História Whole Lotta Love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice In Chains, Audioslave, Eddie Vedder, Pearl Jam
Personagens Chris Cornell, Eddie Vedder, Jeff Ament, Jerry Cantrell, Layne Staley, Personagens Originais, Stone Gossard
Tags Alice In Chains, Anos 90, Chris Cornell, Eddie Vedder, Grunge, Pearl Jam, Romance
Visualizações 16
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorou, mas aqui estou eu KKKKKK
Fiquei nervosa ao escrever este capítulo, então por favor ignorem qualquer erro!!
Boa leitura!

Capítulo 7 - Sexy Drunk Love


Fanfic / Fanfiction Whole Lotta Love - Capítulo 7 - Sexy Drunk Love

Eu estava feliz demais pela confissão de Eddie, mas também estava preocupada.

Deixei os pensamentos da tarde passada de lado e levantei do colchão que Stone arrumou para nós –Eu, Eddie e Jeff, que por sinal era um ser muito simpático.
Meu ombro doía por ter que dormir no chão, mas era o que eu menos me importava no momento.

Fui em direção à sala e encontrei os meninos ali, sentados no chão e jogando um jogo de tabuleiro qualquer que estava em cima da mesa de centro. Sorri pra eles, que logo notaram minha presença.

 

–O que vocês estão fazendo? –pergunto, enquanto sentava ao lado de Stone.

 

–Jogando. Estávamos esperando você. –disse Jeff, sempre com seu sorriso simpático estampado no rosto.

 

–Vamos à praia. –era a vez de Eddie, que estava quieto o tempo todo, falar algo.

 

–Finalmente! –ri. –Eu estava começando a achar que as casas de praia foram feitas apenas pra ter uma praia de paisagem. –falei e eles riram. –Vou trocar de roupa. –fui para o quarto.

Coloquei um short e a parte de cima do biquíni, mesmo com vergonha do meu corpo. Tentei esquecer esse fato e peguei meus óculos escuros que estavam dentro da minha mala e voltei para a sala.

 

–Vamos? –os apressei, ansiosa pra ir pra água. Eles assentiram e saímos finalmente para a praia.

O lugar era lindo, e eu não me canso de dizer isto. Tinha grandes palmeiras espalhadas por ali e o grande mar azul brilhava enquanto fazia um dia de sol, apesar de não estar abafado.

Os meninos estavam com um violão cantarolando alguma música, enquanto eu e Eddie brincávamos na água igual fazíamos quando éramos crianças. Eu jogava água nele e ele fazia o mesmo comigo, e aquele momento poderia durar pra sempre pra mim.

 

–Vem cá. –ele me chamou, me pegando no colo em seguida e me girando, o que me fez gritar de susto e desespero.

 

–O que você tá fazendo, seu maníaco? –gritei, rindo e batendo no seu ombro para ele me soltar. Conforme ele girava, seus cabelos longos vinham todo na minha cara.

 

Ele me jogou na água e se jogou também, esperando a onda vir. Era uma onda grande demais, eu me caguei de medo; Acho que é a melhor definição.
Ele segurou minha mão e a onda veio toda na nossa cara, o que resultou em nós dois da areia rindo iguais dois idiotas enquanto os meninos olhavam pra gente sem entender nada, mas graças à deus eles ignoraram esse fato e voltaram a tocar.
Estávamos de barriga pra cima, cabelos bagunçados e eu provavelmente deveria estar com os olhos vermelhos por causa do sal da água. Mas Eddie estava feliz, então eu também estava.

 

–Isso foi incrível! –ele sorriu, olhando para o céu com poucas nuvens. –Eu me senti uma baleia. –rimos.

 

–Você é, definitivamente uma baleia. –eu disse, rindo junto com ele.

 

–Eu sei! –ele disse, parando para pensar um pouco. –Sabe o que poderíamos jogar?

 

–O que? –perguntei, curiosa.

 

–Eu nunca.

 

–Aquele jogo com as bebidas? –tentei confirmar, já que não tinha certeza se era exatamente isto.

 

–Sim. Mas relaxa, vai ser levinho. –ele riu, beijando minha testa.

 

–Hm... Tá bom. –dei de ombros, me sentando na areia. -Vamos? –o olhei, sendo que ele ainda estava deitado na areia com cara de pastel.

 

–Ah sim, vamos. –ele sorriu e se levantou.

 

Eddie conseguiu convencer os meninos e então entramos de volta para a casa. Eram umas quatro da tarde, ainda estava um sol considerável. Pegamos uma mesinha qualquer, colocamos as bebidas e uns copinhos ali e nos sentamos no chão.

 

–Tá. Eu começo. –Stone disse, já um pouco animado por ter tomado umas doses mais cedo. –Eu nunca comi guardanapo. –ele disse e olhou para Jeff, que começou já tomando uma dose de bebida e fazendo uma careta em seguida.

 

Isso não vai acabar bem...

 

E assim anoiteceu, todos já estavam alterados, mas eu em exceção tentei me segurar. Eddie estava jogado no sofá falando coisas sem sentido e os meninos estavam brincando iguais crianças lá fora na água. Sentei do lado de Eddie tentando compreendê-lo.

 

–A Disney está te perdendo... Porque você é uma princesa. –Eddie disse, totalmente bêbado e dando risadinhas. Eu não sei se ri de nervosismo, ou se ri da situação.

 

–Pelo visto você já fez muitas coisas, senhor Vedder. –ri dele, que me puxou e me deitou em seu peito, fazendo carinho na minha cabeça.

 

–Ah, Violet! –ele continuava a rir. –Seus cabelos tem cheiros de melancia. –ele beijou minha cabeça e eu fiquei sem entender nada.

 

–Acho melhor você ir pra cama. –disse, me levantando e o puxando comigo. A criatura era, definitivamente uma baleia. Ele apenas me seguiu para o quarto e eu o deitei lá, o cobrindo e apagando a luz. Estava saindo pela porta quando Eddie me chamou.

 

–Violet. –ele chamou, no escuro.

 

–O que foi, Eddie? –perguntei, me virando em direção ao som e acendendo a luz, mas a deixando baixa.

 

–Deita comigo. –ele fez beicinho. Abri a boca para falar mas ele me interrompeu. –Por favor!

 

Eu não estava pra lá de sóbria, então não consegui recusar seu convite.
Deitei-me ao seu lado e ele me abraçou de frente, pondo o queixo por cima da minha cabeça.

Ele afastou os cabelos que estavam em meu rosto e colou nossos lábios, selando um beijo calmo e romântico, com um leve gosto de bebida.

Eddie rapidamente acelerou os beijos enquanto passava as mãos pelas minhas costas. Ele ficou por cima de mim enquanto continuava com os beijos, agora cheios de desejo e paixão. Sua mão explorava cada centímetro do meu corpo, e eu nunca estive tão nervosa.

Minha mente falava que eu não deveria fazer isso, mas não vai ter problema se eu ficar aqui só mais um pouco né?

Inverti as posições ficando em cima dele, que facilitou o meu trabalho e estava sem blusa, assim como eu. Eu arranhava levemente seu peito e sua barriga, o que fez o mesmo suspirar. Espalhei beijos por ali e pelo seu pescoço, finalizando com um beijo caprichado em seus lábios.

Deitei-me de novo e o olhei. Ele estava suado e confuso. Beijei seu maxilar e o abracei, colocando minha cabeça no seu peito e relaxando ali.

E foi assim que eu adormeci.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...