História Where Do We Go From Here? - Sterek Version - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Breaden, Chris Argent, Claudia Stilinski, Cora Hale, Derek Hale, Erica Reyes, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Jordan Parrish, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Theo Raeken
Tags Derek Hale, Marrish, Scalia, Sterek, Teen Wolf
Visualizações 197
Palavras 1.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sorry qualquer erro
Xoxo, loli 😘

Capítulo 9 - Outras histórias


Fanfic / Fanfiction Where Do We Go From Here? - Sterek Version - Capítulo 9 - Outras histórias

Estava tudo bem com o irmão agora, Cora pensou. O que ela não viu, era que sua namorada havia visto ela o abraçar ali, apertado, na frente de todos. Como tudo na vida dos Hales, aquilo estava bom demais para ser verdade. Assistiu suas aulas, e voltou para o apartamento que dividia com Erica, a encontrando ali, sentada na cama como uma estátua, pensativa.

- Hey baby! - Cora disse animadamente, dando um beijo no pescoço de Erica antes de sentir ela se afastar.

- Derek Hale, Cora? O rei do vale do silício?

- Eri, eu não estou entendendo...

- Eu vi.

- O que você acha que viu? - a voz de Cora era questionadora, mas ela sabia bem o que Erica achava que viu.

- Vocês... O abraço, na frente do campus, após sair do carro dele e ter passado a noite fora e... AH MEU DEUS CORA PORQUE?

- Você entendeu tudo errado. OK, de fato aquele é realmente Derek Hale. Derek, meu irmão. Ele é o irmão de quem eu nunca podia falar... - parecia uma boa maneira de contar.

- Derek Hale é o seu irmão? Derek Hale? O da capa da Forbes? O maior prodígio da história de Havard? Aquele Derek? - a voz de Erica era tão descrente, que Cora se irritou profundamente.

- Sou ruim demais pra ser irmã dele? - Cora perguntou irritada com os elogios da namorada ao irmão.

- Você disse que era uma coincidência seu sobrenome ser igual ao dele, não era? Ele pedia pra não falar sobre ele? É isso? - tinha raiva e curiosidade na voz.

- Erica, não precisamos fazer isso.

- Mas disse a você tudo sobre mim, Cora. Qual foi o problema afinal? - Erica sabia qual era o problema, mas ela não queria aceitar que estava certa.

- Não queria pensar que estava comigo por interesse, Erica! - Cora gritou e a garota loira se sentiu quebrar em mil pedaços.

- O quê? - a voz de Erica estava quebradiça o suficiente pra expressar a decepção.

- Me desculpe baby, eu não quis insinuar... Dizer que você era assim... Erica - Cora saiu andando atrás dela pelo apartamento - Erica... Por favor.. só vamos conversar, eu... Eu... Sou apaixonada por você, por favor.

- Eu não quero mais ver você, Cora. Não quero alguém que ouse pensar assim de mim. Acabou Cora. Acabou.

Ericaa bateu a porta ao sair e Cora se sentiu rachando ao meio. A dor de um amor perdido... Lutou tanto por aquela garota, desde do colégio, para simplesmente vê-la ir, daquela maneira. Cora queria ter alguém para culpar e sentir a dor diminuir, mas o que mais doia era perceber que a culpa não era de ninguém além dela mesmo. Se encostou na porta e começou a chorar.

--------------------------------------------------

Parrish estava sentado ao lado de Lydia, na quadra da escola, aproveitando os beijos da linda morena, pensando em como era sortudo por tê-la. Lydia era como uma brilhante visão da manhã, linda e leve, porém surpreendente. Lydia sentada no colo de Jordan, se pegava sorrindo entre um beijo e outro, vendo os olhos dele através do óculos, e amassando sua camisa do Star Wars. Qualquer pessoa que ousasse fazer aquilo seria duramente ofendida por Jordan, mas aquela não era qualquer pessoa, aquela era Lydia. A linda Lydia.

- Jor?

- HM?

- Não escutou, amor? O sinal - Lydia disse sorrindo, levantando e pegando na mão dele - Vem, temos que ir.

- Você sempre tem que ser o exemplo?

- Não me achou um exemplo de garota quando estava passando as mãos nas minhas coxas, achou? - Lydia disse piscando pra ele e vendo Parrish parecer desorientado, e gargalhou da cara dele, alto demais até. - Por isso me apaixonei por você, tá vendo? Algo tão simples e você tão constrangido.

- Isso não foi simples. - Jordan estava realmente constrangido.

- Sabe que um dia vamos ter que dar o próximo passo, não é? - Lydia falava aquelas coisas tão natural, que o rapaz não entendia como ela conseguia.

- Lydia! - ele a repreendeu.

- Desculpa. - ela não parecia se desculpando de fato, não com aquela risada.

Durante o caminho para a sala, Jordan se pegou vendo com era diferente de Lydia, e ao mesmo tempo tão iguais. Lydia era ousada, quente, esperta e Jordan era.. Parrish. E mesmo assim, era com ele que ela estava agora. El Shadai seja glorificado, ele agradeceu como um bom judeu faria. Nada podia dar errado não é?

- Estão atrasados. - o professor novo de espanhol disse, sem olhar para a porta, mas Jordan reconheceria aquela voz em qualquer lugar. - Vamos, entrem. - e quando ele virou.. - Parrish?

