História When Passion's A Prision You Can't Break Free - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Camus de Aquário, Dégel de Aquário, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Kardia de Escorpião, Miro de Escorpião, Shun de Andrômeda
Visualizações 136
Palavras 1.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oioie amores, tudo bom?! Cá estou eu com mais um capítulo, espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 4 - I Play My Part And You Play Your Game


Fanfic / Fanfiction When Passion's A Prision You Can't Break Free - Capítulo 4 - I Play My Part And You Play Your Game

Fazia uma semana desde que eu tinha ido na empresa do ruivo e o beijado, tentei várias vezes  falar com ele mas a secretária dele sempre dizia que ele não estava, garanto que ele tinha mandado a secretária dizer isso só porque não queria me ver.

A pior parte de tudo é que depois desse beijo eu penso com ainda mais frequência naquele ruivo e isso pra mim é mais estranho do que parece porque muitas vezes eu já teria desencanado depois de um beijo, ao que parece esse ruivo tem o dom de me manter fascinado.

No momento eu estava com Kardia o ajudando com os preparativos finais do casamento que é amanhã e ao que parece está tudo em ordem, não sei porquê Kardia insiste para que eu o ajude se não tem mais nada para arrumar, o lugar da festa já foi escolhido, a decoração já ta pronta, o terno do Kardia já foi escolhido e comprado. Realmente não sei o porquê estou aqui no lugar da festa.

–Milo, ta me ouvindo?!-Kardia passava a mão na frente dos meus olhos.

–Que foi Kardia? E para com isso.-disse empurrando sua mão.

–Entendeu o que você tem que fazer?

Eu não tinha prestado atenção em nada do que o Kardia falou, estava mais interessado em pensar no ruivo do que no que Kardia tinha pra me dizer sobre seu casamento.

–Pelos deuses Milo presta atenção em mim.-Kardia gritou me assustando.

–Ei Kardia não grita eu estou bem do teu lado.

–Eu não precisaria gritar se você ouvisse o que eu estou tentando te explicar.

–Não precisa se estressar.

–Pela milésima vez, você sabe o que tem que fazer?

–É... Não.-falei com um pouco de medo do Kardia me dar um tapa.

–Milo como eu gostaria que você me ouvisse. Ta certo vamos lá.

Kardia começou a falar de novo o que eu tinha que fazer, mas a minha mente de novo voltou ao beijo que eu deu no ruivo, sabe eu poderia passar o tempo todo beijando ele. Eu senti algo diferente quando eu beijei ele, algo que eu nunca tinha sentido antes o beijo dele é algo que eu poderia viciar.

–Ai Kardia.-falei passando a mão no lugar em que o Kardia me bateu.

–Presta atenção Milo. Mas que saco, já te expliquei mil vezes a mesma coisa.

–Desculpa Kardia mas eu simplesmente não consigo prestar atenção no que você diz.-sorri pra ele talvez assim ele não me matasse.

–Quer saber, eu te larguei por enquanto, fique sentado aqui limpe sua mente que eu já volto pra te explicar as coisas.

Assim que meu irmão saiu e pude ter um sossego, claro que eu não ia conseguir limpar a minha mente mas eu precisava pelo menos tirara um pouco o ruivo da minha cabeça pra eu poder prestar atenção no Kardia e ele não ter um troço.

Mas eu to sempre voltando aquele beijo, como eu queria poder ver ele de novo poder beijá-lo mais uma vez. Queria saber se o beijo mexeu com ele da mesma forma que mexeu comigo, queria tê-lo pra mim poder fazer o que eu quero com ele. Não sei o que ele tem mas o simples fato dele existir me fascina, acho que é porque ele é a primeira pessoa que resistiu a mim, e eu não estou acostumado a isso.

–Ei Milo, o que foi?-alguém me atrapalhando de novo.

–Que foi?-perguntei finalmente vendo que era Degél quem estava me perturbando.

–Pela primeira vez na vida eu te vi quieto e sem irritar o Kardia.

–Vai se catar Degél.

–Você não está nem um pouco simpático hoje.-meu coração falhou uma batida quando eu ouvi aquela voz.

Não é possível que o ruivo estivesse ali, quer dizer porque ele estaria aqui e porque ele viria falar comigo.

–Camus.-meu olhos foram direto para ele, e mais uma vez ele me olhava daquele jeito frio de sempre.

–Vou deixa-los conversando.-falou Degél, e eu pude notar que o ruivo não gostou disso.-Aliás, onde está o Kardia, Milo?

–Ele foi lá na cozinha.

–Obrigado.

Fiquei olhando o Degél se afastar, eu não sabia o que dizer para Camus, talvez se eu falasse alguma coisa ele me odiasse. O que eu acho bem possível que ele já sinta por mim.

–Milo, sobre aquele dia na minha empresa, aquilo não vai acontecer de novo.

–O que? Vai dizer que você não gostou?

Pude ver que o ruivo ficou um pouco desconfortável com o que eu falei, não era possível que só eu tenha gostado.

–Claro que não Milo, e outra isso não é certo.-disse ele com o tom mais frio.

–Por que não é certo Camus? Sei que você quer isso tanto como eu.

–Somos sócios Milo, e eu não quero isso.

–Você pode se enganar, mas a mim você não engana. O seu beijo já me disse que você me quer.

–Não se ache tanto Milo! E vamos mudar de assunto.

–Eu não me acho Camus.

Ficamos um tempo em silencio, como ele pode dizer isso eu não me acho. Acho que ele está querendo enganar a si mesmo, o beijo dele não foi o de uma pessoa que não queria nada comigo, aliás se ele não quisesse alguma coisa comigo ele não teria correspondido ao meu beijo.

–O que faz aqui?-perguntei e pareceu tirá-lo de seus pensamentos.

–Parece que você se esquece de que meu primo irá casar com seu irmão.

–Achei que você não se metia nos assuntos do casamento.

–Eu não me meto, eu ajudo meu primo.

–Que seja, não vejo o motivo para estarmos aqui.

–Pelo jeito a ideia do casamento não lhe agrade.

–Não diga isso, eu estou muito feliz pelo meu irmão.

–Então porque não parece nem um pouco feliz.

–Acontece que está tudo perfeito que não é necessário estarmos aqui.

–Você não entende nada sobre casamentos.

–E por algum acaso você entende.-pude ver a expressão em seu rosto mudar.-Ei o que foi? Me desculpe.

–Não se desculpe, não foi nada. Acho que vou procurar o Degél, com licença.

O ruivo se levantou antes que eu pudesse falar alguma coisa, pelo jeito ele tem algum problema com casamentos. Como eu queria poder conforta-lo, acho que isso me faria sentir melhor do que estou agora.

Pra variar eu sempre estrago as coisas, parabéns Milo. Só queria saber o que aconteceu com ele, agora só me resta tentar ouvir o que o Kardia estava tentando me explicar antes do Camus chegar. Quero só ver o que vai sair desse casamento.

 


Notas Finais


E então pessoinhas o que acharam?! Contem-me tudo. Quero deixar um super obrigada a Anale_kuchiki, a Dasf-chan, e a Micaela-chan que comentaram no capítulo passado. E também a todos que favoritaram a fic.
Então é isso, mil beijos e até o próximo capítulo.
NiHerondale.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...