História When I Look At You - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Amor, Camren, Drama, Romance
Visualizações 122
Palavras 2.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei? Hehehehehe! Já ouviram falar em bloqueio mental? Então, minha gente - use a a voz mais desesperada - eu tava desse jeito, saia muita coisa não, até que vi uma cena de uma discussão e as coisas floresceram igual a primavera na região sul do Japão, só não ficou colorido kkkkkkkkkk. Quem tava com saudades de SEMI e da Hailee levante a mão?

Ps: Senti falta do comentário de vocês :(

Bora ler, que vcs tão aqui pra isso kkkkkkkk bora berrar também, pq tem babado hoje.

Capítulo 26 - Who Is She



(...)

Haviam se passado quase um mês desde que saiu de casa com as filhas, a meninas estavam se acostumando com a nova rotina, era desgastante viver em um relacionamento onde a reciprocidade não era a mesma, ou onde você sempre seria a segunda ou a última opção na vida de alguém e já estava ficando cansada disso.

Seu casamento nunca fora cheio de carinho, paixão, amizade, cumplicidade,não havia respeito e muito menos amor. O casamento delas era somente onde quem amava era Demetria e tantas outras coisas cabiam à ela nutrir, sentir, ter e possuir. Nada era cabível para Hailee, nada lhe era possível permitir ter ou até mesmo fingir sentir.

Jamais teria aceito o fardo de ser a outra, assim como Camila, Demi era só mais uma vitima das mentiras da advogada, logo que descobriu que o seu casamento na verdade não passava de papéis falsos e uma grande armação.

A mulher tentou sair de casa com as filhas, mas o amor que sentia por Hailee era maior que tudo na vida, mas as constantes traições e o fato de ter que dividir aquilo que nunca foi seu com outra mulher, a verdadeira esposa, corria Demetria por dentro fazendo-a se sentir completamente miserável por aceitar ao longo dos anos, viver naquela situação.

O nascimento das gêmeas foi motivo de festa, Hailee largou um jantar com Camila, jantar onde iria comemorar um ano de casadas, a vindas das meninas, cancelou a viagem delas para o sul da Rússia, o primeiro aniversário das meninas, ruminou em milhões de brigas...

Demi nunca soube que a esposa se dividia entre dois relacionamentos e quando soube não conseguia se desprender de Hailee sujeitando-se a humilhação de ainda ser a outra, aceitando amargamente o peso de que nunca seria a pessoa de alguém.

Todo mundo toma decisões erradas na vida, seja por crer que é certo, ou seja para se encaixar em um círculo social aceitável. No caso de Demi, os eventos que a levaram seguir caminhos tortuosos foram as promessas falsas, juras de amor nunca cumpridas, a falta de alguém que a lhe segurasse pela mão e caminhasse com ela de mãos dadas seguindo contra qualquer obstáculo.

Lovato só estava cansada de ser o que nunca foi, cansada de achar que era alicerce da esposa, sendo que a mesma buscava isso em braços e calores que não traziam o menor sentimento de proteção. Mas errar tem prazo para acabar, só custa abrir os olhos e notar que o momento perfeito para os acertos está tão próximo de se realizar.

- Eu coloquei a minha vida e a minha felicidade em suas mãos, eu confiei e me entreguei a você, e burra, acreditei que o que tínhamos era verdadeiro. - Demi caminhou até a ex esposa, permitindo que a mulher visse toda a sua mágoa em seus olhos. Demétrio tentou buscar em Hailee algum tipo ou resquício de de arrependimento nos castanhos sem brilho, algo que mostrasse a ela que a advogada merecesse uma segunda chance, a advogada sorriu afagando levemente a bochecha molhada da outra, sorriu fraco, sorriso que se tornou grande e debochado, causando em Demétrio uma aversão que rugia feito um leão do seu mais profundo rancor.

- Nunca pedi que jogasse sua medíocre felicidade em meus braços - Hailee continuou rindo,Demi olhou para baixo rapidamente limpando o rosto para remover as lágrimas que caiam, ela notou o quanto a mulher havia mudado esse tempo que passou longe de casa. - Você fez isso porque quis, mas te dou a chance de voltar atrás e viver comigo novamente.

