História What Is Your Desire, Hyung? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Got7, Jackbum, Lucifer, Markyeom
Visualizações 46
Palavras 1.487
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quis postar logo esse e é isto

Boa leitura enquanto eu surto com o Jackson no EMA 💚

Capítulo 4 - Quatro


Fanfic / Fanfiction What Is Your Desire, Hyung? - Capítulo 4 - Quatro

 

Para Mark, ele havia ganhado e uma parte dele estava satisfeito e feliz com isso, mas o outro estava irritado tanto com Yugyeom tanto com a polícia que chegou fazendo-o terminar o jogo pela metade, ser empurrado, assediado e perdido Jaebum e Jackson. 

Próximo dali havia um posto com uma loja de conveniência e foi andando até la para comprar algo para comer. Comprou um saquinho de algas desidratadas, um lamen e um café gelado. A moça havia lhe informado que além de que viraria lésbica por ele que ainda se mantinha como menina, na lateral direita da conveniência havia água quente para preparo do lamen.

Porém Mark não era muito bom com direita e esquerda e acabou indo com seu saquinho para o lado esquerdo, numa passagem não muito larga entre a parede da conveniência e um barracão que havia do lado do posto. Procurou pelas torneiras mas um grito enfurecido chamou sua atenção.

- EU JÁ DISSE PRA ME DEIXAR EM PAZ - gritava um homem no chão. Seus joelhos estavam ralados e havia um corte em sua testa e sangue na parede. 

Mark logo o reconheceu: era o cara que havia dito que queria mostrar o As de paus pra ele. Porém o que o surpreendeu foi ver Kim Yugyeom com as mãos nos bolsos encarando o homem friamente.

- Estou aguardando. - disse e seu tom de voz estava tão áspero que Mark novamente se surpreendeu - Me diga qual era seu desejo

- EU QUERIA FODER ELA E OUVIR SEUS GRITOS PEDINDO PARA EU PARAR - o homem soltou e logo tampou a boca com as mãos, como se fosse algo secreto que acabara de contar.

Mark sentiu um enorme desgosto na hora. Odiava a humanidade com todas suas forças, por isso se dedicava inteiramente a música. Culpa dos hormônios? Jamais. Isso é culpa do descaso de autoridades em casos que envolvem agressão, sequestro e estupro de pessoas, principalmente de mulheres. Mark odiava tanto isso e todas as formas de repressão e preconceitos que sentia-se envergonhado de ser da mesma raça que seres humanos estupradores e preconceituosos. Viu o mais novo fechar os punhos com força enquanto abaixava a cabeça de olhos fechados e não conseguiu sair do lugar, tão pouco desviar seu olhar.

- Vou te dar mais uma chance. E eu nunca dou chances.

- Vai pro inferno - Yugyeom deu uma bicuda no estômago do homem, fazendo-o cuspir sangue no chão, porém não parou aí.

Pegou aquele homem que tinha pelo menos 120 quilos, ergueu-o do chão e empurrou contra a parede, fazendo com que a cabeça do cara chegasse antes.

- Passei muito tempo lá já. E nada disso, preciso de você acordado - soltou o homem que caiu sentado e pisou em seu pé, virando-o contra o corpo

Mark via o homem gritar de dor e implorar para ele parar, mas não conseguia fazer nada. Sua voz não saía. Se bem que, se aquele cara estivesse com uma mulher, certamente não iria parar só por ela pedir pra ele parar.

Yugyeom desferiu outro chute, dessa vez pegando na lateral da cabeça do homem e segurou seus dedos da mão.

- Olhe pra mim. - o homem estava praticamente desacordado - OLHE PARA MIM - atordoado, o cara olhou, com lágrimas nos olhos e ainda disse:

- Que você arda no fogo do inferno - e logo gritou assustado, mas Yugyeom não havia feito nada até então 

- Eu faço isso, todos os dias - sorriu e começou a quebrar dedo por dedo do homem, terminando com um soco na boca, fazendo-o finalmente desmaiar - Espero que lá embaixo limpem sua boca antes de você falar algo tão sujo sobre Mark Tuan.

 

“Como é?” Mark ainda ia morrer de tão surpreso que ficou em pouco tempo. Finalmente conseguiu se mexer e foi correndo de volta à loja de conveniência, respirando pesadamente. Estava assustado. Não sabia ao certo o que havia presenciado. Porém uma parte lá no fundo havia gostado do que havia visto. Yugyeom fizera aquilo por ele.

Ouviu o sininho da porta tocar e se escondeu entre as prateleiras. Sabia que era Yugyeom, ele sentia. Queria sair o mais rápido o possível dali. Ousou espiar pelos cantos de onde estava e não viu ninguém. A loja parecia estar vazia.

