História What Matters Sex - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction, Victoria Justice
Personagens Harry Styles, Justin Bieber, Liam Payne, Victória Justice, Zayn Malik
Exibições 42
Palavras 994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiramente... 300.000.000 desculpas por demorar 1 ANO pra postar (é engraçado falar isso kkkk)
O fato é que eu tive muitos problemas e não pude estar por aqui, mas resolvi dar sequência na fanfic, com novas ideias, muuuuitas ideias, e espero de coração que vocês gostem.
Fanfic resurgindo das cinzas kkkkk.
Boa leitura amores!

Capítulo 25 - Comeback!


 

Victoria’s POV

Meus olhos ardiam de tanto chorar, eu não estava mais aguentando sentir aquilo, e ter que esperar ele chegar escondida atrás daquela cortina era o que me matava. Por onde ele estava andando? Será que estava bem? Essas perguntas me assombravam enquanto eu olhava fixamente para o anel em meu dedo. A culpa era minha… Não tinha outra explicação, eu estraguei tudo mais cedo. Me arrastei até minha cama, eu sabia que logo ia amanhecer e meu corpo pedia para que eu me deitasse, mas minha mente não descansava nem por um segundo.
Tudo que havia acontecido ultimamente me fazia pensar, eu estava certa por estar com a pessoa que eu amo, ou errada por amar justamente essa pessoa, e essas dúvidas me atormentavam todos os dias. Era como um labirinto, quanto mais eu entrava mais difícil era sair.

Peguei meu celular sobre o criado-mudo, desbloqueei a tela observando se havia alguma mensagem de Sam, a gente não se falava há algum tempo, e eu amava demais aquela garota para ignorá-la assim, mas eu respeitava e entendia o tempo dela.

Ouvi o motor de um carro, e sem pensar duas vezes corri até porta a empurrando até no canto, desci desesperadamente as escadas e com o coração na mão esperei ele abrir a porta. Respirei fundo, pensando no que diria, eu sabia o que veria quando ele passasse por aquela porta, a mesma cena deprimente de todas as vezes, mas pela primeira vez eu ansiava em ver essa cena. Nada delicado ele chutou a porta até o canto, e a fechou logo em seguida, me assustei levemente fechando meus olhos rapidamente. Seu estado era deplorável, como sempre, suas roupas estavam molhadas e um cheiro forte de bebida exalava pela sala.
Eu sabia o que me esperava, sabia o quanto ele estava drogado, e sabia o quanto ele me odiava naquele momento, e eu sei que esse pequeno motivo me faz a pessoa mais iludida e estúpida de todas, mas mesmo assim, precisava abraçá-lo, agora, não depois, não depois que o efeito da cocaína passasse, ou que Sam voltasse a falar comigo, ou que as coisas melhorassem. Eu precisava sentir seu calor agora, eu precisava sentir que ele estava bem e que havia esquecido o que houve mais cedo.
Me aproximei encarando seus olhos confusos e avermelhados… Os mesmos olhos avermelhados de sempre! Meu coração pulava em meu peito e meu corpo ansiava pelo seu toque, mas tudo que eu recebia naquele momento era um olhar confuso e odioso. Ele tinha consciência de quem eu era?

- Justin?- o chamei choramingando, minha voz falhava e meu medo era visível.

Seus olhos se voltaram pra mim, e quando encontraram os meus ali, tão próximos dos seus, sua feição mudou, parecia alegre, um brilho incomum estava naquele par de olhos castanhos e seu rosto ameaçava armar um sorriso, mesmo que fraco. Me aproximei devagar e não resisti estando tão perto de sua pele, enrolei meus braços ao redor de seu pescoço e me agarrei a ele, não querendo soltá-lo mais. Aos poucos, sua mente dispersa ia se conscientizando do que estava acontecendo, e em alguns segundos senti suas mãos firmes deslizarem em minha cintura, e seus braços me envolverem em um abraço caloroso, ele estava tão perto e até podia ser salvo, mas também estava tão longe para ser puxado de volta pra mim.

- Eu te amo! - indaguei com todas as palavras, enquanto fechava meus olhos em um leve devaneio.

- Você não sabe o que é isso – respondeu impassivo, afastando devagar meus braços.

- Não fala assim! - disse evidenciando minha tristeza.

- Victoria… Por que tá acordada a essa hora? - perguntou com dificuldade.

Eu odiava ver ele naquele estado, daquela maneira desprezível, não era o meu Justin, só uma parte dele, não por completo, não o que eu queria, não o que eu podia ter.

- Estava esperando você chegar.

- Como você consegue ser tão IDIOTA? - deu ênfase, sendo agressivo.

O olhei perplexa com sua falta de consideração, eu não entendia o que ele queria, e nunca ia entender.

- Por que faz isso? - o olhei amedrontada.

- Porque eu te amo, sua idiota, e se eu falo pra você ir dormir e não me esperar, então você tem que ir dormir e descansar. Deve estar morrendo de sono! – falou jogando sua chave em cima do sofá enquanto tirava com dificuldade a jaqueta preta.

- Eu fiquei preocupada… - indaguei baixinho.

- Então não fique – falou se aproximando de mim, e devagar acariciando meu rosto – Eu não preciso de mais nada Victoria, eu tenho tudo, bem aqui, então não se preocupe.

Seus olhos perfuravam os meus, ah meu Deus! Nunca me viciei em ninguém assim, eu era quem precisava dele, em cada segundo.

- Sobe agora e vai dormir. – ordenou em tom austero.

- E você não vai? - perguntei inocente.

- Eu não consigo dormir com você do meu lado menina! É melhor ficar sozinha. - Deslizou seus dedos em meus lábios me fazendo delirar.

Assenti completamente entorpecida pelo seu toque, seu cheiro e seu olhar que me derrubava a cada vez que ele os direcionava pra mim. Ele me empurrava devagar em direção a escada, comecei a subir lentamente sem tirar meus olhos dele.

- Vai ir me ver antes…?

- Daqui a pouco eu subo pra te dar um beijo. - falou sem nem sequer olhar pra mim, me evitando.

Assenti e me virei, subindo decepcionada com seu jeito indecifrável, e com sua mente perturbada que também me deixava perturbada.

Adentrei meu quarto, fui até minha cama, me jogando na mesma, sentindo meu coração bater violentamente, e meus olhos pedindo para liberar as lágrimas que eu segurava desde a hora em que ele chegou. Me virei para o lado, olhando para o nada, e do jeito que estava fiquei pelas próximas duas horas, esperando acordada a madrugada toda pelo beijo que ele me prometeu...


Notas Finais


E aí????
Roendo as unhas aqui kkkk.
Comentem por Deus!!!!
Música do capítulo >> ficou muito boa pro cap >> http://www.kboing.com.br/lana-del-rey/1-1105213/
Até o próximo... Não vai ser daqui a um ano kkkkkkkk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...