História What you wanted - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans, Emma Stone, Norman Reedus
Personagens Chris Evans, Personagens Originais
Tags Drama, Romance, Sexo
Exibições 138
Palavras 5.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi genteeee
Eu sei, eu sei. Demorei horrores para atualizar a fic e tenho que pedir mil desculpas por conta disso.
Aconteceram mil coisas na minha vida que acabaram criando o famigerado bloqueio criativo. No entanto, após muito ler e relaxar, eis que trago um capítulo novinho pra vocês.
Espero que não tenham me abandonado.
Quero muito conversar com vocês, com todas vocês mesmo <3


"You could have my body
But you can't have me
I know I'm a criminal
Don't you tell on me
I know I'm a criminal
Don't you tell on me"
Prisoner - The Pretty Reckless

Capítulo 6 - Prisoner


A câmera fotográfica disparava freneticamente e enchia o salão principal daquele cassino com o seu característico som. Vozes da equipe de apoio também faziam-se presentes e passos apressados de um lado ao outro deixavam a produção daquele ensaio fotográfico com um verdadeiro ar de centro de moda de uma das revistas mais lidas em todo o mundo. Sentada em uma das cadeiras de uma das mesas mais afastadas, estava Katherine. Ela tomava notas, marcava reuniões e organizava a agenda de Serena, além de revisar matérias que deveriam sair em próximas publicações da revista. A ruiva estava no trabalho há apenas alguns dias, mas sentia que trabalhava muito mais do que quando morava no Brasil. Mas apesar de pensar isso, Katherine tinha plena consciência de que Serena lhe dava total liberdade para exercer seu lado jornalístico ao pedi-la para revisar aquelas matérias que logo seriam publicadas.

Katherine dividia sua atenção entre o iPad posto sobre a mesa e o local onde estava ocorrendo a sessão de fotos. Vez ou outra podia ver Serena e Louis conversando com Samuel e Chris, parecendo optar por melhores poses que valorizassem as peças que o ator usava. Michael, o estilista amigo de Serena, havia visitado a locação no início do dia e aprovado basicamente tudo que a editora-chefe da revista havia escolhido. Para Katherine, era óbvio que o homem não iria discordar do que Serena diria. Ela era influente, poderosa e fazia o seu trabalho melhor do que ninguém.

—Katherine! –Louis a chamou, fazendo-a erguer a cabeça e ajeitar os óculos que usava. Ele se aproximava a passos largos trazendo em mãos o celular e uma pilha de papeis. —Serena pediu para você repassar essas informações do ensaio via e-mail para ela. Coisa rápida.

—Claro. –Katherine respondeu com um muxoxo ao ver que teria que interromper o relatório que teria que entregar ao fim do dia. —Ainda falta muito para terminarmos a sessão?

—Acho que Samuel vai querer tirar mais algumas fotos, só por garantia. E aí finalmente estaremos livres para organizar a matéria. –Louis respondeu arrumando a gravata e sustentando um sorriso sonhador.

—Como Serena está com tudo isso? –a ruiva perguntou enquanto abria outra nota e começava a passar os dados dos papeis para lá.

—Nervosa como sempre. Essa mulher já foi pior, acredite em mim. Hoje em dia, após algumas e boas sessões de Yoga, ela melhorou cem por cento. Se você trabalhasse para ela desde o ano passado teria visto como eram as sessões de foto. –ele cochichou fazendo Katherine rir baixinho.

—Era tão ruim assim?

Louis assentiu enroscando o próprio pescoço com as mãos, fazendo Katherine rir ainda mais.

—Ela é a melhor no que faz, mesmo que às vezes nos jogue um milhão de coisas para fazer ao mesmo tempo. –ele argumentou ao olhar para a pilha de papeis sobre a mesa de Katherine.

—Eu que o diga. –a ruiva suspirou, mas logo voltou a sorrir. —Agora acho melhor você voltar para lá antes que Serena sinta sua falta.

—Não precisa dizer duas vezes. –gracejou Louis ao dar a volta e caminhar em direção onde Serena estava.

Katherine o seguiu com o olhar, sorrindo com os comentários feitos por Louis. Ela ainda olhava para onde a editora-chefe e o editor da sessão de Lifestyle estavam reunidos quando sentiu que alguém a observava. Olhando mais para a sua esquerda notou que Chris a olhava com um largo sorriso no rosto. Assim que notou que Katherine o olhava também, o ator acenou para a ruiva, que retribuiu o aceno com certa timidez. Por mais que Katherine se sentisse à vontade na presença de Chris, não achava correto demonstrar tanta afinidade em um local de trabalho. A jovem realmente levava à sério o que fazia. Então voltando seu olhar para o iPad e para os papeis sobre a mesa, Katherine respirou fundo e voltou sua concentração apenas para aquilo, tendo em mente de que deveria terminar de passar os dados para um novo arquivo antes que a sessão de fotos chegasse ao fim.

