História What wins? - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags 5harmony, Camren, Laucy, Romance, Shawn Mendes, Trolly, Valmani, Zaynah
Visualizações 143
Palavras 1.589
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIOIOIOI!!! Voltei rapidíssimo. Espero de verdade que tenham gostado do último cap, eu nunca sei quando isso acontece, mas acho que vocês continuarem lendo ja é um sinal kkk
Pra quem faz questão, agradeçam a Emanuella (@manuzitha_) pois eu não ia postar esse cap hoje, até porque terminei de escrever a umas horas atrás, maaas, ja estamos aqui, huh?
Uma coisa importante: não estranhem quando o tempo passar rápido, isso vai acontecer bastante daqui pra frente, tem muita coisa pra explicar, mas eu não pretendo enrolar muito.
Boa leitura :))

Capítulo 15 - Butterflies


Fanfic / Fanfiction What wins? - Capítulo 15 - Butterflies

P O V - CAMILA

Acordei no dia seguinte em minha cama, minha cabeça girava, lembrei que eu tinha motivos para me preocupar, não só com o que houve na noite anterior, mas com o que já estava havendo a um tempo e eu não percebi.

*Flashback on ~

-Venha cá - Lauren me chamou e eu me posicionei em frente ao seu corpo, permitindo que ela me abraçasse pelas costas. Lauren me monitorou, passou suas mãos macias sobre meus braços, nossos corpos colados me causavam arrepios, e foi assim que vencemos aquela partida.

Lauren e eu não estávamos bebadas, sempre bebiamos o suficiente para acordarmos tontas, mas nunca bebadas.

Essa conclusão foi o suficiente para saber que o que aconteceu naquele balcão não foi efeito do álcool, e nem o que aconteceu depois daquilo.

Estavamos quietas, sentadas, quando finalmente nos olhamos e... Nossa! Seus olhos de repente eram a coisas mais lindas que eu ja vira na vida. Era como se naquele par de olhos verdes houvessem uma imensidão de secredos ocultos, mas que no momento não importavam, pois neles haviam um brilho o qual eu nunca vi antes. Eu me perdi, eu me perdi naqueles olhos, e uma porrada de sentimentos me atingiram, todos bons, porém desconhecidos, mas me fizeram sorrir.

Foram muitos sentimentos, muitas sensações para uma só noite.

Estávamos ja a porta dos quartos quando o nosso "boa noite" se... Prolongou um pouco. Meus olhos só se desviavam da boca de Lauren para olhar seus olhos que me prendiam. Depois foi tudo no automático, encurtamos a distância que mantinhamos uma da outra e nos beijamos, foi um beijo repleto de desejo e os outros sentimentos que eu ainda não podia descrever, nossas línguas se encontraram de forma lenta. E sabe toda aquela coisa de borboletas na barriga? Eu senti. Minha barriga estava repleta de borboletas, várias delas, de todos os tamanhos e cores possíveis. Meu coração quase saltava para fora, e o calor que exalava meu corpo era inédito. Aquilo não era só a adrenalina do momento, pois a mesma eu ja senti antes.

Nos afastamos e isso só porque precisamos de ar, mas no momento a dúvida caiu sobre mim, e pela expressão de Lauren, caiu sobre ela também. "E agora?" foi o que pensei. A dúvida do que seria dali em diante me perturbava, eu sabia, sabia que Lauren sentia absolutamente o mesmo, porque nossas expressões eram o reflexo uma da outra. Não falamos mais nada, somente entramos para nossos quartos.

*Flashback off ~

Eu estava sorrindo com a lembrança da noite anterior, ainda não consegui definir o que estava sentindo, não que eu não soubesse, mas é que na verdade eu não queria saber, eu tinha medo de saber, eu tinha medo dessas borboletas que apareceram justamente agora, e continuavam aparecendo a cada vez que eu pensava em Lauren, o que não era pouco.

Meu dia pode ser resumido assim: eu pensava em Lauren e em tudo o que eu senti. Sorria. Pensava em Lauren e no que seria da amizade que tentamos por tempos construir. Chorava. Pensava na maciez de seus lábios nos meus. Sorria. Pensava em Shawn. Chorava.

-Oh meu Deus, Shawn! - Falei em voz alta em meio ao choro.

Eu não tinha pensado nessa parte, eu traí meu marido, eu traí meu marido com uma mulher, com uma mulher que ele considera amiga, com a melhor amiga de sua prima. Aquilo me fez chorar mais desesperadamente, Shawn não merecia, eu não o amava, mas ele não merecia.

Ja era noite, algumas mensagens de Dinah estavam ali em meu celular, mas eu não as leria agora. O sentimento ainda me sufocava, eu precisava falar com ela, mas com que cara?

Respirei fundo e limpeu as lágrimas.

-Não seja covarde, Karla Camila! - Falei sozinha.

P O V - LAUREN

Acordei de má vontade naquele domingo com o sol atravessando a janela. Me esqueci de puxar a cortina. Logo aquele par de olhos castanhos invadiram meus pensamentos me levando a um sorriso largo, mas que rapidamente desapareceu quando a questão me atingiu como uma bigorna caindo em um cartoon. "O que faríamos agora?" era a questão que me perturbava, ou melhor, uma delas. Minha mente funcionou de uma única forma durante o dia todo, todos meus pensamentos estavam em volta de Camila, do ocorrido e das consequências que aquilo poderia nos trazer. A culpa me atingia a cada vez que pensava em Lucy, atingia mais forte ainda quando pensava em Shawn e no carinho que tinhamos um para com o outro, a culpa me atingia quando pensava se Camila se afastaria. Naquele momento eu daria tudo para saber no que ela estava pensando.

