História When the Door Closes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Abo, Bts, Jeongguk, Jungkook, Kooktae, Kookv, Lemon!flex, Taeguk Daily, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 576
Palavras 5.074
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey gente, essa é a nossa primeira fanfic em comemoração aos 5 e 6k de seguidores, AEEE <3
Bom, esperamos que vocês gostem da fanfic tanto quanto nós gostamos porque foi tudo feito e planejado com o maior carinho e dedicação. Explicamos no twitter o motivo de não termos postado ontem (domingo, 06/08), então vão lá também.
Agora sem mais enrolações, vamos pra fic!

>>>AVISO<<<
O LEMON É FLEX, se não gostam, aconselho irem ver algum pornô, agora, fui.

Capítulo 1 - And you open your legs;



— O Senhor Jeon irá vê-lo agora. — diz a mulher de cabelos negros. — Me acompanhe, por favor.

 Levanto-me da cadeira acolchoada e sigo a mulher de estatura baixa, passo a mão pelo meu paletó certificando-me de que ele não fora amassado durante o momento em que eu esperava impacientemente naquela sala. Seguindo a secretária, posso sentir sua essência natural de ômega vindo de encontro às minhas narinas enquanto ando atrás dela, tento me aproximar mais dela para tentar capturar a essência mais apropriadamente e ter certeza de que era esta que me incomodava desde que havia chego.

A cada passo pareço mais inebriado pela fragrância e tenho mais certeza de que não vinha daquela ômega, pois conforme mais perto eu ficava, mais forte e amadeirado se tornava o cheiro que ganhava minha atenção, sendo totalmente ao contrário da essência adocicada da mulher. O que me deixava mais inquieto era não saber de quem vinha.

 O aroma fica próximo e isso me incentiva a continuar andando para encontrá-lo imediatamente, meus pés seguem-no como se fosse automático, até mesmo esqueço por alguns segundos de meu propósito ali; por fim sinto um baque com o corpo menor a minha frente, indicando que eu estava tão imerso que esbarrei na ômega parada em frente a porta. A secretária me olha com uma carranca repreendendo minha falta de atenção, mesmo assim não me desculpo e olho para a porta à nossa frente, ela segura na maçaneta na porta dupla e abre uma parte, é nesse momento que todo meu corpo estremece de modo inexplicável e meus olhos entram em contato imediatamente com o homem dentro daquela sala, não consigo parar de olhá-lo de modo algum, mesmo que eu sinta sua essência gritante de alfa.

O que está acontecendo comigo?

— Senhor Kim? — a voz feminina me desperta e eu pigarreio como se aquilo fosse disfarçar meu momento de devaneio.

Entro na sala após um aceno positivo com a cabeça para a ômega, ando meticulosamente em direção a Jeon Jeongguk, que está sentado atrás da mesa de vidro fumê e muito bem acomodado em sua cadeira giratória, seus olhos medem cada movimento meu até que eu paro em frente a ele, que se levanta antes de ambos fazermos uma breve reverência. Após a formalidade ele estende seu braço e eu olho bem para sua mão, receoso aperto a mesma e rapidamente me sento.

No mesmo momento que nossas mãos se encostam, uma onda de arrepios toma meu corpo e meus ouvidos podem capturar perfeitamente o som da porta sendo fechada no mesmo momento.

— Então, Taehyung-ssi, por mais que eu tenha lido sua proposta por e-mail, prefiro que me explique um pouco mais sobre ela agora. — ele diz após sentar-se, sua postura é relaxada e seus olhos parecem penetrar os meus, de alguma forma isso deveria me deixar incomodado, mas é bem ao contrário disso o modo como me sinto.

— Tudo bem. — respondo, tentando manter minha postura e tom de voz firme. — Já faz algum tempo desde que o número de empresas de entretenimento que se fundiram ou se vincularam à outras cresceu de forma desmedida e como você deve saber, o reflexo disso foi uma maior propagação e um grande salto econômico, o que consequen-… — neste momento a essência parece ficar mais forte, deixando-me um pouco desnorteado, de modo que preciso parar para reorganizar minha mente. — Consequentemente prejudicou empresas que andam sozinhas, como as nossas, e é por isso estou aqui para propôr...

