História What makes you smile? - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Seventeen
Tags Yoonmin
Visualizações 71
Palavras 2.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oioi leitorxs... ou os que eu tinha não sei
desculpa to puta
boa leitura

Capítulo 25 - Unexpected Facts


    Sabe, como já fazia um certo tempo que eu tinha vindo até a casa de Jimin, então tinha me esquecido como a mesma era bonita. Jimin tem um ótimo bom gosto.

    Coloquei minha mochila no sofá e sentei-me no mesmo. Fechei os meus olhos por um instante e permaneci parado. Estava meio cansado, só não sabia o porquê disso. Estranho. Curioso, realmente curioso.

    Quando abro os olhos, Jimin estava conectando um cabo de um notebook, provavelmente seu, até a televisão. De um jeito ninja monstruoso, ele conseguiu a minha mochila sem fazer barulho — Para não me acordar — para pegar os lanches que nós trouxemos de minha casa.

    — Ah, você acordou de seu cochilo! — Ele se vira para falar comigo, todo sorridente — E antes que pergunte, não, você não dormiu muito tempo, só uns 15 minutos. — Ele se vira para frente novamente, com a intenção de operar o seu notebook.

    Minha boca tinha um gosto horrível. Sabe quando você dorme, ou fica doente, que o gosto que fica na sua boca é nojento, né? Parece agora que eu engoli dez litros de saliva, que horror.

    — Terminei! — Jimin comemora alguma conquista — Vá lavar o seu rosto e a sua boca enquanto o episódio carrega. Estarei esperando, bem aqui.

    Assenti e fui até o banheiro da casa, já que me lembrava vagamente onde era. Lavei a minha boca e meu rosto, como Jimin me aconselhara a fazer.

    Assim que voltei, Jimin estava a minha espera, como havia prometido. Ele comia algumas das coisas que trouxemos de sua casa.

    — Voltei! — Eu disse, sorrindo após ele se virar para me olhar — O que vamos assistir? — Eu perguntei, me sentando ao seu lado no sofá.

    — Bom, é uma série de mistério e investigação, você vai gostar! — Ele diz, animado e sorridente, indo dar o play no episódio.

    — Mas você disse que não ia ter mais mistérios essa noite! — Eu disse.

    —Não! Eu disse que o convite não ia envolver mistérios. E, além do mais, você vai gostar da série, eu tenho certeza! — Ele diz confiante, colocando a cabeça em meu colo.

    — Bom, se você diz isso… — Falo e começo a fazer carinho em seus cabelos, enquanto o episódio começa.

    A intro é bonita, porém confusa. Cheia de letras, números, imagens e vídeos. Isso tudo em várias telas de computador em uma sala escura. E, quando colocam os vídeos nas telas, eles costumam formar uma imagem bem maior.

    ‘Hm, Jimin tinha razão, eu irei gostar disso.


[...]


    Nós passamos tanto tempo assistindo que já eram 23 horas da noite e ainda não tínhamos acabado a série. A série era muito confusa no início, mas tudo vai se esclarecendo. Pessoas sendo torturadas, almas humanas dentro de animais, máquinas do tempo, geradores de energia ilimitada e clones através do tempo.

    Bom, acho que já deu ‘pra perceber que a série é meio estranha e difícil de entender. Mas juro que é mais simples que parece.

    O mais estranho da série, é que a irmã de um dos protagonistas, tem uma doença que se assemelha a esquizofrenia, de alguma maneira. Ela tem umas alucinações loucas, ela não pode nem sair de casa. Por exemplo: Você pode estar segurando uma colher, e do nada, puff! Ela começa a criar espinhos que perfuram a sua mão.

    É, bem ruim, porém é a realidade dela.

    Nós tínhamos terminado o quinto episódio. Eu estava feliz com a série. Apesar de ser de mistério, pancadaria e mortes descontroladas, ela é uma série de comédia também, já que os protagonistas são dois homens de meia idade resolvendo mistérios, sendo que o detetive é ligado com uns lances psíquicos.

    Acredita em mim, a série é boa.