Longos minutos se passaram até que Katherine finalmente terminou e adiantou tudo que tinha que fazer. Um suspiro de alivio escapou-lhe pelos lábios ao enviar os arquivos para o e-mail de Serena. Ela espreguiçou-se e juntou tudo da mesa antes de deixar Louis e Serena a par dos trabalhos feitos.

—A iluminação tem que ficar de forma indireta para que realce o as peças do Michael. –Serena disse ao olhar para a tela onde apareciam as fotos tiradas por Samuel.

—Você tem razão. Essa parte aqui está escura demais. –Samuel argumentou apontando para a área da foto que estava totalmente apagada.

A equipe assentiu e correu para reajustar a iluminação de acordo com a recomendação da editora-chefe. Katherine olhou para a pequena tela e viu rapidamente uma foto onde Chris segurava de forma sensual a modelo com quem estava fotografando, e admirou-se do trabalho de Samuel. O fotógrafo conseguia captar exatamente o que Serena queria para o editorial, e compreendeu a razão dele ser o responsável pelas fotografias da revista. No entanto, havia algo no modo como Chris segurava a modelo, que fez Katherine relembrar o momento em que o encontrou na casa noturna após o seu primeiro dia no novo trabalho.

—Você está se sentindo bem? –Serena perguntou, fazendo Katherine piscar várias vezes e voltar à realidade que a cercava.

—Sim, estou bem. Por quê?

—Você está vermelha. –rebateu a editora-chefe gesticulando para o rosto de Katherine. —Vá beber alguma coisa. Acho que estou jogando muita coisa em vocês nesses últimos dias.

—Não preciso. Realmente estou bem. Deve ser impressão sua, Serena. –desconversou Katherine. Ela sabia exatamente a razão de ter ficado vermelha daquela jeito.

Serena estreitou os olhos para a sua jovem assistente, mas nada comentou. Ela apenas assentiu e voltou sua atenção para onde estavam os modelos da campanha. Louis por outro lado tinha um sorriso cínico estampado no rosto enquanto observava Katherine com um olhar de quem claramente estava começando a entender a situação. A ruiva tentou ignora-lo e foi bem feliz na sua tentativa, pois no instante seguinte ele já estava orientando as maquiadoras que dariam os retoques necessários em Chris e na modelo.

E isso estendeu-se até o fim do dia.

A sessão de fotos foi longa e trabalhosa. Katherine aprendeu durante aquelas longas horas que Serena não só era uma chefe exigente, como também era perfeccionista e queria tudo na melhor qualidade possível. A ruiva e Louis tiveram que se desdobrar para dar conta dos pedidos que Serena fazia. Mas não apenas eles tiveram que se pacientes. A equipe como um todo teve que entregar o seu melhor e isso incluía o Chris, que para a surpresa de Katherine, manteve-se sorrindo o tempo todo. Ela notou que o ator quase nunca parecia se estressar, nem mesmo quando tinha repetir as mesmas poses até que Samuel e Serena achassem que tinham fotos o suficiente para dar como encerrada a sessão de fotos daquele editorial. E o bom humor de Chris se manteve até o fim da sessão, quando ele despediu-se de todos e saiu, mas não sem antes mandar uma mensagem para Katherine.

“Você ganhou um fã. Só não me pergunte quem ele é.

Capitão”

Ela riu sem entender a mensagem e quando ia responder acabou sendo chamada por Serena, que a manteve ocupada até a hora do almoço.

—Eu estou exausta! –Katherine exclamou ao sentar-se na cadeira da sua sala após chegarem da sessão de fotos.

—Não é só você, gata. –disse Louis ao se recostar na cadeira e abanar o rosto, jogando as mechas de cabelos claros para longe. —Acho que durante todos esses anos trabalhando aqui nunca vi uma sessão de fotos tão desgastante quanto essa.

—Eu não duvido. –Katherine respondeu rindo fracamente.

Os dois estavam aproveitando o minuto de descanso quando Serena irrompeu pela porta com o celular em mãos e o semblante fechado. Assim que a viram entrar, Katherine e Louis se colocaram de pé, sabendo que o trabalho não tinha acabado.