Novamente preciso de um tempo e Jeongguk me olha por alguns segundos como se me avaliasse, aquilo começava a me deixar mais nervoso internamente.

— Que a JJ Entertainment e a Horanghe Entertainment façam um acordo e assinem um contrato vinculando-se uma a outra. Hm, você está bem, Taehyung-ssi? — ele completa com um sorriso sorrateiro.

Dou uma longa piscada e pigarreio em seguida, balançando minha cabeça positivamente encostando minhas costas no apoio da cadeira.

— Sim, eu só estou um pouco... Sonolento — respondo, tentando cortar o contato visual estabelecido pelo Jeon.

— Oh, EunHa está trazendo café, não se preocupe. — Jeongguk garante. — Mas, prosseguindo, desde o seu e-mail eu e meu conselho temos avaliando bastante a possibilidade e o seu perfil, afinal, não podemos fazer negócios com uma empresa somente pelo fato de ela ser tão grande quanto a nossa. Precisamos conhecer a grande mente por trás dos negócios. Eu, particularmente, admiro e  aprecio muito o seu trabalho e você. — ele sorri ladino.

A última parte soa como uma provocação aos meus ouvidos e não sei se é pelo modo como me encontro ou se é porque de fato, foi. Mas sendo ou não, aquilo só me deixava mais confuso e fazia com que a euforia que se encontrava minha mente crescesse ainda mais.

— Digo, admiro você. — ele corrige, mas não parece querer se retratar, apenas disfarçar.

Céus, será que estou criando tudo isso na minha cabeça? Cheguei à este ponto, mesmo fora de meu cio?

Acabo não percebendo que estou olhando para ele tempo demais, e Jeongguk não faz menor esforço para desviar, pelo contrário, ele continua me olhando de volta alimentando mais ainda aquele desejo dentro de mim.

A secretária entra, mas nem isso nos faz quebrar o contato, seu cheiro adocicado parece disfarçar a essência amadeirada do outro.

— Aceita café, Senhor Kim? — ela pergunta.

— Sim, com açúcar, por favor. — respondo olhando para ela e depois para a xícara que a mesma colocara na mesa à minha frente, a ômega despeja o líquido negro do bule no recipiente de porcelana, logo servindo o outro alfa e se retirando da sala.

Jeongguk equilibra a xícara sobre o pirex em suas mãos antes de pegar a mesma e leva-la até seus lábios, seus olhos não quebrando o contato visual comigo nem mesmo durante suas ações.

— Q-quais… — mentalmente me praguejo por gaguejar na frente do outro e pigarreio, na esperança de manter minha voz grossa e estável. — Quais são suas exigências, Jeongguk-ssi?

— Bom, primeiramente, — ele diz e deixa o pirex sobre a mesa. — todos os futuros grupos devem pertencer à ambas empresas e caso este vínculo acabe, eles irão passar por um processo legal para decidir com qual empresa o grupo irá permanecer de fato.

Isso é inaceitável, somos duas grandes empresas separadamente e caso essa união seja feita cresceremos mais e os grupos posteriores poderão até superar os antigos. Se isso acabar, a empresa com a qual eles permanecerem irá ter um grande retorno.

Realmente, Jeongguk é inteligente e estratégico, e não sou eu que digo isso, mas sim todos os portais de notícia. Com certeza ele faria de tudo para ganhar o processo legal e deixar todo o retorno para sua empresa.

Eu tenho todos os argumentos, mas a partir do momento que abro minha boca, nenhuma dessas palavras querem sair. Há alguma parte de minha mente que ainda pensa com clareza, mas o restante não consegue nem ao menos raciocinar com o cheiro e os olhos de Jeongguk caindo sobre mim.

— Ok.

Ok? O que eu estou fazendo?

