História Why So Rude, Daddy? - Kim TaeHyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lu Han, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 68
Palavras 1.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤

Capítulo 1 - "Ele gritou comigo!" - Capítulo 01


Fanfic / Fanfiction Why So Rude, Daddy? - Kim TaeHyung - Capítulo 1 - "Ele gritou comigo!" - Capítulo 01

Point Of View (S/N):

Acabo de chegar da escola e subo para o meu quarto, na verdade eu fui lá apenas para deixar minha mochila e depois ia tomar um banho e me arrumar para mais tarde no jantar de negócios de meu appa teria de ir e tinha que me levar.

Deixo a mochila em um armário branco com portas de vidro bem delicado e vou ao meu banheiro, com as paredes rosas com brancas e o chão era branco, me despi e entrei no box. Saio do banheiro com a toalha cubrindo o meu corpo e vejo meu appa no final do corredor ele estava procurando algo. Entro no quarto e pego uma roupa que meu appa tinha dito para mim usar, visto-a e calço um salto alto preto com algumas correntes douradas e ponho um colar de ouro em formato de estrela que também meu daddy tinha me dado, na verdade tudo ele que me dava — praticamente tudo — coloco brincos de ouro também que eram o conjunto daquele colar, apago as luzes do quarto e vou para a sala e fico esperando meu papa vir. Uns dois segundos depois ele aparece descendo da escada preta com um paletó preto e com uma gravata nas mãos, calça social e um sapato social também. Ele vem até mim e diz rudemente

Daddy: Coloca isso em mim! — ele jogou a gravata em cima de mim.

(S/N): T-Tudo bem...! — olho para ele e depois começo a ajeitar a gravata em seu pescoço. Logo termino e puxa meu braço me arrastando e apagando as luzes mas eu tiro sua mão de meu braço e ele vira para trás e arqueia a sombrancelhas.— Minha bolsa! — falo isso pegando-a e meu daddy começa a me puxar novamente e nós entramos na garagem, ele me empurra pra dentro do carro e depois entra ao lado do motorista. Sai da garagem (com o carro) e começa a dirigir.

Daddy: (S/N)! — ele me chamou a atenção — por favor se comporte...— ele suspira.

(S/N): Appa... Porque você anda tão estressado?

Daddy: Olha...eu não quero falar disso agora, quando voltarmos para casa... Deixa! — Appa TaeTae sempre foi assim.

[...]

(S/N): Daddy...? — o chamei baixinho para as pessoas a nossa volta não ouvirem e ele me olhou com um olhar de reprovação pois estava conversando com uma mulher loira e alta e aquilo me deixava com uma ponta de ciúmes, ele respondeu docemente a mulher a sua frente.

Daddy: Com licença...— ela assentiu e appa me levou para um tipo de jardim e me perguntou — Oque você queria me falar de tão importante?

(S/N): Appa... Eu ...— ele suspira.

Daddy: (S/N)... fale!

(S/N): Minha cabeça dói...

Daddy: Muito?

(S/N): Sim... E eu tô com fome...

Daddy: Baby...nós não podemos ir agora... Fique sentada okay? — ele disse passando as mãos carinhosamente em meu cabelo e eu assinto.

Ele levantou e saiu de lá. Eu fiquei de cabeça baixa o tempo todo esperando meu daddy vir me buscar mas passaram se: uma...duas...três...quatro...cinco...seis...sete horas da manhã e nada dele aparecer, tinham uns homens bêbados me olhando lá. Saio do lugar que eu permaneci por 8 horas e ando até a sala da casa e vejo meu appa brincando com um garotinho de mais ou menos cinco anos e lá estava aquela mulher loira de ontem a noite. Eu não... Tava acreditando naquilo... Provavelmente ele dormiu com ela e agora... Eu prefiro não pensar nisso... Ele trata o filho da mulher como filho dele r eu... Que sou filha biológica dele, ele me trata desse jeito, me esquecendo e entrando em outra família enquanto me deixa sozinha pelos cantos, meus olhos não aguentaram então eu deixei duas lágrimas caírem ao mesmo tempo, uma emprega me pergunta oque eu tenho, se eu preciso de alguma coisa mas eu só saio daquela casa e quando um táxi qualquer passa eu o pego e digo o endereço da minha casa. Chego lá com os olhos vermelhos e inchados por estar chorando e vou diretamente para meu quarto, fecho a porta e deslizo lentamente meu corpo até ele se encontrar no chão

(S/N): Porque ele não me dá amor? Porque ele não me vê mais como uma filha dele e sim como uma desconhecida? Porque ele prefere aquela mulher e seu filho? Porque ele não foi atrás de mim pra pelo menos me dar dinheiro pra dormir em algum hotel ou em um quarto qualquer lá... somente isso! ELE PODERIA TER SE PREOCUPADO EM MIM TER FICADO SOZINHA NAQUELA MERDA DE FESTA INVÉS DE FICAR TRANSANDO COM UMA VAGABUNDA! — Digo isso em meio de soluços.

[...]

Ele tinha chegado furioso e eu tava pouco me fudendo pra isso

Daddy: (S/N)!!! VOCÊ TÁ AQUI? — ele perguntou batendo freneticamente na porta.

