História Why Girl? - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 4
Palavras 757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


"Não fique triste por verdades, fique triste com mentiras"

Capítulo 6 - Sophia


Fanfic / Fanfiction Why Girl? - Capítulo 6 - Sophia


Saphira On


-Pare de agir como um idiota Arthur- Ja estava irritada, ele que contar algo que não tem necessidade


-Mais Soph...


- Nada de mais Arthur.


-Sophia, você acha certo o que você me fez durante esses 16 anos? Acha certo o que fez a ela?- Ele parece falar a verdade.


- Ela não esta nem ai para você Arthu. Ela só liga e quer saber de me, só. Agora tira essa ideia fajuta da cabeça.


-Você sabe que ela vai saber uma hora e se não for por a gente sera pelos outros o que é pior Soph, me esculta só dessa vez. Sim eu aceito ela não gostar de me (apesar de ser sua culpa)- ele tenta falar isso quase que inaldivel só que eu esculto


-Minha culpa? Ah por favor


- Você desapareceu. Sua mãe só me disse que você foi atras de ser feliz. Atras de alguem/algo que te faz bem. Ela disse que eu não deveria atrapalhar como estava atrapalhando- ele falou e estava triste ao dizer aquilo


-Arthu, ela é especial e eu senti isso ainda no ventre. Ela precisava de treinamente. E foi isso que fui atras. E foi isso que ela teve


-Você me afastou dela, e se afastou junto Sophia. Você poderia ter me contado. Devia ter me contado- ele explodio


- Se acalme Arthu, não queremos que ela te mate por esta querendo me atacar.


Ele sentou em sua cadeira e eu na minha.


- Ela vai estudar aquu durante  3 meses. O Claus quer conversa, acho que leva-la sera um problema. Então vou ir, e quero que cuide dela.- falo como uma suplica


-Não precisava nem ter avisado. Mas o que o Claus quer com você?- Ele parece preocupado...


- Olha, não é comigo que ele quer algo. E sim com ela.Proteja-a okay?


Acabamos nossa conversa... E eu e ele fomos em direção ao carro onde ela ja estava.


-Olá papai- ficamos surpresos ao ouvir aquilo da boca dela


-Oi piralha, gostou da escola?- Arthu fala com muita naturalidade. Apesar de estar nervoso e preocupado.


-Olha, então minha dedusão tava certa rs- Criança minha- Vamos logo para a vó, já estou consada.-Fala ao entrar no carro


-Tomem cuidado- Arthu fala enquando entro no carro


- Sim, Tchau


E fomos a minha mãe... Ela estava tão quieta. Isso é preocupate. Olho o retrovisor e ela esta dormindo. Me sinto aliviada.
Bem finalmente chegamos na casa da minha mãe, fui primeiro ver se ela estava em casa e depois iria chamar a S/N para comer.


-Mãe?- grito para dentro da casa, mais nenhuma resposta, resolvo acorda a S/N para colocarmos suas coisas no quarto.- S/N acorde, acorde - ela se remexe no carro como uma criança ate que eu consigo a acorda- Vamos, chegamos na sua avó.


Saimos do carro e o semblante dela muda, ela parecia uma criança com sono agora era diferente, parecia pronta para matar


-S/N o que foi filha?- Olho para ela, mas ela parece procurar algo.


-Você não esta sentindo?- ela não me olha ao perguntar, e começa a andar em direção ao jardim da casa


-Sentindo o que meu amor?- Sera o Claus?


-Morte mãmae, a casa da vó, o jardim. Ate uns 200m a dentro desta floresta- Ela aponta para a Floresta Deserta- esta com cheiro de morte.


-Sua Avó?- Pergunto meio aflita


-Talvez, parece que foi maia de uma morte, se foi ela. Eram muitos


-Vamos mais rapido então, ela pode esta precisando da gente.- e corremos aquela floresta da minha infancia e vejo o que nunca achei que verei, ela estava com as mão amarradas na cabeça, um enorme buraco no peito e estomago (ainda sangrava), os olhos estavam abertos, mais não tinha nada neles, alem de um buraco negro. Seus pes a 2m do chão... Mas minha mãe não era a unica a esta morta naquele lugar... Tinha varios corpos, pedaços e mais pedaços de cabeças, braços, troncos, pernas (esse era o jeito que ela matava)


-Mamae?- Fala S/N ne olhando. Tinha preocupação, tristeza, odio e algo a mais por tras daquele olhar frio dela.


-Consegui sentir alguma presença oucuta S/N?- Sou firme. Ainda olhando para o corpo da minha mãe naquela arvore.


-Na verdade sim, correu quando sentiu a gente se aproximando- ela encara o leste


-Vamos Matalo então?- Este desgraçado vai morrer de uma forma terrivel.


E fomos atras do desgraçado....


"Não pense que pode me deter, não sonhe que pode me ganhar,porque você não pode, e espero que coloque isso na cabeça logo"


--------------------------X------------------------


Notas Finais


Aaaaah, sera errado gostar da propria historia?
Espero que estejam gostando também!
----------------x-----------------x----------------


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...