— Perfeito. — ele diz. —  E quanto à equipe de staffs e managers dos grupos atualmente formados por ambas empresas, podemos re-dividir as equipes porque...

Quanto mais ele fala, mais eu me sinto imerso em sua essência, Jeongguk sabe bem disso pois ele tem um sorriso divertido em seus lábios. Suas íris não estão completamente vermelhas, mas começam a ganhar uma tonalidade mais clara.

Seguro minha respiração por alguns segundos tentando ver se fazia algum efeito, mas não adiantava. Sempre fui extremamente profissional e nunca desisti do que eu estava buscando, mas no momento atual, eu teria de abrir uma exceção, eu só queria sair dali antes que acabasse por fazer algo que não deveria.

— Tudo bem. — concordo, sem nem mesmo ter prestado atenção em sua proposta.

Mais tarde eu lhe enviaria um email falando que havia repensado as questões e procuraria um modo de dar um jeito nisso.

— Ótimo… Você me parece ser bastante flexível, Senhor Kim… — ele responde com um sorriso agora sugestivo, sua cabeça pende levemente para o lado e sinto aquilo como mais uma clara provocação.

— Como? — eu indago, ainda um pouco desacreditado da situação.

Minha mente começa a imaginar mil e uma coisas, dentre elas, a possibilidade de que aquele outro alfa estava flertando comigo.

Tsc, que bobagem.

— Digo, você me parece ser alguém que consegue facilmente interpretar diferentes opiniões e levá-las facilmente em consideração. — Jeon diz, seus lábios jamais abandonando o sorriso sorrateiro.

Ainda que sem certeza, eu tinha a impressão de que suas palavras possuíam duplo sentido, mas depois disso consigo sentir a provocação em cada som que ele emitia. A tensão sexual entre nós parecia coisa da minha cabeça, mas suas ações e falas entregavam que ele estava, claramente, me provocando.

Eu não deveria estar gostando daquilo, afinal, perante a sociedade, qualquer relação entre dois alfas que venha a ultrapassar a linha da amizade, é algo inaceitável.

Mas é impossível não ceder para Jeon Jeongguk, apenas olhe para seu rosto e você sentirá sua íris perfurando sua alma e deixando seu corpo prostrado aos seus pés.

— Na verdade eu não sou assim, acho que apenas hoje, então espero que aproveite, Senhor Jeon. — respondo no mesmo tom e mordo meu lábio inferior observando sua reação.

Jeongguk me encara por alguns segundos antes de deixar outro sorriso escapar, ele balança sua cabeça negativamente e alguns segundos após se debruça sobre a mesa, de modo que ele fique tão próximo que eu preciso fechar meus olhos e organizar meus pensamentos para não fazer alguma coisa que me arrependeria depois, por mais que minha mente e corpo gritem para aproveitar a proximidade de nossos lábios.

— Se você é tão flexível, me diga, Taehyung-ssi... O que acha de um relacionamento entre dois alfas? — ele pergunta, posso senti-lo cada vez mais perto, de modo que não apenas seu cheiro mas sua respiração estejam tão próximas que eu não sei até quando conseguirei me segurar.

— Hm, defina relacionamento, por favor… — eu digo, ainda mantendo meus olhos fechados.

Sexo. — sua voz soa simples, como se não tivesse tocado em um assunto proibido para terceiros e que também deveria ser para nós.

E aquele foi o estopim, abro meus olhos observando os seus bastante próximos, suas íris vermelhas mostravam que eu não era o único sentindo aquele desejo, sua respiração se chocava contra o meu rosto e foi assim que tive certeza que eu estava prestes a transar… Com outro alfa.

— Oh, eu não vejo problemas... — respondo e engulo seco, minha voz sai rouca transmitindo o quão estou entorpecido por sua essência e vidrado em seus lábios. — Muito pelo contrário, um bom sexo deve ser apreciado independente de status e gênero.

Aish, você está me deixando louco, Taehyung-ssi. — o Jeon confessa, com um suspiro sôfrego no fim.

