História Where Dreams Come True - (Mitw). - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Mike, Pac
Tags Fantasia, Hospicio, Manicómio, Mikhael Linnyker, Mitw, Psicólogo, Sanatorio, Songfic, Tarik Pacagnan, Tazercraft, Universo Alternativo, Yaoi
Exibições 244
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - "Love"


Fanfic / Fanfiction Where Dreams Come True - (Mitw). - Capítulo 9 - "Love"

-Sexta Sessão.
-Point Of View: Narrador.

Estava um clima calmo e tranquilo em Waverly Hills. Por mais incrível que pareça, o local antes barulhento apenas esbanjava o eco das gargalhadas do grupo de jovens sentados no jardim.
O sol do meio dia deixava tudo mais bonito. Não estava quente, nem frio. Estava... Agradável. Passarinhos cantavam uma bela melodia e borboletas davam ainda mais vida ao local.
Na roda de amigos, fizeram-se presente Rafael - Celbit -, Felipe - Felps -, Matheus - Pk -, Rafael - Guaxinim -, Alan e Maethe. Além de Tarik, é claro.
A dona do sanatório levou para eles alguns biscoitos de chocolate, bolo e suco. Aquele dia era realmente perfeito, não tinha como melhorar e nem precisava. Todos os amigos de Tarik estavam ali, reunidos e felizes. Os únicos que permaneceram ao seu lado depois de tudo que o garoto passou.

Felizes, comemoravam juntos o um ano de namoro de Alan e Maethe. Pacagnan achava incrível todo aquele amor que ambos nutriam um pelo outro.
Era totalmente mágico e fora do comum para ele. Na verdade, Tarik só conhecia o significado do amor pelas descrições de dicionário. O sentimento verdadeiro, em si, não conseguia compreender.
Ele precisava tirar essa dúvida. Saber se era algo objetivo ou subjetivo. Concreto ou abstrato. Os conceitos e definições nunca seriam o suficiente.

_Pessoal... Vocês já amaram alguém?

Sua pergunta era tão inocente. Olhou para cada um com um mínimo sorriso no rosto, prestando atenção em cada história que era jogada na roda.
Algumas até o deixavam espantado. Apesar de todos os relatos sempre terem um final triste - tirando o de Alan e Maethe - o amor não trazia apenas coisas negativas. Tarik acreditava nisso.
Os olhos do pequeno foram em direção à porta do jardim, quando ouviu a voz daquele que estava deixando seu mundo de cabeça para baixo, se é que ele já não estava...

-Point Of View: Mikhael Linnyker.

Cheguei no trabalho um pouco corado, lembrando de ontem. Dei bom dia para todos que encontrei no corredor e fui até o quarto do meu paciente.
Bati na porta, uma, duas, três vezes... Entrei o encontrei o lugar vazio e muito arrumado. Iria me virar para sair, quando dou de cara com Nilce.

_Ah! Bom dia, Mikhael! /Nilce.

_Bom dia, Nilce. Onde está Tarik?

_No jardim, com alguns amigos. Eles estão se divertindo muito. Vejo resultado em seu trabalho. /Nilce.

Me despeço da mulher, indo em direção ao jardim. Vejo muitos jovens num circulo. Aquilo me fez lembrar dos tempos de colegial. Quando as preocupações não eram tão ruins quanto as de agora.
Chamei pelo nome do paciente. Ele me olhou no mesmo instante, abriu um largo sorriso e correu até mim.

_Mike! /Tarik.

-Point Of View: Narrador.

O garoto abraçou fortemente o tronco de Linnyker. Não havia visto o homem ontem e é claro que estaria preocupado.
Seu sorriso se desfez quando viu que Mikhael não retribuia seu abraço. Soltou-se do moreno, encarando seu rosto de forma confusa, mas não foi capaz de questionar.
O mais velho deu um mínimo sorriso forçado, seguindo Pacagnan até o círculo de amigos. Sentou-se ao lado do menor e cumprimentou os outros com um simples "olá".

_Onde estávamos com a conversa? /Alan.

_O Tarik tava fazendo um questionário. /Maethe.

_Ah, é! Eu tenho outra pergunta! /Tarik.

_Pode falar, querido. /Maethe.

Apesar das idades bem próximas, Pacagnan considerava Alan e Maethe como seus pais, assim como os casal considerava o pequeno como um filho.
Era realmente bonito de se ver a relação dos três. Pareciam mesmo uma família.

