História When paths cross ... - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Personagens Originais, Tom Riddle Jr.
Tags Tomione
Exibições 66
Palavras 1.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Saga
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie gente mais um cap pra vocês...

Capítulo 4 - A Ravenclaw...


Fanfic / Fanfiction When paths cross ... - Capítulo 4 - A Ravenclaw...

Pov. Tom Riddle:

 Não sei oque me intrigava naquela garota, talvez os olhos de lobo, ou suas roupas futurísticas. Talvez...

Eu e Abraxas agora estávamos em King Cross, prontos para atravessar a barreira para plataforma nove/três quartos.

Até que ela chegou, de vestido vermelho saltos pretos e corpo avantajado para idade.

-Ministro. –cumprimentou o pai de Abraxas.

-Que bom vê-lo Sr. Malfoy.- disse o ministro. –Já conhece minhas filhas? Essa é Gorete. –mostrou uma garota de olhos vermelhos. –Essa é Greta.- apresentou a garota que me destratou na Floreios e Borrões. –E essa é Jane.

-Prazer. -cumprimentou simpática ao pai de Abraxas. –Bom vê-lo Riddle.

Para minha surpresa, ela me cumprimentou como se eu fosse seu igual, diferente de suas irmãs e pais que me olharam feio.

-Bom revê-la também Srta. Jones. - disse cordial.

-Por favor, sem formalidades demasiadas exageradas, chame-me de Jane e já está de bom tamanho. –sorri.

-Então me chame-me de Tom. –disse em resposta.

-Pode deixar. –ela sorriu.

-Minha irmã, acredito eu que se não irmos agora não pegaremos uma cabine vazia. –disse a de olhos violeta.

-Ainda são vinte para as onze ainda temos tempo. –disse Jane.

-Sua irmã está certa, Jane, melhor irmos. –disse o ministro empurrando a filha para a nove/três quartos.

-Eu e meu filho Abraxas vamos com vocês. - o sr. Malfoy me tolerava, mais sempre que via a possibilidade de se livrar de mim ele o fazia.

-Até mais Tom. –despediu-se a garota.

-Até mais Jane Jones.

Pov. Hermione Granger/Jane Jones:

Alissa/Gina me parou, na estação. E ralhou, ralhou pra carambola.

Não vou por a conversa por que seria perda de tempo e dedo, mais em um resumo, ela brigou comigo por falar com Tom, de inicio não entendi, bem de inicio mesmo. Até que ela me falou que futuramente ele seria Voldemort e aquilo pra mim foi o estopim do absurdo. Não podia acreditar que aquele garoto doce e simpático poderia ser o monstro que matou os pais de Harry.

-Tem certeza?- perguntei apreensiva.

-Absoluta. - confirmou a garota. Pensei um pouco e acreditei que não era possível, ou melhor, preferia não acreditar;

-Pois, eu não. –respondi certeira.

-Hermione você não sabe do que eu sei. –disse a garota impaciente.- Quando usei aquele diário tinha visões dele mais novo e acredite a cara de um focinho do outro.

-Ok, Gina vou tomar cuidado, está bem assim?

-Melhor isso do que nada.- disse seca.

Fomos para o expresso, Alissa/Gina foi para uma cabine onde Oto/ Nott e Gus/Malfoy estavam uma cabine bem barulhenta.

Eu por outro lado fui até a ultima cabine do ultimo vagão, onde me sentei com Zafryna piando alto e comecei a ler o livro sobre magia sem varinha.

-Posso entrar? –perguntou uma voz por mim desconhecida.

-Pode. - respondi sem tirar os olhos do livro

-Coralyna Tompke . -apresentou-se .

-Herm... Jane Jones. –merda quase falei Hermione.

-Prazer Jane. –ela sorriu- que livro é esse?

-Um sobre magia sem varinha.

-Hm, parece interessante. Me empresta depois de ler?

Olhei pra ela, cabelos castanhos olhos azuis esverdeados com heterotromia central em âmbar e pele branca, estatura média.

-Não.

-Educação mandou um “olá”. - ela disse.