— Me chame apenas de Taehyung. — eu respondo e me levanto lentamente, ficando maior do que ele, que continuava debruçado naquela mesa, porém não quebrando o contato visual estabelecido enquanto eu me colocava de pé, o que fez com que ele tivesse que pender sua cabeça para trás para me olhar por inteiro. — Sem formalidades, afinal, nós dois sabemos o que está prestes a acontecer.

Basta isso para que eu me aproxime e cole nossos lábios fazendo com que Jeongguk precise se levantar, nossas bocas se encaixam perfeitamente e movem-se em um beijo calmo que aos poucos vai se tornando necessitado. Mordo seu lábio inferior e puxo o mesmo retornando ao beijo em seguida, o ósculo começava a trilhar um caminho selvagem e intenso de modo que posso sentir o gosto metálico do sangue pelas mordidas em nossos lábios.

A mão de Jeongguk pousa em minha nuca e sobe sorrateiramente até meu cabelo, seus dedos se enroscam em minhas madeixas e puxam minha cabeça para trás, ao qual respondo com um gemido de surpresa e prazer. Os lábios macios do outro alfa descem por meu maxilar até chegar em meu pescoço, ele beija a área sem exageros e suga com deleite, sua língua toca o local me deixando arrepiado e assim percebo que é a primeira vez em minha vida que estou à mercê e sendo dominado por alguém, nunca pensei que fosse ser tão bom assim.

Isso é insano.

Empurro levemente os ombros de Jeongguk fazendo ele parar de sugar a pele desnuda de meu pescoço, pareço agir de forma automática, principalmente quando dou a volta pela mesa e seguro em seus ombros, obrigando-o a se sentar propriamente na cadeira, me sentando em seu colo com os joelhos apoiados no estofado um de cada lado de seu corpo. Voltamos a nos beijar na mesma intensidade, como se sequer tivéssemos parado, conforme o beijo decorre o escritório parece estar diminuindo e a temperatura aumentando, não demora muito e sinto minhas costas se chocando contra o vidro da mesa.

Muito resistente, por sinal.

Jeongguk sobe em cima de mim e tira seu paletó jogando-o em um lugar qualquer do escritório, suas mãos firmes seguram minha cintura com força enquanto sua virilha se pressiona contra a minha, só deixando mais claro que eu não era o único excitado ali.

 

 

(P.O.V Jeongguk)

 

Eu estava ficando completamente louco.

Não vou dizer que jamais pensei em ficar com outro alfa, pelo contrário, nunca vi isso como um ato repudioso, nunca vi problema nisso e bom, Kim Taehyung foi o estopim para meus pensamentos se transfomarem em ações.

Suas mãos estão em meus cabelos, puxando meu rosto para mais próximo do seu — se isso fosse realmente possível —, minhas mãos vão diretamente até os botões de seu paletó, mas pela euforia não consigo retirá-los, então seguro o encontro do tecido com o botão em cada lado e puxo com força estourando os mesmos.

Boa sorte para ir para casa depois, Taehyung.

Meus lábios vão trilhando um caminho desde sua boca até seu maxilar, pescoço e peitoral. Passo minha língua por todo seu abdômen, de baixo para cima, meus lábios deslizam pela pele morena até o mamilo enrijecido do outro alfa, mordisco a área lentamente e minha língua forma um círculo ao redor, Taehyung geme sôfrego tremendo a cada toque, totalmente entregue.

Desafivelo seu cinto no momento em que minha boca ruma em direção ao outro mamilo do alfa e me livro do pedaço de couro, desabotoo sua calça e desço seu zíper habilmente, deixo a área de lado para provocá-lo. Recebo um gemido em protesto e em reação sugo com força seu mamilo, repito a ação enquanto exploro seu peitoral deixando marcas vermelhas por ali, mais tardes elas se transformariam em pequenas galáxias roxas.