Relaxou o corpo e virou pra sair, encontrando o mais novo o encarando com um sorriso divertido nos lábios.

- Meu Deus do céu

- Cá entre nós, ele não é TÃO gente boa assim - riu e se aproximou de Mark, fazendo-o prender a respiração. Estavam tão próximos que  sentia a respiração do maior sob seu nariz, porém ele pegou um salgadinho atrás do loiro e saiu rindo para o caixa 

- Desgraçado - e saiu, virando dessa vez para o lado certo e colocando seu  cup noodles embaixo da torneirinha

- Está fugindo de mim, hyung?

- Não tenho motivos para fugir nem para ficar ao seu lado - respondeu sem ao menos olhar para o mais novo.

Yugyeom fechou a cara. Não conhecia aquilo que sentiu mas doeu e ele não gostou. Olhou Mark sentar na mesa e se sentou junto, fazendo o mais velho bufar.

- Reis

- Saúde?

- Era um reis. - Mark olhou confuso e logo pasmou.

- C-como?

- É só saber jogar - sorriu divertido porém não foi retribuído - Eu também não gosto de perder

- Não falei nada - respondeu de boca cheia 

- Você só tem interesse em mim quando estamos em uma mesa jogando?

- Não tenho interesse em você - mentiu Mark. Ele tinha sim e muito, porém estava ainda amedrontado com o que havia ocorrido a pouco 

- O que significa quando a pessoa fala algo e a outra se sente...sente... um desconforto aqui? - apontou para o próprio peito 

- Tristeza?

- Você está me deixando triste. Isso é novo, mas você está me causando outras coisas que eu ainda não  entendo. Eu só via uma parte disso e nunca era uma parte boa - deu de ombros 

- Quem é você?

- Kim Yugyeom, pensei que você soubes- 

- Quem é você. - Yugyeom parou e o encarou

- Alguém que é legal apesar de tudo.

- Tudo o que?

- Você tá me devendo um desejo.

- Não tem como você provar que ganhou

- Eu não mentiria pra você. Não sei porque mas...-ele baixou a cabeça por um instante, baixando sua guarda e voltou os olhos ao mais velho - não mentiria.

 

Mark não queria mas corou. Corou e sentiu seu coração bater em fraco.

 

- Você...você matou aquele homem? - perguntou se encolhendo 

- Que hom...ah, você viu. - Mark assentiu com a cabeça com os olhos fixos na mesa - Ele estava te seguindo. Eu não...eu não sei o porquê mas eu só...imaginar ele...você....ele....

- Eu entendi - Mark deu um breve sorriso e voltou a baixar a cabeça pensativo

- Mark? Pode realizar meu desejo agora? - Mark levantou os olhos com a sombrancelha arqueada - Pode não ter medo de mim e me aceitar como eu sou?

- Como posso fazer isso se nem te conheço?

- É o meu desejo. - Mark arrumou sua postura e ficou pensativo. Era verdade que temia o mais novo após todas as coisas que haviam acontecido, mas não conseguia negar que queria conhecer ele por completo, cada pedacinho da sua alma e do seu corpo.

- Tudo bem, Yugyeom. Mas então me deixe saber sobre você, ok? - o mais novo sorriu 

- Tudo o que você quiser.

- Quem é você?

 

Yugyeom suspirou e pediu pela mão de Mark, que hesitou em estica-la. Sentiu um nervoso e se levantou, apoiando na mesa, ficando de costas para o mais novo, que se levantou e se pôs de frente ao loiro.

 

- Preciso que você confie em mim.

 

O olhar que trocaram foi demorado e intenso, como se compartilhassem segredos, medos, e até uma ligação. Mark esticou a mão e segurou a de Yugyeom, que entrelaçou seus dedos com os do mais velho e o puxou pela nuca e iniciou um beijo que logo foi correspondido por Mark.

O beijo era cheio de desejo, como se estivessem aguardando isso por décadas.  Yugyeom puxou Mark pela cintura para que nenhuma distância se fizesse presente, sendo correspondido pelo mais velho que passou os braços pelo seu pescoço e o puxou para mais perto. Suas línguas se chocavam e ambos gemiam de prazer, apertando a pegada e chocando seus corpos como se quisessem se tornar um só. O beijo foi interrompido pela falta de ar, mas foi um distanciar de bocas lento, com mordidas nos lábios. Yugyeom selou o lábio do mais velho e o olhou sorrindo. Havia finalmente descoberto o seu desejo.

 

 

 

- Eu sou filho de Lúcifer - disse com calma

 

 

Mark o olhou nos olhos  e o tempo parou.

 

 

 

 


Notas Finais


“Vc nem faz suspense” é porque eu não consigo gente desculpe massss espero que estejam gostando 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...