_O que é o amor, na opinião de vocês? /Tarik.

_Iiiiih... /Guaxinim.

_Essa é difícil. /Pk.

_Vamos em ordem. Para você, Alan? /Tarik.

_Hum, amor? Amor é um sentimento que você apenas sente, não se pode controlar ele. Pode ser recíproco ou não, amor de irmão ou não, amor de filho ou não, amor de paixão, ou não. Pode te fazer bem ou pode te fazer mal, mas ainda assim, é algo indescritível, incrível e até interessante. (~DoceDeAlgodao.) /Alan.

_Maethe? /Tarik.

_Bem, amor é abraçar com a alma, aquecer o coração, sentir seu corpo inteiro formigar por um simples "eu te amo", sentir borboletas no estômago por atos simples. Sentir tudo ficando parado por um beijo doce do amado... Amar é se sentir bem, mas também se sentir mal. Ficar longe do amado, não ouvir sua voz... Amor... Sentimento incrível que quando você sente, não quer mais parar. (~Muffet-Chan.) /Maethe.

_Guaxa? /Tarik.

_Amor é um sentimento confuso, bipolar para falar a verdade, ninguém entende ao certo o que é amor! Mas o que sabemos é que o amor é ruim e bom ao mesmo tempo. Nos faz rir. Nos faz chorar. A que pé nós estamos quando estamos apaixonados? (~WevannyRayssa.) /Guaxinim.

_No pé esquerdo, com certeza! /Alan.

Todos gargalharam com a piada. Tarik ouvia tudo atentamente, entendendo um pouco mais o ponto de vista de cada um.
Ainda haviam três pessoas a responder, e, com toda certeza, Pacagnan também perguntaria à Linnyker sobra a questão.

_Para você, Felpa? /Tarik.

_Amor? Amor é uma coisa que sinto por você :3 (~Leitora-Cute.) /Felps.

_Nooossa... O cara mandou aquele. /Cellbit gargalhou.

_E você Cellbinho? /Tarik.

_Amor é algo impossível de explicar, algo que te domina de uma forma indescritível! Amor é algo que te deixa forte, mas fraco ao mesmo tempo. Você ganha força e coragem ao amar uma pessoa, ao estar com essa pessoa. Porém, fica frágil em relação a essa pessoa, fraco, sendo facilmente manipulado. Amor é algo que nos muda, que marca nossa vida. Algo que nos inspira, que nos tira o fôlego. (~ju-mitwcellps.) /Cellbit.

_E para você, Pk? /Tarik.

_Amor... uma sensação boa talvez? Ou também ruim quando não correspondido. Realmente uma pergunta difícil de se responder! Aliás... como muitas pessoas dizem... é uma sensação... inexplicável! (~Mih02d2.) /Pk.

O jovem olhou para seu psicólogo, esperando dele a última resposta da roda. Encorajou o homem dando um breve sorriso sem mostrar os dentes.
Mikhael ficou estático por alguns segundos. O que ele deveria responder? O moreno estava tão confuso. Ele não fazia idéia do que é amor.
Bolou alguma resposta, apesar se mal pensada. Deixou que sua mente fluísse no sentimento.

_Eu acredito que... Amar tenha uma infinidade de significados. Quando dizemos sobre amor, nos referimos a algo amplo. O amor é um sentimento, de fato, mas, toda felicidade e tristeza, acredito eu, que sejam apenas consequências. Amar é estar disposto a tudo, não por você, mas sim por quem você ama. Não é um sentimento egoísta, e sim, para ser compartilhado. Nosso amor não vive por nós, mas vive pelos outros. Amar é querer ver aquela pessoa feliz, nem que isso custe a sua felicidade. Como um sacramento do serviço, você serve a quem ama. O amor é como uma droga, que te vicia, te faz querer mais, te faz ir além e se sentir completamente alucinado. Tudo isso porque, acima de qualquer coisa, te faz bem. Não devemos nos sentir mal ou envergonhados por amar alguém. O amor é o sentimento mais bonito que a vida pode nos oferecer... Mas, sobre o amor, ninguém nunca saberá tudo... /Mikhael.


Notas Finais


Estou me sentindo um pouco só ultimamente... Talvez eu devesse sair para me divertir. Talvez eu devesse conhecer pessoas novas...

Naah...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...