História What matters is the now - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Pine, Gal Gadot, Mulher Maravilha
Personagens Chris Pine, Gal Gadot
Tags Chris Pine, Filme Mulher Maravilha, Gal Gadot
Visualizações 75
Palavras 1.770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, se sentem que a bagaça vai ser louca *_*
Boa leitura a todos
Postei e saí correndo

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction What matters is the now - Capítulo 2 - Capítulo 2

FLASHBACK ON

— Chris vai ter um jantar com os produtores, você vai não é?

Chatice era a definição perfeita para esses jantares. Sendo que a Patty me pediu com uma cara tão fofa que eu não consegui recusar.

— Tudo bem

— Ótimo

Gal passa e faz uma cara estranha para mim.

— O que vocês estavam cochichando?

— Nossa! Boa tarde para você também. 

— Você ainda não respondeu minha pergunta

— E não vou até você ser bem-educada

Estávamos prestes a gravar o primeiro beijo da Diana e o Steve e eu estava bem nervoso. Depois da nossa pequena discussão semana passada, só tinha visto a Gal hoje e ela parecia brava comigo.

— Vocês têm que estar imersos na magia do local e também dos personagens. É um amor puro, foquem no olho a olho.

Quando eu fui beijar a Gal, ela não abriu a boca, então ficou num selinho demorado, a Patty pediu para refazemos a cena.

— Colaborem comigo, regravaremos quantas vezes forem possíveis até eu achar que é o ideal

Eu ficaria contente com isso, não fosse por ela estar com raiva, então resolvo a puxar para um canto onde podemos conversar a sós

— Gal, o que que está havendo? Nós sempre nos demos super bem

— Até você não dizer que estava saindo com a Patty

— E se tivesse? Ela é livre e eu também

— Significa que você teria mentido e eu ficaria magoada com você, seu galinha safado – segurei seu braço e olhei bem fundo dos seus olhos

— Se quer saber, eu estou interessado numa pessoa, mas ela finge que eu não existo. Eu e a Patty somos só amigos, ás vezes que saímos foi para ela desabafar sobre um ex namorado maluco.

— Chris descu...

— Vamos fazer essa cena que eu quero ir embora

O equipamento de filmagem deu um problema e não fizemos a cena, ficou para logo depois que consertassem.

(...)

Um dia eu enchi a cara em casa, misturei vodka, vinho, tekila. Fiquei doidão, tudo rodava na minha cabeça e eu apaguei. Só acordei com a campainha tocando sem parar as 3h da matina. Eu ia matar o infeliz

— Já vai, porra

Quando eu abri era Gadot com uma cara de choro

— Chris, me perdoa por favor. 

Ela se agarrou em mim me deixando sem ação, eu estava só de cueca e quando senti seu corpo comecei a fantasiar besteiras

— Você bebeu?

— Assim como você. Cadê seu marido?

— Não sei

— Senta aqui – ela tava apoiada em mim

— Fica aqui comigo e diz que me perdoa. Eu não quis te ofender, você é o cara mais gentil que eu conheço e tem a boca mais linda que eu já vi.

Se ela não parar de falar essas coisas, eu não respondo pelos meus atos.

— Tá Gal, eu te perdoo. Agora fica aí, que eu vou fazer um café pra gente.

Ela tinha vomitado e depois que tomou um remédio, melhorou. Eu fiquei velando seu sono, ela tinha uma respiração bem rítmica e isso transmitia uma paz para mim, em certos momentos ela falava coisas desconexas. 

Que sorte o marido dela tinha por tê-la. Suas palavras ainda não saíam da minha mente, por mais que ela estivesse bêbada, eu tinha que esquecer isso, mas por hoje não.

— Acorda bonitão, o café da manhã tá pronto

Nem notei que tinha capotado, ela parecia bastante tranquila, provavelmente não lembrava das coisas que falou.

— Eu fiz algo? Você está me olhando com uma cara de peixe morto

— Não, é só que.. deixa para lá.. vamos atacar essa comida

Quando sentamos na mesa, ela segura minha mão

— Sobre ontem, desculpa ter invadido seu apartamento, eu só queria que você não me entendesse mal e relevasse a minha babaquice naquele outro dia. Você se tornou uma pessoa muito especial na minha vida... e um grande amigo

Finjo um sorriso com a menção do “amigo”, se Gal permitisse eu seria o homem da vida dela.

— Tudo bem, Gadot. Você devia estar nervosa

— Você tem razão. Eu e Yaron não estamos bem, você é o primeiro a saber que possivelmente vamos nos separar

Eu até cuspo o suco que tinha tomado, não estava acreditando, tento evitar ficar feliz com a desgraça alheia, Gal era importante para mim, não queria vê-la triste.

— Mas o que houve?

— Nós estamos distantes, ele não entende minha carreira, diz que com o que ele ganha, eu não preciso trabalhar e que tenho que me dedicar a criar nossa filha.

— Desculpe, mas ele está sendo um otário e a sua alegria profissional não conta?

— Pois é, sabe. Eu estou confusa e está sendo difícil esse momento para mim

— Conta comigo para o que precisar – digo verdadeiramente

Ela me abraça e eu a aperto, gosto de sentir seu calor. Quando nos afastamos um pouco, rola um clima e fico com vontade de beijá-la, ela está tão próxima segurando meus braços.

— Você está mais forte, tem malhado?

— É, eu gosto e também me ajuda nas cenas de ação

O barulho da torradeira corta o encanto. Sei que ela também ficou mexida com o momento, continuamos a nossa refeição em silêncio

— Caraca, estamos atrasados para a gravação

— Quer uma carona?

