História Why so cruel, daddy? — yoonmin - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonmin
Visualizações 189
Palavras 943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Jimin tá tão passivinho nessa foto que acho que vou morrer de fofura rapidão

Capítulo 11 - "Seu!"


Fanfic / Fanfiction Why so cruel, daddy? — yoonmin - Capítulo 11 - "Seu!"

Capítulo Onze: Seu

Você é frio como gelo, baby

Mas quando você é agradável, baby

É tão incrível em todos os sentidos

Lana Del Rey - Freak

[JIMIN ON]

Sempre chego atrasado na escola e sou obrigado a assistir milhares de aulas naquele marasmo entediante, mas desta vez estava agitado até demais. Todos sorriam ao me ver e eu sorria de volta de modo ingênuo antes de notar que falavam sobre a minha bunda.

— "Você viu?"

— "Bem, não pode negar que ele é um ruivo gato pra caralho..."

Ignoro continuando o caminho até ouvir um comentário diretamente pra mim. Que descarada aquela garota! — "maior que a minha, UH!"

— Porra, qual foi?

Riem novamente e os vejo olhando para uma lista.


1. Park Jimin

2. Youngjae

3. JiHoo

4. Jess (...)


— O que isso significa?

Yoongi surge entre a multidão me dando um abraço. Eu não havia me assumido, então o empurrei, mas seu aperto me fazia querê-lo ter ainda mais próximo. Normalmente os únicos momentos que o tinha tão próximo era após de satisfazê-lo sexualmente.

— Minnie, vamos sair daqui!

— Não vou à lugar algum. O que isso significa?

O estopim se teve quando colocavam um folheto grudado na minha bunda de forma ríspida. Havia escrito "TOP 10: bundas mais gostosas da escola". Engoli seco sem saber ao certo como deveria reagir, mas o branquelo me defendeu.

Primeiro empurrou o garoto o deixando longe de mim. — Quão estúpidos são para fazer uma lista de bundas gostosas? Aposto que são um bando de virgens idiotas!

— Huh, defendendo assim o Park mais parece que você que tirou a virgindade dele.

Havia algo que eu odiava mais que sorvete de limão, fingir para todos algo que não sou. Ainda assim, minha família extremamente rígida não suportaria boatos de um filho gay. — Eu não preciso da sua ajuda, Yoongi. Não se intrometa mais, por favor.

[...]

No intervalo vou a biblioteca e lá o encontro. Yoongi estava com a cabeça baixa lendo um livro. Olho para os lados antes de passar os dedos entre seus fios negros e tenho meu corpo puxado para seu colo.

Yoongi... — cochico soltando um riso de desistência — Estamos na biblioteca da escola, nem pense nisso!

— Como sabe no que estou pensando?

— Esse seu olhar pervertido.

O maior pôs um dos dedos nos meus lábios indicando que fizesse silêncio.

— Você... vai... me beijar?

— Se importa?

Faço que não abaixando a cabeça.

Seria tão simples se simplesmente o desse um selinho. Provavelmente seria tão súbito que ele nem se importaria, mas depois de dez segundos soaria estranho.

— Por que está tão vermelho, pequeno? É apenas um beijo.

O silêncio ecoou enquanto estávamos com os rostos mais próximos. Meus lábios secavam e sentia minhas mãos transpirarem. — Eu não posso... Somos garotos...

— Faça o quiser.

— Eu quero ser seu.

Por um momento esquecemos que ainda estávamos na escola e notamos isso apenas quando o sinal do recreio tocou. Ele sorriu desviando o olhar e colocou as mãos no meu rosto. Pude notar que estavam ainda mais geladas que as minhas.

— Tenho quase certeza que faz de propósito, não pode ser tão cínico. — me olhou de modo intimidador — Como pode ser tão fofo e ao mesmo tempo tão sexy?

— "Sexy"? Bem, eu não esperava que dissesse isso. Eu estou me declarando, hyung.

— Não é o que parece quando estamos em público.

— Hyung, eu não posso. Meus pais...

— Eu sei. Corta essa! Foi o mesmo que Jung Hoseok disse antes de resolver ser visto como um hétero do colegial.

Levantou-se me tirando do seu colo e pegou seus materiais. Ele estava certo, mesmo assim aquilo doía incessantemente mil vezes mais que quando levei um fora do Jungkook.

[...]

Chego atrasado na aula e sou obrigado a fazer trabalho com o Jeon Jungkook. Minha cara de choro estava explícita e eu não tinha cabeça para aquilo naquele momento, por sorte ele era um prodígio em Biologia.

— Jimin hyung, está bem? Se quiser eu coloco seu nome e não precisa ficar aqui.

— Só faça a sua parte. Taehyung está nos olhando, não o faça me odiar mais.

— Ok — silencia voltando a escrever — Só uma perguntinha... Yoongi e você não tem nada a ver, então por que sempre estão juntos?

Respiro fundo e deixo cair uma lágrima.

— Porque eu tenho uma tara por caras idiotas, deve ter notado isso.

Pego meu caderno o deixando sozinho enquanto vou em direção ao Taehyung. O mesmo fazia trabalho com o Namjoon, mas ao me ver parou apenas para revirar os olhos.

— Olha só, você pode me odiar, mas não pode tirar meu título de melhor amigo de uma hora para outra num momento tão importante pra mim.

— Melhores amigos não dão em cima dos pretendentes dos amiguinhos.

— Eu não estou nem aí para o Jeon  porque eu já não consigo pensar em nada que não envolva Min Yoongi. Sim, eu sou um idiota.

— Ji-Jimin...

— Shh, cala a boca, eu ainda não terminei. Eu não penso apenas coisas fofas, mas também quando ele acorda e seu cabelo está desgrenhado e caralho... Eu sequer consigo me concentrar nos exercícios, então repito trinta vezes apenas por saber que ele vai estar me observando. Ele é tão sexy que nos pegamos agora a pouco na biblioteca.

Taehyung coloca a mão na minha boca me calando. — Não é só ele que te observa!

Viro passando o olhar pela sala. Todos haviam parado de copiar e me observavam boquiabertos. Quis uma máquina para voltar ao tempo e não falar tanto, porém era tarde demais.

A professora põe a mão no meu ombro me aconselhando. — Querido, você é muito ingênuo para uma companhia assim. Chamaremos seus pais!

— E-Espere, não é para tanto...

— Não podemos admitir essa desordem na nossa escola.

Encrencado não era nem de longe o que eu estava.

[JIMIN OFF]


Notas Finais


Fo di di nho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...