Então era isso! Hailee estava perdoando Demi por ter saído de casa com a gêmeas, como se a mesma tivesse alguma culpa pelos atos da ex esposa. Ela ainda não conseguia acreditar que a advogada havia tido o prazer bloquear a conta bancária conjunta das duas, deixando-a sem ter como manter a si própria e as filhas no hotel.

Hailee havia proposto que Demi voltasse para casa com as crianças, proposta essa que foi recusada, mas no entanto, Demetria não tinha para onde ir quando o pouco dinheiro que lhe restava acabasse daqui poucos dias. O que antes eram flores, se tornou um mar de sangue e sofrimento.

Cansada de tudo que vinha acontecendo, Demi tirou o dia para arranjar uma emprego, e outro local mais barato onde pudesse ficar com suas filhas até que conseguisse se manter sozinha com elas.

Sabendo que a cafeteria estava precisando de garçonetes, Demi tentou a sorte com a dona do estabelecimento, mas acabou não conseguindo o emprego por falta de recomendações. Sua boa aparência, não foi o suficiente para ganhar a oportunidade.

Não iria desistir, as meninas haviam ficado no hotel, brincando com outras crianças, na parte reservada para diversão infantil. Ela tinha que voltar para lá ao menos com uma boa notícia para si própria e seu consciente.

Seu tempo estava acabando e logo não teria onde ficar com as filhas confortavelmente e voltar para casa era uma situação completamente fora de questão. Precisava dar um jeito o quanto antes ou tudo se tornaria uma bola de neve recheada de problemas maiores ainda.

Demi não tinha muita experiência com quase nada na vida, seu último trabalho foi como secretaria, mas não durou tanto tempo ao ponto de lhe dar algum entendimento sobre o assunto, mas ela era organizada, atenciosa, pontual e acima de tudo era responsável com àquilo que lhe cabia fazer no âmbito de serviço.

Talvez achar um emprego na área que mais lhe beneficiava no momento fosse mais fácil.

- De jeito nenhum que você vai se meter nessa história, Alejandro Cabello. - Miguel andava de um lado para o outro, com o braço colado no peito, o outro com o dedo seguro entre os dentes. Tinha um ar pensativo e preocupado, o tempo estava acabando é quase nada estava no caminho certo. - Me deixe pensar no que fazer, não confio em mais nada que saia dessa sua cabeça cheia de minhocas.

- Não seja chato! - Alejandro revirou os olhos fazendo careta, imitando a palavras de Miguel. - Você já notou a encrenca onde nos metemos?

- Sim e a culpa é toda sua, então faça o favor de ser calar e me deixar pensar. Sinceramente não sei como ainda te dou confiança e ouvidos.

- É porque você me ama, Miguel. Já disse... Eu sou a melhor coisa que o patrão colocou na sua vida pós-morte. - O anjo ria enquanto contava nos dedos todas as idéias que tinha para arrumar a vida daquela mulherada toda. - Será que a Camilla sabe o que a Hailee fazia com o ...

- Claro que não,se soubesse, Hailee já estaria morta e Camila presa. - Miguel disse sem dar muita atenção para o anjo. - Espere aí! Já sei! Vem comigo, agora é isso é uma ordem e não um pedido.

Alejandro em nada se espantou com as palavras do guia, mas por ser seu guia não podia fazer nada quando Miguel usava aquele tom de voz autoritário.

- Para onde vamos? - Ousou perguntar.

- Isso não te interessa no momento. - Alejandro as vezes jurava que o guia tinha algum parentesco com a família de Dinah, se recusava a acreditar que o guia era avô de uma jovem tão doce e bondosa igual a Allyson Brooke.

- Grosso! - Alejandro ralhou antes de sumir involuntariamente.

(...)

Não era certo que tanto amor guardado não fosse transbordado com toda intensidade que cabe em uma mulher e quando se falava de várias mulheres, com amor o suficiente para amar o mundo que lhe era aguardado e merecido, não era justo que todas as pessoas sofressem tanto em busca da felicidade.

- Eu sei que é cedo demais Selena, mas a Taylor tem um jeito tão especial. Ela é diferente de todas a garotas com quem já tive algo e ultimamente as coisas estão estranhas.

