História Who saved who? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Originais
Personagens J-hope, Personagens Originais
Exibições 16
Palavras 1.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, mais um Cap saído do forno :)
Espero que gostem..

Capítulo 3 - Abraço inesperado


Fanfic / Fanfiction Who saved who? - Capítulo 3 - Abraço inesperado

(Hoseok on)
Acordei mais tarde aquele sábado. Nem tirei sapato, nem nada, somente dormi, e nossa! Dormi como a muito tempo não dormia; relaxado, sem hora para acordar.
 Levantei e fui até o banheiro lavar o rosto e mais uma vez fiquei admirado com meu reflexo no espelho. Quando saí do apartamento fui em direção a cozinha da mansão, porém antes de entrar, parei por um segundo para refletir em tudo que estava acontecendo comigo, em como minha vida mudou. Agora eu tinha um emprego, casa, comida... Eu podia voltar a ter uma vida. Era maravilhosa a sensação de poder acordar e saber que tinha comida me esperando, que eu não ia precisar acordar no meio da noite porque estava chovendo, ah.. A s/n realmente salvou minha vida! 
Olhei ao redor de toda aquela propriedade, e dos carros dela na garagem, dos jardins, dos empregados... Fiquei imaginando e pensando comigo mesmo: - ela não precisa de mim aqui, nem dos meus serviços na empresa, mas mesmo assim ela fez questão de me ajudar, mostrando que era importante para ela que eu estivesse bem, meu Deus, que anjo! 
Senti uma lágrima escorrer dos olhos e enxuguei rapidamente; entrei finalmente na cozinha e lá estava ela, experimentando algo que Geralda estava preparando provavelmente para o almoço. Não pensei duas vezes e fui até onde ela estava e a abracei; não foi um abraço comum, mas sim um abraço apertado... Um abraço que pudesse mostrar o quanto eu estava agradecido por tudo que ela estava fazendo por mim. 
(S/n on)
 Acordei no sábado cedinho porque estava ansiosa para levar Hoseok em uma loja, para que ele pudesse comprar roupas e ternos pro seu novo emprego. Levantei correndo, fui ao banheiro, tomei banho, fiz um coque, botei um vestido branco e calcei uma sapatilha vermelha, tudo básico, como sempre.
Desci as escadas e encontrei Geralda terminando de fazer meu cappuccino.
-O que aconteceu hoje para você acordar a essa hora num sábado? Nem terminei seu cappuccino ainda! - ela me olhou de cima a baixo, já sabendo da resposta.
-Quero levar Hoseok para comprar roupas e ternos pro trabalho.
-Ele de terno ficará lindão, né? - aish, já entendi tudo, ela quer me ver vermelha.
-Ainda não sei, dona Geralda Maria, porém veremos hoje - retruquei, e ela deu um risada meio maléfica.
Hoseok ainda não tinha acordado, então tomei café, fui aguar as plantas do jardim, e cumprimentar os outros empregados, inclusive Lucio, que também acordou cedo.
Voltando a cozinha, fico jogando conversa fora com Geralda até que Hoseok entra na cozinha e instantaneamente me abraça. Ele entrelaçou seus braços em minha cintura e me abraçou forte.
-Obrigado S/n, obrigado por me salvar do frio, obrigado por me tirar daquela vida miserável. - enquanto ele dizia isso, eu sentia lágrimas escorrerem em meu ombro esquerdo, aonde o mesmo depositou sua cabeça e eu, num impulso repentino o abracei de volta e ficamos ali durante alguns segundos, até que eu faço com que ele olhe em meus olhos, ainda abraçado comigo.
-Eu faria tudo de novo, você merece - passei os dedos em seu rosto, limpando suas lágrimas e quando ele fitou meus olhos, eu senti uma pontada no estômago. 
