História Why I Love You, Brother?(Incesto) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST
Personagens Aron, Baekho, Jason, Jr, Minhyun, Ren
Tags Ciumes, Incesto, Jren, Nu'est, Renhyun, Sexo
Visualizações 32
Palavras 6.961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello pessoinhas... (beijinhos imaginários)

Então, desculpem por não atualizar ontem... vamos lá ^^

Boa leitura e até as Notas Finais ^^

Capítulo 6 - Cap. 5: Maldita curiosidade. Parte 2.


~~ P.O.V REN ~~

Assim que subi para falar com o Minie, me senti mal. Não porque o ciúme do meu irmão estava me matando, mas sim porque eu ignorei JR! Não era minha intenção ignora-lo. O Hyunie é meu melhor amigo, ninguém me conhece tão bem quanto ele e hoje foi um dia muito chato para ele. Tive a certeza de que ele me ama, nem precisei da ajuda do Minie!

Quando ele foi embora, eu rapidamente subi para falar com Minie, tive medo de Aron saber que contei ao Minie sobre seu segredo. Eu conheço Aron, ele ficaria muito chateado comigo.

Após Aron sair do quarto, eu fiquei com Minie ali, sozinho. Apenas eu e meu Minie! Seria estranho dizer que quero meu irmão para mim? Sim! Mas é isso que eu quero. Quero meu Minie! Eu tenho reparado que ando fitando os lábios dele, desejo beija-los todo instante. Por que quero beija-lo? É estranho isso. Eu apenas sinto vontade de abraça-lo e beija-lo da mesma forma que beijei ontem! Esses olhinhos brilhantes são tão lindos, seu rosto emite uma vista maravilhosa de um ser divino. Deus! Não posso querer meu irmão!

Rastejei até ele e subi na cama, fiquei entre suas pernas e rapidamente ele me abraçou. Começou a afagar meus cabelos, por um momento achei que iria perde-lo e por outro senti-me salvo.

Eu tive total certeza de que quando eu pedisse para ele me beijar, eu não pensaria em querer novamente! Eu só queria saber que gosto tinha e não me apaixonar pelo meu próprio irmão!

- Não precisa ficar com todo esse ciúme! Você sabe que sou seu, meu pequeno. Mas me deixe ter amigos, você tem os seus. - Falou ele baixinho em meu ouvido. Aah Minie, se soubesse o que sinto quando você fala assim, baixinho em meu ouvido! Meu coração acelera, minhas mãos tremem, meu sangue ferve de ansiedade... Por que fico assim perto dele? Por que sinto essa vontade de ficar perto dele e afastar os outros?

- 'Tá bom! Mas você não vai me trocar por nenhum deles, ou vai? - Questionei baixo e ouvi ele suspirar.

- Claro que não! Por nenhum. - Falou e beijou minha cabeça. - Aaah Rensunie! Queria tanto que não fosse meu irmão. - Falou ele em tom baixo.

- Te amo, Minie! Você é só meu. - Enfatizei apertando sua perna. - Você mesmo me disse. Quando eramos pequenos, você prometeu. - Falei me aproximando dele. Lentamente ele foi se aproximando também, deixando nossos rostos à milímetros de distância. Pude sentir sua respiração bater contra meu rosto.

- Rensunie. - Susurrou. - Espera Aron ir para casa! Minha atenção será apenas para você meu bolinho ciumento. - Falou baixo ainda próximo de mim. Me afastei lentamente dele e desviei meu olhar, estava prestes a beija-lo! De novo! Será que me apaixonei por ele? Me apaixonei pelo meu irmão? Não posso.

Fui até ele e o abracei forte. Ouvimos a porta se abrir revelando um Aron sorridente e angustiado ao mesmo tempo. Agradeci à Deus por ele não ter vindo antes.

- A mãe de vocês pediu para chama-los para tomarmos sorvete. - Falou. - Venham.

- Aah, vamos Minie? - Ele assentiu sorrindo envergonhado.

- Sua mãe pediu para eu dormir aqui! - Falou Aron para meu irmão. - Mas eu não trouxe meu uniforme e nem minha mochila, será que ela deixa eu vir outro dia? - Questionou ele todo animado.

- Vamos tomar sorvete e depois falamos sobre isso, 'tá bom? - Minie disse sorrindo.

~~×~~

Fiquei na sala com mamãe e os pais do Aron enquanto o mesmo se aproveitava do meu irmão lá na cozinha. Senti ciúme! Muito ciúme, mas procurei ignorar.

Se eu me afastar dele, essa paixão sumirá, certo? Mas... Já fiquei cinco anos longe dele! Não quero me afastar. Agora sim eu vi o erro que cometi em pedir para beija-lo! Ele faz tudo que eu peço e com certeza aceitou para me deixar feliz. Minie não gosta de me ver triste e deve ser por isso que ele aceitou me beijar, mas esse beijo mexeu tanto comigo!

- Você e seu irmão são bem apegados, não são? - Questionou o senhor, pai do Aron.

- Somos sim, meu irmão é muito importante para mim. - Falei sorrindo. Não quero ser mau educado perto dos pais do Aron, eles são bem legais. Eu não os conhecia e hoje pude ver que são pais bem presentes na vida do Aron.

- Tão importante que quase o mata quando sente ciúme. - Falou minha mãe ironizando.

- Ah mamãe! Minie ficou cinco anos longe de mim. Não me peça para deixa-lo em paz! Só tenho ele para atormentar. - Falei e logo os pais do Aron sorriram.

