História Where is Zayn? - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Little Mix, One Direction
Personagens Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Perrie Edwards, Zayn Malik
Tags Fifth Harmony, Little Mix, One Direction, Romance, Traição
Exibições 24
Palavras 1.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura <3

Capítulo 21 - Vou te proteger com a minha vida: Parte I


Fanfic / Fanfiction Where is Zayn? - Capítulo 21 - Vou te proteger com a minha vida: Parte I

- Quero o máximo de profissionalismo que vocês tiverem nessas cabecinhas de pulga! - Gahl gritava enquanto todos pegavam seu equipamento - Hoje temos uma missão séria. Coisa de vida ou morte. Não quero ir ao funeral de ninguém amanhã! 

Todos corriam de um lado pro outro como baratas tontas. Precisávamos pegar as mochilas, armas, lanternas, capacetes, coletes...Estava tudo uma loucura. Alguns homens ainda faziam movimentos estranhos tipo girar em torno de si mesmo, pular em um pé só e bater na própria cabeça. Acho que era uma forma deles se concentrarem e focarem melhor. 

- Quero todo mundo com reflexos de gato. Vigiem todos os lados para não serem pegos de surpresa. Não façam barulho quando andarem ou se mexerem. A equipe que vai ficar atrás, de olho no Zayn e, quando eu der o sinal, vocês dois correm com ele pelo prédio procurando a Lauren. SE MEXAM! Quero todos aquecidos antes de sairmos daqui. 

Já estava na hora de irmos. Tudo estava certo, todas as armas que poderíamos usar estavam no carro. A noite estava bem fria e silenciosa. Pude sentir o ar gelado encontrar minha pele do rosto quando saí da casa para entrar no carro. Minhas mãos suavam, minha cabeça girava em torno de milhões de pensamentos. Eu não sabia o que esperar, estava bem nervoso. Gahl até quis me dar um calmante, mas eu recusei porque não queria que nada me deixasse alterado naquele momento. Queria ser cem por cento eu. 

Nós seguimos em direção ao prédio que ficava no centro da cidade. Todos repetiam pra mim que eu era o que menos corria riscos ali e por isso podia ficar tranquilo. Mas mesmo assim, era tudo muito novo e muito tenso. Aquilo não era uma brincadeira ou video game que eu estava acostumado. Era vida real. A adrenalina era mil vezes maior. Qualquer erro, poderia ser fatal e isso era muito pesado pra eu processar, preferi não pensar muito nessa possibilidade. 

O carro estacionou uma rua antes do edifício e todos saíram para começar o ataque. Eles tinham expressões de concentração e seriedade. Eu? Eu devia estar parecendo uma criança com medo de um filme de terror.

Sebath, que foi na frente, nos guiou para uma entrada nos fundos da construção que dava pro depósito. Ele tinha ido ali no dia anterior e deu um jeito de fazer uma cópia da chave sem que ninguém visse. Quer dizer, um dos funcionários viu, mas Sebath o matou para se livrar de qualquer risco. 

Entramos todos no depósito silenciosamente e olhando para todos os lados. Os homens que ficaram de vigia se comunicavam conosco através de walkie talkies para avisar se vissem qualquer coisa suspeita do lado de fora. Já os poucos homens que ficaram no esconderijo na casa estavam nos computadores. Ele conseguiram instalar um sensor no banheiro do prédio. Assim, eles podiam detectar se qualquer pessoa se aproximasse de nós através das ondas de calor que viam na tela do computador. Nós tínhamos tudo sob controle.

Estávamos todos nas posições combinadas andando pelo térreo. Estava tudo muito silencioso e escuro. 

Quando ouvimos um barulho de algo caindo no chão, algumas luzes do prédio acenderam e uma buzina começou a tocar. Era o alarme. 

- Fodeu. Agora começou. - Gahl disse no meio do barulho

Em questão de segundos, demos de cara com uns caras de preto atirando pra todos os lados. Senti uma mão me puxar pra trás de um balcão, me protegendo dos tiros. Todos os homens de Gahl estavam agachados atrás de algo para não levarem um tiro. Quando olhei para Gahl, que estava atrás de uma pilastra perto de mim, ele fez um sinal com a cabeça que dizia que era hora de eu ir atrás da Lauren. Gahl ia distrair os atiradores para eu sair de fininho e começar a vasculhar. Os dois caras que iam me acompanhar se arrastaram pelo chão e eu fui atrás. Conseguimos nos afastar da confusão de tiros na recepção do prédio e fomos direto para as escadas. Tinham 10 andares, não seria rápido achá-la. Tínhamos que checar cada sala de cada andar sem chamar atenção. 

Quando começamos a subir as escadas, vi mais homens vestidos de preto apareceram no meio do tiroteio para dar suporte. Fiquei preocupado com meu primo e seus companheiros, mas eu não podia dar mole. Logo voltei minha atenção para as escadas e as subi. Procuramos no primeiro e no segundo andar, mas nada. Parecia não haver ninguém ali, encontramos apenas escritórios vazios. Olhávamos dentro de cada sala, mas nenhum sinal de vida. 

Os barulhos de tiro que vinham do primeiro piso eram constantes. Aquela era a trilha sonora perfeita para o meu momento de medo e desespero. O som das armas entrava nos meus ouvidos causando uma perturbação gigantesca na minha mente e me atrapalhava a raciocinar. 

