História Why do I fall in love fast? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Exibições 42
Palavras 1.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


1º cap pro6
Espero que gostem pq eu não sou acustumada a escrever hentai :v

Capítulo 2 - First Night


Fanfic / Fanfiction Why do I fall in love fast? - Capítulo 2 - First Night

Lá estava eu, me olhando no espelho. Estava com uma dúvida ENORME sobre que roupa usar. Não sabia se usava o vestido preto longo com as costas nuas ou o vinho curto com um decote bem aberto nos seios. Como esse vai ser o primeiro de quatros caras, temos que surpreende-lo para ganhar mais. Bom, a roupa ajuda, mas se for pensar, ela vai ser rasgada ou vai acontecer qualquer coisa com ela. Então optei pelo vinho curto, já que ele vai ser mais fácil de tirar.

A lingerie, essa tem que ser especial. Então com eu sou meio atrevida, só vou de calcinha. Não quero perder tempo. Quero saciar esse desejo carnal que atinge esse homem. Eu não faço só programas pra homens, também faço pra couples e mulheres. Digamos que eu prefiro com os homens. Eles dão um prazer maior. Pensa como deve ser bom ouvir aquele, aquele gemido rouco no pé do ouvido que faz até arrepiar. Com certeza é muito melhor. Posso dizer também que só no trabalho eu sou bi. Porque se eu sou contratada, tenho que satisfazer quem for.

-Então ok. Vestido vinho, ok. Lingerie preta de renda, ok. Maquiagem, ok. Batom vermelho, ok. Salto, ok. Perfume, ok. TUDO, OK.  – disse analisando todo o meu corpo. Me sentei na borda as cama e peguei meu celular.

Agora, vamos ver quem será o felizardo da noite. Nam me enviou a foto dele. Seu nome? Park Jimin. Nossa. Esse é lindo. Eu estou agradecendo o Nam internamente por ele ter me dado esse homem MARAVILHOSO. Não é todo dia que vem um homem gostoso desses, geralmente vem aqueles meio buchudos, com uma barba mal feita que provavelmente bebeu varias e só quer transar e cair ou broxar no meio da relação. Mas por incrível que pareça, eles são os que pagam mais. Então com poucos movimento ele te dá mais de 700 dólares. Isso é muito bom. 

Assim que termino de verificar a fixa dele, desço as escadas atraindo os olhares de todos que estavam na sala.

- Ow! Aonde a Dama da noite vai? – disse umas das meninas que mora comigo.

- Lavar carro é que não né – peguei a minha bolsa na qual estava no sofá, e nela continha apenas a chave da casa, do carro e meu celular e também alguns remédios pra caso aconteça algo. Ela é pequena então nem parece que tem muita coisa, não que tivesse mas, ok. – Hoje o show é pro Park Jimin, conhecem?

- Eu conheço. Nunca fiz programa pra ele, mas ele está em vários banners pela cidade. – manifestou uma moça.

- Ok gente. Me desejem sorte.

- Desde quando você ____ precisa de sorte? Você só precisa satisfazer. E isso eu tenho certeza que você sabe. – Disse Nam me olhando de cima a abaixo, enquanto passava pelo corredor. TODAS olharam pra mim com aquela cara e maliciosa: (͡° ͜ʖ ͡°).

- Obrigada, Nam. Tchau meninas. – sai e fechei a porta indo em direção a minha Lamborghini preta, na verdade é da casa mas somente eu tenho acesso. Coloquei a localização no GPS e liguei o carro.

Assim, dei partida do mesmo e fui em direção a casa do famoso Park Jimin. Coloquei uma música meio agitada e fiquei dançando de forma “descente”, já que o carro é aberto e eu não queria sofrer nenhum acidente. Certo? Certo. O endereço é bem longe de onde moro. Ou seja, do outro lado de Seul. Mas já que eu preciso desse dinheiro, vamos lá.

Quando me aproximei da “casa” do Jimin, percebi o grau de riqueza que aquele ser possui. Acho que já fui em lugares a esse porte, mas nada se compara a Mansão do Park Jimin. Era ENORME, sem brincadeira, era totalmente iluminado, tinha aqueles portões de ferro que se abrem automaticamente e tinha também uma fonte na entrada. Sai do meu carro e fui em direção a campainha.

