História What If I Say I Hate You? "I Am Lying"? - (TzuKook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, TWICE
Personagens Dahyun, Jackson, Jimin, Jin, Jungkook, Nayeon, Sana, Tzuyu, V
Tags Amor, Bts, Drama, Fluffy, Jeon Jungkook, Jungkook, Kookie, Romance, Twice, Tzuyu
Visualizações 165
Palavras 3.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos de mais um?
Desculpem algum erro...
Boa leitura...📖😉

Capítulo 3 - Empurrãozinho


Fanfic / Fanfiction What If I Say I Hate You? "I Am Lying"? - (TzuKook) - Capítulo 3 - Empurrãozinho

{Tzuyu}

Esse era o lado de Jungkook que eu não conhecia. Não entendi qual foi o motivo dele me tratar com tanta frieza assim. Eu me senti arrasada com a sua atitude, ele estava muito diferente de quando foi embora. Claro, ele também estava muito lindo. Mas para que tanta beleza se a beleza principal ele perdeu, que é o brilho nos seus olhos e seu sorriso aquecedor...?

- Tzu? – alguém me chama e eu nem havia percebido que ainda estava parada no mesmo lugar olhando para o nada. – Tzu, você está bem?

Era Jackson, quando olhei para ele uma vontade imensa de chorar fez os meus olhos arderem e um soluço involuntário saiu com força me fazendo chorar feito criancinha, eu tapei minha face com minhas mãos, não queria que ele me visse tão frágil assim, mas foi impossível.

Jackson veio rápido até mim e me abraçou bem forte, mesmo não sabendo o que se passava, ele simplesmente se manteve ali, quieto, a espera de mim desabafar. Ele fez carinho em minha cabeça e eu me senti reconfortada com seus toques.

- O que ouve Tzu? Porque está assim? Alguém te incomodou? – parecia até que ele já me conhecia.

- Não, não foi nada. – me separei dos seus braços e tratei de enxugar meu rosto.

- Nada? Nunca vi ninguém chorar por nada. – ele disse me encarando pensativo. – Olha, se não quiser me contar tudo bem, só não quero mais te ver assim tá legal? Você não vem lanchar?

- Estou sem fome. – digo desanimada.

- Há duvido, faz assim, me espera embaixo daquela árvore no meio do pátio que eu já chego lá. – ele diz se encaminhando para a porta da sala.

- Mas Jackson eu... – eu tentei dizer que eu não queria, mas ele me interrompeu.

- Sem mais, apenas vá para lá e me espere hun. – ele manda uma piscadela para mim e sai.

Eu não queria ir para lá, ficar no meio de tanta gente me encarando como se eu fosse um pedaço de lixo. Me dei por vencida e saí da sala, mas antes, passei no banheiro e lavei meu rosto para amenizar a vermelhidão e o inchaço. Passei pelo pátio e as meninas me chamaram. Vi Jungkook sentado próximo delas, ele me olhou e depois me ignorou olhando para o outro lado.

- Pensei que não vinha mais, já íamos atrás de você. – disse Nay me analisando.

- Não se preocupem, eu estou bem. – olhei para trás e Jackson me deu sinal para ir para o lugar que ele marcou. – Eu preciso ir agora. – antes de sair Sana me interrompe.

- Onde você vai? – ela pergunta curiosa.

- O Jack me convidou para lanchar com ele. – explico e elas se entreolham.

- Humm... Aí tem. – elas fazem o som malicioso e falam alto chamando a atenção de algumas pessoas ao redor de nós e até mesmo Jungkook nos escarou e depois revirou os olhos me deixando mais triste ainda, eu precisava sair dali, pela primeira vez sua presença estava me fazendo mal.

- Tchau. – dei de ombros, mas Sana me chama de volta.

- Espera, volta aqui, eu tenho que te perguntar uma coisa.

- O que é? – perguntei me aproximando.

- Senta aqui. – ela da sinal para me sentar na cadeira ao seu lado.

- Pronto, pergunta logo. – fiquei esperando ela dizer.

- E o seu amigo ali? Ele não foi falar com você ainda? – ela dá sinal apontando com os olhos para o Jungkook e eu fiquei cabisbaixa.

- Eu não quero falar sobre isso agora, depois a gente conversa tá legal, agora eu tenho que ir. – quando estava me levantando Dahyun solta uma das suas me deixando irritada novamente.

- Ele não se lembra mais de você não é? – Dahyun pergunta dessa vez e eu me viro a encarando.

- Se eu te disser que sim, você vai se dar por satisfeita ou ainda vai esfregar na minha cara a sua frase praxe “Eu Te Avisei”...? – perguntei nervosa sentindo os meus olhos marejarem.

