História Where Are You? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Angst, Baekyeol, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Lembranças, Oiin Bad, Xiuchen
Exibições 43
Palavras 1.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia, boa tarde, ou boa noiteeee~!
Oi pessoinhas!! Tudo bem?
E aí? Como foi esses dias de espera? Eu juro não aguentar não poder postar o capítulo!!!
Mas, eu me segurei para poder chegar hoje e postar o capítulo hoje!
O que acham de eu mudar o dia? Invés de sexta para quarta-feira?
Não sei ainda, gostaria de opiniões, se for possível
Bem, vamos iniciar a leitura?
Vamos!

Capítulo 2 - I - Você deveria morrer


Where are you?


 

 

Ele se sentia um tolo, BaekHyun se sentia um idiota. Se sentia o culpado, o errado, o julgado. O tolo apaixonado

E talvez, seja a verdade, ele era um tolo apaixonado; como aquelas adolescentes de treze a quinze anos que se arriscam por completas, por um simples amor, até mesmo aquele amor infantil

BaekHyun estava estranho naqueles dias, nos dias atrás e nos seguintes também estaria. Talvez era isso que a falta de ChanYeol o causava. Ele continuava bem, sorte pelos amigos e a própria filha, sem eles BaekHyun teria perdido muitos quilos, estaria pálido; horrível. Apenas seria um peso morto

Sua mente era má com ele, parecia que tudo que via o lembrava ChanYeol, tudo se passava como um filme em sua mente; uma tortura. Todas as fotos, bilhetes, cartas, papéis, acessórios, momentos, gravações, vozes; tudo em que ele estava com ChanYeol sua mente fazia questão de mostra-lo novamente

Qual é o problema de ChanYeol ter saído por vários dias? Por acaso ele e eu temos algum tipo de linha que nos une? Essa linha tem um poder tão forte que tem de nos juntar de qualquer forma?! Diga-me porra!”

Era o que BaekHyun conseguia pensar enquanto apertava os próprios fios de cabelo, e logo depois lembrava de cada pequeno momento, cada fala de ChanYeol

 

— Você é o único idiota que consegue conquistar o meu coração tá’? —

— Baek.. Baek. Baek! — Suspira — Tá’ borrado de ketchup aqui seu bobo! —

— Olha, pensemos bem. Se eu não gostasse de você, se eu não te amasse; eu teria corrido ruas e ruas à sua procura?! Responda-me Byun! —

— Eu, Park ChanYeol, juro fazer-te a pessoa mais feliz deste mundo, que assim sentiram inveja do quão amado você será —

— São... F-flores, as suas preferidas. Aceite-as por favor! —

— Nós somos o casal mais perfeito deste mundo, tá’ bem? Não importa aqueles! Apenas nós dois, e mais ninguém. —

— Para com isso! Deixe de ser tão medroso e certinho assim Baek! Nós... — Puxa um pouco de ar — Nós só estamos dando uma ‘saidinha’ —

— Se você fosse mais atento para perceber que eu deixei os chocolates em sua mesa... — Bufou — Somente queria lhe fazer uma surpresa tá’? —

— Deixa de ser idiota e me deixa logo lhe beijar! –

 

Foram tantos momentos, tantas coisas vividas, alguns “erros” cometidos que foram bem compensados por ChanYeol

Até que, quando BaekHyun conseguiu finalmente acalmar-se, lhe veio aquele dia

(...)

Seu telefone tocava e tocava, mas o castanho com as pontas rosadas somente prestava atenção em ganhar aquela partida em seu videogame. E pela quinta vez seu celular tocou novamente, — Ah mas que droga! Quem é que consegue interromper-me num pleno sábado, e segundo com eu jogando meu querido videogame?! — Irritado, BaekHyun pausou o jogo e foi-se para cama, pegando o celular e atendendo sem nem ver quem estava tanto o ligando:

— Alô?

— Por acaso você bateu a cabeça para não ver mais quem te liga?

