História Wherever you are <3 - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Victurishipper

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Camus de Aquário, Dégel de Aquário, Hades, Hyoga de Cisne, Isaak de Kraken, Kardia de Escorpião, Marim de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Shaina de Cobra, Yuna de Águia
Tags Camil, Camus, Mica, Milo
Visualizações 25
Palavras 1.046
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi voltei mais cedo pq sim intao esse CAP n vai te imagem pq não achei... Tá o para de enrolar.

Capítulo 9 - O acidente


( Pov Milo)

Quando cheguei em casa, fui tomar banho e logo que sai Yuuna foi, entrei no meu quarto e minha mãe estava lá.

- Milo, você e o Camus se deram bem,né?- ela falou alegre.

-É- falei meio desconfiado.

- Você, gosta dele?

- A onde que cê qué chega?

- Nossa, calma, só quero ficar mais com você.

- Desculpa, é que não tô acostumado.

- Mas, você não se importa? Sabe com a minha aproximação.

- Não.

- E então? Gosta?

- É, gosto- falei meio tímido.

- Mas, gosta como amigo? Ou gosta GOSTA?

- Eu gosto GOSTO, mas você tem que prometer que não contar pra ninguém.

- Certo, prometo.

- Promete, o que?

- Prometo que não conto, o que você acabou de me contar.

- E o que seria?

- Ué você sabe.

- Ahaha, achei que você ia cair nessa.

- Haha, eu prometi né, mas e ai, ele gosta de você do mesmo jeito?

- Sim.

- Mesmo? Como você sabe?

- É que... Estamos namorando.

- Pera....- ela parece processar a informação- caramba, minha nossa, meu kami, meu kokoro- ela falou quase em um sussurro- Aaaii.

- O que foi? Cê tá bem?

- Eu? tô ótima, meu filho é gay, tá namorando e acho que vou começa a escrever um mangá com essa história, mas o mais importante.

- Nossa mãe,hahaha, o que é o mais importante?

- Quem é Seme? Que é uke?

- MÃE, hahaha, que isso? mas respondendo, provavelmente ele seria o uke.

- HAHAHA, meu Kami, você é dos meus.

- Hahaha.

(Pov Yuuna)

Sai do banho, e fui em direção ao quarto do Milo, não entrei porque minha tia estava lá.

- É gosto, nós estamos namorando- nunca achei que fosse ouvir Milo dizer essas palavras, senti como se meu mundo fosse desabar, uma raiva e uma tristeza tomaram conta de mim. Tive forças apenas para correr para meu quarto e assim que entrei comecei a chorar, me permiti chorar até cair no sono.

Quebra de tempo 

(Pov Camus)


Hoje eu volto para a cidade e para me despedir, combinei de me encontrar no "paraíso" com Milo, quando cheguei ele já estava lá.

- Camyy- ele falou chorando e pulando no meu pescoço- não vaaii não, fica aqui comigo.

- Ah Milo, bem que eu queria poder ficar aqui com você, mas, você tem celular?

- Tenho-ele falou com a voz manhosa.

- Certo, me passa seu número, e ai a gente se fala.

- EEEBAAA- ele deu um pulo de alegria e  trocamos nossos números, ele começou a me puxar para perto de uma cerejeira, quando nos aproximamos, Milo tirou um canivete do bolso e no tronco escreveu MILO CAMUS dentro de um coração- pronto agora esse lugar é oficialmente nosso- ele falou cima aquele sorriso lindo.

- MILO, SEU FOFO, LINDO, AMOR DA MINHA VIDA- falei o beijando várias vezes.

- Camus, promete que nunca vai me esquecer?- algumas lágrimas se formavam em seus olhos.

- E tem como te esquecer?- falei secando suas lagrimas, logo Milo selou nossos lábios em um beijo calmo e desesperadamente necessitado, nos separarmos por causa da falta de ar. Depois ficamos abraçados olhando as fotos nos relicarios, no meu estava a foto do Milo, e no dele a minha, meu celular começou a tocar, era meu pai.

- Oi...tá, tô indo, tchau. Milo, tenho que ir.

- Aff mais já?- ele falava cada vez mais dengoso e triste.

- Vamos, você pode ir comigo até perto de casa- andamos abraçados até uma árvore que ficava perto de casa, me despedi de Milo e entrei no carro.

(Pov Milo)

Vi Camus entrar no carro e acenar para mim, quando eles saíram, resolvi ir para casa, não queria ver ninguém, queria ficar sozinho, bom, quase, a única pessoa que eu queria ver, além de Camus, era minha mãe, assim que cheguei, subi as escadas correndo, segurando o choro, minha mãe me viu e logo veio atrás, entramos no meu quarto quase ao mesmo tempo,assim que a porta se fechou me permiti desabar, as lágrimas escorriam sem parar, minha mãe me abraçou, como não estou muito acostumado a ser abraçado assim por ela, estranhei um pouco, logo me acostumei e o abraço que antes era estranho, agora havia se tornado acolhedor e quente, pela primeira vez que minha mãe me abraça, eu me sinto bem, me sinto acolhido, mas como tudo que é bom dura pouco, meu pai entrou no quarto quase que de imediato parei de chorar, um calafrio percorreu todo meu corpo,não por causa de Kardia, mas sim porque senti que algo de ruim iria acontecer com meu Camy.

- O que está acontecendo?- meu pai perguntava.

- Não é da sua conta, vai em Bora- falei ainda com um sentimento estranho.

- Bom, se não quer falar por mim tanto faz- ele falou saindo do quarto me deixando com minha mãe de novo, mas ela teve que sair para resolver umas coisas.

(Pov Camus)

Nós já estávamos na metade do caminho quando começou a chover, meu pai diminuiu a velocidade já que não estava enxergando muito bem, estávamos passando em cima de uma montanha e prestes a fazer uma curva, mas por algum motivo não estávamos virando, meu pai tinha perdido o controle do carro que agora descia montanha abaixo, a única coisa que consegui ver, foram meus pais dizendo que me amavam, logo em seguida apaguei.

Acordei sentido uma forte dor de cabeça, pareço estar em um hospital, logo o medico entra no quarto em que estou.

- Como se sente?- ele me perguntava sério.

- Um pouco tonto e com dor de cabeça, mas o que aconteceu?

- Bem, você e seus pais sofreram um acidente de carro.

- Onde eles estão?- perguntei preocupado.

- Eu sinto muito, eles infelizmente não sobreviveram- meu mundo estava desmoronado, não podia acreditar no que estava ouvindo, fiquei um tempo tentando digerir tudo aquilo, assim que o medico saiu, comecei a chorar, não podia, não queria aceitar que as únicas pessoas que me amavam e se importavam comigo, agora estavam mortas, passei a mão pelo pescoço e senti um cordão, puxei e vi que era um colar, acho que meus pais me deram em algum dia que não me lembro, o que será que aconteceu? Me lembro da minha vida, mas não lembro o que houve antes do acidente, nem do verão, nem da fazenda que o medico disse que eu estava, com meus pais em férias, por que eu sinto que esqueci de algo ou alguém muito importante?

CONTINUA...


Notas Finais


Foi isso desculpe se ficou curto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...