Nem me importei se quem estava ao meu lado estavam me olhando ou se ouviram o que eu disse, eu só queria sumir dali, já não bastava a maneira rude como Jungkook me tratou eu não ia permitir que ela também me deixasse mal.

- Tzuyu calma, não faria isso com você, só estou querendo entender o que está acontecendo. – ela diz, parecia preocupada.

- Você já tem a sua resposta. – falo limpando uma lágrima que teimou escorrer por minha face. – Para mim acabou esse assunto.

Saí de lá sem olhar para trás, me sentia tão mal, meu peito comprimido em uma angustia gigante, tentei me controlar para não deixar o Jackson preocupado, quando cheguei no meio do pátio ele já estava ali sentado me esperando.

- Pensei que fosse me deixar plantado aqui. – ele diz com um ar divertido, mas no fundo eu sabia que ele dizia a verdade.

- Nunca faria isso Jack. – falo sorrindo um pouco forçada e ele percebe.

- Está se sentindo melhor? – ele olha me analisando.

- Hum, sim. – minto.

- Não, você não está. – ele diz sério e eu me assusto, a gente mal se conhece e ele sabe bem mais sobre mim do que eu sei sobre ele.

- Sou tão transparente assim? – pergunto cabisbaixa.

- Com os seus sentimentos sim, seus olhos lhe entregam. – ficamos em silêncio por um momento e eu cabisbaixa brincando com a grama. – Quer conversar? Talvez possa te fazer bem desabafar.

- Eu... é complicado. – suspiro ficando quieta novamente.

- Então descomplica, na vida nós mesmos tornamos as coisas que são simples mais difíceis, talvez por orgulho ou por simplesmente sentir medo de algo. – Jackson era tão bom com as palavras que isso me assustava um pouco.

- Sim, mas nem eu mesma entendo o que se passou, foram tantos anos... – digo olhando para o nada pensativa.

- Talvez se você me explicar desde o início o que está acontecendo eu possa te ajudar. – ele sorri singelo para mim.

- Bem, como você já pôde reparar, as pessoas do colégio não gostam de mim por eu ser quieta demais. – falo magoada e ele me olha estranho.

- Qual é o problema nisso? – ele pergunta confuso,

- Porque elas pensam que eu devo ser igual a elas, desinibida e andar em grupinhos e eu sempre fui muito fechada. Eu só ando com as meninas porque elas me forçaram a se juntar a elas e desde então, todas de um jeito ou de outro cuidam de mim e não deixam que as outras garotas me aborreçam. Eu sou tímida, isso acaba me atrapalhando em ter relacionamentos. Com os garotos da escola principalmente, vários já me chamaram para sair e eu sempre os rejeitei. – expliquei e ele me encarou surpreso.

- Porque?

- Por causa de uma promessa que eu fiz aos 13 anos com um amigo meu muito especial. – disse o fim da frase quase em um sussurro e ele fica mais surpreso ainda.

- Que promessa foi essa? – ele pergunta tentando entender minha história. – De se manter casta para sempre? – ele ri brincando e quando percebe minha feição séria ele para de rir. – Isso é sério?

- Quase isso. – digo simplista.

- Hein...?

- Meu amigo era o mais próximo a mim. Quando os problemas começaram a surgir no meu caminho, ele esteve o tempo todo do meu lado. Eu não tinha ninguém para contar além dele, e isso nos aproximou muito. Ele era o meu vizinho, não estudávamos no mesmo colégio, mas nos víamos frequentemente. Algo em mim por ele havia crescido, mas não tive coragem de me confessar. – suspiro cabisbaixa e Jack continua em silêncio prestando a atenção. – Foi quando ele me disse que iria embora com a família e não sabia quando iria voltar. Nós prometemos um ao outro que ele nunca me esqueceria e ele me fez prometer que eu o esperaria até que ele voltasse e me assumisse como sua namorada...

- E você esperou todo esse tempo? – ele me pergunta mais espantado ainda.

- Uhum. – confirmo.

- Woa..., você é rara Tzu, se fosse outra no seu lugar já teria esquecido dele. Faz quanto tempo que ele foi embora?

- 4 anos e 7 meses.

- E você sabe alguma coisa dele ou onde ele está?

- Sim, soube hoje. – falo triste.

- E o que descobriu? – pergunta curioso.

- Que... ele... ele se esqueceu de mim. – fico cabisbaixa e permito minhas lágrimas que já as segurava a algum tempo caírem dos meus olhos e ele apoiou sua mão em meu ombro tentando me confortar.

- Por isso você está assim, que idiota ele é. – Jack fala bravo.

- Ele está tão diferente, com os olhos nublados e frios, ele foi tão insensível comigo. – murmuro chorando.