Sigo deixando chupões por seu abdômen seguindo até seu baixo ventre chegando próximo de sua calça, então paro de fazê-los e seguro o tecido que me impedia de ter o que tanto queria desde que vi Taehyung entrando dentro de meu escritório e aspirei seu cheiro extremamente atrativo. Puxo sua calça juntamente de sua boxer e as duas caem a seus pés, já livres de sapatos e meias que ele provavelmente tirara quando eu estava focado em marcar sua pele.

Seu membro chama completamente minha atenção, não só por ser o que eu ansiava naquele momento, mas por estar perfeitamente ereto e pingando pré-gozo. Não penso duas vezes antes de me ajoelhar e segurar sua base, passando minha língua pela glande rosada arrancando um gemido de Taehyung. E depois disso sou incapaz de esperar mais.

Deslizo minha boca por sua extensão acariciando tudo o que entrava com a língua, quando percebo meu nariz encosta em sua pele e tenho tudo em minha boca, Taehyung está sentado e sua boca está aberta enquanto ele solta gemidos ofegantes, uma de suas mãos tentam esconder seu rosto totalmente imerso pelo prazer, mas é um ato falho.

Retiro toda a extensão de minha boca e ponho de volta, repetindo o ato várias vezes de forma lenta, começando a aumentar gradualmente. Chupo com deleite, de modo que os únicos sons no local sejam os barulhos de minha succção e os gemidos do outro alfa.

— Ah Jeongguk! — Taehyung geme.

Tiro seu pênis de minha boca e murmuro um “shh” enquanto minha mão desliza por seu falo e começo a masturbá-lo sem pudor, seu líquido pré-seminal aumentando a cada segundo que se passa só deixando mais evidente que ele estava próximo de seu ápice.

— Olhe para mim. — ordeno, mas ele não olha e por alguns segundos esqueço que estou lidando com outro alfa. Sendo nós muito orgulhosos, em qualquer outro momento eu não iria perguntar novamente, mas neste momento eu não consigo sequer ligar para isso, nem sei como consegui passar por cima da minha personalidade para pedir de um modo normal, sem deixar evidente meu tom de alfa. — Olhe para mim, Taehyung, quero que goze olhando para mim.

Volto a chupá-lo de maneira intensa enquanto a ponta de meus dedos seguem para os botões de minha blusa social, me livro de cada um olhando para o outro alfa, suas mãos vão até meus cabelos e ele acompanha os movimentos, o que só me faz ir mais fundo. Não demora muito e eu sinto seu sêmen quente descendo pela minha garganta.

Fico de pé novamente e volto a beijar Taehyung, sua língua encontra a minha e ele faz questão de esfregá-las, logo depois explorando toda minha boca sentindo seu próprio gosto. O Kim desce da mesa e logo suas mãos seguram minha cintura puxando meu corpo para próximo do seu, parando-as em minha bunda e a apertando com força, de forma que ele suspira entre o beijo. Mal percebo quando ele se livra de minha calça, me deixando apenas de cueca e vou tirando meus sapatos e meias com meus próprios pés, aproveitando para sair de cima da minha calça.

A mão de Taehyung passa pelo meu abdômen tateando cada gominho até minha boxer, onde segura meu membro movendo da base até a glande lentamente para me provocar, seu polegar pressionando a ponta extremamente sensível e acabo gemendo alto entre o beijo. Sua mão começa a trabalhar mais rápido e eu não sou capaz de pensar claramente, seus lábios se afastam dos meus e logo Taehyung está de joelhos. Ele desliza a cueca até o momento em que ela cai em meus pés, sua destra voltando a masturbar meu membro enquanto sua boca se aproxima de meus testículos. Sua língua acaricia a área e segue até meu membro e logo sua boca está sugando minha glande.

— Puta merda. — eu murmuro, deixando um gemido escapar juntamente.

Embolo meus dedos no cabelo de Taehyung e aperto com força arrancando um gemido seu, mas que não parecia ser um gemido desconfortável; ele transmitia uma surpresa e prazer. Em momento algum ele quebrou o contato visual, o que me deixava mais excitado ainda, sua confiança e experiência deixavam aquilo ainda melhor.