—Aí estão vocês. Esteva prestes a ligar para você, Katherine. Temos que ir até a sessão de fotografia fazer a escolha das fotos que irão para o editorial e quero a ajuda dos dois. Vamos! –Serena estalou os dedos e sinalizou para que eles o seguissem.

Louis fez uma cara de sofrimento que fez Katherine querer rir, mas a mesma controlou-se o máximo que pode. Os dois seguiram Serena e assim que chegaram à sala de fotografia encontraram Samuel e sua equipe já trabalhando na escolha das fotos, vendo-as dispostas sobre uma mesa ampla de tampo fosco. Serena prontamente segui em direção ao fotógrafo e logo começaram a analisar cada uma das mais de cem fotos que existiam ali. Katherine e Louis se aproximaram da mesa e assim como Serena estava fazendo, começaram a analisar cada uma das fotografias.

Katherine, como amante de tal profissão, olhava cada uma das fotos com uma atenção especial, percebendo o contraste natural, o brilho e a paleta de cores escolhida pela equipe responsável pelo figurino e fotografia. Seus olhos castanhos percorriam cada detalhe de cada um dos quadros tirados por Samuel, e notou com certo apreço que ele era realmente muito bom no que fazia. Ele conseguia captar a essência entre Chris e a modelo, mas acima de tudo, Katherine notou que Samuel conseguia deixar o ator muito mais bonito. Em especial na foto em que Chris estava sentado, trajando um dos ternos desenhados por Michael e mantendo uma pose pensativa. Ele estava levemente de perfil, o que acabava por realçar ainda mais os traços fortes que o ator possuía.

—Essa foto ficou incrível! –Katherine disse para si mesma.

—É uma das que eu mais gostei também. –a voz de Samuel chamou sua atenção, fazendo a ruiva virar e encontra-lo parado ao seu lado sustentando um sorriso gentil.

—Você é muito bom no que faz, Sam. Todas as fotos ficaram incríveis. –elogiou Katherine e viu o britânico sorrir um tanto quanto sem jeito ao dar de ombros.

—Gostaria que sua chefe pensasse o mesmo. –respondeu ele em um muxoxo que fez Katherine sorrir. —Mas pelo andar da carruagem creio que ela aprovou a maioria. E tem o Chris também. Ele é um bom modelo também e ajudou bastante para que as fotos ficassem boas.

—Sim, ele é. –a ruiva respondeu voltando o olhar para a foto que havia gostado. —É a primeira vez que trabalham juntos em um editorial?

—Sim. E apesar de não gostar de trabalhar com atores ou atrizes, até que ele se saiu melhor do que eu esperava. –disse Samuel, fazendo Katherine arquear as sobrancelhas em dúvida.

O que ele quis dizer com isso?, pensou ela de forma curiosa enquanto encarava o perfil de Samuel.

—Será que o casal poderia dar um tempo na conversa e se juntar à equipe para a escolha das fotos? –provocou Louis fazendo Samuel rir e Katherine corar.

Os dois juntaram-se ao restante da equipe e prontamente começaram a discutir sobre quais seriam as melhores fotos para o recheio da revista e qual deveria estampar a capa. Katherine, para a surpresa geral das pessoas que enchiam aquela sala, opinou veemente sobre cada uma das fotografias, realçando suas qualidades e seus defeitos caso houvesse. Serena assentia e ouvia tudo com muita atenção. Louis tomava notas assim como a equipe de Samuel. E este, bem, ele olhava para Katherine com verdadeira admiração. E isso não passou despercebido pela ruiva, que a cada vez que falava, sentia seu rosto esquentar estupidamente.

—Então temos aqui as fotos que ficaram no recheio e essa aqui. –Serena esticou-se, colocando a foto que Katherine havia gostado bem no centro da mesa. —Essa aqui será a capa do mês.

Todos aplaudiram e sorriram, aliviados de enfim poder começar o trabalho de edição. Louis soprou um graças aos céus e Katherine o seguiu, sabendo que a pior fase havia passado. Agora seria organização da matéria e das demais que iriam completar a edição do mês.

—Katherine. –Samuel a chamou saindo da sala logo após ela. —Suas observações fotográficas foram muito boas. Ajudou bastante a equipe.

—Fico feliz em ter ajudado. –respondeu ela sorrindo.

—Você gosta de comida indiana? –Samuel perguntou assim que as portas do elevador se abriram. A ruiva esperou.

Katherine inclinou a cabeça, estreitando os olhos diante da pergunta feita por Samuel. Um sorriso de lábios juntos estava marcando o rosto do fotógrafo, fazendo seus olhos se estreitarem também. Katherine presumiu ter entendido a pergunta feita por Samuel, mas queria ter certeza de que sua suposição não estava errada.