    — Jimin! Você tinha razão! — Eu digo animado, Jimin ainda se encontra deitado com a cabeça em meu colo — Essa série é realmente boa apesar de todo o mistério! Jimin, o que você achou da série? — Eu perguntei,animado. Realmente gostei da série.

    Mas Jimin não me respondia de jeito algum.

    Chamei por ele algumas vezes e sacudi o seu corpo levemente. Assim que percebo o seu ressonar, percebo que está em um sono tranquilo. Deve ter dormido no meio do episódio.

    — Hey, dorminhoco… — Digo, balançando seu corpo levemente para ele não acordar assustado — Acorde, você dormiu no meio do episódio Jiminie! — Faço carinho no seu rosto enquanto ele abre os olhinhos devagar.

    — Eu dormi quanto tempo? — Ele se senta no sofá se espreguiçando. Dei de ombros pois não sabia em que momento ele havia dormido.

    — Você ainda está com sono. — Falei o óbvio — Vá tomar um banho, se vista e vá ‘pra cama. Você precisa descansar.

    — Não! — Ele insistiu — Eu preciso ficar aqui ‘para arrumar as coisas! — Ele apontou para a mesinha cheia de vasinhas e farelos de comida.

    — Não precisa deixa que eu arrumo. — Ele nega — Como um bom hyung, eu vou arrumar sim! Além do mais, você fez bastante coisa por mim hoje, sempre faz na verdade. Então gostaria de retribuir. Posso? — Eu digo, vendo ele revirar os olhos e balançar a cabeça num sim. Abro um sorriso ao perceber que havia ganhado a discussão — Bom, então, vai tomar o seu banho, depois eu tomo o meu e vejo onde eu vou dormir, sim? Vá logo, não me enrole!

    E então ele vai tomar seu banho, com um bico nos lábios cheinhos, porém vai.

    Como eu amo ganhar discussões.

    Tiro todas coisas da mesinha e coloco na pia. Limpo a mesa com um pano que encontrei na cozinha, desligo o computador e coloco em um lugar onde Jimin possa ver e guardar amanhã.

    Vou pra a cozinha novamente e começo a lavar a louça. A água fria corre pelos meus dedos, me causando arrepios. Pego a esponja e o coloco o detergente na mesma. Só que coloco exageradamente, então bolhinhas e espuma se espalham pela pia, minhas mãos e meus pulsos.

    Após toda essa “lavação de pratos”, vou até o quarto de Jimin pegar a minha mochila pra tomar meu banho. E, encontro lá, um Jimin sonolento, jogado na cama.

    — ‘Para quem não queria tomar banho pra dormir, você parece bem sonolento, não acha?     — Eu digo, pegando as minhas coisas.

    — Vai se foder, Yoongi. — Ele diz, com a voz abafada pelos travesseiros. Eu rio, me divertindo com o seu mau humor.

    Bom, chega de brincadeirinhas, preciso tomar meu banho. Já que eu sei onde fica o banheiro, vou até o mesmo, tranco a porta e começo a me despir.

    Nada melhor do que um banho quente, sabe, pra se acalmar e relaxar. A água desliza suavemente pelo meu corpo, a sensação é tão boa. Vejo a espuma em minhas mãos e brinco com as mesmas. Vou espalhando com cuidado todo o sabonete. A fragrância é cheirosa, e faz bastante bolhas de sabão.

    Assim que acabei o meu banho, me vesti adequadamente e escovo os meus dentes. Assim que terminei tudo isso, voltei até o quarto de Jimin. E como eu esperava, ele havia cochilado novamente.

    — Jimin! — Eu praticamente gritei no seu ouvido — Eu sei que está com sono, mas poderia pelo menos ter esperado eu terminar de tomar banho?

    — Puta que pariu, Yoongi, não precisava gritar no meu ouvido. Caralho. — Ele falou esfregando os olhos. É engraçado ouví-lo falar palavrões, não vejo isso todos os dias, então é bom aproveitar.

    — ‘Tá bom, Bela Adormecida. — Ele range os dentes e eu dou um sorrisinho de quem diz: “Sim, eu vou te atormentar” — Mas, onde que eu vou dormir mesmo?

