História Where two hearts meet - - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Raphael Santiago, Simon Lewis
Tags Alec, Magnus, Malec, Romance, Shadowhunters
Visualizações 46
Palavras 1.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola, tudo bom? Espero que gostem deste capitulo, me dediquei para fazer o melhor. Neste cap de hoje temos interações de Clary com a mãe.

Capítulo 8 - Duvidas e sentimentos!


Fanfic / Fanfiction Where two hearts meet - - Capítulo 8 - Duvidas e sentimentos!

POV JACE:

Acordei com o som do alarme do celular que eu havia colocado, me levantei  e me arrumei, desci as escadas e fui para a casa de Alec, demorei uns 20 minutos para chegar, bati na porta mas ninguém me atendeu, então fui entrando, vi não havia ninguém na sala ou na cozinha, então subi para ver se eles estavam no quarto, subindo escutei a voz de Isabelle e de Alec, pelo tom de voz parecia ser um conversa bem séria, então fui andando devagar para não atrapalhar, antes de aparecer na porta, fiquei atrás da parede para escutar, não era curiosidade,, só não queria interromper, então escutei Alec falando.

─ Eu gosto de homens, mas ainda assim é confuso, eu não sei o que sentir, e eu não poderia ter esses sentimentos. – Disse ele. Fiquei meio sem jeito por ouvir aquilo, mas sei que entenderia Alec, ele era meu melhor amigo, não seria isso que estragaria nossa amizade e foi aí que ouvi Alec dizer.

─ Eu amo o Jace! Quando escutei, apareci na porta e disse.

─ Alec! – Ele me olhou assustado, ficou sem reação ao me ver ali na porta, Isi também ficou sem reação, mas se recompôs e se levantou e disse.

─ Jace, o que faz aqui? Desde quando estava aí? – Disse ela meio sem jeito.

─ Estou a maior parte da conversa. Falei. ─ Mas o que eu quero agora é conversar com Alec, pode nos deixar a sós? – Falei e ela olhou para Alec, que fez um sinal de aprovação com a cabeça e ela saiu. ─ Alec, estou aqui para tentar te entender, saiba que não irei te julgar, mas o que eu escutei, foi difícil de digerir e ele falou.

─ Jace, já que você escutou nossa conversa, então irei te contar, desde criança eu tenho esses sentimentos por homens, mas sempre tentei guarda-los dentro de mim, mas assim que eu te conheci e viramos melhores amigos esses sentimentos cresceram, até que chegou meu limite e eu não aguentei, precisava contar isso para alguém e Isabelle era a melhor pessoa e foi aí que eu disse para ela que eu te amava – Disse ele.

─ Olha Alec, eu te entendo e sei o quanto deve ser difícil para você segurar essa barra, mas me amar? Eu sei que sou um garanhão – Falei para não fazer ele se sentir muito mal. ─ Mas nós somos melhores amigos, e eu não gosto de homens, isso é tudo muito confuso pra mim. – Falei

─ Jace isso não é brincadeira! – Ele disse sério.

─ Eu sei, me desculpe. Olhei para ele, coloquei a mão em seu ombro e disse. ─ Eu vou ficar ao seu lado, para o que der e vier, mas você por sermos melhores amigos, você não está confundindo seus sentimentos por mim? – Falei e ele me olhou pensativo e disse.

─ Talvez possa ser isso, mas e se não for? Você irá se afastar de mim? Eu não suportaria isso. – Ele disse e abaixou a cabeça.

─ Não, eu jamais me afastaria de você, nós somos como irmãos, e irmãos não abandonam uns aos outros nos momentos de dificuldades, e se não for, eu posso conviver com isso, mas e você, conseguiria? – Falei e ele deu um sorriso de lado.

─ Tudo bem, se você acha melhor dessa forma, então faremos, fico feliz por não se afastar. – Disse ele. Fui até em sua direção para abraça-lo, não seria isso que me impediria de fazer tal ato, ele percebeu e me abraçou, nos soltamos e descemos até a sala, onde Isi estava, quando chegamos lá embaixo, Isi estava arrumando a mesa, quando ela nos viu, sorriu e perguntou.

─ E ai, se resolveram? Disse ela.

─ Estamos meio caminho andado, mas tudo se resolvera com o tempo – Disse e olhei sorrindo para Alec.

─ Ótimo, porque eu pedi pizza e não queria ter que comer sozinha – Disse ela e riu.

─ Olha, mas como é gulosa, aposto que ia comer tudo sozinha se a gente não tivesse descido. – Alec disse com um tom de sarcasmo – Escutamos alguém bater na porta, Isi foi atender e era o entregador, com ele havia 2 pizzas, Isi pagou e trouxe até a cozinha. ─ Puxa Isi, você está com fome mesmo hein, seria 1 para mim e Alec e a outra só para você? Perguntei e ri, logo em seguida ela me bateu e disse.

─ Não seu idiota, uma é de chocolate, mas se você não quer, sobra mais! Disse ela com sarcasmo. ─ Claro que eu quero, jamais negaria uma pizza de chocolate. – Falei e nos servimos, ficamos ali comendo e conversando e quando percebi já era meia noite, então resolvi ir para casa, me despedi de Isabelle e Alec.