- Espera, você o viu? – eu assenti afirmando. – Onde?

- Ele está estudando aqui também, chegou hoje como você. – explico e ele pareceu clarear as idéias.

- Então ele é o outro novato?

- Sim. – assenti.

- Olha Tzu, não fica assim tá legal?! Se ele não deu valor a você o problema é dele, isso significa que ele não te merece. – ele diz sério. – Você sabe porque ele mudou com você? Se ele tem namorada ou algo do tipo...?

- Não, não sei de nada sobre ele e o que ele passou esse tempo longe de mim. Mas quer saber? Também não quero saber, nada justifica a forma como ele me tratou. Se ele me quer longe dele, porque voltou, e justamente porque na mesma escola que eu estudo? Isso é o que eu não entendo. – falo chateada limpando minhas lágrimas.

- Talvez ele tenha feito isso para você se desapegar dele e te liberar da promessa que fizeram. – quando Jack disse isso eu reparei que não havia parado para pensar nisso, pensando bem, pode ser isso mesmo que ele queria. – Olha, não fica assim tá, eu vou te ajudar a esquecer ele, você tem que se distrair e é isso que eu farei. Você não tem mais a ele, mas não está sozinha Tzu, você tem suas amigas e agora tem a mim também. – ele sorri complacente o que me permitiu sorrir também.

- Obrigada Jackson, já estou me sentindo bem melhor. – ele tirou sua mão do meu ombro e segurou minha mão a apertando firme.

O sinal soou e nos levantamos para voltarmos para a sala. Eu nem havia começado a comer o lanche que ele comprou para mim, nem o que ele estava comendo terminou. Guardamos tudo e fomos em direção ao corredor para as salas. Jungkook estava na porta da nossa sala barrando a entrada junto de seus novos amigos, que por incrível que pareça eram os idiotas que me provocavam desde sempre.

Diminuí meus passos e Jackson percebeu e olhou para a porta da minha sala. Não sei o que passou pela cabeça dele, mas ele repousou seu braço sobre o meu ombro me abraçando de lado. As meninas no corredor junto de alguns garotos me olharam com asco e cheias de raiva. Jack aperta mais seu braço nos meus ombros me puxando para mais próximo dele.

- Não de bola para essas mimadas, eu tô aqui com você, não vou deixar que te façam mal. – ele sorriu doce para mim e eu retribuí seu sorriso.

Jungkook nos viu e percebi o mesmo travar o seu maxilar e me encarar com desprezo. A sua reação fez um nó se formar em minha garganta e uma vontade terrível de chorar e gritar com ele para dizer o quanto ele estava sendo idiota.

- Bom, eu tenho que ir para a minha sala. – ele avisa.

- Tá, obrigada Jack. – agradeço e ele se aproxima mais de mim.

- Por nada pequena. – ele dá um beijo em minha testa me pegando de surpresa e me abraça depois seguindo para a sua sala.

Jackson foi o anjo que pousou na minha vida para me tirar esse sofrimento que sinto no momento. Tá tudo uma bagunça em minha cabeça e não sei como lidar com isso. Muito menos com o olhar mortal que Jungkook está lançando para mim. Respirei fundo e me direcionei para a porta da sala quando sinto alguém segurando e apertando o meu braço.

- É assim que você se tornou? – Jungkook me pergunta e eu sinceramente estava muito confusa. O que ele quer dizer com o que me tornei?

- O que?

- Antes você era tímida, inibida, não se aproximava de ninguém, agora já está aos abraços com um cara no corredor da escola. Qual é...?! – sua atitude foi totalmente excessiva, nada se parecia com o Kookie de 4 anos atrás.

- Eu não estou entendendo o que você está querendo dizer com isso Jungkook. Não foi você mesmo que me disse que não se lembrava de mim? – rebato e o mesmo me solta.

- É, você tem razão, não sei porque estou me importando com isso, você não é ninguém para mim. – suas palavras me machucam mais ainda, será que tudo o que eu imaginei que ele era foi tudo uma ilusão da minha mente?

- Porque você voltou? – perguntei chateada. – Porque justo na mesma escola que eu estudo você se matriculou? – pergunto quase chorando na sua frente e ele me ignora.

- Eu não te devo explicações sobre a minha vida.

- Ok, já que é assim, então continue fingindo que não me conhece, porque eu também não lhe devo explicações da minha vida. – falo e entro na sala.

As meninas já estavam sentadas e me encararam, eu simplesmente me sentei e ali fiquei. Não queria falar com ninguém, só queria ficar invisível por um momento.

- Tzu. – Sana me chama.

- Hum.

- Você está bem? – perguntou receosa.

- Uhum.

Não disse mais nada, dei de costas e esperei as aulas acabarem para sumir daqui.