- Aron gosta muitos de vocês! São como melhores amigos dele. Tenho muito o que agradecer por tratarem meu filho tão bem. - Falou a mulher com voz suave e terna. Se ela soubesse que tive vontade de matar o filho dela!

- Aron é um de meus melhores amigos e parece que meu irmão gostou muito dele. - Falei e apontei para os dois palhaços lá na cozinha.
 

~~ P.O.V MINHYUN~~

Após tomarmos o sorvete, fiquei na cozinha com Aron para "Lavar a louça". Na verdade ficamos conversando sobre muitas coisas. Ainda me sinto mal por estragar a tarde dele com os pais! Agora que conheci os dois, digo que não aparentam ser rudes, muito menos o pai dele. Eu os achei muito simpáticos e atenciosos! Vi que o senhor chamou Aron de filho isso o deixou contente.

- Já falei que seus pais são legais? - Questionei e ele sorriu. - Adorei conhece-los.

- Eles estão assim hoje! Nossa idéia era ir a uma sorveteria, mas agora estou gostando de estar aqui, com você. - Falou ele e vi seu rosto corar.

- Aron, não se afaste de mim depois do que aconteceu hoje. - Pedi. - Tipo, quero continuar sendo seu amigo.

- Não vou me afastar! E bom, sempre que quiser que se repita... - Me olhou malicioso. - Adoraria, sabe?

- Só não conte ao Rensunie, aí eu posso dizer que nosso beijo se repetirá. - Falei e mordi meus lábios. - Vou te confessar uma coisa. Quando te vi lá na secretaria eu te achei muito bonito, quando Rensunie falou sobre você... - O olhei fixamente nos olhos. - Falei que ficaria com você por te achar bonito e ele ficou com ciúmes.

- Não vou contar! - Sorriu. - Você também é muito bonito mas, seriamente, não achei que seria você o primeiro garoto que eu iria beijar. - Voltou a lavar as taças. - Digo, eu nem sabia que eu iria beijar um! Não sabia que seria tão bom. Você beija bem! - Me olhou. - Me... animou. - Apontou para sua calça e por reflexo eu olhei. Deus! Garoto safado.

- Vamos parar de falar disso! - Senti meu rosto ruborizar. - Você me animou também! Se não fosse o Rensunie, eu não teria parado aquele beijo. - Falei sem olha-lo.

- Notei mesmo. - Sorriu e eu sorri também. - Acho que somos gays.

- Hey! Não sou gay! Eu sou bi. É diferente. - Ele sorriu de novo. - Continue rindo, eu gosto do seu sorriso. - Falei olhando-o de forma carinhosa.

- Obrigado. - Sorriu. - Será que sua mãe deixa eu dormir aqui algum dia? - assenri sorrindo ao ver o pai dele se aproximando.

- Filho, vamos para casa! - Exclamou o senhor. - Amanhã você vê seus amigos de novo. - Prosseguiu abraçando sua mulher. Olhei para Aron que não tirava o sorriso do rosto e logo ele me olhou.

- Ele me chamou de filho! - Exclamou ele em forma de sussurro.

- Eu vi, agora vai e aproveite o tempo com seus pais. - Falei sorrindo.

- 'Tô indo, papai. - Falou alegre.

~~×~~

Estava sentado no sofá com o Rensunie sobre meu colo quando mamãe disse que iria sair para comprar algo. Por um momento eu fiquei com medo! Sim. Fiquei com medo! Tipo Rensunie e eu... sozinhos... em casa... ah Deus! Eu sou aquele tipo de irmão que não consegue negar nada -absolutamente nada- à seu irmão, mas... e se ele pedir outro beijo? E se eu ceder!?

Eu odeio ver Rensunie triste, me faz lembrar de quando ele era menor.

Permaneci com ele em meu colo, na TV passava um filme de terror e, vez ou outra, Rensunie se assustava mas tentava disfarçar. Tão fofo!

- Não precisa disfarçar! Você está com medo, não é? - Ele assentiu sem ao menos me olhar. - Vamos fazer outra coisa! Humm... - Murmurei pensativo. - O que quer fazer?

- Minie eu te amo! - Ele falou rápido.

- Também te amo meu bolinho. - Falei afagando seus cabelos.

- Não! Eu te amo de verdade! - Começou. - Igual papai amava a mamãe!

- Rensunie! Você não sabe o que fala! - Falei e abracei-o forte. - Somos dois homens, não tem como você me amar como papai amava a mamãe! - Falei mais por ele comparar o amor entre homem e mulher com o amor que ele sente por mim como irmão. 

Mas eu o amo como irmão e o desejo então.. ESPERA! Eu amo ele como mamãe amou papai?

- Mas quando um homem gosta de homens e de mulheres o amor é igual! Então eu te amo sim. - Falou ele gesticulando com as mãos.

- Mas Rensunie.. - Me interrompeu e me olhou de forma estranha. Nunca vi meu Rensunie assim!

- Mas nada, Minie. Depois daquele beijo, eu passei a te ver de uma forma diferente! Não suporto ver você com outros, principalmente com o Aron! - Falou ele em tom irritado e me espantei! Ele pareceu bem maduro ao falar tais palavras. Eu também passei a ver ele de uma forma diferente mas eu jurei me controlar! Ele é meu irmão e isso é errado. Quero ver conseguir explicar isso à ele.

- Você.. q-quer dizer que você está apa-apaixonado por... mim? - Questionei gaguejando e ele assentiu. - Mas Rensunie, somos irmãos! Não podemos, digo, é errado! - Falei sem o olhar.