(S/N): O-oque você quer? Já cansou da puta e do "seu" filho? — ele olhou pra mim e me deu um tapa na cara.

Daddy: VOCÊ NÃO FALE ASSIM DELES!!! — ele me empurrou e eu taquei a cabeça na cabeceira da cama 

(S/N): EU FALO DO JEITO QUE EU QUISER COM QUEM EU QUISER!!! VOCÊ A PARTIR DO MOMENTO QUE ME ABANDONOU PRA FICAR COMENDO UMA QUALQUER NÃO TEM MAIS DIREITO NENHUM SOBRE MIM!!! EU TE ODEIO!! VOCÊ É UM PÉSSIMO PAI!! SE EU PUDESSE JÁ TERIA IDO EMBORA DESSA MERDA DE CASA! EU NUNCA PENSEI QUE VOCÊ ME ABANDONARIA POR UMA SIMPLES FODA! EU TAVA COM A CABEÇA QUASE EXPLODINDO E MORRENDO DE FOME!!! MAS PARECE QUE VOCÊ PREFERE UMA CRIANÇA QUE NEM SUA É, PRA FICAR CUIDANDO!! — eu realmente acho que exagerei um pouco.

Daddy: SE QUISER IR EMBORA PODE IR!! EU NÃO TE PRENDO AQUI NEM MESMO QUIS QUE VOCÊ NASCESSE — isso foi como uma facada no meu coração— EU ERA MUITO NOVO PRA CRIAR UMA CRIANÇA E AINDA TER UM BEBÊ CHORANDO 24 HORAS POR DIA NOS MEUS OUVIDOS!! E EU ME PREOCUPEI COM VOCÊ! EU NÃO FODI NINGUÉM EU SIMPLESMENTE FIQUEI COM O FILHO DELA A NOITE TODA ENQUANTO ELA DORMIA POIS ELE ESTAVA COM FEBRE E ELA CANSADA — outra facada, porque ele preferiu... Eles.

(S/N): KIM TAEHYUNG EU TE ODEIO!! VOCÊ É O PIOR PAI DO MUNDO, EU PREFERIA NEM TER NASCIDO!!! VOCÊ É UM IDIOTA!! UM COVARDE!!! EU TE ODEIO COM TODAS AS MNHAS FORÇAS!!

Daddy: Deixe de ser egoísta (S/N)! Ele é uma criança!

(S/N): Eu... Você disse que eu não deveria ter nascido... Eu... Por favor sai daqui... — eu falava calmamente ainda sentindo as lágrimas caindo.

Daddy: (S/N)! foi na hora da raiva... Me desculpa... Eu sempre quis ter um filho... Mas quando eu te ví eu me apaixonei! Você é a melhor filha que alguém pode querer ter... Me desculpe...! — ele abaixa a cabeça e faz reverencia e antes dele sair do quarto eu pulo em cima dele e o abraço, sua mão toca meu bumbum e eu sinto uma arrepio percorrer meu corpo

Daddy: Desculpe...! — ele apertou minha bunda novamente e eu arfei.

(S/N): Appa...isso é estranho...!

Daddy: Eu fazia isso quando você era pequena e tu nem reclamava...!! — ele andou até a sala comigo e me colocou deitada no sofá.

(S/N): Também fazia isso? — pergunto com uma sombrancelhas arqueada.

Daddy: Nem comecei, princesinha!

Ele subiu em cima de mim e ficou dando beijinhos em meu rosto

(S/N): A-Appa! — ele dá um mordida leve em minha bocheche.

Daddy: Você sabe que eu te amo né, baby?

(S/N): Sei mas... Porque você me trata tão mal? — eu disse e ele suspirou.

Daddy: Olha...— ele deita em cima de mim e fica dando alguns beijos em meu pescoço — eu tenho medo... De te tratar bem e você ir embora como as outras garotas vão quando se apaixonam, quando elas não querem mais saber de seus pais... Quando elas param de amar o pai e começam a amar um homem qualquer... Eu só não quero perder mais ninguém... Principalmente você! Eu não suportaria viver sem você, pequena... — suspirou.

(S/N): Daddy... Eu nunca faria isso com você, eu te amo muito pra deixar você sozinho sem ninguém... Eu nunca vou amar outro homem que não seja você! Então para de falar besteira... — meus olhos estavam ardendo e uma lágrima caiu.

Daddy: Eu te amo...— ele me dá um beijinho do braço até o pescoço que me fez arrepiar.

(S/N): A-Appa! — ele sorriu.

Daddy: Que foi, minha princesa?

(S/N): Eu vou morrer se você não sair de cima de mim!!

Daddy: Aish!! Eu nem sou tão pesado assim...— ele disse triste saindo de cima de mim.

(S/N): Daddy não faça essa carinha, hum?

Daddy: Tudo bem...! — ele virou PRA mim e deu um beijo molhado no topo da minha cabeça.

(S/N): Appa! Eu estou com fome..._ suspirei e ele me olhou.

Daddy: Fique aqui, irei preparar algo para você comer, sim? — assenti e ele foi para a cozinha.



Notas Finais


Espero que tenham gostado 😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...