Não é a primeira vez que isso acontece, mas é algo bom.. Não sei explicar.
O abracei de novo até que Geralda resolve seu manifestar.
-Que lindo esse momento! Posso tirar uma foto, né? - eu quero matar ela, definitivamente.
Nos soltamos na mesma hora e ele deu um sorriso meio de lado, meio sem graça.
-Toma café, Hoseok, está uma delícia - digo, tentando disfarçar a última fala de Geralda.
-Opa, tomo sim, agora mesmo - ele pega uma xícara e põe um pouco de café e começa e beber uns goles devagar.
-Quero te levar pra você comprar seu uniforme de trabalho hoje, vamos né? 
-Vamos sim, tô ansioso pra começar a trabalhar. Posso não saber fazer nada, nem me comportar como o povo granfino da Empire, mas vou me esforçar por você, s/n.
-Você não precisa mudar seu jeito de ser, não mude, hoseok. É claro que você precisará mudar alguns vocabulários, mas só isso.. Quero você do jeito que lhe conheci naquela calçada, honesto e sincero! - digo e ele me olha fixamente interrompendo seu café.
-Então é isso que você terá - ele diz, levantando da bancada e deixando seu café de lado - Vamos? 
-Vamos sim, vamos agora - Digo, dando um sorriso a ele e recebendo outro em seguida. 
Nos despedimos de Geralda e fomos até o carro. Hoseok deu bom dia a Lucio e entramos no carro, eu atrás e hoseok na frente junto com Lucio.. Ele ainda não confiava que eu ficasse atrás sozinha com ele, mesmo que ele estivesse junto dentro do carro. 
-Pra onde vamos hoje? 
-Pro shopping fazer compras - eu disse, e Lucio me olhou assustado.
-COMO ASSIM, VOCÊ FAZENDO COMPRAS? - ele disse num tom de assombro que fez hoseok o encarar abismado.
-Não pra mim, pro Hoseok - eu disse, dando uma risada em seguida.
-Já estava até contente com a ideia de você fazer compras e voltar a ter vida social fora da Empire, mas pelo jeito me iludi feio - Lucio diz, suspirando e sendo observado pelo mais novo ao seu lado que parecia entender tudo que estava acontecendo. 
-Sabe que não gosto dessas coisas de boate ou balada, sei lá como as pessoas chamem aquilo.. E mesmo que gostasse, eu ultimamente não ando com tempo pra nenhum assunto que não seja a abertura da filial da Empire no Japão - Lucio para no sinal e se vira pra onde estou. 
-Eu entendo você, você sabe né? Só gostaria que você se divertisse mais - ele volta a sua atenção ao trânsito, até que Hoseok resolve se manifestar.
-Quer apostar como consigo fazer ela sair de casa, Lucio? 
-OLHA SÓ, EU TO BEM ATRÁS, TÁ? - digo isso e vejo Lucio encarando Hoseok. 
-Fechado! - Lucio e Hoseok dão as mãos e eu resolvo protestar.
-Eu duvido que você consiga, hoseok, mas pode tentar- o vejo dando uma risada maléfica e Lucio estaciona em frente ao Shopping.
-Ae cara, cuida bem da minha menininha hein - Lucio se pronuncia antes de descermos do carro.
-Pode deixar parça, ela está em boas mãos. 
-Ele já provou que cuida mesmo Lucio, pode ficar tranquilo- digo isso e vejo Hoseok abrir a porta do carro pra mim - Pode vim daqui umas duas horas tá, quando tiver na frente me liga - eu digo e Lucio me dá um beijo na testa.
Fomos em direção a entrada do shopping até que uma senhora cigana que aparentava ser muito familiar segura em meu pulso e me olha fixamente nos olhos: 
-Moça, você está perto de encontrar o verdadeiro sentido da vida, a sua verdadeira felicidade.. Não a deixe escapar!


Notas Finais


AEEEEEE, a cigana apareceu de novo hehehe.. Obg a Moh por ter betado esse capítulo e Obg por vocês estarem lendo, BJOS até semana que vem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...