- Não é não! O amor não é um erro! - Falou ele tristinho. - Você não me ama? - Ele ficou silencioso depois de falar isso, pude ver que seus olhos foram perdendo o brilho que antes era bem notável.

- Você é meu irmão! Amo você sim mas como meu irmão. - Falei e senti meu coração doer, Ren passou a virar seu rosto, me ignorando. - Rensunie! Olha para mim. - Pedi e ele virou, vi que seus olhos estavam marejados e sem brilho algum. - Ah Rensunie! Por que você faz isso comigo? Hein? Eu também te amo da forma que você me ama. Mas não podemos! Somos irmãos, não podemos ficar juntos igual mamãe e papai ficaram! - Falei já chorando também. Por que Deus? Também amo meu irmão. Meu coração acelera quando estou com ele e até duvido a possibilidade de Rensunie não escutar! Meu pequeno está sendo meu amor e isso é.. errado! Não podemos. Jamais!

- Eu amo você, Minie. Podíamos simplesmente ficar juntos sem ninguém saber! Ninguém saberia. - Como pode achar simples? Não me ouviu falando ser errado? - Eu quero acordar com meu Minie me beijando todos os dias! Quero ouvir que você me ama! Quero sentir seu abraço quentinho! Quero ficar com você.. quero.. eu quero você! Minie, por favor! - Falou em tom manhoso se aproximando cada vez mais perto de mim, esse garoto é uma tentação! Por que comigo? - Minie, você disse que era só meu. - Completou me abraçando forte, ele colocou a cabeça na curvatura do meu pescoço e ficou assim por longos segundos. Travei!

Pelo jeito meu irmão cresceu! Já sabe de muita coisa e pelo que notei, já descobriu a melhor coisa a fazer quando se ama alguém: Ficar junto.

- Rensunie! Te amo. Eu também quero tudo isso. Mas entenda, meu pequeno! É errado isso. - Olhei-o ficar sem sentido, ele fitava meus lábios e seu semblante era de puro desejo, em seus olhos continha paixão. Meu irmão também gosta de mim da forma que gosto dele! - Dane-se, eu quero muito errar. - Falei e me aproximei lentamente até selar seus lábios.

Ele cedeu ao meu beijo e logo passou a me beijar também, seu beijo suave e carinhoso estava sendo bom, muito bom. Acariciei seu rosto macio com uma de minhas mãos enquanto a outra descia de seu rosto e deslizava até sua nuca, puxando seus cabelos com pouca força. Senti sua língua quente passar por meus lábios e rapidamente cedi a entrada da mesma, deixando-a passear pela minha boca, saboreando e abusando de cada canto de minha pequena boca. O que antes era um beijo calmo e suave, agora era um beijo cheio de amor e luxúria. Eu senti amor nesse beijo quente! Esse foi um beijo com sentimentos, ao contrário do primeiro. Nossas línguas se enlaçarem, foi como se estivessem dançando em sincronia, nossas bocas se encaixam perfeitamente. O beijo de ontem foi tão gostoso que me tirou do sério, agora esse beijo cheio de paixão -e fodidamente gostoso- vai me tirar o sono!

Enquanto Rensunie me arranhava por cima do pano fino de minha camisa, minha boca sugava os lábios dele, eu mordia-os de forma suave e -caralho- como essa boca me enlouquece! Procurei me afastar dele para respirar, fiquei ofegante por um tempo. Queria procurar palavras para explicar o quão abilidosa é a boca do meu Rensunie, mas não achei! Esses palavrões definem a gravidade da situação.

Colei nossas testas e olhei em seus olhos, eles continham um brilho diferente e estavam cheios de alegria.

- Ah Rensunie! Viu o que sua curiosidade me fez? - Questionei ofegante e ele sorriu. - Amo você, meu pequeno. Se quer ficar comigo, não comente com a mamãe e nem com ninguém que nos conhece. - Pedi susurrando.

- 'Tá bom, você é meu, Minie. Só meu! - Falou ele de maneira inocente. Abracei-o de maneira desajeitada e nos cobri com a manta que havia no sofá. - Podíamos fazer outra coisa, né? - Questionou ele inocente mas... (ah vocês me conhecem) pensei malícia.

- Tipo o que? - Indaguei. - Mamãe deve estar chegando. - Falei para ele. - Olha, já são sete e meia da noite.

- Eu quero fazer qualquer coisa que envolva ficar abraçado com você! - Falou todo carinhoso, ignorando quase tudo que falei. - Eu senti muito sua falta, Minie.

- Bolinho grudento com recheio de ciúme, o que acha de irmos para nosso quarto e dormirmos abraçadinhos igual quando eramos pequenos? - Perguntei e ele assentiu sorrindo.

- Mas quero um beijo. - Fez biquinho, que vontade de morder.

- Aqui não! Mamãe pode chegar e ver. - Falei e me levantei do sofá. Procurei organizar meus pensamentos impuros com meu irmão mas foi quase impossível!

E como se não bastasse, ainda tinha um Aron maravilhoso invadindo minha mente. Aaa, onde fui me meter? Por que beijei Aron? Ou melhor, por que beijei Rensunie? Ele é meu irmão!

Rensunie bufou irritado mas logo me seguiu, subimos para o quarto e assim que chegamos, me joguei na cama. Queria ficar um tempo sozinho para pensar mas Ren não deixaria. Essa carinha fofa me deixa sem noção!

