela murmurou em concordância e levantou o rosto olhando disfarçadamente para o rapaz. 

 

- Eu conheço ele. - Ela deitou sua cabeça em meu ombro e abaixou os seus óculos. 

 

- Conhece? 

 

- Sim, ele já esteve na empresa algumas vezes e em todas que eu vi, ele estava falando com Chris e uma vez com a Alexa, eu só não sei o nome dele. - Ela falou meio sonolenta. 

 

- Mas eu vou descobrir. - Olhei diretamente para o rapaz, que estava agora olhando algo em seu telefone. - Pode apostar. 


Notas Finais


Eita! O que será que o Chris está querendo tramar agora, hein? Só no próximo capítulo para saber.
Enfim, qualquer dúvida, chamem lá no twitter - jauresunn - estarei aguardando. E sobre A Comissária, vou começar a escrever essa semana.
Até a próxima, guys!

Link What If (Wattpad) - http://my.w.tt/UiNb/ER74G95Bzx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...