História Who are you? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 30
Palavras 1.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ja pus outro <3 ;3 ;3 ;3
lindus <3

Capítulo 2 - What your name?


Fanfic / Fanfiction Who are you? - Capítulo 2 - What your name?

~Sakura~

O despertador toca. Me arrasto até o banheiro. Tomo um banho frio rápido. Suspiro. Estou sozinha. É tão bom estar sozinha.

Eu nasci na China, em Hong Kong . Eu cresci cercada de babás porque meus pais trabalhavam demais. Aos cinco anos eu presenciei a separação dos meus pais. Então meu pai foi morar em Seul na Coreia e eu fiquei com a minha mãe na China. Eu continuei sem a presença materna e meu pai nem ligava. Quando eu tinha 10 anos minha mãe conheceu um cara. Então pela primeira vez ela sentou para conversar comigo. Pensei que seria algo maravilhoso, mas ela queria que eu fosse morar com meu pai. Eu fiquei confusa primeiramente, mas depois gostei da ideia de morar na Coreia

Meu pai não foi me buscar no aeroporto, ele mandou sua secretaria, quando cheguei em casa ele estava bêbado. Jogado no chão. Quando não estava bêbado ou trabalhando o que era raro ele me dava um pouco mais de atenção que a minha mãe. Acontecia com ele o que acontecia com a minha mãe. Eles ficavam me olhando. Me encarando. Não sabia no que estavam pensando mas eu sentia que eles não me desejavam. Foi quando eu escutei meu pai conversando com a minha mãe pelo telefone da casa.  Eu corri até o outro telefone que ficava no meu quarto para escuta-los conversando.

Pai: Então foi por isso que você a mandou para ca?

Mae: sim. Eu queria começar de novo. Eu tinha esse direito.

Pai: entendo....mas então vc vai mesmo se casar?

Mae: vou eu vou. Voces dois podem vir.

Pai: vou tentar ir. Sabe eu conheci uma pessoa...

Mae: mesmo?

Pai: sim...mas ela não gosta da Sakura.

Mae: ...ela é sua responsabilidade agora....

Pai: mas eu também tenho o direito de começar de novo! E você abandonou ela primeiro!

Mae: eu n sei Kisashi! O q vamos fazer com essa menina?!

Pai: eu vou saber?!

Mae: ela está com 14 anos agora...espera ela ficar com 16 e começar o colegial...ai nos mandamos ela para algum lugar morar sozinha....

Pai: são dois anos! E se ela não quiser esperar dois anos?! Eu a amo não posso perde-la

Por um momento, um breve momento, enquanto eu chorava eu pensei que estivessem falando de mim...

Pai: Eu amo ela muito! Não posso perde-la por causa dessa garota! Eu nem queria ela na minha casa! A culpa é sua por largar ela aqui!

Mae: Você largou ela comigo primeiro! *suspiro* Mande ela para a minha mãe! Eu sei la! De um jeito!

E então ela desliga. Eu joguei o telefone no chão com uma força que eu nem sabia que eu tinha.

Depois disso eu nunca mais fui a mesma. Primeiro o Sasuke e agora os meus pais. Eu pensei em me matar. Eu busquei formas de fazer isso. Mas então eu pensei: se eu me matar eles vencem, não é? Eu não vou morrer, não agora, não assim...

Fui morar com a minha avó. Ela era outra que me via como uma decepção. Como um desastre. Mas eu não ligava mais. Passei dois anos normalmente e aprendendo coreano e então quando faltava um mês para eu ir em bora eu fiz o que eu queria fazer a um bom tempo.

Com uma tesoura eu cortei meu cabelo enorme na altura dos ombros e tingi de rosa. Eu queimei todas as minhas roupas. E com o dinheiro da minha avó e dos meus pais eu comprei roupas novas. Eu iria morar numa cidadezinha na Coreia mas comprei uma passagem para Tokyo. Aluguei uma casa e fiz minha inscrição no colégio onde eu sempre sonhei em estudar.

E agora aqui estou eu vestindo o uniforme que eu sempre quis vestir. Sorrio. Não sei o que me faz sorrir. Talvez seja o simples pensamento de que eu venci. De que eu aprendi que a felicidade é uma mentira boba que as pessoas contam para as crianças antes delas dormirem. O príncipe nunca vai aparecer e se você não fizer nada você vai apodrecer na torre.