Ja era noite, não tarde, eu estava deitada lendo um livro, só pegava no celular para ver se havia algo sobre Camila. Nada. Dinah me chamou para sair, mas não a respondi, eu realmente só precisava ficar ali. Mas precisava mais ainda falar com ela, falar com Camila, não eramos mais crianças, não poderiamos fazer aquilo e fugir uma da outra para sempre, tinhamos que falar sobre.

Três batidas em minha porta foram o suficiente para que eu levantasse de supetao, eu sabia quem era, por isso fiquei preocupada me perguntando o que fazer, concluí que abrir a porta era a resposta, claro.

E ali estava ela, uma Camila parada em minha frente, cabisbaixo, um olhar tímido mas que ainda sim me prendia.

-Oi. - Foi só o que ela disse.

-Bem. Você é a mais corajosa. - Sorri sem humor.

Ela entrou e nos sentamos na cama, nos envaravamos em silêncio, uma tentando decifrar os pensamentos da outra.

-Olha... - Começamos juntas. - Fale. - permiti.

-Eu não sei o que falar sobre isso. - Começou. - Só sei que isso tem de ser conversado, nessa história não houve uma culpada, ninguém beijou primeiro ou sozinha. - Camila deu uma pausa e respirou fundo. - Eu não vou omitir nada, Lauren. Eu não estava bebada, sei que você também não estava, esse beijo foi fruto do que ja vinha acontecendo a uns meses e você sabe.

-Achei que... - Minha voz saiu fraca. - Pensei que só eu...

-Se sentia assim? - Completou e eu fiz que sim. - Não.

O silêncio pairou no quarto.

-Camila, como isso foi acontecer logo com nós duas? Digo... Você é casada, eu tenho Lucy, nós nos odiavamos, nós...

-Lauren! - Ela me interrompeu. - Isso aconteceu porque tivemos uma com a outra o que não tivemos com outras pessoas durante nossa vida toda. Pelo menos comigo foi assim, você me proporcionou momentos que me fizeram sentir o que eu não senti nunca na vida. Pode parecer besteira, mas eu sempre sonhei em achar um amor que me fizesse dormir e acordar sorrindo, só pelo fato de saber que o tenho. Eu sempre quis sentir meu estômago revirar com as mil borboletas, só por receber um beijo. Sempre quis sentir meu coração saltar só por ter alguem por perto... E você, Lauren, você me proporcionou tudo isso sem nem saber, sem nem ter a intenção. Foi por isso que aquele beijo aconteceu.

Eu não conseguia falar absolutamente nada, apenas meditava em tudo o que Camila dizia e me identificava, eu sentia o mesmo, tudo era diferente com Camila.

-O que vamos fazer? - Foi só o que eu pude dizer.

-E se... Deixarmos assim?

-Assim? Assim como?

Camila engatinhou para mais perto de mim, roçando seu nariz no meu, me fazendo fechar os olhos.

-Assim. - Ela sussurou. - Eu quero você, Lauren.

Aquilo arrepiou todo meu corpo.

-Camz... - Minha voz saiu mais rouca do que o normal.

-Shhh. - Ela ainda estava proxima. - Se estar com você é errado, eu quero viver errando, Lauren. Você é um erro que eu quero manter para minha vida.

-Você me ganha fácil, Camila Cabello. - Foi só o que eu disse antes de puxar a latina para meu colo. Camila envolveu meu pescoço em seus braços pediu passagem para que sua língua entrasse em minha boca, nossas línguas se encontraram como se tivessem sentido falta uma da outra durante nossa vida toda. Ficamos somente assim, apreciando os labios uma da outra, trocando carinhos e olhares profundos. Vez ou outra lembravamos que fora daquele quarto existia um mundo, e que nesse mundo existiam pessoas que seriam afetadas com essa nossa decisão. Mas logo em seguida reiniciavamos a sequência de beijos e carinhos e esqueciamos de tudo.

P O V - CAMILA

Abri meus olhos lentamente, sentindo o peso do braço de Lauren em minha cintura, me mantendo ali junto dela. Me virei de vagar tentando não acordar a mulher que mais parecia um anjo dormindo ao meu lado. Lauren e eu não fizemos nada além de nos beijar durante muito tempo, trocamos carinhos a noite toda, eu sequer me lembro quem de nós dormiu primeiro, só me lembro de me aconchegar no abraço de Lauren durante toda a madrugada. Acordar ao lado dela era como ter sido presenteada pelos deuses com a melhor das dádivas.

-Bom dia. - Meu coração disparou com aquele tom mais rouco do que o normal, e eu sorri, eu sorri largo, e faria isso a cada vez que Lauren me desperasse um sentimento inédito.

-Você é tão linda. - Disse diretamente, fazendo com que ela sorrisse também.

-Não tanto quanto você. - Lauren fez um carinho no meu rosto, se levantando em seguida.

-Onde você vai?

-Escovar os dentes pra te beijar. - Ela riu e foi ao banheiro.

-Isso não é justo. - Cruzei os braços.-

Pode vir em seguida... Mas se quiser me acompanhar no banho... - Rimos e eu joguei uma almofada.


Notas Finais


Por enquanto é isso, galera. As coisas agora vão começar a acontecer um pouco mais intensamente, desde o romance das duas até as explicações ocultas do passado. Estão preparados para saber mais sobre nossa querida Lern? Pois não vai demorar.
Falem com a tia Trisy no tt, sim? (@lauregui_)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...