    — Aqui, onde planejava dormir, Min Gênio Yoongi? — Ele dá um sorrisinho e volta a se deitar. Filho da puta.

    Bom, eu vou ter que sobreviver, eu acho. Puta merda, minhas mãos estão suando. Eu ‘tô nervoso. Bom, já devia saber que ficaria nervoso, já que de alguma forma — que eu considero surreal —, Jimin tem um grande efeito sobre mim. Um dia eu espero compreender esse fenômeno. Porque, sinceramente, eu não entendo isso.

    Acho que fiquei parado tanto tempo, que, Jimin se levanta e me olha com um quê de “O que está te atrapalhando? Virou pedra?”. Então como ele viu que eu não ia me mexer tão cedo, ele me puxou pela mão e me levou até a sua cama, pra me deitar com o mesmo.

    Nós nos deitamos e ele nos cobre. Tão fofo da parte dele, realmente admirável de se ver. Tomara que ele não sinta o meu coração bater mais rápido agora.

    — Boa noite, Yoonie, durma bem. — Ele fala calmamente e me dá um beijo em minha testa. Logo depois, ele se aconchega em mim e me abraça.

    Por mais que eu esteja nervoso e que meu coração bata rápido, retribuo o abraço. Meu coração poderia sair pela boca, eu acho, ele bate numa velocidade incrível.

    Jimin é um doce. Tão fofo, e, também é quente. Seus braços envolvem o meu corpo com cuidado, tão precioso.

    Ah, esqueci de algo. Tenho que lhes contar uma coisa muito interessante que eu acabei de notar.


    Eu não sei o porquê disso, pode até ser impressão minha, eu não sei. Mas, digo agora, vocês acreditando ou não, porém, o coração bate rápido igual ao meu. Reciprocidade? Talvez, não sei. Mas não devo me preocupar com isso agora. Só começo a fazer carinho nos cabelos de Jimin e tento cair logo no sono.


[...]


    Quando eu acordei, Jimin já não estava mais lá.

    Sentei-me na cama, coçando a cabeça. Que horas são? Cadê o Jimin? Que horas ele acordou? Várias perguntas se passam pela minha mente agora.

    Resolvo me levantar pra ver se encontro Jimin, ele deve estar em algum cômodo da casa. Ele deve estar aqui, sempre está.

    E decerto, ele está aqui. Na cozinha, comendo biscoitinhos de peixe, eu acho. Se estiver comendo, eu vou correndo no banheiro escovar os dentes.

    — Bom dia, Yoongi! — Jimin diz. Sorridente como sempre — Dormiu bem? — Ele continua e coloca mais um biscoito na boca.

    — Bom dia, Jiminie… — Eu falo — Dormi bem sim, obrigado! Hey, isso são biscoitinhos de peixe? — Ele assente e eu vou correndo até o banheiro escovar os dentes.

    Do jeito que eu fui, eu voltei. Ainda tinha bastante biscoitos no pacote, e, como um bom melhor amigo, Jimin dividiu comigo. Obrigado Jimin, eu queria muito mesmo isso.

    — Jimin. — Eu o chamo e o mesmo me olha — Que horas você acordou?

    — Não muito antes que você. Na verdade, você acordou dez minutos depois de mim, somente. — Ele coloca o último biscoito do pacote na boca e joga a embalagem fora.

    — Sério? — Ele assente — E você já tomou banho? — Ele nega — Quem chegar no quarto primeiro toma banho antes! — Eu gritei e saí disparado até o quarto, com Jimin correndo no meu encalço.

    ‘Hm meus amigos, não preciso dizer que ganhei, certo? Pois bem, eu ganhei amores, obrigado pela torcida.

    — ‘Hm, sinto o cheiro da vitória, no topo da montanha da glória! — Falo uma frase que já ouvi antes, em algum lugar que não lembro. Pego a minha mochila em um canto do quarto e coloco no meu ombro.

    — Não é justo, você mal falou e já começou a começou a correr. — Ele fala com um pequeno bico nos lábios.