- Rensunie, eu vou tomar um banho e já volto. - Falei me levantando, ele fez uma carinha safada. - Não me olha assim, meu pequeno! - Pedi manhoso e sorri de lado.

- Queria ir junto! - Fez bico. - Mas você não deixa.. - Deitou na cama e me fitou.

- Beijo eu até posso te dar, mas deixar você tomar banho comigo é um pouco de mais! - Falei sorrindo.

- 'Tá bom! - Bufou. - Ainda quero meu beijo. - Falou. Fui até ele e o beijei novamente, um beijo suave e sem língua. Seus lábios macios são irresistíveis!

- 'Tá feliz agora? - Questionei e ele assentiu mordendo os lábios.

Me direcionei ao banheiro e me despi para tomar um banho. Fiquei apenas de boxer porque tendo um Rensunie que surge das trevas ao seu lado, nunca se sabe, não é?

- Como eu faço agora? Não posso contar para Aron sobre Rensunie e nem posso contar para Rensunie sobre meu beijo com Aron! - Pensei. Eu tenho que parar de pensar! Sim, boa idéia. Parar de pensar.

Balancei minha cabeça para espantar meus pensamentos e logo voltei ao que estava fazendo, tomando banho.
 

~~ P.O.V CHOI ~~

Combinei com os Kwak de me encontrar em um restaurante, eles me disseram lá em casa que tinham um assunto importante para conversar comigo. Me assustei! Eu os conheci agora e estou ansiada para saber sobre o que se trata mas também estou receosa. Pode ser que eles queiram afastar meus filhos do filho deles. Não sei! Estou receosa!

- A senhora chegou! - Exclamou a mulher de forma preocupada, sentando-se em minha frente.

- Boa noite! Como estão? - Questionei-os e logo os dois sorriram simples.

- Estamos bem! Deve estar se perguntando por que pedimos para que viesse? Então.. É um assunto muito delicado. - Começou o senhor com o semblante preocupado. - Queremos pedir sua ajuda!

- Oh! Ajudarei em tudo que eu puder. - Falei sorrindo mas logo desfiz meu sorriso pois os vi preocupados. - Aconteceu alguma coisa?

- Bom, nosso filho, Aron... ele é adotado! - Exclamou a mulher em tom preocupado. - E agora a mãe biológica dele está o procurando! Nós já não sabemos o que fazer, temos muito medo que ela roube-o e fuja com ele! - Olhou para o marido e abaixou seu olhar. - Hoje quando estivemos em sua casa, vimos que seus filhos gostam muito de Aron e que a senhora é uma ótima mãe! - Me olhou preocupada.

- CÉUS! Vocês já registraram boletim de ocorrência? - Questionei assustada ao recapitular a única parte que me assustou.

- Já sim, mas ela continua nos procurando! Agradecemos à Deus por ela aparecer pela manhã, período em que Aron estuda! Estamos com muito medo, queriamos pedir para que Aron passe uns dias em sua casa, ou que seus filhos fiquem lá em casa por um tempo. - Falou o senhor. - Seus filhos têm sido melhores amigos do meu filho! Eles o ajudam muito e meu filho está ficando apegado à eles. - Completou com o olhar triste.

Me assustou! E se a mãe biológica do Aron for uma louca? Esse menino corre perigo!

- Eu.. eu não sei o que dizer, o que eu puder fazer por vocês eu farei com prazer! - Falei e vi a mulher sorrindo. - Aron já sabe?

- Não ainda! Por isso pedimos esse favor. Não queremos que a mulher que trouxe ele ao mundo o roube de nós! Nós queremos contar a ele quando tudo se resolver e seus filhos poderão ajudar distraindo-o. - Começou ela. - Meu marido e eu temos que estar saindo e na maioria das vezes, Aron fica sozinho! Não queremos daixa-lo sozinho.

- Então deixem-no em minha casa, eu ajudarei em tudo que precisarem e se ele precisar dormir lá em casa será de maneira confortável, Ren tem um quarto mas ele não dorme nele. - Falei atenciosa. Os dois continham preocupação no olhar então tentei acalma-los. - E quando ele não puder ficar lá em casa, eu mando Min ou Ren para sua casa. - Eles sorriram.

- Faria esse favor para nós? - O homem questionou e eu assenti sorrindo simples. - Nós agradecemos de coração, Aron ficará muito feliz. Ele adora seus filhos! - Completou abraçando a mulher.

- Eu quem agradeço por confiarem em meus filhos e em mim! - Sorri. - Ren me contou que seu filho tinha problemas na família e muitas vezes ia chorando para o colégio. - Falei e a mulher assentiu. - Se quiserem contar-me sobre isso. - Falei em forma de pedido.

- Na verdade, Aron chorava por culpa minha! - Olhei confusa para ele. - Eu não fui um bom "pai", Aron e eu nunca tivemos uma boa convivência. Mas quando a verdadeira mãe dele nos ameaçou tira-lo de nós eu resolvi mudar com ele. E agora quero ele com a gente mais do que nunca! - Completou ele. Deveria pensar isso antes de faze-lo chorar.

- Eu fico feliz em saber que o amam como filho! Irei ajuda-los com prazer. Meus filhos ficarão felizes em saber que Aron passará mais tempo com eles! Não se preocupem, não comentarei nada com eles e nem com Aron! - Falei ignorando o que o homem falou, logo os dois ficaram aliviados.

- Agradecemos novamente. - Falou e mulher. - Nós já vamos, deixamos Aron sozinho em casa. - Levantou-se.