- Sr. Park Jimin? – liguei o microfone.

- Quem desejas falar com o Sr. Park?

- Um momento, - recebi uma mensagem do Nam dizendo que eu tenho que falar a palavra –  S-E-G-S-E-U .( significa sexo em coreano :v )

- ok, Srt. Pode entrar. – os portões se abriram e eu voltei a entrar em meu carro indo em direção a porta principal da mansão. Deixei minhas chaves com o manobrista e quando pisei no último degrau da escada para bater na porta, a mesma se abre.

- Boa noite – o homem a minha frente me olhou de cima a baixo e alto constatou que eu era mais uma puta que o Jimin paga. – A srt. é a _____?

-Exato. Onde o Sr. Park se encontra? – disse mantendo uma postura ereta.

- Possa me acompanhar. – ele deu passagem para minha entrada e eu assim fiz. – Ele se encontra em seu escritório. – Me apontou uma porta escura e encostada. Assenti e fui em direção a mesma, a batendo.

- Pode entrar. – obedeci e fechei a porta atrás de mim. Meus olhos percorreram a grande sala e foi parar no homem que já estava em minha frente.

- Boa noite Sr. Park. – disse cordialmente

- Boa Noite. – ele me analisava e isso me incomodava. – como se chama?

- _______. – ele deu de ombros.

- Olha aqui ________. Eu te comprei por essas duas noites, certo? – assenti. – hoje eu tive um dia meio estressante e gostaria que você fizesse seus serviços, corretamente.

- Ok. Como gostaria de começar? – pergunto mordendo o lábio inferior.

- eu tenho regras. – assenti e fiz um sinal pra ele prosseguisse – 1º você só poderá gemer meu nome. Jimin. – meu corpo estremeceu – 2º só poderá gemer quando eu mandar e 3º eu gosto do sexo mais violento. Você aceita as regras, srt ______? – ele disse a última regra em meu pescoço, me fazendo arrepiar por completo, com certeza já estava molhada com esse simples ato.

Ele segura minha nuca iniciando um beijo calmo, minhas braços foram rodeados em seu pescoço e ele segurou minha bunda, dando-me impulso para laçar minhas pernas em sua cintura. Como o salto que eu usava era fácil de tirar, o desfiz dele rapidamente com ajuda dos meus próprios pés. O beijo essa hora já estava excitante e feroz, sua língua percorria por toda minha boca, suas mão estimulavam meus seios ainda sobre meu vestido e a outra percorria minhas costas à procura do fecho do sutiã

- Esperta – disse me colocando no sofá que havia ali.

- Não, rápida. – como eu estava sentada em seu colo, apertei seu membro e ele arfou, dei um sorriso maliciosa e ele retribuiu subindo o meu vestido.

- Ow... Que gostosa – disse quando meus seios “pularam” do vestido, já que ele era colado. Ele abocanhou um deles e começou a suga-lo fortemente enquanto ele fazia seu trabalho, eu estava segurando meus gemidos mordendo o lábio . Ele foi pra o outro seio e fazia os mesmos movimentos estimulando o outro seio. – Geme pra mim. – isso pra mim foi como um alívio porque eu não aguentava mais.

- Aaahnw Ji-min – gemi enquanto apertava seu membro já ereto perto da minha intimidade. Enquanto gemíamos em uníssono, com as pequenas caricias ele me colocou ajoelhada em sua frente. Eu já sabia o que teria que fazer, então com a ajuda dele tirei a calça e sua cueca box preta. Quando abaixei a mesmo, seu membro saltou pra fora com seu pre – sêmen já exposto.

Segurei seu membro e comecei a masturba-lo lentamente, minha boca salivava mais e mais pra colocar aquela coisa cheia de veias pulsantes dentro da mesma. Aumentei meus ritmos com as mãos e abocanhei seu membro, consegui ouvir seus gemidos e isso me estimulava a continuar, comecei indo rapidamente e voltando lentamente, coloquei o máximo que conseguia, e ainda faltava, e com o que faltava masturbava com os mesmos ritmos.