    — Não ache que fazendo birra irá tomar banho primeiro, meu anjo. — Eu falo, apertando uma de suas bochechas, fazendo ele corar. Só não sei se foi de vergonha, raiva ou a força com que apertei a bochecha.

    — Ah, sempre dá certo, acho que agora você está imune ao meu doce feitiço! — Ele fala fazendo drama, e eu sorrio — Agora você deve morrer, seu mortal insolente! — Ele faz um quê de que vai me atacar, mas não o faz e começa a rir.

    — Babaca. — Falo isso dele, porém não posso evitar não sorrir.

    Ele faz uma reverência exagerada e aponta para a porta do quarto, como se estivesse indicando que devia ir logo tomar meu banho.

    Depois eu sou insolente, exijo respeito, sou mais velho.

    Saio do quarto e vou até o banheiro. Não espero demorar muito, planejo terminar de assistir a série com Jimin hoje, já que faltam somente três episódios.

    E dito e certo, não demorei muito no banho dessa vez. Assim que terminei o banho, vesti-me no banheiro mesmo e saí, deixando que o vapor quente saísse do banheiro.

    — Jimin! — Lhe gritei — Já terminei, pode ir. — Sem muita demora, ele vai até o banheiro, já que tinha todas as coisas que precisava em mãos.

    Me sentei no sofá, sem muita opção do que fazer. Simplesmente fechei os olhos e absorvi o quase total silêncio, já que tinha alguns carros passando na rua e algumas pessoas andando.

    Mas, depois de uns dez minutos, toda essa tranquilidade foi quebrada pelo barulho da campainha.

    Olha só! Não sabia que a maldita campainha podia me seguir até mesmo aqui! Puta que pariu hein, me deixa em paz, encosto.

    Mas, como uma pessoa civilizada e educada que eu sou, fui atender a porta.

    Quando abri, vi que parado na porta esperava um rapaz alto, de cabelos castanho escuro, sua pele é morena e ele é muito bonito. Sério, acho que qualquer pessoa que o olhe, se apaixona instantaneamente.

— Ah, Boa tarde… — Ele parecia decepcionado em me ver — Essa casa não é mais de Park Jimin?

Ué… O que ele queria com Jimin? Quem é ele? Jimin nunca me falou dele, então deve ser algum estranho tentando dar um golpe nele.

— Não… Essa casa é propriedade minha agora. — Menti.

— Ah… — Ele parecia chateado — Pelo menos você sabe aonde ele mora agora?

— Infelizmente não. — Menti novamente — Me desculpe.

— Não faz mal. Obrigado de qualquer maneira. — Ele agradeceu e virou as costas. Fechei a porta.

Que estranho. Foi tenso falar com um cara — extremamente belo — desconhecido que procurava por Jimin. Não sei se devo dizer a Jimin se alguém estava a sua procura.

— Yoongi! — Jimin tinha acabado de sair do banho e secava seus cabelos com uma toalha — Quem estava na porta? — Ele gritou mais uma vez.

A campainha toca novamente. Eu estava com receio de atender e ser aquele cara novamente. O que ele queria com Jimin afinal?

Mas não pude recusar o barulho que voltou a ser irritante aos meus ouvidos. Abri a porta e era aquele mesmo homem. O que ele queria? Eu vi um sorriso para um ponto atrás de mim.

Jimin.

Me virei para vê-lo  ele estava parado, estático. Ele estava completamente surpreso, e ele tinha uma expressão que eu nunca tinha visto em seu rosto antes. Mesmo já tendo o visto chorar eu nunca vi em seu rosto um traço de mágoa.


 — Bom, vejo que provavelmente não me conhece. — O homem com o nome desconhecido até agora se pronuncia — Olá, meu caro. Eu sou Jeon Jeongguk, ex namorado do Jimin.


Notas Finais


tomara que alguém tenha pegado ás referências
por exemplo da série
e da corrida
obrigada a quem leu
provavelmente ninguém porque ninguém acompanha mais samerda aqui
até um mês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...