Era impossível durar muito desse jeito, fecho meus olhos ainda segurando os cabelos de Taehyung e jogo minha cabeça para trás gemendo baixo, e tento me controlar mais um pouco, porém não demora muito e gozo na boca de Taehyung.

Ao invés de me saciar, o orgasmo apenas me deixa mais sedento pelo mais velho, eu mal espero que ele fique de pé e puxo seu corpo de encontro ao meu e beijo seus lábios, completamente necessitado por algo a mais do que aquele contato. Encosto seu corpo na mesa e quebro o beijo. Sem dizer nenhuma palavra seguro sua cintura virando seu corpo se costas para o meu. Ele parece entender perfeitamente o que quero com aquilo e deita seu tronco na mesa, então abre suas pernas me dando uma visão perfeita de sua entrada, e eu já conseguia me imaginar o fodendo bem ali em cima.

Minhas duas mãos seguram cada nádega do mais velho afastando-as um pouco, me curvo e levo minha língua até sua entrada rosada, começo fazendo movimentos circulares na área e logo em seguida faço menção de penetrá-lo, passando apenas a ponta de minha língua, Taehyung geme em desaprovação quando percebe que eu não iria penetrá-lo no momento, repito isso novamente provocando-o várias vezes só para ouvi-lo gemer sôfrego e necessitado.

Afasto meus lábios e fico de pé novamente, levando meu próprio dedo indicador a minha boca e chupando o mesmo, deixando saliva ao seu redor. Aproximo meu dedo da entrada de Taehyung e deslizo lentamente, movo o mesmo dentro dele e mordo meu lábio inferior admirando o quão apertado ele era, algumas leves estocadas depois, penetro meu dedo do meio junto ao indicador, mantendo os movimentos lentos e fundos, fazendo com que o outro gemesse a cada vez que meus dedos iam mais longe.

Não consigo mais esperar, minha mente só consegue focar no momento em que eu poderia entrar dentro dele, então retiro meus dedos dentro de do outro alfa e aproximo mais meu corpo do seu, seguro meu membro de modo que posso encaixar minha glande na entrada de Taehyung, a mesma era muito apertada e precisei de certo esforço para poder deslizar apropriadamente, já que meu pré-gozo e saliva eram os únicos lubrificantes presentes ali, mas eu estava tão excitado com tudo o que estava acontecendo que meu líquido parecia o suficiente.

Seguro a cintura de Taehyung com minhas duas mãos enquanto meu quadril empurra minha extensão para dentro dele aos poucos. Logo sinto minha virilha encostando em sua bunda e com isso automaticamente minha glande encontra seu ponto de prazer arrancando gemidos satisfeitos dos dois.

Aos poucos começo a estocar de modo que meu quadril se move lentamente, a sensação é inexplicável, jogo minha cabeça para trás e solto alguns murmúrios em aprovação, minhas duas mãos vão até suas respectivas nádegas e apertam a mesma, minha destra desfere um tapa estalado na área e em reação Taehyung geme alto.

Conforme o tempo se passa e a excitação aumenta, as estocadas começam a se tornar mais rápidas e fortes, de modo que a mesa mova-se para frente e para trás junto com o solavanco do corpo de Taehyung, que segura nas extremidades da mesma com força deixando a ponta de seus dedos esbranquiçadas, já não fazendo qualquer esforço para segurar seus gemidos.

Meus cabelos começavam a grudar em minha testa e o suor escorria pelo meu peitoral, mas eu não estava ligando nem um pouco para o calor, muito menos minha aparência, só conseguia focar em quão gostoso era poder estar dentro de Taehyung e em como seus gemidos conseguiam melhorar mais ainda a situação.

O mais velho começa a rebolar em meu membro de modo com que ele vá para frente e para trás com seu quadril e eu deixo um gemido arrastado escapar pelos meus lábios, estendendo meu braço e segurando o cabelo de Taehyung com força, puxo o mesmo para trás deixando-o com sua bunda perfeitamente empinada, assim estoco com mais força e rapidez, aproveitando a posição para me aproximar de seu ouvido sussurrando palavras sujas sem nenhum pudor.

