História Whispers In The Darkness - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Sasuke Uchiha
Tags Brigas, Intrigas, Medo, Naruto, Terror, Violencia
Exibições 31
Palavras 1.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Certo, apaguei aquela história pois não estava mais gostando, mas prometo que vou concluir essa ♥

Capítulo 1 - Whispers In The Darkness


Fanfic / Fanfiction Whispers In The Darkness - Capítulo 1 - Whispers In The Darkness

Pavs Itachi. 

Meu nome é Itachi, muito prazer em conhece-los, tenho 20 anos e a família mais ridícula que conheço é a minha. 
Cheguei a Los Angeles sozinho, eu não conheço muitas coisas por aqui e isso que faz ficar bastante perigoso. Ontem eu dormi tranquilo na verdade nem vi. Mas continuando, bom eu não conheço ninguém por aqui cheguei aqui semana passada, pedi para meu irmão vir comigo mas ele não quis, tudo bem não iria obrigar ninguém a vir, aliás minha família é um tipo estranho de ser nunca vi uma  mais esquisita que a minha... Ninguém faz nada é uma tipica família do interior, mas meu pai é dono de uma empresa fabulosa, onde meu irmão é o mais valorizado e eu sou o mais ridicularizado.  Não que eu me importe com isso, pois pra mim tanto faz, Hoje eu já estudei, vou arrumar uma coisa por ai para fazer pois me sinto um inútiu, tomei um banho gelado, e fiquei um tempo assistindo tv. Botei no jornal e lá falavam de um assassino, cansado daquilo eu sai.
Caminhando pela rua, deparei-me com uma moça muito bonita, fiquei ali olhando-a ela parecia gostar pois sorria para mim, nunca tinha visto um sorriso tão bonito assim aquilo me alegrou de certa forma, ela parecia timída, morena dona de uns profundos olhos castanhos escuros. Aquilo realmente parecia um sonho, eu não sei dizer a finalidade daquilo que estava acontecendo, aqueles olhos, aquele sorriso, parecia algo que eu já conhecia. Mas logo percebi que ela estava esperando alguém pois estava conversando ao telefone e isso fez com que eu me deligasse do transe. E o meu começara a tocar mas não atendi, era meu pai, não queria falar com ninguém, eu queria ficar sozinho. Naquela casa ninguém nunca me entendeu eu achei que gostassem de mim mas nunca me senti livre, acho que por eles dessem mais atenção ao meu irmão, mas fugindo disso, eu não quero pensar que fui uma mera frustação.
Senti uma forte dor de cabeça, me levantei, mas parecia estar sem forças. Não vi mais aquela moça, amarrei meus cabelos, quando de longe vi um amigo de muito tempo. 
- Orochimaru? - Disse com Espanto. 
- Oi Itachi, quanto tempo! - Ele disse sorrindo. 
- Meu amigo, o tempo mesmo viu. Meu Deus. - Eu disse com alegria em meu sorriso. 
Estava com tanta saudades dele mas ele me disse que depois iria me ver pois estava muito ocupado... Fui andando para ver oque eu encontrava e logo achei. Vi aquele mesmo homem de olhos azuis e ele estava a gargalhadas ele socava um outro homem, derrubou-o no chão e eu fiquei ali parado sem reação alguma, ainda sorrindo ele se levantou, seu rosto estava manchado de sangue, e seus olhos azuis valorizado pela cor vermelha do sangue se destacavam mais. Ele em nenhum momento chegou perto de mim, viu que eu estava com medo, mas meu medo curioso ressentiu em  coragem e fui-me chegando cada vez mais perto. Quando ele olhou pra mim, eu não sabia o que fazer se corria ou ficava para ver no que ia dar, ele não falou nada apenas vinha até mim seu sorriso cada vez maior, eu não acreditava, eu não queria ser morto ali. 
- Quer morrer garoto? - Me peguntou segurando um taco de baseball. 
- Nada eu só estava passando por aqui, eu... - Fui interrompido.
Correndo atrás de mim eu queria sumir, mas ele não tirava os olhos de mim, eu corria corria, mas ele não tirava os olhos de mim. Parecia um pesadelo, entrei em uma casa e me escondi debaixo de uma cama velha. Eu não sabia o que fazer, pois escutava seu taco bater as coisas, eu soluçava, até que ele entrou na sala onde eu estava. Senti tanto medo que não consegui me mecher, ele pegou em meu pescoço sorrindo.
- O que você quer? - Eu não sabia o que fazer.
- Eu quero o seu medo garoto. - sorrindo ele finalmente me soltou.
- Então isso é uma brincadeira? - Gritei com raiva.
- Não, parece que eu estou brincando? - Abriu o casaco que estava vestido. 
Quando ele abriu eu pude ver suas armas balas e tudo o que você possa imaginar, me afastei. Estava com medo, meu corpo estava imcapacitado de sair dali, estava com medo de qualquer coisa que eu fizesse, eu sei ele poderia me machucar. 
- Você é o garoto errado, estava procurando outro, acho que me confundi, me desculpe ter feito tanto medo em você. Tens o cabelo lindo, parece o cabelo de um amigo meu de anos atrás, achei que fosse ele. - Ele se virou indo embora. 
Mas logo Indaguei.
 - Quantos anos tens? - Pude ver ele virar e chegar mais perto de mim. 
- Eu? por que queres tanto saber? - Eu pude ver tanto ódio em seus olhos.
Segurando meu choro e olho aquilo realmente me paralizou. Quando ouvi sua voz.
- Sabe eu olhei para você e me vi em você, me vestia do mesmo jeito costumava ir para aquela praça ver o céu assim como você, mas dái vi que você não tem nada de mim. Você só está começando a voar, não é a pessoa que eu quero, você costuma ter medo e eu não sinto medo. - Ele disse com uma Naturalidade.
- Você é tão ruim assim? - Perguntei curioso.
- Eu sou a pior pessoa que você ja conheceu garoto. - Ele pegou uma garrafa e atirou sob um outro vidro. 
- Mas por quê? Você pode mudar de idéia. - Eu disse com esperança.
- Não garoto, não posso. Esse mundo é sem volta. -  Ele parecia tão triste, me disse isso com tanta angustia. 
- O que quer dizer com isso? - Lhe perguntei ele estava me deixando com medo. 
- Algum momento você irá perceber que suas idéias e suas maldades são boas demais para guardar somente para você. - Ele disse chegando perto de mim pegando em meu queixo.
Fechei meus olhos com medo, quando abri devagar ele já tinha ido embora e assim fiquei ali escutando de longe sua risada.   

 


Notas Finais


Espero que gostem ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...