História When did you stop loving me? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Rap Monster, V
Tags Vmon
Visualizações 50
Palavras 620
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


essa drabble é parcialmente baseada em fatos reais

Capítulo 1 - .único; Kim Namjoon


17 × 25

kim namjoon foi o meu primeiro namorado. 8 anos mais velho. nosso amor era algo mal visto pelas pessoas e nossas famílias. eu lembro que o chamavam de pedófilo, mas eu não ligava. até hoje não ligo.

não recordo muito das coisas que fizemos juntos, apenas àquelas que marcaram. já faz tempo que não nos falamos. e eu continuo contando os dias desde que foste embora.

tenho saudades imensas de seu corpo repleto de tatuagens e piercings, seu sorriso sendo acompanhado pelas covinhas profundas e visíveis, seus beijos, abraços, voz, literalmente tudo.

pode se dizer que a melhor marca de todas era a chicana mexicana em sua coxa direita, feita especialmente para mim e o piercing no smile.

nosso amor foi intenso ao ponto de tatuar seu corpo pensando em mim e acompanhá-lo até um estúdio para perfurar sua pele com o piercing curvado e escolhido por mim.

nunca esquecerei como você era viciado em café puro e passava madrugadas fazendo seus desenhos e dias tatuando pessoas. eu te visitava todos os dias em seu estúdio com um café em mãos, feito pela minha pessoa e mesmo tendo gastado meu tempo e mesada procurando do melhor e bom café da cidade, meu sorriso nunca se desfazia quando o assunto era você.

naquela época, minha vontade era de ser maior de idade e passar horas vendo-te tatuar o meu corpo, concentrato e com a pontinha da língua para fora da boca, – uma mania sua que eu admirava muito – enquanto conversa comigo, distraindo-me da dor.

lembro como gostava de pegar a sua caneta preta e usar-me de modelo para seus desenhos novos. ou como pedia opiniões diárias sobre seu trabalho.

lembro que ficavámos dias sem contato, pois tinhas eventos importantes fora da cidade e voltava com prêmios de melhor tatuador, mas nunca tinha a oportunidade de me levar.

sei que nesses dias você beijava outras bocas e tinha relações sexuais, mas não conseguia controlar meu ciúme e chorava em sua frente. você me abraçava e dizia que eu era muito novo para aquelas coisas. mas não hesitava em beijar-me quando eu lhe pedia. não hesitava quando eu pedia para lhe tocar em outros lugares. mas nunca me tocava.

eu sabia que você já tinha sido casado e sua ex-mulher era linda, e havia sido traído e magoado profundamente. mas comigo foi diferente, tu sabias desde o ínicio que eu seria o idiota da vez, que uma hora iria quebrar o meu coração e ir embora sem desculpas e choros. sem delongas.

você disse que estava indo embora para outro país no dia do meu aniversário de 18 anos, o qual eu escolhi passar contigo, assistindo filmes e trocando beijos e carícias.

você maltratou tanto do meu coração naquele dia. me machucou tanto quando pediu-me ajuda para embalar as coisas. eu não parava de chorar um segundo sequer.

com pena, você deixou comigo seus bens materiais que eu mais amava, como seus desenhos, a cafeteira moderna vermelha, suas blusas pretas para dormir e um colar que comprou para mim.

você disse que iria voltar enquanto colocava o colar de ouro envolta do meu pescoço, logo secando as minhas lágrimas e beijando-me na testa.

isso mesmo, eu ouvi perfeitamente que iria voltar, mas por que demoras tanto? esquecestes de mim? enjoou de mim? conheceu alguém que te faz mais feliz?

e bom, eu não tenho respostas suas. nunca tive. e claramente nunca terei. mas por que meu coração continua a acelerar toda vez que penso em ti? por que ainda alimento um sentimento que já deveria ter morrido há tempos?

olha o que você fez comigo, amor. me deixou em pedaços e agora me pergunto quando você parou de me amar?


Notas Finais


gente amanhã eu to indo embora de casa, eu nao paro de chorar

ouçam muito hunter hayes, esse homem é um anjo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...