—Gosto, por que?

—Um amigo meu vai inaugurar um restaurante indiano no centro da cidade e... Se você não for fazer algo... –Samuel deixava as frases morrerem pela metade e Katherine achou isso fofo.

Tirando um bloco de dentro da bolsa ela anotou o endereço do seu apartamento e entregou à Samuel.

—Estarei pronta às oito. Tudo bem pra você? –questionou ela.

—Tudo certo. Às oito.

Katherine assentiu e entrou no elevador vendo as portas se fecharem e deixarem para trás um Samuel que exibia um sorriso de lábios juntos que o deixava extremamente misterioso, mas ainda assim bonito.

 

 

 

 

 

—Nem chegou direito e já vai sair com um cara do trabalho! –exclamou Chloe, jogando-se na cama do quarto de Katherine. —Você é rápida, garota.

—Eu não sou rápida. Eu só não preciso ficar trancada em casa tomando sorvete e comendo chocolate porque terminei um namoro que achava que era maravilhoso. –rebateu Katherine ao sair do banheiro enrolada em uma toalha.

—E ele é bonito? Esse Samuel? Ele tem um nome legal. –os olhos azuis de Chloe brilhavam de expectativa e sua animação fazia Katherine rolar os olhos.

—Sim, ele é bonito. E para deixa-la ainda mais curiosa, ele é britânico. –soprou a ruiva, vendo sua prima sentar rapidamente na cama.

—Britânico? E fotógrafo? Algo me diz que você encontrou o homem dos seus sonhos. –suspirando e com as mãos no coração, Chloe jogou-se de costas contra a cama e encarou o teto com um olhar sonhador.

—Às vezes parece que você ainda tem dezoito anos. –Katherine falou sarcasticamente e viu Chloe revirar os olhos. —Sam e eu somos apenas colegas de trabalho que vão ter um jantar legal.

—Não tenho culpa se torço para que encontre um cara legal após tudo que passou com...

Chloe deixou a frase morrer ao ver o semblante de Katherine se fechar ainda mais. A loira se calou e o silêncio naquele cômodo tornou-se quase insuportável. Katherine sabia que não amava seu ex-namorado e que o término da relação havia sido a coisa mais sensata a se fazer após tantos anos em que ela privou-se de ser verdadeiramente feliz. Mas assim como qualquer pessoa, ela sentia a mágoa por ter sido traída por alguém que um dia jurou fazê-la feliz.

—Olha Kath, eu só quero que você seja feliz. Você é a minha melhor amiga e minha prima, então é óbvio que eu vou ficar ansiosa ao vê-la finalmente saindo. –Chloe murmurou ficando de pé e se aproximando de Katherine, que mantinha os braços cruzados com certa força. —Que roupa você vai usar essa noite?

A loira balançou as sobrancelhas claras para a prima e conseguiu fazê-la sorrir, mesmo que tivesse sido contra gosto. Katherine abriu a porta do closet e tirou de lá dois vestidos casuais. Um azul escuro de modelagem simples e um verde com duas faixas que se cruzavam na costa. Ela os colocou sobre a cama e parou ao lado de Chloe, os analisando com muita atenção.

—E então, quais dos dois eu uso? –questionou olhando do vestido azul para o verde.

—As duas cores combinam com você e realçam seus fios acobreados. –Chloe batia o indicado sobre os lábios e semicerrou os olhos, evidenciando que estava ponderando sobre qual decisão tomar.

—Eu acho que vou usar o azul. Ele é mais discreto. –disse Katherine inclinando-se para pegar o vestido sobre a cama, mas sendo segurada pela prima.

—Não vai não! Use o verde e deixe o azul para outra ocasião.

—Outra ocasião? Tipo qual?

—Sei lá, mas se você não começar a se arrumar logo, o tal Sam vai chegar e encontrá-la enrolada nessa toalha.

Katherine gargalhou diante do comentário de Chloe e pegando o vestido verde voltou para o banheiro para terminar de se arrumar. Quinze minutos depois ela saiu já vestida, sendo recebida por uma Chloe animada que batia palmas para ela.

—Você está deslumbrante! Esse Samuel vai ficar louco, eu tenho certeza! –disse Chloe ao olhar a prima da cabeça aos pés, assobiando ao ver o par de saltos que ela usava. —Esses saltos são incríveis. Me lembre de pega-los emprestados na próxima vez que David me convidar para sair.

