História Where Is Your Boy Tonight? - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert, Fall Out Boy
Exibições 16
Palavras 748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Harem, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E aí?? Quem já está férias ou tá todo mundo ainda lutando para sobreviver???? kkkkkk

Pelo menos já é o meu último ano.... Já estou sentindo saudades...

EU NÃO ESTOU PRONTA PARA A VIDA ADULTA!!!!!!!!!!!!!!!!

Capítulo 41 - You want this now.


Fanfic / Fanfiction Where Is Your Boy Tonight? - Capítulo 41 - You want this now.

Depois de provocar Patrick na sala, seu corpo sentia a necessidade de continuar mesmo não tendo mais o loiro por perto. Pete estava elétrico e queria o tempo todo ajeitar a calça para ver se o incomodo passasse, mas sabia a única forma de se livrar daquele desconforto.

Em sua mente reproduzia cada movimento que fizera com o loiro em sua sala e o quanto Patrick parecia conturbado. A maneira de comê-lo com os olhos literalmente deixava claro que Patrick queria, e muito, voltar ao tempo de quando estavam juntos.

Aproveitando uns minutos livre, o moreno abre a calça para aliviar a pressão que não ajudava muito. Pete aperta o próprio volume e um choque de tesão percorre seu corpo. O moreno fecha os olhos e arfa baixinho. Maldito seria Patrick por tê-lo deixado com tesão logo de manhã e ainda prestes a ir ao trabalho.

Com a mão dentro da cueca, ele massageia a pulsação. Se Patrick estivesse ali, o jogaria na mesa e o comeria de pé. Tamparia a boca do loiro e o meteria sem dó contra a mesa. Sentiria o aperto do loiro e urraria de prazer aumentando cada vez mais a velocidade. Depois iria gozar no loiro e transaria mais uma vez.

Ficar pensando em como treparia com Patrick e com a mão por dentro da cueca não resolvida nada, apenas aumentava o problema. Pete fecha a calça e vai ao banheiro onde lava as mãos e logo procura o que fazer para ocupar a mente.

 

 

 

Suspira. Era a quadragésima vez ou perdera a conta pela terceira vez. Andava de um lado para o outro. Com a porta da sala trancada, se aliviara, mas o problema parecia ser bem mais complicado. Se tudo o que havia pensado realmente acontecesse, Pete não conseguiria se sentar por anos. Maldito seria Pete por tê-lo provocado logo de manhã em uma crise de sexo. Jogo baixo, sujo e vicioso.

Seu corpo ansiava pelo toque do moreno e Patrick sabia disso muito bem. Não queria mais o toque da própria mão. Queria algo em que pudesse enfiar seu membro e estocar até que não aguentasse mais em um último sopro de vida. E mesmo depois disso, transaria de novo.

Em todas as posições, em todas as velocidades e faria algo que talvez nunca tivessem sido tentadas. Pete pagaria por todo esse tempo em que o deixara na vontade, por tê-lo provocado, por ter roubado seu coração e viciado seu corpo a saborear seu corpo moreno e em sua pegada forte.

Patrick andava de um lado para o outro, com a calça aberta e a mão por dentro. As planilhas tinham que ser aprovadas e os relatórios de contabilidade tinham que ser lidos, mas não tinha como se concentrar no trabalho. Sua mente manipulava o castigo do moreno no chão da sala, com a bunda empinada e implorando para ser penetrado. Enquanto isso, Patrick se deliciaria com a cena deliciosa do moreno se contorcendo com seus toques provocantes sem pressa nenhuma de ir rápido com as coisas.

Se tinha uma coisa que Pete pagaria, seria por aquela provocação. E pagaria em dobro.

 

 

 

Charlotte deitara logo depois do jantar. Havia feito educação física na escola e ainda brincara a tarde toda com Suzi já que Patrick teve que voltar ao trabalho. Pete se joga no sofá e antes que pudesse ligar a TV para assistir o canal de notícias, a campainha toca interrompendo sua paz.

Pete se levanta e vai até a porta. Um loiro baixo o agarra e o beija na boca. Patrick o beija e era difícil acompanhar ou impedir que a língua Patrick explorasse sua boca da forma que bem entendesse. Por fim, o loiro se separa em busca de ar.

   -Por favor, Pete... Por favor...  – o loiro o beija mais uma vez – Por favor, não faz isso comigo... Por favor, eu já não aguento mais!

O loiro choraminga o abraçando e cheirando seu pescoço, Pete se arrepia por inteiro e parece que sua manhã iria se repetir.

   -Por favor, transa comigo? Por favor, Pete, eu quero transar com você.. Por favor... Eu não aguento mais tudo isso!...

Patrick faz com que Pete sinta seu volume. Era grande e mal cabia na calça do loiro.

   -Por favor... Transa comigo...?

Pete segura o rosto de Patrick com as duas mãos. O olhar cinza era suplicante. O desejo queimava também em seu corpo e o tesão já havia subido em escala Richard. Era hora de deixar de ser certinho.


Notas Finais


bjjo bjjo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...