- Sofia você é estranha. - Sofia jogou a toalha que ela usou para enxugar os cabelos na cara da amiga. Elas riram juntas, mas Selena notou que Sofia havia mudado bastante nos últimos tempos. - Mas você fala da Taylor Jauregui, irmã do Chris e da Lauren?

- A própria! - Selena soltou um assobio para a amiga. - Coragem viu? Tem gente que tem coragem!

- Para com isso, eu tô morrendo de medo da Lauren me fazer em picadinhos ou o técnico Chris fazer alguma coisa em relação ao time.

- É garota você tá lascada. - Selena deu alguns tapinhas nas costas da amiga tentando confortar ela amigavelmente mas foi em vão. - Pelo menos posso dizer que foi um prazer te conhecer em vida.

- Idiota!

- Eu sou mesmo. - Selena sorriu fraco, seus olhos ganharam um brilho triste.

- Ei o que você tem? - Sofia fechou a porta do armário que usava no vestiário e sentou ao lado da amiga, trazendo o corpo dela para perto do seu.

- Se eu te contar acho que você vai me matar! - Disse escondendo o rosto no pescoço da melhor amiga.

- Matou ou roubou alguém?

- Pior que isso! - Selena disse baixo.

- Então desembucha logo, estou ficando preocupada.

- Sofi, se hipoteticamente falando, eu dissesse que acho que estou apaixonada por alguém que você odeia...

- Eu te mataria, Selena Gomez.

- Tá certo! - Selena ficou de pé ajeitando o uniforme, sem olhar para Sofia, sabia que a amiga era barraqueira e se soubesse mais do assunto Londres inteira saberia de tudo através de um só grito. Talvez nem tanto, pois Sofia estava mudando, mas não era cem por cento.

- Volta aqui, você não me contou quem é!

- Porque? Se eu contar você vai armar uma barraco, vai ficar sem falar comigo e eu prefiro ter a sua amizade.

- Qual o grau?

- 100!

- Então já tive vontade de matar.

- Por muitos anos, Sofi. - Selena sentou de volta no banco esfregando as mãos na face afim de se acalmar.

- O que você sente por essa pessoa?

- Sinto que não é recíproco. Ela está se divorciando e ainda tem as filhas que são uma graça. Mas eu me apaixonei de graça, foi logo de cara, e ela não tá nem aí pra mim.

- Você sempre sendo trouxa!

- Bem vinda ao clube, querida. - Selena deu uma tapa na nuca da melhor amiga.

- Mas realmente está gostando dela?

- Gostar é pouco pra ser sincera, mas existem tantas coisas que me impede de tentar uma aproximação. E uma delas é você! - Selena sussurrou fraco.

- Por que eu? - A jogadora havia ficado confusa.

- Esquece Sofi, bora treinar porque as finais estão bem aí. - Selena pegou o equipamento e saiu do vestuário deixando Sofia para trás.

A Cabelo mais nova coçou a nuca sem entender nada, buscou pela bolsa onde continha o seu taco de estimação e a camisa do time e seguiu para o campo de treinamento, mas antes de uma nota mental para não se esquecer de conversar novamente com Selena sobre esse assunto sem fundamento.

Elas seguiram para o campo, e cada uma tomou sua posição. Hoje era dia de treinar as tacadas em campo fechado, por isso foram para o simulador. Cada uma ficou em um simulador diferente, esperando a máquina arremessar a bola. Selena perdeu a primeira bola, e Sofia também.

Elas tomaram postura para iniciar outra tentativa, Selena ajeitou os ombros se lembrando da crítica de Isabella e sorriu a lembrar da garotinha, lembrou- se também dela falar que Selena parecia desesperada pela bola e não pode evitar um sorriso de nascer em seus lábios. Ela olhou para lado e viu Sofia com um ar despreocupado.

"Como ela consegue ser assim?"- Selena se questionou em relação ao comportamento da amiga.

A segunda bola veio e Selena rebateu sem problemas, logo ela entendeu como Sofia conseguia agir naturalmente em campo. Os momentos bons eram o melhor calmante para quem estava sob pressão e a jogadora se sentia assim por anos.