Katherine riu alto e terminou de se arrumar em frente ao espelho pregado na porta do closet. Ao terminar encarou a garota refletida ali e ficou feliz ao perceber que, apesar da pouca produção, sentia-se bonita e elegante. Chloe a ajudou a dar os últimos retoques na maquiagem e quando Katherine estava guardando seus documentos dentro da pequena bolsa preta ouviu a buzina de um carro soar duas vezes. As duas correram em direção à janela e viram um Jeep preto estacionado bem à frente do prédio. Samuel colocou a cabeça para fora da janela e acenou para Katherine que retribuiu sendo seguida por Chloe.

—Você nem o conhece para estar acenando para ele. –disse Katherine ao abrir a porta do apartamento para que ela e Chloe saíssem.

—Mas eu irei conhece-lo caso vocês resolvam sair para jantar mais vezes. –ela riu de forma cumplice fazendo Katherine balançar a cabeça em negação. —E eu estava falando sério sobre esses saltos.

—Eu sei, Chloe. Pode deixar que lembrarei de empresta-los na próxima vez que você for sair com o David.

Katherine soprou um beijo para a prima assim que saíram do prédio e entrou no carro que estava com a porta do passageiro aberta desde o momento que ela colocou os pés na calçada. Assim que a fechou, encontrou Samuel a olhando com um sorriso gentil nos lábios finos.

—Você está bonita. –ele gracejou fazendo Katherine erguer o canto da boca em um sorriso tímido. —Mais do que o normal.

—Obrigada Sam. Você também está muito bonito.

E de fato, ele estava. Samuel tinha uma beleza diferente dos outros caras. Ele era uma mistura de lorde inglês dos clássicos que Katherine lera quando era adolescente com os caras alternativos das bandas de Indie Rock. Talvez isso estivesse atrelado principalmente ao fato dele ser britânico, Katherine não tinha certeza. A única certeza que ela tinha era que aquele homem sentado ao seu lado tinha um charme discreto, mas ainda assim um charme que não passava despercebido pelos seus ávidos olhos acobreados.

Sam exibiu o seu sorriso de garoto britânico, como assim Katherine denominou, e deu a partida no carro, o guiando para a rua movimentada de Nova Iorque. Durante o caminho eles estabeleceram uma conversa amigável e animada, e Katherine pode, aos poucos, ir relaxando diante da presença dele. Após alguns longos e demorados minutos presos em um tráfego intenso, Sam estacionou o carro do outro lado da rua onde um restaurante de fachada moderna e referências à cultura indiana estava localizado.

—Permita-me, senhorita. –disse ele oferecendo o braço direito para Katherine.

Ela sorriu e aceitou, caminhando ao lado dele em direção ao restaurante que parecia estar bastante movimentado naquele dia em especial.

—Parece estar lotado. –Samuel comentou ao ver a quantidade de pessoas que chegavam.

—Isso é um bom sinal, não é? –Katherine questionou e viu Samuel assentir rapidamente.

—Ravi deve estar em êxtase! –ele sorriu outra vez.

Algumas pessoas estavam do lado de fora, comendo e bebendo em mesas altas dispostas na calçada. Mas era na parte interna que se concentrava a maior parte das pessoas, que cumprimentaram Samuel assim que o viram. Katherine sorriu para alguma dessas pessoas, mas logo focou sua atenção para a decoração era tipicamente indiana, com lenços e variações de tons quentes das paredes e em detalhes da sua decoração. Isso evidenciava ainda mais o cuidado especial que o dono do restaurante teve em montar aquele lugar. Katherine estava tão entretida admirando a decoração que acabou afastando-se de Samuel para poder olhar melhor alguns quadros que estavam pregados na parede da sala de recepção, mas estreitou os olhos assim que avistou uma pessoa que facilmente reconheceria, agora, em qualquer lugar.

—Fala sério! –murmurou Katherine ao tempo em que Chris se aproximava sorrindo largamente.

—Estou começando a achar que existe uma força superior agindo para que nós nos encontremos por aí, redhead. –disse Chris ao se aproximar de Katherine, a fazendo sorrir como ele sorria.

—Sabe, eu não duvido. Já foram o que? Duas vezes que nos encontramos por acaso? –questionou ela.

—Quatro se formos contar a ajuda do Capitan. –corrigiu Chris parando em frente à Katherine, a obrigando, mesmo de salto, a erguer o rosto para olha-lo nos olhos. —Você está muito bonita, redhead.

O modo como Chris a olhou foi diferente da forma como qualquer homem olhou para Katherine. Ela pareceu ver uma certa admiração nas íris azuladas do ator, e sentiu-se lisonjeada por tal elogio.

—O que você está fazendo aqui? Pensei que fosse uma inauguração mais para amigos. –desconversou a ruiva, sem saber lidar com o elogio vindo do homem parado à sua frente.