Arrumo meu cabelo e vou para a cozinha. Eu estou sozinha em casa. É tão bom essa sensação de que você pode fazer o que você quiser e que ninguém vai julgar ou apedrejar você. O mundo é apenas um lugar ridículo onde as pessoas vivem suas vidas monótonas. E quando as pessoas morrem e você vai ver o que ela fez. Ela não fez nada. Ela acordou todos os dias e fez todas as coisas de sempre. Com umas raras exceções as pessoas fazem as mesmas coisas todos os dias da sua vida. E isso vai te levar para onde? Para lugar nenhum você vai continuar assim. Vai morrer assim e nunca vai ter experimentado o que é ser feliz porque a felicidade não existe.

Mas você acreditou nisso a sua vida toda. Você pensa que é feliz quando você chora pelos cantos e ninguém ve. Você vive no seu mundinho de merda enquanto as pessoas morrem por ai. Mas tanto faz não é? Desde que você esteja vivo o que importa os outros?

O mundo vai acabar mesmo não vai? Então por que eu tenho que ajudar em alguma coisa?

Coloco Crazy para tocar no meu celular de fones eu canto e danço. Conforme eu vou andando e as pessoas passam eu canto a música.

-C. R. A. Z. Y ttara hae! C. R. A. Z. Y. modu da michyeo!

Paro na entrada do colégio. Finalmente aqui. Finalmente sozinha. Finalmente....um colégio de musica. Eu ia poder fazer o que eu sempre quis. Cantar. Eu seria eu.

Vou até o refeitório e compro um nikuman de carne. Procuro minha sala enquanto como. Agora está tocando Ringa Linga do Taeyang.

Encontro minha sala. Termino de comer e entro. Sento-me no fundo perto da janela. Uns garotos estão conversando a minha frente mas eu não presto atenção.

Até que um deles começa a cantar Black do G-dragon com a Jennie. Observo-o cantando. Ele tem os cabelos pretos, lindos olhos ônix. Então quando chega na parte em que a Jennie canta eu o interrompo e canto a parte dela. Ele sorri e canta depois que eu paro. Ele tem uma voz maravilhosa.

Quando a musica acaba eu coloco meu fone e volto a prestar atenção no lado de fora.

-qual seu nome?- Olho para ele.

-Haruno Sakura-respondo com desinteresse na voz.

-Sou Uchiha Sasuke- Sasuke...esse nome ecoa na minha mente diversas vezes...o nome dele...

Me forço a parar de pensar nisso e olho para os amigos dele

-Sou Uzumaki Naruto- um loirinho

-Sou Gaara do deserto- um palito de fosforo

-Sou Nara Shikaaru-  cabelo de abacaxi

-Neji Hyuuga- uma princesa

-vocês são amigos a muito tempo? -eu já sei a resposta, percebo pelo jeito que se olham, quem falam, pelo simples modo de como sentam que sim.

-somos-respondem juntos

-você tem uma voz bonita- olho para o Sasuke.

-obrigada...a sua não é tão ruim...

E então dá um sorriso torto que faz meu coração bater mais rápido. Desvio o olhar abruptamente.

Essa sensação...

Meus pensamentos são interrompidos quando o professor chega na sala. Eu me concentro nas aulas e no que os professores dizem.

O sinal toca e eu vou direto para o refeitório. Estou morta de fome. Compro uns 3 onigires e procuro um lugar para sentar. Fico escutando Ringa Linga do Taeyang

Acho uma mesa vazia me sento. Como em silencio.

Quando estava no meu terceiro bolinho escuto uma voz me chamando.

-SAKURA-CHAN!-olho para trás rápido e vejo o louco do loirinho acenando.

Ele e os amigos se sentam na mesa.

Solto um risinho.

-Naruto-kun!-sorrio

Eu estava disposta a fazer amigos. Não iria confiar neles e nem fazer deles meu mundo poruqe eu já sabia como isso terminava, mas eu queria ter amigos.

 Nós conversamos sobre coisas idiotas, músicas e bandas favoritas, comida favorita, cor favorita, coisas fúteis. É triste pensar que tudo isso é uma mentira. Que tudo isso vai acabar, mas eu penso, não consigo parar de pensar.

-Então...Sakura...o que te trouxe ao Japao?

Olho para o Sasuke confusa. Ora que tipo de pergunta é essa? Só agora eu percebo que ele foi o que menos participou da conversa e pela reação dos amigos percebo que é sempre assim.

-Como assim?

-você não é japonesa.

Pisco rápido. Ele pensa que estou caindo na lábia dele. Sim, é um bom observador, mas eu também sou.

-nem vc...

Ele me encara e sorri.

-sim...

O intervalo acaba.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...