Alguns segundos depois saio de dentro dele e logo em seguida viro seu corpo habilmente de frente para mim, Taehyung se levanta em reação e me empurra sentado na cadeira giratória, ele senta-se em meu colo e sua destra vai até meu pênis, encaixando-o em sua entrada e logo que o faz apoia suas duas mãos em meu ombro e move seu quadril para baixo e para cima, começando a quicar em meu colo.

Fecho meus olhos e meu queixo cai alguns centímetros, tudo em reação ao prazer, minhas mãos vão até suas nádegas e apertam as mesmas conforme ele desce e sobe, vez ou outra deixando alguns tapas estalado que só o incentivam.

Levo uma mão até seu pênis e começo a masturbá-lo na mesma intensidade em que o Kim senta. Nossos gemidos são impossíveis de segurar, mas não podíamos arriscar que qualquer outra pessoa da empresa ouvisse, então beijo os lábios do mais velho.

Me levanto com ele ainda em meu colo, minhas mãos o segurando por debaixo de sua coxa e em sua lateral, Taehyung continua descendo e subindo enquanto eu movo meu quadril estocando ao mesmo tempo.

Suas mãos firmes seguram minha nuca e ele separa o beijo, nossos olhos — ambos vermelhos e parcialmente dilatados — se encontram, nossas respirações ofegantes se chocam e nossos corpos se movem em uma perfeita sincronia.

— Anh! — Taehyung deixa escapar e fecha seus olhos, logo seu sêmen acerta em cheio meu abdômen.

E aquilo foi a gota d’água para mim, principalmente porque ele não havia parado de rebolar, mesmo depois de seu orgasmo. Não demora muito para que meu líquido preencha o interior do mais velho, ganhando um gemido alto dos dois.

 

 

(P.O.V Taehyung)

 

Jeongguk anda as cegas até a mesa, e logo sinto que estou sentado na mesma e seus braços firmes soltam minhas pernas, não sei se consigo ficar em pé no momento, só descubro quando o desejo e excitação vêm surgindo novamente e percebo que estou de pé.

Minha língua explora cada canto da boca de Jeongguk enquanto minhas mãos percorrem suas curvas admirando cada uma delas, separo o beijo com selares intensos e uma mordida em seu lábio inferior, esfrego meus lábios em seu maxilar até seu pescoço, onde deixo alguns beijos por ali, cada um deles arrancava um gemido do mais novo.

— Então, você tentou abafar meus gemidos? — pergunto com meus olhos fechados e voz arrastada, enquanto provocava Jeongguk que ansiava por beijos mais brutos.

Minhas mãos continuavam segurando firme sua cintura e meus pés andavam sem pressa, guiando nós dois em um ritmo lento até a parede de janelas de seu escritório. Agora minhas mãos viram seu corpo de frente para a vista perfeita de Seul naquele fim de tarde, encosto meu corpo no seu deixando meu pênis encostando propositalmente em sua bunda.

— Olhe isso tudo. — sussurro em seu ouvido, uma de minhas mãos indo até seu membro se movendo, ali capturando seu pré-gozo, deixando dois dedos meus mais lubrificados. — Isso tudo poder ser nosso se...

— Se nós fecharmos negócios? — Jeongguk pergunta, mas sua voz não transmite firmeza.

Levo meus dedos até seu ânus e provoco o menor, faço menções de penetrá-lo mas não passo das pontas dos dedos e retorno.

— E se você abrir as suas pernas.

Jeongguk deixa uma risada escapar, mas logo ele faz o que peço e suas pernas se abrem um pouco mais. Seu corpo se inclina minimamente para frente, deixando sua bunda empinada para mim, só assim posso penetrar meus dedos propriamente. O mais novo solta um gemido sofrido mas se mantém empinado para mim.