- Vamos subir mais um. - Eu gritei quando constatei que não havia ninguém no terceiro andar

Assim que chegamos no andar seguinte, recebi uma mensagem no walkie talkie dizendo que tinham uma suspeita de onde a Lauren estava. A equipe que ficou na casa detectou uma pessoa no último andar. Era Lauren! Gahl disse que ouviu uns homens conversando uns dias atrás sobre o prisioneiro do último andar. Tudo se encaixou. 

- É ela! Vamos! - Gritei para os dois que estavam comigo

Nós subimos correndo e com o maior desespero do mundo. Não encontramos ninguém nos andares que passamos, mas as armas estavam sempre apontadas para todos os lados por precaução. Quando chegamos no último andar, a escada deu para uma porta de correr. Minhas mãos e minhas pernas tremiam de nervoso. Eu não sabia se era Lauren mesmo, tinha uma possibilidade de não ser. Eu não sabia como ela estaria, já faziam meses que não a via. Não sabia se estava muito machucada ou algo do tipo. Eu podia abrir a porta e me deparar com qualquer coisa...

Abri com rapidez, ainda sem fôlego por causa da escada. O ambiente era meio escuro e vazio. Uma cama muito simples ficava encostada na parede, perto de uma janela pequena, por onde a luz de fora entrava. Corri os olhos pela sala com receio. 

Lá estava ela. 

Lauren estava sentada no canto do quarto, com as mãos amarradas em uma corda presa na parede e com a boca tampada com um pano grosso. Sua aparência havia mudado muito. Ela estava bem mais magra, quase parecendo doente. Seus cabelos meio bagunçados e sem o brilho de sempre. Seu rosto estava pálido, leves olheiras ocupavam o espaço abaixo de seus olhos fechados. Ela usava uma blusa branca grande, definitivamente não era sua. Sua calça jeans azul estava um pouco suja de sangue nas coxas, assim como seus tênis. Foi só então que vi os cortes em seus braços, ainda com sangue fresco. Ela estava desacordada. Minha mente começou a vagar nas possibilidades. Eles fizeram aqueles cortes pouco tempo atrás.

- LAUREN! Acorda! Lauren! Por favor. Você consegue me ouvir? - Segurei seu rosto entre as mãos esperando algum sinal de vida - Lauren! Sou eu, Zayn. Eu tô aqui agora. Acorda, por mim. - Dei leves batidinhas em seu rosto e tirei o pano de sua boca

Lentamente, seus olhos foram abrindo e encontrando os meus. Percebi sua expressão mudar de nada para confusa. Ela me encarou ainda com dificuldade para se acostumar com a luz de nossas lanternas. 

- zayn... ZAYN? - Ela arregalou os olhos me olhando - Você está aqui mesmo? 

Ela parecia assustada, mas não de um jeito bom. Parecia quase...decepcionada? Seu olhar me encarava com tristeza. Confesso que aquilo começou a me deixar triste. Ela não queria me ver? 

- Zayn! Não! Não! - Ela se mexia tentando se desprender

- Calma. Sou eu mesmo. Nós estamos aqui pra te salvar. Tá tudo bem agora. - Desamarrei as cordas que prendiam suas mãos

- Não, Zayn. Você não entendeu. - Ela se levantou apressada com certa dificuldade - Isso é uma armadilha. - Ela disse ofegante - Eles sabiam que vocês estavam aqui. Vão mandar muitos outros homens pra matar todos nós. Eles não estão de brincadeira. 

- Puta merda. Avisem ao Gahl! Agora! - Gritei para os homens - Não se preocupa, Lauren, Gahl vai chamar mais pessoas. Nós podemos vencer isso ainda. Nossos equipamentos são fortes, nossos homens são muito bons e mais deles estão chegando. - Tentei apresentar alguns pontos positivos pra ela se acalmar

Lauren colocou a mão no peito tentando controlar a respiração e olhou dentro dos meus olhos. Ela parecia estar processando tudo ainda. Seus olhos verdes começaram a marejar enquanto me encaravam.

- Ai meu Deus, ZAYN! - Ela me abraçou forte chorando - Eu não acredito! Você tá aqui mesmo! 

- Eu tô, pode ficar tranquila agora. Nada de ruim vai acontecer contigo. - Acariciei seus cabelos 

- Ele é muito cruel, Zayn. - Ela se afastou segurando minhas mãos - Leonard, é irmão do Erick. Eles são piores do que parecem. Vão matar nós dois se pegarem a gente. 

- Lauren, não fica com medo. Eu vou te proteger com a minha vida. - Olhei firme em seus olhos verdes 

Ela estava apavorada. Não esperava menos de alguém que ficou sofrendo agressões físicas, emocionais e psicológicas por meses. Ela ficou traumatizada. Mas eu estava disposto a acalmá-la o quanto precisasse. Não ia deixar mais nada de ruim acontecer.

 


Notas Finais


ACHOU!!!! AEW! FINALMENTE! CADÊ O CONFETE NO AR? CADÊ A FESTA DE COMEMORAÇÃO?
Agora podem parar de me xingar hahaha
Aí está ela.
A parte que todos esperavam por quase dois anos hahaha desculpa, galeris.

Calma que as cenas de amorzinho estão começando agora. Graças a Deus!
Me digam o que acharam, please!
Eu sei que não sou a melhor pessoa pra escrever cenas de ação, mas eu tentei. Juro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...