{Sana}

Não estou gostando nadinha de ver Tzuyu nesse estado. Tzu é minha melhor amiga, é como a mascotinha do nosso grupo. Ela esta triste demais, e aquele garoto não tira os olhos dela. Ao mesmo tempo que vejo carinho vejo raiva nele também. O que se passa na cabeça dele? Porque ele disse que não se lembra mais dela? Porque ele mente? Eu vou descobrir. Depois que a aula acabou Tzu rapidamente arrumou seu material e foi embora, pedi as meninas para não me esperarem porque iria resolver um probleminha. Elas estranharam mas foram embora. Assim que avistei o garoto, segurei o seu braço e o fiz parar.

- Será que dá para me soltar? – ele fala sério.

- Não até termos uma conversa bem séria. – o encargo na mesma intensidade.

- Conversa séria? Como assim, eu nem te conheço.

- A mim não, mas a Tzuyu sim. – ele bufa irritado. – Qual é? Porque está a tratando tão mal? E a promessa que vocês fizeram você já esqueceu?

- Eu não te devo explicações. – ele grita muito bravo.

- Há deve sim, a partir do momento em que você mexe com uma das minhas amigas você mexeu comigo. – falo brava e ele revira os olhos.

- Olha, o que aconteceu comigo e com a Tzu quando éramos crianças, ficou no passado...

- Mas para ela não, a Tzu nunca deixou de se lembrar de você, ela sofreu muito quando você foi embora...

- Estou vendo mesmo. – ele murmura com desdém.

- O que? O que quer dizer com isso? – pergunte incrédula, não entendi o que ele estava querendo dizer com isso.

- Há... não se faça de boba, ela mudou muito, não é mais aquela garotinha inocente e ingênua que eu conheci, minha amiga tinha razão, ela se esqueceu da promessa mais importante que fizemos e tolo fui eu em acreditar em uma garota de 13 anos. – ele disse visivelmente magoado.

- Você tem ideia do que está dizendo? Você não é só tolo como é um idiota também. – xingo ele.

- Sou, um completo idiota por ter voltado pensando que a garota que eu tanto amei já estava nos braços de outro...

- Mas... hey, espera aí, a Tzu não está com ninguém. – falei confusa, de quem ele estava falando?

- Não? Tem certeza? E aquele garoto que não sai da cola dela que a beija e a abraça na frente de todo mundo é o que então dela? Amigo? – ele ri debochando e eu lhe dei um tapa em seu braço. – Ai... ficou maluca? – ele reclama esfregando seu braço.

- Você deve estar falando do Jack, olha ele é um aluno novo, a Tzu nem conhecia ele... – ele me interrompe.

- Que interessante, ele é novato e ela já estava nos braços dele. – ele revira os olhos e eu me seguro para não bater nele de novo.

- Você e ela tem muito o que conversar, e não vai ser com essa atitude egoístas e grosseira que conseguirá acertar as coisas. – concluo.

- Não tenho mais nada para falar com ela. – ele dá de ombro.

- Tem sim, olha, eu não devia te dizer isso, sei que ela vai me matar, mas você tem que saber, a Tzu te esperou por todos esses anos sim, sabe quantas vezes ela falou sobre você para mim? – ele finge desinteresse. – Milhares de vezes, eu já estava cansada de tanto que ela falava sobre você. Ela nunca te esqueceu, nem mesmo a promessa que fizeram, ela te esperou todo esse tempo, mesmo tendo opções melhores ela te esperou, se o Jackson apareceu na vida dela, eu acho que não foi por acaso. Ele está dando o apoio a ela que você não dá a anos. Não julgue ela, você não sabe o que ela passou todo esse tempo, teve muitos momentos que ela precisou de você e você não estava lá, e fui eu quem a segurou para não deixa-la se afundar em uma depressão profunda. – quando disse isso ele me olhou surpreso. – Acho que você entende melhor do que ninguém pelo que ela passou, então deixa de ser ridículo e vá falar com ela de uma vez e se acertem. Porque eu juro que se eu ver ela chorar por você novamente eu mesma te farei se arrepender de ter voltado. – o aviso.

- Entendi, eu vou pensar sobre isso melhor e irei falar com ela não se preocupe. – ele fala sorrindo, acho que agora ele entendeu o recado.

- Agora some da minha frente antes que eu te dê mais uns tapas. – ele riu e foi embora, me sinto orgulhosa de mim mesma. – Agora eu vou para casa comer e dormir que eu ganho mais.

Tem coisas que para se resolverem, precisamos dar um empurrãozinho de leve, só de leve mesmo 😉.

...Continuo?...


Notas Finais


Será que agora JK aprende?
Bjokass 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...