-Eu tenho meio que um ciúme obsessivo pelos meus livros. -expliquei.

-Ah então deixa, ser como é ser possessiva com certas coisas. - ela disse, voltei a ler meu livro o resto do caminho.

Faltando dez minutos para chegarmos em Hogwarts tirei meus saltos, minha regata cavada de Hogwarts, saltos e a capa do malão. Não disse que não usaria o uniforme?

-Gostei da sua roupa. Faz uma pra mim. –bufei, peguei minha varinha e fiz a camisa de seu uniforme virar uma regata, sua saia uma calça rasgada e seus saltos em all-stars.

-Pronto.- apontei novamente minha varinha pra ela e fiz uma rápido feitiço para que somente alunos a vissem sem uniforme. -Professores e diretores pensaram que você está de uniforme, o resto da escola não.

-Obrigada. –girei minha varinha nos dedos e fui saindo. –você não vai usar?

-Oque?-perguntei com parte do corpo pra fora da cabine e parte para dentro.

-O feitiço. Não vai usar?-ri.

-Que graça teria me produzir assim se não corro o risco de ser pega? Além do mais sou filha do ministro ninguém ousaria me confrontar.-  e sai sorridente  a deixando de boca aberta.

~*~

Estava sentada em uma sala do lado do aslão principal, esperando minha seleção que seria depois da seleção dos primeiranistas;

-Aff, odeio esperar. -resmunguei.

-E eu odeio resmungonas. -provocou Gót.

-Sei que me ama sweet little.- mostrei a língua pra ela.

-Convencida. –sussurrou ela.

O silencio reinou novamente na sal, Nott e Malfoy sussurravam  em um canto, Gee e Lis conversavam entretidas no outro, Gót olhava os quadros e eu lia meu livro.

-Caros alunos esse ano temos o prazer te receber dá grande instituição de magia e bruxaria Carvalho Branco membros das maiores famílias bruxas em nossa humilde escola para cursar os próximos anos de estudo. –disse Armando Dippet o diretor da escola.

-Chegou a hora.- disse Draco/Gus.

-Dá nobre família Le’Claire, Otavio.- anunciou Oto Gus caminhou até lá imponente. A porta se fechou e novamente só pudemos ouvir vozes:

-Griffindor!-gritou o chapéu e palmas foram ouvidas. Por essa eu não esperava.

-Da prestigiada família Jones, Alissa. –foi à vez de Gina sair da sala.

-Huplepuff!-novamente palmas.

-Ainda dá família Jones, Gorete a garota dos olhos cor de rubis. - o diretor, ou seja, lá quem fosse que nos anunciava parecia anunciar lutadores prontos para entrar no ringue.

-Griffindor!- gritou o chapéu.

-Sabia que aquela imprestável não iria pra Slytherin. –disse Greta ao meu lado e eu me surpreendi por ela falar tão mal dá irmã;

-Agora com incríveis olhos violeta, Greta Jones. –Gee saiu.

-Slytherin! –gritou o chapéu, algo que eu já sabia que iria acontecer.

-Caros alunos, recebam com vivas e aplausos Jane Jones a garota dos olhos de lobo. – entrei no salão comunal deixando o Malfoy para trás, sentei-me no banquinho de três pé e o chapéu foi posto em mim.

-Ambiciosa e astuta como uma Slytherin. Corajosa e leal com uma Griffindor. Inteligênte e esperta como uma Ravenclaw, tenho certeza que esses três fundadores adorariam de ter em sua casa, mais seu coração... Ah seu coração... Realmente será melhor para todos assim... Mais será? Sim é o melhor... O ajude viajante, o salve... Ravenclaw. 


Notas Finais


Tom sendo simpático?(amoooo)
Hermione sendo simpática?(amoooo)
Gina sendo estraga prazeres?(odeioooo)
Mais tipo a tem que Herms gostar do Tom sabendo oque ele é. Não tipo novela mexicana que a mocinha se apaixona pelo vilão, ai descobre que ele é vilão e termina tudo. Por que tipo sempre que isso acontecesse a mocinha não fica com o vilão :'-(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...