- Está bem! Esse é o telefone lá de casa, caso precisarem me ligar para buscar Aron ou algo do tipo. - Entreguei um cartão com meu número. Eu sempre carrego cartões com meu número anotado! Não tenho uma boa memória e sempre alguém pede, então isso ajuda muito.

- Obrigada! Obrigada pela compreensão tenha uma ótima noite, de um beijo em seus filhos por nós! - Falou o homem. - Tchau, até mais. - Acenou saindo do restaurante e eu acenei novamente.

- Ah! Agora está tudo mais tranquilo! Entendo tudo agora. Espero que o problema se resolva logo e que Aron saiba a verdade pelos seus "pais". - Pensei comigo e sorri.

Acho que não deveria falar sobre o que Ren me falou! Agora com certeza o "pai" irá brigar com o Aron! Eu tinha que ser curiosa. Deus! Se Aron aparecer chorando amanhã a culpada será eu! 
 

~~ P.O.V JONGHYUN ~~

Estou em meu quarto deitado -desde a hora em que cheguei da casa do Rennie- até agora! Posso dizer que depois que Baekho contou sobre minha paixão secreta, -nem TÃO secreta assim- Ren tem me ignorado. Apenas quando cheguei  sua casa, ele fingiu estar se divertindo comigo perto de sua mãe. Ele não me ligou e não mandou nenhuma mensagem, ele e o irmão estão muito grudados! Estou com ciúme. Quem dera eu ser irmão do Rennie! Se bem que eu não o amaria da mesma forma... Esqueçam isso de eu ser irmão! Não daria certo.

Sai de meus devaneios ao ouvir meu celular tocar, bem que podia ser Rennie!

- hum? - Murmurei após atender.

- Oi para você também! - Voz de um Aron bem humorado.

- Oi meu amor, tudo bem? - Falei sarcástico. - O que foi? Fala logo, estou intediado.

- Eu estou bem e também estou intediado! Estou sozinho. - Falou ele, Aron odeia ficar sozinho.

- Hum! - Murmurei. - O que foi fazer na casa do Rennie? - Perguntei em tom malicioso.

- Eu ia sair com Hyunie e com meus pais mas eles preferiram ficar lá! - Suspirou.

- No falar em "Hyunie". Rennie ficou bravo com o Minhyun quando ele ia sair. - Comecei. - Ficou com muito ciúme!

- Hyunie me contou! Hoje meu dia foi muito estranho! - Falou e bufou.

- Não foi só o seu! Acredita que Baek contou sobre minha paixão por Rennie? - Comecei. - Agora ele anda me ignorando.

- Baek é um bocó! - Concordei. - Por que contar algo tão óbvio? - Bufei.

- Você é um chato sabia! - Falei em tom baixo. - Será que Rennie não gosta de mim nem um pouquinho?

- Olha! Agora com o irmão de volta, acho difícil ele te notar! Os dois estão muito grudados! Chega à ser fofo. - Falou e bufei novamente.

- Belo amigo você! Deveria me ajudar e não me jogar na cara que Rennie só me vê como amigo! - Falei. - Mas não vou desistir.

- Você vem falando que não vai desistir desde a oitava série! - Falou ele sorrindo. Cretino!

- Aaaaaah eu te odeio Aron! IDIOTA!. - Desliguei.

Por que insistem em dizer que Rennie não vai me notar?! Eu tenho esperança sabiam?
Rennie é carinhoso comigo e isso me deixa muito esperançoso.

- Aron, idiota! Te odeio tanto! - Pensei sorrindo. Se bem que.. Aron está certo! 

Sai do meu quarto e logo fui para a cozinha, pegar algo pra comer.

- Filho! Não saiu do quarto desde que chegou. O que houve? - Perguntou meu pai. Ele estava sentado no sofá junto com minha mãe e meu gatinho Thell.

- Só estou intediado papai! - Falei e fui até a geladeira. Abri a mesma e logo vi um pudim, lindo e gostoso. - Posso pegar um pouco de pudim? - Pedi fazendo biquinho mesmo sabendo que meus pais não veriam.

- Pode filho, fiz para você! - Mamãe falou lá da sala e eu logo sorri. Peguei o prato todo com o pudim e fui para meu quarto novamente. Amo pudim! Amo mamãe, amo papai, amo Thell e amo o Rennie!

- Aaah Rennie! Por que não gosta de mim? - Suspirei.

Eu não quero que ele fique triste comigo. Eu não sei o que pensar (sei sim, penso apenas no Rennie), por que esse metidinho tinha que aparecer? Que droga.

- Aaaah como eu queria ser irmão do Rennie! - Pensei novamente. Se bem que ser irmão do Rennie não me permitiria ficar com ele! Seria um erro muito grande, Aish!!

Que pudim gostoso! Mamãe é a melhor mãe do mundo! 

 

~~ P.O.V REN ~~

Minie estava demorando de mais no banho mas preferi deixa-lo sozinho. Ele precisa pensar! Que besteira eu fiz? Por que falei que o amo?

Eu entendo o que Minie queria me dizer! Somos irmãos e é errado querer que fiquemos juntos, mas não posso negar que o beijo dele mexeu muito comigo. Ele aceitou que fiquemos juntos sem ninguém saber e, claro, que concordei.

Como será se alguém descobrir? Não quero perder meu Minie!

- Filho, cheguei. - Mamãe gritou lá do outro lado da porta.

Tão rápido! Queria muito ficar mais tempo com Minie.