Chris sorriu coçando a nuca totalmente sem jeito e lançou um olhar para o lugar que estivera um minuto atrás. Katherine fez o mesmo e encontrou um par de olhos claros os fitando com certa desconfiança. Não demorou nada para que ela reconhecesse a dona do olhar como sendo a ex-noiva de Chris. Semicerrando os olhos de forma cínica, Katherine olhou para Chris com uma sobrancelha arqueada, o deixando ainda mais sem jeito. Isso a divertiu, arrancando da jovem brasileira uma risada baixa.

—A Hannah conhece o dono do restaurante. –ele respondeu em um quase sussurro. —Estamos tentando nos acertar. Você sabe... seu conselho.

—Isso é muito bom, Capitão!

Chris sorriu mais largamente diante do apelido e pareceu relaxar visivelmente ao ouvir a aprovação presente na voz de Katherine, mas isso mudou no mesmo instante em que ele viu Samuel aproximando-se deles com um olhar sério, frio e que poderia facilmente mata-lo caso fosse feito de balas calibre trinta e oito. Automaticamente o sorriso dele tornou-se sarcástico, fazendo Katherine olhar para trás, para onde Chris estava olhando.

—Eu ia perguntar se você tinha vindo sozinha, mas é óbvio que não. –disse ele assim que Samuel parou ao lado de Katherine e passou o braço ao redor da cintura dela. Katherine olhou para Samuel sem entender a razão para aquilo, mas assim que compreendeu revirou os olhos, fazendo Chris prender o riso.

—Chris, esse é Samuel. –ela gesticulou do fotógrafo para o ator. —Samuel, esse é... Acho que você o conhece.

—Quem não conhece Chris Evans, o homem que deu vida à Capitão América? Capa da Vogue. –respondeu Samuel com certo sarcasmo na voz.

Katherine automaticamente afastou-se dele e Chris arqueou as sobrancelhas em desdém diante do comentário feito por Samuel. O clima entre os três rapidamente tornou-se tenso, como se a qualquer momento um dos dois fosse começar uma briga cuja razão Katherine desconhecia, até porque não tinha dado intimidade suficiente para Samuel agir de tal jeito com ela.

—Pois é, existem pessoas que não me reconhecem. Não é mesmo, Katherine? –o cinismo era tão claro no tom de voz de Chris que fez Samuel ficar ainda mais tenso.

—Certo, certo. Acho melhor nós irmos atrás de uma mesa. Foi um prazer reencontra-lo, Chris. Aproveite o jantar com sua noiva. –disse Katherine puxando Samuel para longe e acenando para que Chris saísse dali o quanto antes.

O ator assentiu ainda exibindo um sorriso que era um misto de desdém e divertimento, o que deixou Katherine sem entender o porquê daquele homem ser daquele jeito. Já longe o suficiente dele, a ruiva virou-se de frente para Samuel e o olhou seriamente prestes a questionar a razão para aquele comportamento sem fundamento algum, quando percebeu que seriam interrompidos caso começassem a conversar.

—Samuel! Caro amigo! –um homem de traços indianos aproximou-se deles de braços abertos e um sorriso no rosto.

—Ravi! –exclamou Samuel.

Os dois homens se abraçaram e cumprimentaram-se alegremente, e Katherine assustou-se com a facilidade com que Samuel mudava de humor. Fora uma mudança tão repentina que ela chegou a pensar que ele fosse bipolar, mas descartou tal alternativa rapidamente quando Samuel virou-se de frente para ela, gesticulando na sua direção.

Katherine aproximou-se sustentando um sorriso de lábios juntos, já não sabendo se ter aceitado aquele convite tinha sido uma boa ideia.

—Essa é Katherine, uma colega do local em que trabalho. –apresentou Samuel ao dono do restaurante, que gentilmente cumprimentou Katherine com um aceno de cabeça.

—É um prazer conhece-la senhorita. –disse Ravi com seu forte sotaque sulista.

—O prazer é meu. Seu restaurante é muito bonito. –elogiou Katherine vendo o homem abrir um largo e radiante sorriso diante de tais palavras.

—Espero que goste mais ainda dos nossos pratos. Venham, vou leva-los até a sua mesa.

Ravi gesticulou para que Samuel e Katherine o seguissem, passando por um mar de mesas lotadas. Na metade do caminho a ruiva sentiu seu celular vibrar dentro da dentro da bolsa a tira colo. Ela discretamente o pegou e viu que havia recebido uma mensagem de Chris. Olhando por cima do ombro ela o avistou sentado em uma das mesas próximas as janelas frontais, conversando com Hannah. Katherine abriu a mensagem e revirou os olhos ao ler o conteúdo, mesmo que tivesse um sorriso divertido cravado nos lábios carnudos.