— Não, tenho que ir em casa me trocar, mas obrigada

— Hoje é a cena do beijo – iria aproveitar essa oportunidade com todas as minhas forças

— É muito importante

— Sim

— Você quer treinar? – ela só pode estar brincando

— Pode ser 

Danço com ela e repetimos as falas de Diana e Steve, até que eu deslizo minha mão no seu rosto e ela segura a minha, fechando os olhos, eu me aproximo e cubro seus lábios com os meus. No começo o beijo é bem casto, eu me controlo bastante, pois até o momento era técnico.

Então para meu espanto, Gal me provoca e eu não resisto, chupo sua língua com vontade e aperto minha pegada na sua cintura, trazendo-a mais para meu corpo. Ela ofega e morde meu lábio, causando uma surpresa em mim e depois me beija sensualmente.

— Chega disso, é errado 

Sabia que ela estava confusa com tudo, sendo que eu não compreendia que a desejava tanto, até esse beijo acontecer. Queria muito mais

— Então me larga

— Eu não consigo

— Então se entregue, porque eu não vou te soltar 

Nossos beijos se tornam mais quentes e vorazes, derrubo-a na cama e ela passa a língua nos lábios. Tem ideia do quanto isso é provocante? No olhar dela eu posso ver que todas as barreiras caíram uma a uma e que esse momento é nosso.

Desfaço o laço de sua blusa e ela retira minha camisa, cada movimento sincronizado, parecia que fazíamos isso um com o outro há muito tempo. Toco suas costas e ela se arrepia, eu gosto de provocar essas reações, mas está só começando, se ela imaginar o que tenho em mente. Faço uma leve massagem, beijo cada ponto sensível inalando seu cheiro de pêssego com pétalas de rosas. Sempre fiquei louco com esse perfume

Abro seu sutiã e seus braços deslizam pelo meu rosto me dando livre acesso aos seus seios, apalpo e ela geme baixinho

— Seja completamente minha

— Você ainda tem dúvida? Não sabia.. dessa sua habilidade com as mãos – fico rindo

— Você não viu nada, Gal

Ela se vira e me seca, parece uma loba faminta. Coloca uma mão no meu tórax e me empurra, vindo para cima para me beijar, seguro seus cabelos com vontade e ela ousa brincar com meus lábios sabendo da fome que estou dela. Ela encaixa suas pernas em meu quadril e eu a levanto, seguindo para a parede e enquanto Gal se apoia eu retiro minha cueca

— Chega de tortura, Chris

— Só começou 

Ela mete a mão no meu pênis que está bem duro, fazendo movimentos circulares, enquanto a beijo forte. Antes de gozar prendo seus braços na parede e marco seu pescoço para que ela não se esqueça tão fácil do que estamos fazendo.

Nos olhamos intensamente e rasgo sua fina calcinha, iniciando a penetração. Nossos corpos suados e cheirando a sexo, ela não faz ideia de quantas vezes mentalizei isso. Vou mordiscando sua orelha, enquanto sua respiração fica mais ofegante, por causa das estocadas firmes, Gal crava as unhas em minhas costas e grita com meu ritmo lento e provocante.

Ela choraminga para que eu seja mais rápido até que não aguento e estabeleço um ritmo constante e sinto suas mãos envolverem minha cabeça. Vou metendo forte e rápido na sua vagina, enquanto os líquidos do nosso sexo escorrem, o núcleo dessa mulher queimava como carvão.

— Mais Chris... por... favor. OHHHH

Logo chego ao orgasmo, mas quero que ela sinta o prazer inebriante que estou sentindo. Continuo o movimento por mais minutos e sei que a fiz se sentir plena.

Seguimos para a cama exaustos, Gal está descabelada, suada, com as bochechas avermelhadas e completamente nua, essa é uma visão que nunca irei esquecer.

— Ninguém nunca me deixou assim, você se preocupa que a sua parceira sinta as mesmas vibrações e êxtases que você

— Vou tomar como um elogio

— Não se ache

— Eu sou, baby – ela revira os olhos

— E esse convencido aceita tomar um banho comigo?

— Vou pensar

— Babaca

— Eu sei que você deseja me beijar, pois tenho uma boca linda. Lembra?

— Eu não falei isso

— Falou

Começamos a rir e ela joga o travesseiro em mim

— Você é maravilhosa e a mulher mais linda do planeta

— Não fala isso com esses seus olhos que eu não sei o que sou capaz de fazer.

— Me mostra então

(...)

Mas como tudo que é bom dura pouco, Gal resolve ir embora e me trata como se eu fosse um brinquedinho sexual que ela usa e joga fora.

— Fica mais um pouco

— Esquece isso, Chris. Foi um erro, precisamos focar no nosso filme, um envolvimento entre nós está fora de cogitação. O que Yaron vai pensar? Tenho uma filha para criar e uma carreira para consolidar, me desculpa se estou sendo sincera, mas não posso.

Ela podia me pedir tudo, menos esquecer isso.

— Então para que começamos isso? Pra que transamos? Se para você foi só prazer, pra mim não foi, eu estou apaixonado por você. Que se foda seu casamento de merda, eu estou disposto a assumir você e sua filha, Gal.

— Até quando? Meu casamento não vai bem, mas sei que posso contar com Yaron para tudo, não posso me aventurar por aí em um mar de incertezas, ah mas você não compreende isso, porque não é mãe. Eu transei com você, porque tem uma atração e queria acabar com essa tensão sexual, porém já me arrependi. Tenho que ir

E ainda falta cenas para gravarmos, que bosta. 

FLASHBACK OF

 


Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...