— Ah, ChanYeol! Porquê estar a me ligar tanto? — BaekHyun estava era nervoso, não sabia o porquê, mas ChanYeol o fazia se sentir assim

— Ah sim, me fizeste sair do assunto. Você poderia vir na minha casa por favor?

— .... Quando?

— Hoje ué’

Se quiser, venha em vinte minutos

— Vinte?! Ok, ok... Já estou chegando —

Desligou imediatamente a ligação, como assim visitaria ChanYeol?! Aliás, o que ele queria consigo?”

(...)

— Talvez você ache isso muito estranho, mas eu não aguento guardar para mim. Não importa a quantos eu fale, conte, desabafe; eles não importam porque o único que realmente deve ouvir, escutar e entender é você. O causador deste sentimento guardado — ChanYeol olhou para o céu e depois deixou o sorvete de BaekHyun em cima da mesa em que estavam, pegou em sua mão direita levando-a ao seu peito — Você escuta? Você está vendo o quão rápido ele bate? — Perguntou-o e logo ele assentiu com a cabeça

— Isto aqui bate assim por você. Você me traz sentimentos estranhos, que eu talvez já tenha sentido, mas isto aqui é como num nível avançado sabe? É algo forte, estranho de se explicar. Lembra-se de quando você me perguntou o que era amor? — Perguntou a Baek

— Sim. — Finalmente, o castanho-rosado falou

— Nós éramos pequenos e eu havia respondido algo como: ‘Mamãe já me contou um pouco, mas eu nunca entendi. Acho que amar é apenas quando queremos tal pessoa ao nosso lado, cuidar dela, dar carinho, mimá-la.... Igual nossos pais fazem conosco! Mas de uma forma diferente’ — Suspirou — Juro-te que minha opinião ainda não mudou, apenas foi acrescentado poucas coisas. Eu quero você ao meu lado, Baek; quero cuidar-te, lhe dar carinho, mimar-te.... Quero experimentar de tudo com você... Eu nunca fui o melhor nas palavras, você sabe. Mas talvez o meu coração possa falar por mim — ChanYeol olhou no fundo dos olhos de BaekHyun e disse as quatro palavras que fizeram o coração do último disparar

Eu gosto de você —”

 

— CHANYEOL! QUAL O SEU PROBLEMA DE TER SIDO TÃO BOM COMIGO?! POR QUE... Por.. P-p-por que eu fui aceitar sua declaração de amor? — Gritava e aos poucos se desabava em lágrimas, escorregando pela parede do corredor até sentir seu traseiro no chão — Eu já não sei quem... quem é mais tolo; eu ou você. —

— POR QUE VOCÊ ME FAZ ASSIM?! CARALHO, O QUE EU TE FIZ PRA’ ISSO?! — Sua voz voltava aos poucos, mesmo quebrada ele continuava a gritar e quebrar os vasos de vidro — onde tinham flores dadas por ChanYeol —

Passava as mãos pela mesa numa linha reta, e tudo caía no chão, causando um grande barulho de vidro. Eram vasos de flores, porta-retratos, alguns perfumes e outras coisas

— POR QUE VOCÊ TEM TANTO CONTROLE SOBRE MIM?! HM? RESPONDA-ME! — Gritava esperando alguma resposta que nunca viria — Hm? V-v-você já foi um tolo? Ao se apaixonar por mim? — Perguntou baixo, encostando-se na outra parede do corredor, observando a bagunça que fez e os cacos de vidros no chão

Piscou duas, quatro, seis vezes e observou com mais foco aquela bagunça — O que eu fiz? O que eu estou fazendo? — Perguntou-se e foi direto àqueles cacos de vidro e achou duas fotos. Uma com ele e ChanYeol e outra com ele, ChanYeol e TaeYeon

Você deveria morrer.


Notas Finais


O capítulo foi revisado? Sim, e por mim! Então, me desculpem caso tenha um errinho ou outro, sempre passa despercebido hein!
Espero que vocês tenham gostado e até próxima Quarta!
Até o próximo e.... Tchauu~!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...