- Jackson? - ele não queria acreditar.

- Vocês se conhecem? - Lydia perguntou desconfiada.

- De maneiras que eu certamente quero esquecer. - Jordan respondeu e entrou na sala deixando bem claro pra Jackson se manter longe. Mas ele sabia no fundo, no fundo, que ele não iria.

-----------------------------------------------

20 anos de casados, Noah pensou. Era uma marca, a maioria dos casamentos acabavam com um mês, mas ele tinha Cláudia há 20 anos. Se existia homem mais sortudo que ele, ele desconhecia. Existiam vantagens em quase criar seu chefe, uma delas era poder tirar folga sem perguntar se podia. E ele fez isso. Queria aproveitar sua esposa ao máximo. Faziam 25 anos que estavam juntos de fato. Pensou em como conheceu Cláudia, numa sociedade tão retrógrada, e ela tão diferente. Ousada, destemida. Sempre com seus fones e língua afiada, sempre inteligente. Nunca esqueceu do dia que passou a olhar para ela de uma maneira diferente, e nunca queria esquecer.

25 anos antes...

Cláudia andava pelo corredor, sozinha. Era ousada demais para as garotas da sua idade e de sua época. Secretamente, era interessada no seu amigo, Noah Stilinski, mas era tímida demais para falar aquilo pra ele. Foi interrompida de seus pensamentos quando um rapaz qualquer veio puxar assunto com ela, fazendo ela querer bater nele.

- Ei boneca.

- Fale isso novamente, e eu quebro seu nariz. - ela era ignorante; infelizmente, alguns garotos viam isso como charme.

De longe Noah observava Cláudia e o rapaz. Ela parecia claramente incomodada, e ele foi se aproximando para escutar.

- Você é tão bruta Clau, nunca vai conseguir um homem dessa maneira. - o cara era um idiota.

- Não preciso de um. - ela deu de ombros enquanto falava.

- Você que pensa, coisa linda. - a piscadinha do cara a irou.

- Linda? Linda? Quer me elogiar, elogie meu cérebro! - E deu uma cotovelada no garoto.

Foi o jeito mais estranho de se apaixonar por alguém, o jovem Stilinski pensou, mas se houvesse uma mulher a quem ele queria dar o sobrenome dele um dia, com certeza era aquela garota linda dos cabelos pretos. Cláudia Stilinski, sussurrou Noah, soa perfeito. Daquele dia em diante, seu objetivo era fazer Cláudia o amar de volta. E conseguiu.

Dias atuais...

Cláudia entrou no quarto sorrindo. Para Noah sempre era a primeira vez, não importava os anos. E ela também o amava. O rapaz que nunca a fez se sentir inferior, a respeitou, e fez ela se sentir especial. Lhe deu a vida dos sonhos. E não importava quantos anos passassem, ele nunca ia deixar de ser lindo aos olhos dela. E como o amava.

- 20 anos!

- 20 anos! Somos sobreviventes, rainha - Noah disse sorrindo e a beijou apaixonadamente fazendo ela cair por cima dele e sorrir contra seus lábios.

- Rainha? Gostava de princesa. - ela respondeu com um biquinho falso.

- A princesa agora é a Lydia, tive que promover você.

- O que quer fazer hoje?

- HM... Aproveitar você?

- Sempre tendo as melhores ideias, meu rei. É por isso que amo você. - E o beijou.

-------------------------------------------

Peter reconheceria a voz de Scott a mil km de distância. Até gostava de Scott, mas parecia que Scott não tinha casa. Sempre estava ali, atrás de Malia, e bem, nenhum pai gosta disso.

- Scott... que surpresa! - Peter disse sarcástico. - Malia tá lá em cima. Toque nela enquanto eu estiver aqui, e quebro seu queixo torto.

Scott tremia de medo de Peter. Qualquer pessoa tremia, menos Derek, mas o resto do mundo tremia. A voz grossa, e ele era tão alto e forte... Scott nunca o contrariaria.

- Não farei nem nos meu pensamentos, prometo. Tia Melissa?

Melissa e Cláudia eram amigas a anos. Todos eles eram na verdade, Noah e Peter haviam feito faculdade juntos e claro, Cláudia sempre estava ali, assim como Melissa e Peter.

- Scott... Scott. Aqui, de novo? Vou começar a achar que Cláudia o expulsou de casa. - Melissa o disse, rindo bastante da cara do genro, envergonhado.

- É o amor, querida, o que se pode fazer? - Peter sorria pra Melissa, da mesma maneira que Scott sorria pra Malia, e aquilo era lindo.

- Lá em cima. Acho que está dormindo. Boa sorte. - Jocelyn apontou para as escadas e Jace começou a subir.

- Obrigado.

...

- Oi, coisa linda. - Scott disse beijando Malia. - Vim te buscar. Queria te mostrar uma coisa.

- Deveria maliciar isso?

- Você é pervertida, Malia Elizabeth - disse Scott falsamente ofendido.

- Você já viu meu namorado? Desculpa mas ele é uma delícia, você realmente fica tarada por ele. - Poucas eram as garotas que faziam Scott corar, mas Malia conseguia.

- Minha namorada também é uma delícia, mas não fico destilando perversão por isso.

- Onde vamos?

- Vai ter que me acompanhar para descobrir. - e a estendeu a mão.


Notas Finais


Comentários são muito importantes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...