- Mais rápido _____ - indagava enquanto o torturava. Ele agarrou meus cabelos fazendo uma rabo de cavalo e começou a ditar os movimentos que gostava. Eram movimentos rápidos, fazendo com que seu pau tocasse a minha garganta, eu comecei a fazer os movimentos que ele queria e ele parou de ditar, quando senti que seu gozo estava chegando parei lentamente e ele me olhou indignado, então comecei a sugar seu pênis fortemente e ele gozou em minha boca e sem cerimônias engoli tudo e limpei os cantos da boca como se uma sujeira qualquer.

- Vem aqui –ele voltou a segurar minha nuca me puxando pra outro beijo, só que dessa vez foi calmo e meu coração começou a bater forte, já sabia, já estava demorando. – ignore a 2º regra ok? – desencostamos os lábios e nós encaramos por um tempo. Voltei a sentar em seu colo, roçando nossas intimidades. - _____?

- Sim? – disse ajeitando meu cabelo.

- Tudo que estamos fazendo aqui é puro prazer, certo?

- Claro. Vim satisfaze-lo.

- Ok, eu nunca paguei nenhuma mulher pra transar comigo – o encarei. Eu pensava que ele era aqueles que transava com quem queria. – e você é a primeira. Espero que só seja você. – sorri de lado. – bom que tal irmos pro quarto?

- Eu vou andar pelada pela sua casa? – disse enquanto fiz um gesto apontando meu corpo todo, pois as roupas não estava mais presentes, a não ser a calcinha. Ele riu do meu ato e apontou uma porta branca.

- Ali é meu quarto. Tenho saída dupla pra vários quartos. – ele pegou a minha mão e fomos até o quarto. Ele andou normalmente só com a camisa que usava. – Se importa se....

- Jimin, você brinca hoje. Faça o que quiser. Amanhã eu que mando. – ele assentiu e segurou minha cintura com uma certa força e me beijou, enquanto isso, eu desabotoava sua camisa e rapidamente ela estava ao chão. Enquanto ele dava passos pra frente, eu dava pra trás e acabou que deitamos na ampla cama.

Sua mão passeava pelo meu corpo, enquanto o mesmo dava chupões em meu pescoço me fazendo arfar. Ele rasgou a minha calcinha e penetrou dois dedos de vez me fazendo arquear as costas. Gemi seu nome, já que ignoramos a 2º regra, e ele aumentou os movimentos e voltou a me beijar pra diminuir meus gemidos. Ele estimulava meu clitóris e com aqueles pequenos movimentos gozei e ele lambeu seus dedos e me beijou, fazendo eu sentir meu próprio gosto.

Trocamos de posição, fiquei sobre seu colo e ele introduziu seu membro em mim de vez. Fique parada por um tempo, para me acostumar com o seu tamanho, já que não era nada pequeno – ele é mesmo coreano? – e comecei a rebolar sobre ele.

- Tão... a-aper-ta-tada – disse enquanto cavalgava sobre seu membro. Trocamos de posição e eu fiquei de quatro e ele fez novamente um rabo de cavalo e começou a estocar freneticamente. Senti meu orgasmo vindo e minha intimidade se contraiu fazendo ambos gemerem. Nós gozamos juntamente e eu cai de lado, assim que ele se retirou de mim.

Ele se deitou ao meu lado e me deu um beijo calmo. Retribui sem cerimônias e me levantei a fim de tomar banho. Só que ele me puxou.

- aonde vai? – disse me olhando.

- Tomar banho.

- Vou com você. – ele se levantou e fomos tomar um “banho” (entendam como quiserem) e eu me toquei que não estava com as roupas no quarto, acabei deixando no carro e já são 4h da manhã. Não vou mesmo lá fora, acho que ele percebeu e me ofereceu um moletom e uma cueca box, a vesti rapidamente e voltei a deitar e acabei dormindo em seus braços.

(...)


Notas Finais


Sabado tem mais
e será a 2º noite do jimin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...