“Esse Samuel é um babaca, não?

Capitão”

Katherine ergueu a cabeça, notando que ainda tinha tempo para digitar uma revista e rapidamente a fez.

“Ele não soube lidar com o homem que deu vida ao Capitão América.

Redhead”

A ruiva clicou em enviar e guardou o celular dentro da bolsa no exato momento que Samuel virou-se na sua direção para puxar a cadeira para ela sentar. Ela tomou seu lugar e ouviu atentamente as dicas de Ravi sobre quais pratos talvez fossem agrada-los.

—Eu acho que vou querer...

—Traga esse Frago à moda de Goa para nós dois. –Samuel interrompeu Katherine, a deixando incrédula diante de tal comportamento.

—Ótima escolha! Ótima escolha! –Ravi bateu palmas após anotar os pedidos e saiu, deixando Samuel e Katherine a sós.

A ruiva ainda olhava para Samuel sem entender o que tinha acontecido, mas tendo a certeza de que a última coisa que queria era ficar ali mais um segundo.

—Samuel, eu acho que...

—Nós esquecemos de pedir algo para beber! –ele exclamou estalando os dedos e a interrompendo mais uma vez. —Vou pedir um uísque pra mim e uma água para você, pode ser? Uma garota como você não tem o perfil de quem bebe.

Aquilo foi a gota d’água para Katherine. Ela já sentia a raiva possuir cada centímetro do seu corpo e não havia nada que pudesse contê-la.

—E que tipo de garota você acha que sou, Samuel? –questionou ela tentando controlar sua raiva.

Samuel sorriu, inclinando-se na direção dela e batendo o indicador sobre seu queixo antes de dar uma piscadela.

—Aquela que todo homem gostaria de ter. –disse ele ao voltar para seu lugar.

O celular de Katherine já estava em suas mãos e seus dedos de forma hábil digitavam uma mensagem para a única pessoa que naquela altura do campeonato poderia ajuda-la.

“Ligue para o meu celular. Agora!

Redhead”

Katherine clicou em enviar, sustentando um sorriso falso para um Samuel que nada notava, nem mesmo quando ela colocou o celular sobre a mesa. No instante seguinte ele começou a vibrar, chamando a atenção de ambos. Rapidamente a ruiva atendeu.

—Oi Chloe! –disse ela de forma animada, vendo Samuel franzir o cenho para tal atitude. —Aconteceu alguma coisa?

—Eu que pergunto. –Chris falou do outro lado da linha.

—É a minha prima, volto em um instante. - Katherine levantou-se indo em direção ao banheiro feminino. Ao conferir que estava longe o suficiente da mesa onde Samuel estava, ela suspirou. —Você estava certo. Esse cara é um babaca e eu preciso que finja ser minha prima precisando da minha ajuda para eu ir embora com uma boa desculpa.

Katherine ouviu Chris afastar-se do local barulhento em que estava e indo, para o que ela presumiu, ser um lugar menos movimentado. Quando ela abriu a boca para perguntar se ele iria ajuda-la ou não, o viu adentrar no corredor que levava aos banheiros do restaurante.

—O que ele fez? –questionou Chris. O seu olhar era sério, assustando Katherine por um breve segundo. —Ele a desrespeitou?

—Você deixou sua noiva sozinha? –ela fez a primeira pergunta que veio à sua mente no instante que o viu parado à sua frente.

Chris franziu o cenho e balançou a cabeça positivamente antes de estalar a língua, como se ouvisse algo que não gostasse.

—Ex-noiva. Hannah é minha ex-noiva. –corrigiu ele. —Mas você não respondeu a minha pergunta.

Katherine meneou a cabeça para os lados e apoiou as mãos no quadril, encarando Chris com uma sobrancelha erguida em espera à sua pergunta feita sobre ajuda-la.

—Se você falar que sua prima está precisando de ajuda, aquele cara vai querer leva-la até ela, certo? –Katherine assentiu torcendo o lábio em desgosto. —Então simplesmente diga à ele que vai embora. Eu a levo.

—Você ficou louco? –a voz dela elevou-se chamando a atenção de algumas pessoas que passaram pelo corredor. —E a Hannah?

—Ela vai entender. Na verdade, nós meio que já estávamos indo embora.

Ele sorriu totalmente sem graça e Katherine entendeu o que ele quis dizer.