- Oi mamãe. - Sai da cama e fui abrir a porta do quarto, em seguida, abracei mamãe. - Minie está tomando banho.

- Oi Ren. - Sorriu. - Assim que ele acabar, poderiam descer? Preciso conversar com os dois. - Falou mamãe em tom calmo e séria.

- Claro mamãe! - Beijei seu rosto e ela devolveu sorrindo simples. Mamãe não costuma me chamar para conversar, então deve ser coisa séria!

~~×~~

- Mamãe quer conversar com a gente! - Falei em tom baixo para Minie. Ele acabará de se vestir e não resisti a tentação de abraça-lo por trás.

- Rensunie, o que você aprontou? - Virou-se para mim e me olhou sorrindo. - Me diga que não contou a ela!

- Minie.. claro que não contei! Não falei para ninguém. - Respondi olhando em seus olhos.

- 'Tá bom! Vamos lá. - Puxou-me pelo braço e me arrastou até sairmos do quarto.

Quando chegamos na sala, vimos mamãe sentada no sofá e logo que ela nos viu, ela sorriu animada. Me deu mais medo que o filme de terror que assisti com Minie.

- Rensunie disse que queria conversar com a gente, mamãe! - Minie Indagou sentando ao lado da mamãe, hesitei em fazer o mesmo mas Minie me puxou e me fez sentar em seu colo. Me ajeitei ali e o abracei, fazendo com que mamãe se sinta à vontade (nem TÃO à vontade assim) e comece a falar.

- Sim filho! Então... vi que vocês gostam muito de Aron e pensei bastante nesse assunto! - Nos olhou séria. - Então resolvi deixar que ele durma aqui sempre que quiser e... - Olhou para Minie. - Vocês também poderão dormir lá na casa dele sempre que quiserem. - Completou ela sorridente.

Ah não! Por que logo Aron?! Desde que Minie chegou, ela passa a ver ele como o todo da casa. Digo, se ele gosta, ela pensa que eu devo gostar também! Mas... Não posso contrariar mamãe. Minhyun pareceu gostar. Olha esse sorriso de sem vergonha! Aaaah que raiva. Acham que eu vou deixar Minie sozinho com Aron? Eu não!

- Mamãe! - Pensei alto. Droga!

- Filho, seram apenas uns dias! Ele só virá quando quiser e vocês também vão quando quiserem! Entendam, Aron é sozinho, ele não tem irmão! Como se sentiria se não tivesse Minhyun? Se sentiria sozinho, não? - Assenti. Eu morreria se não tivesse meu irmão! Entendi o que mamãe quis dizer, Aron deve se sentir muito sozinho mesmo.

- Para mim tudo bem mamãe! Ele é meu amigo. - Minie me olhou. - Apenas meu amigo! E já você, Rensunie...eu acho que morreria sem meu pequeno. - Falou ele afagando meus cabelos.

- 'Tá bom! - Bufei e concordei. - Mas ele vai dormir no outro quarto. - Falei e mamãe sorriu. Não quero que Aron durma no mesmo quarto que eu e Minie!

- Ele vai dormir no seu quarto, filho. - Ah que bom, eu tenho um quarto só para mim mas não durmo nele, durmo com Minie. - Mas isso não está decidido ainda! Não sei se ele vai querer dormir aqui de vez em quando! - Completou mamãe e olhei triste para Minie.

- Okay mamãe! Mas tudo isso para que Aron não fique sozinho? - Questionou Minie com cara de desentendido.

- Sim Minie, Aron se sente muito sozinho e por isso ele virá dormir aqui algumas vezes. - Falei e Minie sorriu de lado. Acho que estou machucando meu Minie, ele fica me apertando.

- Isso mesmo, filho! - Sorriu para mim. - Peço que não brigue com Aron, filho. Min é o melhor amigo dele e vocês não podem viver brigando! - Falou mamãe de forma atenciosa.

- Não se preocupe mamãe! Eu já conversei com meu bolinho sobre isso! Ele concordou em me deixar ter amigos. - Falou Minie me encarando. Eu concordei?

- Que bom, filho. - Olhou sorridente para Minie. Mamãe sempre se alegrou com o fato de Minie e eu sermos bem apegados! Quando eu tinha dez anos, ele quem cuidava de mim. - E quero dizer também que estou muito feliz com você, Minki! Você tem se comportado muito bem e não me desobedeceu mais. Estou muito feliz mesmo. - Aaaah ela 'tá feliz comigo. - Agora eu vou tomar um banho e vou descansar! - Falou ela subindo as escadas.

Fiquei estático! Não consegui nem sequer responder mamãe! Saber que ela está feliz comigo me deixa muito contente. Mesmo ela sendo brava comigo (só comigo), eu odeio ver ela triste comigo! Mas ela está feliz. Deve ser porque eu tenho me comportado bem -pelo menos parei de falar coisas feias perto dela-.

Me agitei rapidamente no colo do Minie e logo ele me olhou sem entender. Ele não sabe o que eu fazia antes de ele chegar, espero nunca saber!

- Que horas são? - Questionei disfarçando. Sei que Minie quer saber o porque de mamãe falar sobre meu comportamento.

- Oito horas da noite! Hora de me explicar do que mamãe estava falando. - Indagou ele me fuzilando.

- Minie, vamos subir e conversar no quarto? - Pedi manhoso e ele negou. - Ah Minie! Não é nada. Mamãe só falou aquilo por que eu falava coisas feias, digo, palavrões! Ela não gosta. - Falei de cabeça baixa. Claro que ela não gosta Ren! Que mãe gosta de ouvir seu filho falando essas coisas?