Movo meus dedos lentamente indo o mais fundo que eles podiam, e mordo meus lábios, tendo a visão clara dos mesmos entrando e saindo de Jeon Jeongguk, um dos alfas mais cobiçados e CEO de uma das maiores empresas de Seul, que neste momento gemia como um ômega no cio ansiando por um alfa, que nesse caso era ninguém menos que eu, Kim Taehyung, outro alfa também muito cobiçado e CEO de uma também gigantesca, empresa de Seul.

Retiro meus dedos e fico de joelhos, ele já pode sentir o que irei fazer e solta um gemido assim que minha língua encontra sua entrada, a mesma serpenteia a área algumas vezes deixando minha saliva por ali e logo penetro minha língua ganhando um gemido alto de Jeongguk.

Me levanto e deixo meu corpo completamente colado ao seu, minhas mãos acariciam a lateral de seu copo enquanto meus lábios começam a beijar a pele desnuda e pálida de seu ombro, Jeongguk rebola sua bunda em meu pênis como se ansiasse por ele e sem rodeios, com auxilio de minha mão, posiciono meu membro em seu ânus lubrificado por minha saliva. O menor faz as honras movendo seu quadril de forma hábil e recebendo todo meu pênis dentro de si.

Empurro o corpo de Jeongguk contra a janela, deixando ele completamente encostado nela, e com certeza se não houvesse um insulfilm todos veriam seu corpo marcado ali e sua feição de prazer enquanto eu o fodia.

Deixo chupões fortes, de modo que minha boca faz um estalo quando solto sua pele, minhas estocadas são fundas e em velocidades medianas, mas aos poucos vou aumentando-as enquanto minhas mãos apertam e estapeiam a coxa de Jeongguk.

— Céus! — Jeongguk geme ofegante, suas mãos empurram o vidro grosso com força na tentativa obviamente falha de segurá-lo.

Saio de dentro do moreno e logo viro seu corpo de frente para mim, beijo seus lábios com deleite enquanto minha destra vai descendo até a parte de trás de sua coxa, e eu puxo a mesma, erguendo sua perna fazendo minha outra mão levar meu membro até seu ânus, onde penetro novamente. Aos poucos Jeongguk ergue sua perna cada vez mais me dando um melhor controle sobre as estocadas e me permitindo ir mais fundo dentro de si.

Separamos nossos lábios para poder respirar propriamente e com isso vêm os gemidos que acrescentam mais ao nosso nível de desej; naquele momento aquilo só me encoraja a ir mais rápido e em reação Jeongguk praticamente deita na janela atrás de si, gemendo tão alto quanto pode.

O mais novo tem sua boca aberta, mas nenhum som sai da mesma, apenas posso ouvir sua respiração ofegante e suas tentativas falhas de gemer, suas mãos apertam firme o vidro e suas costas se arqueam, neste momento soube que Jeongguk estava em seu ápice, a confirmação veio quando seu gozo derramou-se quente sujando a nós dois e ao chão, mas não paro de estocar até que eu sinta meu sêmen preenchendo a entrada apertada de Jeongguk.

Minha respiração está pesada e a única coisa que consigo fazer é encostar minha testa no ombro do mais novo sem sequer me mover mais do que isso, ele não está muito diferente, ambos nos recuperando de nossos orgasmos e tentando entender o que havia acontecido ali.

— Negócio fechado. — Jeongguk diz ofegante, mas mesmo assim rindo.

— Eu mal posso esperar para visitar sua sala durante os dias da semana. — respondo, com o mesmo tom.

E eu poderia dizer com propriedade que esse havia sido o melhor negócio já fechado em toda a minha vida.

 

 


Notas Finais


Críticas? Elogios? Comentem! E esperem pela próxima que está por vir heheh

> Twitter: https://twitter.com/TaegukDaily

ps.::: NÃO PEÇAM FANFICS! Por favor. Isso foi apenas uma comemoração aos 5 e 6K de seguidores, não é certeza e tampouco obrigação nossa postar com frequência, todavia iremos nos esforçar ao máximo caso o feedback seja positivo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...