Não era fácil carregar a família nas costas e lidar com pessoas que só se aproximavam dela por interesse e sem querer ela se apaixonou por uma mulher com duas filhas, que não dá a mínima para ela. A terceira bola veio mais rápida do que a segunda ou a primeira pegando Selena de surpresa que logo foi atingida no estômago pelo objeto.

- Porra! - Sofia olhou para o lado e viu a amiga caída no chão com um expressão nada amigável se contorcendo inteira.

Ela saiu de onde estava, e correu para ajudar a amiga a ficar de pé, mas como ainda era bruta, Sofia acabou sem querer pisando no pé de Selena que gritou de dor.

- Sai, me solta sua ogra. - Sofia se afastou assustada. Já havia pisado outras vezes no pé das outras pessoas, mas nenhuma delas havia tido reações estranhas iguais as de Selena que vinha agindo muito estranhamente nos últimos dias.

- Deixa de ser mole e coloca o braço aqui, vou te levar na enfermaria. - Selena começou a resmungar, mas Sofia não deu ouvidos.

Elas foram para a enfermaria, Chris havia dado uma licença para as duas, e após ser medicada e analisada, Selena ficou umas horinhas em observação. Virando alvo fácil para o bombardeio que era Sofia Cabello.

- Quer alguma coisa? - A jovem perguntou como quem não quer nada.

- Eu tô bem, eu acho. - Selena sorriu de canto. - Desculpa a grosseria, eu não sei o que tá acontecendo comigo.

- Tudo bem, quer conversar?

- Melhor não, você não entenderia. - Selena virou o corpo para o lado, ficando de costas para Sofia.

- Qual é Seli, vai esconder as coisas de mim agora? - Sofia caminhou até o leitor da amiga e sentou ao lado dela.

- Provavelmente se eu contar, você vai ter uma surto apoteotico.

- Faz um esforço, tá todo mundo falando que eu mudei, não custa tentar. - Ela sorriu encorajando a amiga.

- Não sei, você é instável demais Sofia.

- Instável é uma merda.

Selana ergueu uma sobrancelha como se dissesse " Eu avisei".

- Tá, só um pouco eu acho, mas não quer dizer nada.

Selena balançou a cabeça em negativo e voltou a deitar a mesma no travesseiro.

- Façamos assim, eu saio do quarto, a enfermeira trança a porta e você me liga. - Sofia colocou o celular da amiga ao lado dela, até que não seria uma má idéia, Selena pensou brevemente. - E aí você me diz o que tá acontecendo, ok?

Ela não esperou a resposta da outra, saiu do quarto e falou com a enfermeira que prontamente trancou a mesma duas vezes por questão de segurança da paciente. Selena olhou para o aparelho e em seguida para Sofia que acenou apontando para um outro aparelho suas mãos enquanto sorria. Meio sem coragem, Selena ligou a tela do celular, seria mais seguro não falar nada, mas Sofia não iria lhe deixar em paz.

- Pode ligar! - Viu Sofia falar, Selena era boa em leitura labial.

Ela discou o número de Sofia, e esperou. No segundo toque a garota atendeu. Selena engoliu em seco, não sabia se se sairia viva depois daquilo, mas Sofia era sua única melhor amiga. Ela olhou Sofia que estava atrás de uma janela de vidro no corredor e fez uma cálculo mental sobre aquela parede aguentar fúria de Sofia Cabello.

- Eu me apaixonei. - Selena disse.

- Isso eu já sei, quem é ela?

- Quer mesmo saber?

- Se não quisesse não estaria perguntando.

Selena travou por um momento, mas não tinha para onde fugir.

- Eu me apaixonei pela Demetria Steinfeld. A mulher que era amante da ex esposa de Camila. - Selena desligou o celular e ao olhar para a janela de vidro, não viu Sofia mais no local.

Minutos depois o celular de Selena vibrou e em seguida uma mensagem surgiu na tela. Em letra garrafais e gritantes.

"STUPID"

Ela se jogou na cama de volta respirando fundo, recebeu um sorriso acolhedor da enfermeira, mas não foi o suficiente para lhe acalmar naquele momento.

(....)



Notas Finais


Eu volto assim que possível *---*

Love vocês tudo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...