- Okay! Vamos subir, precisamos conversar. - Falou apertando minha cintura. - Vamos.

Saimos da sala e fomos para o quarto, Minie trancou a porta e logo se direcionou para cama, onde eu já estava sentado. Ele me olhou de forma safada e isso me desconcertou ainda mais! Ele subiu em meu colo e acariciou meu rosto de maneira carinhosa, sua mão macia percorria meu rosto inteiro, deixando-me com vontade de beija-lo. Ele passou suas mãos (que antes estavam em meu rosto) em volta de minha cintura e me arranhou, com as curtas unhas, por cima de minha roupa. Isso me fez murmurar em tom alto suficiente para ele sorrir satisfeito. Ele me olhou nos olhos e passou a pontinha de seu nariz por todo meu pescoço, vez ou outra me dando beijo suaves.

- Isso... é para você ver que sou apenas seu! - Exclamou beijando meu pescoço de forma devoradora, gemi baixo com esse ato. - E isso... é para compensar o que não farei enquanto Aron estiver aqui! - Mordeu de leve minha orelha e logo selou meus lábios com desejo.

Ele moveu seu quadril de maneira lenta, senti um volume se formando em minha calça e rapidamente me envergonhei! Ao sentir seu corpo colado ao meu, me fez gemer baixinho, seus movimentos em cima de mim me fizeram arfar.

- Minie-ah! - Chamei por ele. Ao sentir ele movendo seu quadril de maneira rápida. - Aahn Minie. - Fechei meus olhos e sem controlar, mordi meus lábios. Levei minhas mãos até seu quadril e o puxei de forma com que ficasse mais próximo de mim, o vi morder os lábios também.

- Shii! - Colocou seu dedo contra meus lábios, impedindo-me de falar qualquer coisa. - Isso é tão bom! - Exclamou ele fechando os olhos, sua boca estava entre-aberta e pude ouvi-lo gemer baixinho de forma descontrolada. Aquilo estava me deixando com muito desejo, meu membro pulsava e queria mais contato com o corpo do Minie.

- N-não para! - Pedi manhoso e ele continuou se movendo em cima de mim, seus movimentos estavam rápidos e tão ágeis que senti-me estranho por um momento.

- Aahn Rensunie. - Gemeu arrastado, colocando sua cabeça na curvatura de meu pescoço. Vez ou outra eu apertava suas coxas e ele gemia baixinho contra meu pescoço. Sentir seus lábios em meu pescoço me deixou todo arrepiado, meu membro estava pulsando dentro de minha calça e para ajudar (ou não), Minie se movia em cima de mim, fazendo nossos membros se encontrarem. A vontade que eu tinha de tirar a roupa dele foi imensa, mas me controlei, Meu irmão acharia que sou um safado pervertido!

Mas enfim, enquanto ele se movia, eu mordia meus lábios impedindo que meus gemidos ecoassem pelo quarto, logo senti algo molhado em minha calça. Ele gozou?

- Aaahn Ren-sunie. - Gemeu alto.

- Você gozou em mim! - Falei sorrindo e ele me olhou envergonhado. - Aah Minie. 

- Não consegui evitar, desculpa Rensunie! -  Pediu manhoso, em seus olhos continham o mesmo desejo de minutos atrás.

Minhas mãos que antes estavam em seu quadril, agora estam acariciando seu rosto macio, esse olhar malicioso e safado! Aaah droga! Não queria que ele fosse meu irmão. Ver Minie assim me deixa fora de mim, fiquei muito "animado" ao sentir ele se movendo, ouvir ele gemendo baixinho me deixava extasiado pelo som manhoso de sua fala.

- Eu quase gozei também! - Ele sorriu sem jeito. - Não me maltrata assim, Minie.

- Quer que eu tente te fazer chegar lá? - Questionou de forma safada e eu assenti.

Fiquei sem sentido, fechei meus olhos ao sentir ele se movendo novamente. Não sabia que isso era prazeroso! Sentir o membro dele apenas roçando no meu me deixou com uma sensação boa, senti prazer naqueles movimentos. Minhas mãos apertavam suas coxas e ele arfava toda vez que meu membro roçava minha entrada.

 

~~ P.O.V MINHYUN ~~

Eu não sei o que deu em mim para dizer aquilo! "Quer que eu tente te fazer chegar lá?" Não é algo muito legal à perguntar para seu irmão que é dois anos mais novo que você, ou é? Claro que não Minhyun!

Mas o que posso fazer? Ele me deixa totalmente duro (sabem o que eu quero dizer), Eu não consegui evitar que eu me derramasse em seu colo, mesmo estando com roupa eu fiquei muito excitado ao sentir nossos membros se roçando, tinha curiosidade de saber qual é sensação de sentir prazer! Foi delicioso, gostoso, foi maravilhoso! Ainda que nem toquei em Ren. Será que isso existe? Tipo, sentir prazer apenas se movendo, sentindo o outro íntimo.. Algo tão simples me deixou tão animado! Foi tão bom. E Rensunie gemendo, me pedindo para não parar! Aaah foi tão prazeroso.

Essa carinha manhosa -e safada ao mesmo tempo- quase me mata! Isso que fizemos será a única maneira de saciar meus desejos. Não posso nem pensar em toca-lo de outra forma!