 

POV ISABELLE:

Depois que Jace foi embora, fui ajudar Alec na cozinha, tinha que saber se ele estava bem, fiquei ao seu lado e perguntei.

─ Alec, como foi a conversa com Jace? Perguntei e ele logo respondeu.

─ Foi difícil ter essa conversa, principalmente quando fui pego de surpresa, mas eu entendia o lado do Jace, ele nunca tinha passado por essa situação antes, mas ele disse que estava tudo bem e que nós íamos passar por isso juntos – Disse ele.

─ Que ótimo Alec, você vai ver, com o tempo você vai conhecer outra pessoa e vai esquecer esse sentimento pelo Jace – Falei.

─ Espero que sim, estou mais aliviado depois que contei tudo que havia guardado dentro de mim – Disse ele.

─ Que bom Alec, deixar guardado dentro de nós esses tipos de sentimentos só nos fazem mal – Ele sorriu, e me abraçou.

 

POV RAPHAEL:

Acordei um pouco melhor essa manhã, havia passado a noite inteira com soro na veia, acordava no meio da madrugada e via minha irmã ao meu lado segurando minha mão, ver o quanto ela se dedicava tanto para ficar comigo me dava forças e ter ela ao meu lado me ajudava a se recuperar, sua energia era tão boa que me fazia bem. Me sentei na maca, sem soltar sua mão e a chamei.

─ Bom dia flor do dia, espero não ter te incomodado! Falei.

─ Você nunca será um incomodo maninho! Disse ela sorrindo.

─ Que bom, porque estou melhorando e quando eu sair daqui você terá a sua semana de rainha, vou fazer tudo o que você quiser! Falei sorrindo, e ela sorriu.

─ Não precisa disso não, você fazendo a janta já está tudo pago – Ela me olhou e riu.

─ Claro, vou ser seu cozinheiro pessoal! – Fomos interrompidos pelo Doutor, ele vinha me examinar a cada 3 horas, e por sorte, depois dos últimos exames ele me liberaria e me deixaria em repouso na minha casa, minha irmã ficou animadíssima com a notícia. Fui me trocar, pois estava só de camisola hospitalar, enquanto me trocava, minha irmã assinava os papeis na recepção, terminei e fui até onde ela estava, saímos do hospital e fomos até o carro, no caminho ela sugeriu que fossemos até algum restaurante, disse que sim e fomos até o MarckGarden. Chegamos lá, entramos e tomamos nosso café, ela pagou e fomos embora. Chegamos em casa, fui direto para o banheiro do meu quarto, retirei minha roupa e entrei no banho, precisava tirar o cheiro de hospital do meu corpo – sai do banho, me troquei e avisei minha irmã que iria dormir um pouco.

 

POV CLARY:

Depois que deixei Simon no Lago, fui para a casa da minha mãe, eu precisava conversar sobre o que havia ocorrido, peguei o primeiro taxi que vi, no caminho comecei a pensar comigo mesma o quanto eu fui egoísta e o quanto eu fui fria com Simon, como eu pude deixa-lo lá sozinho?! Ele era meu melhor amigo, não devia ter feito isso com ele, mas ao mesmo tempo eu precisava pensar. Cheguei na casa da minha mãe, desci e paguei o taxi, fui em direção a porta e abri, encontrei minha mãe na sala, ela estava assistindo a um programa de culinária, ela me olhou e eu comecei a chorar, fui em seu encontro e a abracei e ela disse.

─ O que aconteceu filha? O que aconteceu? - Disse ela.

─ O Simon me beijou mãe, e disse que me amava... Mãe, eu o deixei parado e sozinho no Lago, eu... – Não completei a frase e chorei, ela me abraçou forte e disse.

─ Calma filha, não chore, o que aconteceu, aconteceu, o que você tem que resolver é o fato dele gostar de você, vocês são amigos desde criança, não seria de se esperar que o Simon gostasse de você – Disse ela.

─ Eu sei mãe, mas na hora eu não sabia o que pensar ou falar, eu simplesmente fui embora – Falei enxugando meu rosto.

─ Olha Clary, as vezes, você só tem que dar uma chance para as oportunidades que batem à porta, Simon não teria feito o que fez sem saber das consequências, ele sabia que poderia por em risco a amizade de vocês. Pense sobre o que aconteceu e amanhã vocês conversam, tudo bem? – Disse ela.

─ Eu te amo mãe – Falei e a abracei. ─ Você sempre tem os melhores conselhos – Falei e sorri.

─ Agora porque não vamos pintar alguns quadros, faz um bom tempo que não te vejo pintar uma tela ou algo do tipo?! – Disse ela e aceitei, pois ficaria por aqui mesmo, não poderia voltar para o apartamento com o Simon morando comigo – Fomos até o ateliê da minha mãe, ficamos horas e horas ali, aquele tempo com ela estava me fazendo bem e me ajudava a pensar, quando vimos já tinha passado da meia noite, guardamos todas as coisas, fomos tomar banho e depois íamos dormir.


Notas Finais


E ai, como foi a leitura de hoje? Espero que tenham gostado. Sera que Clary vai responder aos sentimentos de Simon? E Jace e Alec, sera que eles irão superar essa? Só lendo o próximo capitulo para descobrir, até a próxima e um bom final de semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...