—Céus, eu não quero atrapalhar. Posso facilmente pegar um táxi. É, farei isso.

Decidida ela passou por Chris a passos largos, mas sentiu seu braço ser capturado pela mão dele, que a puxou de volta com certa delicadeza, mas rápido o suficiente para fazê-la encostar contra parede. Chris postou-se diante de Katherine e a olhou seriamente, ficando tão perto que ela podia sentir o perfume almiscarado que emanava do corpo dele. E era um perfume que fez a ruiva engolir em seco, porque era extremamente delicioso. Os olhos de Chris percorreram o rosto de Katherine por mais tempo do que deveriam e pararam por longos segundos sobre os lábios carnudos e pintados de um suave tom de carmesim.

—Desculpe. –ele falou ao se afastar e solta-la. —Você não irá atrapalhar, Katherine. E eu estou falando sério. Deixe-me ajuda-la.

Ela ponderou por um momento, mas assentiu logo em seguida. Chris assentiu, arrumou a blusa que não precisava ser arrumada e gesticulou para que Katherine fosse à frente.

—Irei espera-la lá fora. –disse ele ao passar por ela e seguir de volta à sua mesa.

—Tudo bem.

Quando Katherine voltou para sua mesa encontrou Samuel comendo sozinho e isso de certo modo a deixou incomodada. Ela respirou fundo e parou ao lado da mesa, o vendo erguer os olhos lentamente na sua direção.

—Aconteceu um imprevisto, Sam. Eu preciso ir embora, mas não precisa me levar. Posso pegar um táxi. –ela deu seu falso sorriso sem graça e esperou pacientemente a reposta do fotógrafo.

—Aconteceu algo com sua prima? –inquiriu ele.

—Não. Está tudo bem com ela.

Samuel assentiu paulatinamente, unindo as mãos sobre a mesa e as usando como apoio para o seu queixo. Seus olhos semicerraram na direção de Katherine, mas ela nem sequer esperou uma resposta. Simplesmente acenou e fez seu caminho porta afora, encontrando Chris e Hannah parados ao lado do volvo que Katherine já conhecia. O ator sorriu largamente ao vê-la, ao contrário de Hannah, que limitou-se apenas a exibir um sorriso de lábios juntos deixando bem claro que a última coisa que queria era estar na presença da mulher que havia dito ser a nova namorada do seu ex-noivo. Mas Katherine pouco se importou. Ela só queria sair dali o mais rápido possível.

—Então para onde tenho que leva-la? –perguntou Chris assim que Katherine aproximou-se.

—Só um instante. –pediu ela erguendo o indicador e tirando o celular de dentro da bolsa.

Rapidamente a ruiva discou o número de Chloe e no segundo toque ela atendeu.

—Aconteceu alguma coisa, Kath? –foi a primeira coisa que Katherine ouviu.

—Ele era um babaca e eu não quero ficar em casa. O que sugere? –perguntou a ruiva, ignorando o olhar aguçado de curiosidade vindo diretamente de Chris.

—Tem um bar perto do restaurante. É legal, sempre tocam muitas músicas que eu tenho certeza que você vai adorar e tem sinuca. –respondeu Chloe soando animada.

—Certo. Passe o endereço por mensagem e me espere lá.

—Tudo bem. Até mais, Kath.

Assim que Katherine desligou, seu celular apitou avisando que havia uma nova mensagem. Ela a abriu lendo o endereço escrito ali antes de entregar o celular à Chris.

—É para esse endereço que você tem que me levar, Chris. –disse Katherine sustentando um olhar quase diabólico.

Os lábios de Chris se ergueram em um sorriso cumplice e ele assentiu, sinalizando para que as duas mulheres entrassem no carro. Quando já estavam todos dentro do veículo e ele o ligou para enfim dar a partida, Katherine o viu olha-la pelo retrovisor exibindo um certo brilho em seus olhos azuis.

—Acho que faremos uma parada no Prisoner. –disse ele dando uma piscadela para Katherine.

No banco da frente Hannah bufou, mas não disse nada. E Katherine soube que a modelo faria qualquer coisa para agradar o ator. Até mesmo tolera-la durante alguns minutos até que chegassem ao bar onde a noite de Katherine iria melhorar consideravelmente.


Notas Finais


Capítulo longo, eu sei. mas foi pra compensar a ausência.
E aí? Quem mais quer socar o Samuel por ser um babaca?
E os comentários do Chris?
Próximo capítulo vai pegar fogo!
Comenteeeem <3
Ah, criei um twitter pra gente conversar sobre nossas fics preferidas e sobre as que esrevo, me sigam lá: @lolabenetth


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...