Voltei a mim e notei que Rensunie estava arfando, sua cabeça pendia para trás e sua boca estava entre-aberta. Isso é uma das coisas que me deixaram ainda mais excitado. Sem pensar duas vezes, beijei seu  pescoço de maneira suave e logo pude sentir as mãos de Rensunie me apertarem novamente. Passei a me mover de forma rápida em seu membro e ele arfou mais uma vez.

- Minie-ah, eu.. aaanh Minie. - Gemeu baixo de forma manhosa. Ele está chegando ao seu ápice também, legal! Vou gozar também. O mais legal ainda é que estamos de roupa. ESPERA! Tem algo mais legal ainda... Ele geme baixo porque sabe que mamãe pode ouvir porque senão... Ah (Deus! Me perdoe por pensar coisas impuras com meu irmão), ele gemeria alto e com vontade, eu não teria pena nenhuma de marcar cada pedacinho de seu corpo. - Minie, eu... AAAAHN MINIE! - Gemeu alto. Senti algo molhado em baixo de mim, olhei para sua ereção que estava bem visível e ele sorriu envergonhado. Parei de me mover e sorri satisfeito, quente. MUITO QUENTE.

Ai! E se mamãe ouviu?

- Não geme alto! Mamãe pode ouvir! - Falei e ele abaixou sua cabeça, olhando a umidade em sua calça.

- Minie! Amo você! - Exclamou ele. Segurei seu queixo e o fiz me olhar. Colei nossos lábios de maneira suave e procurei me afastar de seu corpo, muito tempo no colo do meu Rensunie poderia deixa-lo cansado. (Aquela carinha).

- Filhos? Tudo bem aí. - Mamãe falou do outro lado da porta do quarto. Olhei sem reação para Rensunie e ele logo sorriu envergonhado.

- Sim mamãe! Rensunie machucou o braço mas já passei um remédio. - Falei olhando para Rensunie que estava com carinha de sapeca.

- Me assustaram! - Bufou. - Vou voltar a dormir, se precisarem de mim me chamem. - Falou ela e ouvi ela se afastar.

- Vem, vamos nos limpar para dormir. - Puxei-o pelo braço. - Que horas são?

- Nove e quinze! - Falou olhando no relógio da parede. - Aah Minie, não quero dormir! Quero ficar com você. - Fez birra.

- Então fica aqui! Eu vou me limpar e trocar de roupa porque você me deixou todo melecado. - Me afastei minimamente, com um sorriso malicioso em meu rosto. - Sabe de uma coisa? - Mordi o lóbulo de sua orelha. - Eu adorei o que fizemos! - Beijei seu rostinho. Rensunie não falava nada, apenas me olhava com malícia. 

Espero que mamãe não desconfie de nada! Sei que é errado isso. Mas como falei, não sei negar nada à Rensunie. Então a única coisa que me restou foi propor ficar junto dele sem que ninguém saiba, eu também passei a ve-lo de uma forma diferente desde que cheguei em Busan, vocês devem achar que aceitei para não deixa-lo triste (também) mas eu fiz isso porque eu também quero ficar com ele, pretendo acabar com isso assim que ele se enjoar e querer ficar com outros. Mesmo me deixando triste, quero que ele seja feliz com alguém que não seja proibido(a) para ele.

Hoje não pude controlar, lá na sala quando eu o fiz ficar em meu colo eu senti meu membro despertar e sem querer -ou querendo- apertei ele. Tive que me controlar para não beijar ele perto da mamãe!

Entrei no banheiro e comecei a me despir, o que fiz com Rensunie me deixou estranho!

Ue Minhyun, você disse ter gostado! Então, eu gostei sim. Amei! Mas saber que não poderei passar disso... que droga!

Comecei limpar todo meu corpo com um pano molhado, quando vou poder escrever em meu diário sobre o que tem acontecido? Coitado, vai ficar maluco com tudo que eu tenho para escrever!

Assim que voltei, já de roupa trocada, me joguei na cama e vi que Rensunie também já estava com outra roupa. Me deitei ao seu lado e beijei sua testa.

- Dorme bem meu bolinho! Amo você. - Sussurrei para ele.

- 'Tá bom! Eu também amo você. Boa noite Minie! - Falou com a voz manhosa.

Boa noite meu pequeno. Para quem não queria dormir.. Parece que o sono não teve piedade do meu bolinho grudento.. Ah Deus! Me perdoa por tudo que fiz até agora, mas eu não vou parar com esse pecado! Eu necessito do meu Rensunie do meu lado. Pelo menos por agora!

Abracei-o de maneira desajeitada e fechei meus olhos, o cheirinho do cabelo do Rensunie me deixa tranquilo e apaixonado.

Mamãe e papai não aceitariam uma relação entre Ren e eu! Mas se eu amo ele... se eu desejo ele... Deus! Será que consigo ficar com ele só por um tempo? E se eu ficar dependente dos carinhos dele?

 Não consigo parar de pensar no beijo doce que ele me dá e nem no seu carinho desajeitado. Não consigo parar de imaginar como seria se tivessemos feito aquela coisa que casais fazem!

Aaaah eu tenho que parar de pensar nessas besteiras!
 

REN É SEU IRMÃO! VOCÊ NÃO PODE... NÃO DEVE! 


Notas Finais


Aaaah finalmente atualizei ^^ kkk

O que foi isso? Aaaaaaaaah deixa eu me recompor!!

Gente.. Não me matem por esse capítulo! Amoo vocês meus bolinhos.

Desculpem a demora e perdoem os erros...
Comentem o que acharam.

Até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...